1. Spirit Fanfics >
  2. Por quê eu não te amo mais, Jaebum ? >
  3. Capítulo 47 - Podemos ser felizes um com o outro ?

História Por quê eu não te amo mais, Jaebum ? - Capítulo 47


Escrita por:


Capítulo 47 - Capítulo 47 - Podemos ser felizes um com o outro ?


Sábado, 22 de Agosto

Youngjae


- Sim, Soojin, eu estou terminando o arquivo, estou saindo do prédio do Minho agora mesmo com o meu antigo pendrive que tem gravado nosso último projeto. - aperto o pequeno objeto entre meus dedos, parando na calçada.


- Você tem que me enviar ele amanhã, eu preciso acrescentar duas pesquisas que esqueci.


Olho para o céu, completamente escuro e os prédios escondendo a lua.


- Ok, ok, amanhã antes de meio dia eu ti envio, só preciso passar tudo para esse pendrive e finalmente estará feita minha parte. - asseguro-a pela quinta vez nas últimas 5 horas. Tinha me esquecido do quão insuportável o seu toque de perfeccionismo é.


Volto a olhar para as ruas, por saber que não tem pontos de ônibus perto, atravesso a rua correndo por causa dos carros, começando a desviar das muitas pessoas na calçada e caçar um ponto próximo.


- Olha que você está dizendo isso vai fazer 2 dias. - reviro os olhos - Por que essa enrolação toda ? O trabalho é em grupo, se você fuder sua parte, nos leva juntos.


Eu tenho culpa ? Por ser justamente Minho, como o esperado, tive que ouvir o quão feliz ele está por ter encontrado outro parceiro e se vangloriar por conta disso.


- Soojin. - Calma, Youngjae. Respiro fundo, ouvindo sua respiração do outro lado - Amanhã eu vou ti enviar essa merda e você concluiu o projeto, está certo ? - pergunto irônico, não esperando sua resposta - Vou entrar no ônibus agora, preciso desligar. Tchau. - encerro a ligação sem nem terminar de falar, revirando uma segunda vez os olhos. Como uma pessoa pode ser tão insuportável? 


Paro quando o sinal abre para os carros. Está tarde, Minho ficou me enrolando tanto com sua fala mansa que nem percebi as horas passando. Hoje é sábado, estou estressado para caralho, tive que ouvir mais um ex falando pelos cotovelos, o trabalho estressante, por estar no 3° bimestre as coisas só se acumularam mais e mais na faculdade, tirando a decepção com os caras que ando conhecendo serem um pior que o outro.


Mereço chacolhar o corpo, beber um monte e rebolar para desconhecidos, são esses momentos que sinto tanto falta do louco do Bambam.


Espera, esse bairro fica o restaurante noturno que o Jaebum tanto gosta, talvez eu o encontre e o arraste para a balada.


Desbloqueio o meu celular de novo, clicando no seu perfil.


Usuário online em 20:56 p.m


Ok, não faz tanto tempo.


(Eu)

Jaebum, onde você está ? 

21:16 p.m


Onde pensei que teria essa intimidade com Jaebum de novo ?


Passo o dedo para cima, para as últimas mensagens que trocamos.


Ontem


(Jaebum)
Eu vi o filme
12:35 p.m


(Jaebum)
É, não é tão ruim como eu pensei
12:35 p.m


(Eu)

E demorou três dias só para isso kk

13:04 p.m


(Eu)

Ele está na lista dos meus filmes de guerra favoritos 

13:04 p.m


(Jaebum)
Filmes como esse me desperta ansiedade
13:14 p.m


(Jaebum)
Fico ali nos de comédia kkk
13:14 p.m


(Eu)

Aí, meu Deus kkkk

13:22 p.m


Desdo dia que ele veio me agradecer e me convidar para algum, ele vem me mandando mensagens. De início, sempre de madrugada, bêbado e pedindo para que eu conversasse com ele, porque estava se sentindo sozinho.


Ele disse que tinha consultado uma ala pisquiatrica um dia e estava com começo de depressão, estava tentando lutar contra com o álcool para o deixar alegre, mas quanta mais ele bebe, mais ele se entristece. Então eu o consolei, o liguei algumas vezes que ele não me mandava mensagens passando-se 3 noites seguidas, depois da quarta vez sabendo ser por causa de uma viagem, mesmo assim eu ligava.


Com o tempo ele voltou a falar abertamente comigo, dentro de 2 semanas, começamos a nos falar quase todos os dias. Eu o contei sobre minha faculdade, como odeio o gerente do meu trabalho, o apartamento apertado que moro com meus amigos e que terminei meu namoro.


Desde que eu disse para ele que não teríamos volta, ele nunca mais insistiu, e até falou de como fazem meses que ele não transa com ninguém, por ser seletivo e também por tempo, algum que ele não tem. Ora está na Coréia, ora do outro lado do mundo.


Seus gostos mudaram bastante. Antes gostava bastante de hip Hop, hoje ele fica com pop e rock. Antes ele gostava bastante de cores fortes, hoje prefere as mais escuras possíveis. Antes seu suco preferido era maracujá, hoje ele não fica sem uma pitada de limão em qualquer coisa.


Até sua música preferida mudou, hoje ele gosta bastante das músicas de um cantor americano chamado Sam Smith, e até me disse que quando escuta 'Too Good at Goodbyes' se lembra de nós dois, e ao ouvir quando ele me enviou o link da música. Sim, conta basicamente a nossa história.


Eu também o contei de mim, e o mostrei como realmente mudei, do começo ao fim.


(Jaebum)
Naquele restaurante
21:37 p.m


(Jaebum)
Por que ?
21:37 p.m


Me desperto do meu transe, sorrindo volto a andar, dobrando a esquina e vendo o letreiro do estabelecimento.


(Eu)

Porque estou aqui também

21:40 p.m


Empurro a porta, passando o olhar por essas tantas pessoas, fixamente no grupo de garotas com celulares apontados para a costa de um homem, que ao virar seu rosto e arregalar os olhos ao encontrar meus olhos, eu olho feio para as meninas, andando até ele.


Elas abaixam o celular quando ele virou o corpo completamente para mim, e sem querer, e querendo um pouco, empurro com o joelho a cadeira de uma delas, fazendo a garrafa de soju na mesa cair.


Sorriu mais, parando enfrente a ele.


- Você aqui ? - passa o olhar pelo meu rosto. Mesmo marcando de me pagar uma refeição, nossos horários não se bateram, e por isso essa é primeira vez que nos encontramos de 3 meses. - Veio ver alguém?


- Vim pegar um pendrive por causa da faculdade. - olho ladino para as meninas de novo - E você ? Com alguém ? - elas limpam a mesa com um pano, sussurrando algum.


- Eu ? Há há. - volto a olhar para o seu rosto - Com esse copo. - aponta com a cabeça para o copo quadriculado com whisky dentro.


- Está animado, Jaebum?


- Animado ? - frange o cenho.


- Para uma balada ? - chego mais perto dele - Sabe, é sábado. - volto a olhar para o seu rosto.


Ele faz um bico, abaixando o olhar para o seu copo, o pegando e com um gole terminando. Me afasto quando ele levanta do banco, pegando sua carteira e deixando uma nota no balcão.


- Hoje é só, Senhor ? - o barman pergunta surpreso, pegando a nota.


- Felizmente. - Jaebum sorri, virando para mim - Com certeza. - responde minha pergunta.


Sorri, entrando na sua frente e lançando meu olhar mortal para as garotas que continuaram na mesa, apenas uma me olhou, revirando os olhos e sorrindo irônico de lado. Empurro a porta, esperando ele que tira a chave do bolso.


- Você veio de carro ? - caminho junto com ele até o automóvel de tintura escura.


- Eu sempre venho. - rodeia o carro, destrancando e puxando sua porta.


- E você sempre chama um motorista ? - pergunto, puxando a porta e me sentando, fechando e passando o cinto.


- Só quando bebo demais. - se estica, abrindo meu porta luvas e jogando o bolo de chaves.


- Ainda assim, é arriscado. - cruzo as pernas.


- É, um pouco. - dá de ombros, girando a chave e dando partida - Onde vamos ? Conhece alguma balada aqui perto ? - olha para mim.


- Fui em uma balada gay por aqui, gostei dela, quer tentar?


- Uma balada gay ? - arregala os olhos.


- Sim.


- Aqui ? - pergunta surpreso, não deixo de rir.


- Sim, por que ? Você nunca foi em uma na Coréia ? - pergunto incrédulo. Ele assente com a cabeça, não podendo desviar o olhar por fazer uma rotatória. - Você não sabe o que está perdendo, Jaebum. Ainda bem que você tem a mim hoje, vire nessa rua, dobre a esquerda e vamos chegar. - aponto para a rua, assim ele faz, iluminando seus olhos quando chegamos na rua movimentada e escura, com os letreiros das outras baladas deixando todas as pessoas coloridas.


- Eu realmente não imaginava um lugar assim aqui. - confessa, sorrindo e desligando o carro depois de estacionar encima do asfalto.


- Você tem amigos gays, nenhum ti levou ? - tiro o cinto, empurrando a porta e saindo do carro junto com ele.


- Não tenho muito tempo, você sabe, então nunca pude ir. - tranca o carro, ficando do meu lado. Entramos na fila, por sorte essa está rápida por ter três seguranças carimbando as pessoas e outras duas recolhendo o dinheiro.


- Menino Choi. - um dos seguranças me chama quando chega nossa vez, sorriu para ele, entregando o dinheiro e esperando o carimbo. Por já vir aqui algumas vezes e ele lembrar da minha identidade, não preciso entrega-lo, então só espero do lado de dentro o Jaebum ser carimbado.


Seus olhos são curiosos quando descemos as escadas, chegando no cômodo espaçoso, mas parecendo apertado por tantas pessoas ocupar ele e nós precisarmos nos mover para o bar para as pessoas que descem as escadas entrarem também.


Mesmo estando cedo, agora dez horas, um dos dj's já está aqui, com outras pessoas ao seu redor com roupas curtas e dando bebida para as pessoas na boca.


Olho para mim. Calça jeans e camisa social, realmente eu não cogitei vir para a balada hoje.


Levanto mais minha calça, desabotoando os primeiros botões da minha camisa, a puxando para ficar mais frouxa, passo os dedos entre meus cabelos o bagunçando, levantando meu olhar para cima quando percebo o olhar de Jaebum.


As luzes piscam entre rosa e azul, os seus olhos pretos e como sua expressão surpresa predomina no seu rosto só o deixa mais bonito. Desda primeira vez que conversei com ele naquele restaurante ele teve que tirar os pincergs que tinha no nariz e na sombracelhas por causa das reuniões, deixando apenas os das orelhas.


- O que está olhando ? - me escoro no balcão, desviando meu olhar para os drinks no balcão - Não vai me pagar uma bebida ? - viro meu corpo para o bar, ficando nas pontas dos pés e puxando um cardápio que está na mesa atrás do balcão - Hein ? - olho para ele de novo.


Ele parece acordar do seu transe, balançando a cabeça e se aproximando para ver os nomes dos drinks.


- O que você quer?


- Eu ? - volto a olhar para os nomes, tentando ignorar sua proximidade - Acho que... esse ? - deixo meu dedo encima do 46, não sabendo pronunciar seu nome, mas me deixando por sua composição. Drinks com kiwi são os melhores.


- Ok, vou querer o debaixo. - aponta para o drink feito com uva, balanço a cabeça em concordância, virando o cardápio para o barman, que antes de eu levantar minha mão entendeu e veio até nós - 46 e 47, por favor. - pede por nós, deixando as notas no balcão.


- Ok. - ele balança a cabeça, puxando o cardápio, o fechando e voltando para a mesa, que já é pegado por outra mão.


Volto meu olhar para a pista, as músicas ainda calmas, o dj escolhendo algumas playlist e nos deixando ver pelo telão encima do palco, parecendo aguardar mais pessoas.


Volto a olhar para o Jaebum, passando o olhar por todo o lugar, a decoração colorida, as pessoas com muita maquiagem e os grupos no canto que dançam, esperando os seguranças abrirem os camarotes para começarem a comprar por eles.


- Aqui está. - o barman fala, deixando as taças no balcão.


- É bonito. - pego a minha, com canudinho e um pedaço da fruta ao lado. Encosto o vidro no meu lábio, dando um gole e esperando o amargo, faço careta, olhando para Jaebum. - É bastante doce, tenho que ter cuidado para esse copo não me derrubar. - brinco, sorrindo.


- O meu é mais azedo. - mostra sua taça, as cores dividas em roxo e branco.


- É claro, bobo. - chego perto dele, pegando o seu canudinho e mexendo, fazendo assim ele se tornar um lindo lilás - Experimenta. - olho para os seus olhos curiosos.


- Oh. - pega o canudo, mexendo mais um pouco e engolindo alguns goles - Continua azedo, há há.


- Há há, só estraguei com a decoração então. - nego com a cabeça, encostando as costas no balcão e bebendo mais um pouco. Aos poucos, quando os minutos passavam no telão, as pessoas lotaram todo o lugar, onze e meia marcava no horário e assim, finalmente, o dj começa seu beat e as pessoas puxam umas as outras para a pista. Termino meu drink, o deixando no balcão ao lado da taça que Jaebum terminou em menos de 20 minutos. - Vamos ? - pulo na sua frente, abrindo minha mão e apontando para a pista.


- Dançar?


- Claro ! - bato minha mão na minha cintura - Você dança bem, nem vem com essa! - aponto para o seu rosto. Ele novamente faz bico, olhando para as pessoas, o dj e então para mim.


- Ok, ok. Vamos. - se rende, se desencostando do balcão.


Sorri vitorioso, andando na sua frente e abrindo espaço entre as pessoas, notando muitos olhares nos rodeando enquanto andamos. Maioria por Jaebum e outros também para mim.


Paro enfrente o dj, entrando no meio de algumas pessoas, que sem perder tempo, puxaram nós dois, pegando em nossas braços e nos fazendo mexer o corpo.


Gargalho com o rosto confuso de Jaebum, mexendo como o homem baixo o mostra, olhando para mim e sorrindo torto. Deixo ele, fechando os olhos e começando a me mexer, Hyuna canta com sua voz, e junto a duas pessoas, desço até o chão com a com a batida, seguindo a coreografia da música, apenas excluindo me deitar no chão e ficar de quatro, invés disso abro mais minha camisa rebolando a cada batida.


Uma das garotas encima do palco desceu ao notar nosso burburinho, distribuindo bebida na boca de todo mundo, sorriu por ela me fazer engolir quatro goles, limpando o canto da minha boca que escorregou bebida, lembrando-me de Jaebum e olhando para ele.


Seu olhar... não sei se é por eu já estar começando a ficar tonto ou... Seu olhar parece de um predador.


As garotas o rodeiam, o tirando proveito e passando a mão no seu corpo enquanto faz ele praticamente acabar com a garrafa em sete goles. Quando elas pegam outra garrafa gelada e lacrada, eu me meto entre as pessoas, virando a mão delas para mim, engolindo mais cinco goles.


- Arrrrgh ! - bato minha mão na minha coxa, sorrindo com a risada delas. Chego perto de Jaebum quando uma sai por o segundo dj estar a chamando, tocando seu ombro e fazendo ele se abaixar para me ouvir. - Vamos sair daqui, essas garotas não vão ti deixar em paz. - quase grito para ele me ouvir.


Ele vira seu rosto para mim, quase fazendo nossos narizes se tocarem, por reflexo virei meu rosto antes, deixando ele enfiar o rosto na curvatura do meu pescoço, sentindo todo o meu rosto esquentar por seu perfume forte invadir minhas narinas.


- Eu estava querendo falar isso, mas você não olhava para mim ! - grita também, sorri culposo, me afastando dele para poder olhar nos seus olhos sem ficar mais quente. Quero me enganar e continuar pensando ser por causa da bebida que está começando a fazer efeito.


Desço minhas mãos dos seus ombros para os seus braços, parando nos seus pulsos.


- Vem ! - grito alto, virando-me e o puxando para essas tantas pessoas de novo, decidindo ficar no meio por estar com menos pessoas.


Largo seu pulso, abaixando meus braços e apertando o tecido da minha camisa por sentir minhas mãos queimarem por tocá-lo. Seus olhos continuam com o mesmo olhar e eu preciso me afastar mais, sorrindo e olhando para as pessoas, e ao olhar para trás dele percebo um grupo de garotos com um em especial que o seca descaradamente, aparentemente sem notar meu olhar.


Sorri, voltando a me aproximar do Jaebum, não precisando tocar seu ombro por ele parecer entender, abaixando até mim.


- Gostou de algum menino ?! - olho para os seus olhos, ignorando meu corpo pelando.


Ele nega com a cabeça.


- Até agora nenhum me chamou a atenção!


- Tem um cara ti secando atrás de você, eu vou no banheiro, quero ver se ele vem até você!


Ele me olha, fazendo um bico e olhando para trás, parando exatamente no rosto do garoto, que sorri descaradamente.


- Vi. - parece fazer pouco caso. Mesmo assim sorri, tocando seu ombro e lutando entro no meio dessas pessoas, depois de tanto empurrar e conseguir chegar no banheiro, me arrependi pelo mesmo estar lotado, não querendo entrar na fila voltei para o mar de gente, gritando com um que pisou no meu pé, mas conseguindo alcançar Jaebum, parando enfrente o garoto com short acima da coxa, que com as mãos nos joelhos parece estar requebrando para Jaebum.


Sorri por essa cena ridícula, o garoto sem bunda mais se esfrega do que realmente dança no quadril do Jaebum, exatamente no seu amigo debaixo. Levanto meu olhar desacreditado para Jaebum, ele sorri com graça, dando de ombros.


Como em menos de 10 minutos acabou assim?


Quando começa outra batida e garoto continua na mesma requebração ridícula eu não me seguro, me aproximando deles, pegando nos seus ombros magros e o empurrando para longe de Jaebum.


- Que porra é essa ?! - ele grita, não se afastando mais para me olhar - Ele disse que vocês não estão se pegando!


- E não estamos ! - me aproximo mais de Jaebum - Mas que porra é essa que você tá fazendo ?! Está tendo uma convulsão?!


- Como?!


- Chega para lá que eu vou ti mostrar como sensualiza para alguém ! - empurro seu ombro de novo.


- Você só pode estar brincando comigo ! - grita no meu ouvido, riu da sua cara, virando-me para Jaebum.


- O que vai fazer ? - por estarmos tão perto, ele sussurra.


- Você vai ver. - pisco para ele, abaixando o olhar para o seu pescoço para ter concentração. Como a batida, eu desço minhas mãos para seus braços, me virando e empinando minha bunda, encostando no seu amiguinho, fazendo pressão no joelho e tremendo minha bunda.


Fecho os olhos, sentindo a batida, começando a rebolar até o chão, ao me agachar eu me viro para frente dele de novo, abrindo os olhos e agarrando seu quadril, fixando meus olhos nos seus, subindo minhas mãos assim como meu corpo, até estar frente com ele de novo.


Ele sorri, balançando a cabeça, e assim eu me viro para a viada de quinta categoria do meu lado, passando minhas mãos pelo tronco de Jaebum até estar nas suas costas, onde enfio minhas mãos embaixo da sua camiseta larga, enfiando meu rosto nas suas costas por sentir todo meu rosto queimar pelo frio da sua pele, assim como os gominhos que sinto, até tocar seus peitos, onde abaixo meus braços e tiro minhas mãos, me virando de costas e ficando na frente dele de novo.


Balanço meu quadril até tocar seu amigo de novo, sorrindo vitorioso ao senti-lo bem firme, mesmo estando feito, quero provocar mais um pouco. Então continuo a mexer minha bunda até senti-lo crescer mais e mais, arregalando meus olhos quando sua mão apertou uma das minhas nádegas, cravando suas unhas e deixando um tapa forte nela. Me viro um pouco conturbado para a viada, que com um sorriso incrédulo balança a cabeça, não querendo discutir ela empurra todas as pessoas a sua volta, voltando para o seu grupo.


Ainda sorrindo, olho para Jaebum, percebendo ainda estar encostado e de costas para ele, ficando em pé, me virando para ele.


- Há há, desculpe, Jaebum, quando vi aquela viada se esfregando em você daquele jeito eu só pude rir. - toco seu ombro, sorrindo.


Ele abaixa o olhar para minha boca, suas mãos tão perto e esperando só um passo meu para tocar meu corpo.


- Uau. - sussurra, voltando para os meus olhos.


Sorri envergonhado, bagunçando meus cabelos e desviando meu olhar para o telão.


- 4:56 ?! - grito, assustado, virando para Jaebum - Vamos embora ?! Eu preciso terminar um trabalho amanhã e tenho que dormir pelo menos um pouco!


Ele balança a cabeça, olhando para o telão também.


- Vamos!


Toca meu braço, me virando para caminhar na sua frente, ainda quente como se tivesse com febre eu caminho, empurrando as pessoas que insistem em não sair. Assim, como foi um sacrifício para ir no banheiro, conseguimos sair e respirar o ar fresco.


- Meu Deus, eu estou morrendo de calor. - sorri, olhando para ele que manteve o olhar em mim.


- É, eu também. - olha para baixo, puxando sua camiseta, começando a andar até o carro.


Sorri ainda mais envergonhando, juntando meus dedos e abanando enfrente meu rosto, caminhando atrás dele até o carro, esperando ele destrancar, puxando a porta e me sentando, por estar tão mole não consigo nem pensar no cinto, me derretendo encima do banco.


- Para o seu prédio ? - pergunta ao dar partida.


- Sim.


Encosto minha cabeça no vidro, fechando os olhos e me abanando mais, mas estando do lado dele, esse perfume maravilhoso, o fogo que tenho em mim só aumenta.


Quando percebo estar tempo demais de olhos fechados eu os abro, já reconhecendo as ruas perto do apartamento.


Ele vira a rua e assim estaciona enfrente o prédio, o céu escuro sendo invadido pelo rosa.


Olho para ele quando ele me olha.


- Foi bom ? - é o que penso em dizer quando seus olhos só me levam a uma coisa.


- Fazia tempo que eu não fazia isso. - sorriu de lado - Obrigado. - fecha os olhos.


Sorriu mais, me desencostando da porta.


- Não tem o que agradecer. - arrasto minha bunda no banco para olha-lo melhor - Você é uma ótima companhia. - afirmo quando ele abre os olhos.


Suas pupilas carvão olham de um olho para o outro, parecendo querer dizer algum.


Alargo mais meu sorriso, olhando para uma pessoa que sai do prédio.


- En... - antes que eu pudesse me afastar, sua mão toca meu pulso, puxando meu braço e me fazendo quase cair no seu colo - Huh ? - pergunto confuso, olhando para baixo quando ele abaixou seu rosto, tocando o lóbulo da minha orelha com seu lábio inferior.


- Não faça coisas assim. - seu tom é meloso - Coisas assim podem acontecer de novo. - arregalo os olhos, olhando para minha mão que ele coloca no seu membro - E aí você terá que assumir a responsabilidade. - beija o lóbulo da minha orelha, fazendo um choque queimar todo o meu corpo.


Mantenho o olhar no seu membro, com uma puta vontade de aperta-lo.


- Entendido. - volto a mim, sorrindo e me afastando, olhando para o seu semblante sério - Você ainda me deve um jantar. - não esqueço, empurrando a porta e saindo - Tchau ! - grito, batendo a porta, recebendo seu olhar frio, ligando o carro e partindo.


Olho para a rua, me sentindo uma pimenta, segurando o colarinho da minha camisa e apertando, atravessando a rua e entrando no prédio.


Entro dentro do elevador, apertando no meu andar, encostando na parede e podendo respirar.


Largo minha camisa, abrindo a palma da minha mão.


Eu o toquei... Eu realmente o toquei...


Esse sentimento... Jaebum... Como isso continua sendo tão bom ?




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...