1. Spirit Fanfics >
  2. Por que me subestima: Paulicia >
  3. Acho que estou amando

História Por que me subestima: Paulicia - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Acho que estou amando


Pov Alícia

Quem elaa pensam que são? Minha mãe e irmã né af af

Genro perfeito? O Paulo? Genro perfeito,ATA

Me ensinar a fazer coisas? É mais fácil eu ensinar esse tongo

Nunca diga nunca. Eu sempre vou dizer nunca

Educado? HAHAHAHAHA Paulo Guerra educado,ok ok e eu sou freira 

Bati na porta sem a mínima paciência,dei um suspiro antes da porta se abrir e revelar o motivo da minha irritação, Paulo Guerra, ele usava uma blusa preta dos Simpsons bem amassada, seu rosto estava vermelho e marcado e uma bermuda preta, aposto que estava dormindo

Paulo: oi - ele deu espaço pra mim entrar e eu entrei né

Eu: oi

Paulo: MARCE A ALÍCIA TA AQUI - Paulo gritou e logo a Marce desceu dando vários gritinhos histéricos

Eu: oi amiga - a abracei

Marce: eu tenha TANTA coisa pra te contar - ela me puxou lá pra cima e me jogou em seu quarto,ri com a sua animação

Eu: então oq tem pra me contar?

Marce: o Mário -ela disse sorrindo e eu ri

Eu: oq tem o Mário? - ela me deu seu celular e pude ver q ele a convidou pra sair terça de tarde(não sei pq me lembrou a música kk) sorri e depois a olhei

Eu: vai me deixar sozinha terça a tarde inteira?

Marce: você vai estar com o Paulo

Eu: nossa, obrigada Marce - fui ironica e a mesma riu

Marce: por favor Ally,eu preciso sair com ele - bufei

Eu: ok só pq vcs são meus melhores amigos e eu sei que se gostam muito e como eu sou uma ótima cupido, não vai ter problema

Marce: ótimo, só tenta não matar meu irmão

Eu: tentar Marce,tentar,por falar em Paulo 

Marce: Hum falando do meu irmão

Eu: me erra Marcelina, proseguindo a minha irmã e a minha mãe ficam me shippando com ele, dizendo que ele é o genro dos sonhos e tals,eu não consigo acreditar

Marce: concordo com elas, imagina tu sendo a minha cunhada

Eu: nos teus sonhos

Marce: ou nos do Paulo - senti minhas bochechas corarem

Marce: você corou

Eu: corei nada

Marce: corou sim eu vi,ooo ti fofura

Eu: cala boca Marcelina

Marce: chama o Mário pra calar

Eu: chamo - peguei o celular e comecei a gravar um áudio pra ele

Eu: eae Bross bom eu preciso ....

Marce: tu não vai fazer isso Alícia - Marce pulou em mim mas eu sai e abri a porta do seu quarto e sai correndo

Eu: eu preciso que você cale a ... - Marce me derrubou com tudo no chão

Marce: me da esse celular

Eu: ei o celular é meu

Marce: Achado não é roubado,quem perdeu foi relaxado

Eu: apartir de agora vc tem seis anos - rimos e eu aproveitei pra pegar meu celular de suas mãos e desci as escadas quase caindo,pude ver que acordei Paulo que se assustou ao me ver,dei um sorriso amarelo mas logo ouvi os passos de Marce

Eu: eu preciso que você cale a boca da Marcelina Guerra - falei rápido só o seu nome que falei bem devagar, ela parecia surpresa com os olhos bem fechados

Eu: eu vou enviar em três dois u....

Marce: não vai mesmo pq eu vou ..... contar algo seu - ela pensou e jogou a olhei com uma cara de "fala sério"

Eu: oq vc vai revelar Marcelina? - falei sem nem ligar

Marce: Paulo vc sabia que a tia Verônica e a Amanda falaram pra Alícia que vc é o genro dos sonhos - revirei os olhos e pude ver q Paulo corou,o que fofo.. que fofo nada Alícia se liga

Eu: nossa que revelação - enviei a mensagem

Paulo: da pras duas pararem de brigar, minha cabeça ta explodindo,a Alícia já enviou a mensagem Marcelina e eu sei q tu queria q ela enviasse - fiz uma cara de viu e Marce fechou a cara

Marce: ok ok maninho, agora Ally oq ele colocou

Eu: calma ele tá ouvindo e ta digitando e parou, digitando parou,digitando parou, af digita logo

Marce: não apressa ele,vou buscar o meu celular pra falar com ele

Eu: ok - me joguei no sofá, Paulo voltou da cozinha com um copo de refri e me olhou

Paulo: nem um pouco folgada né - dei um sorriso

Eu: isso é refri?

Paulo: não

Eu: então oq é?

Paulo: pq quer saber? - ele tomou um gole

Eu: eu queria um gole

Paulo: do meu copo?

Eu: eu já não te beijei? Beber no mesmo copo não é nada - falei simples tirando o copo de sua mão e bebendo um gole ele deu de ombros envergonhado

Me sentei do seu lado e devolvi seu copo

Eu: ta olhando oq?

Paulo: Criminal minds

Eu: legal

Paulo: tu não vai com a Marcelina?

Eu: não,algum problema?

Paulo: nossa afoita, só quis dizer ué

Eu: ta parecendo o Cirilo kk

Paulo: me espelho no Choco

Eu: um baita exemplo - rimos juntos,era bom quando ele era assim,de boas, vamos ver quanto tempo ele vai ficar assim, ficamos em um silêncio agradável ouvindo a série e a Marcelina falando no telefone

Paulo: acha q ela e Mário vão pra frente?

Eu: não acho, tenho certeza

Paulo: eles se gostam pra caralho né

Eu: aham

Paulo: é eles se merecem

Fiquei em silêncio olhando para os meus pés,logo vimos uma Marcelina sorrindo e toda boba sentar do nosso lado suspirando

Marce: acho que estou amando

Eu:UI UI 

Paulo: minha irmã toda iludida,que fofo - ri de sua ironia

Marce: quando for a sua vez tu vai ver,o lado bom q está nem próxima né - Marce disse me olhando nada discretamente

Paulícia: Cala boca Marcelina

Marce: até falam sincronizado

Paulícia: me erra

Paulícia: ei

Paulícia: para de me imitar

Ficamos em silêncio nos olhando enquanto Marce sorria nos analisando, nos despertamos quando os pais de Marce e Paulo chegaram

Roberto: olá crianças

Paulícia/Marce: oi

Lilian: nossa Alícia ta tão bonita - falou pegando nas minhas mãos e me fazendo dar uma volta

Eu: obrigada tia - falei envergonhada

Roberto: meu Deus estou ficando velho,essas crianças vão fazer 16 anos, não da nem pra acreditar

Eu: poisé seu Roberto,nem eu acredito 

Paulo: o tempo é um veneno

Marce: e uma dádiva

Depois eu e Marce subimos e conversamos mais um pouco até o jantar

Descemos e sentamos na mesa

Marce: Ally vc visitou o Jorge hoje né

Eu: sim - falei bem feliz

Lilian: ele deve estar bem com a sua empolgação

Eu: nem tanto - eles me encararam com dúvida

Eu:Jorge está só com o coração batendo de resto parace um morto - falei triste

Roberto: então pq estava empolgada?

Eu: é q graças a isso eu posso conseguir um estágio no hospital

Lilian: que incrível Alícia,vai fazer oq no estágio?

Eu: eu ainda não sei direito mas eu sei q terei que cuidar do caso do Jorge

Marce: caso do Jorge?

Eu: é, ele não era pra estar complicando sabe, era pra já estar recuperado,faz três semanas e ele não tem nenhuma doença nem nada que fosse o motivo da complicação e eu me ofereci para ajudar

Paulo: legal

Marce: você sempre quis ser médica né amiga

Eu: sim, e por sorte esse hospital é o meu hospital dos sonhos e eu posso trabalhar nele,é incrível,eu me sinto muito sortuda - falei sorrindo

Lilian: é mesmo, não é qualquer jovem que tem essa oportunidade - assenti 

Roberto: que bom que vcs já sabem oq querem fazer 

Marce: eu ainda n sei oq vou estudar mas sei com oq quero trabalhar

Eu: você quer abrir seu orfanato né

Marce:sim, trabalhar com crianças concerteza é a minha vontade

Olhamos para Paulo e ele parou de comer e resolveu falar

Paulo: vou seguir os negócios do papai aqui - Paulo falou brincando e arrancando risadas

Roberto: assim eu espero Paulo

Paulo: estou tão ansioso pra fazer 18 e ganhar o meu carro - Paulo falava maravilhado,eu sabia que ele sempre teve essa paixão por carros e seu pai tem negócios com vendas e revendas de carros e é muito famosa

Eu: é também vou ganhar um carro oq vai ser muito útil,odeio depender dos outros

Marce: eu vou depender do maninho aqui

Paulo: eu não vou ser seu Uber maninha

Marce: que pena maninho eu adoraria te dar essa oportunidade

Eles riram e eu ri junto

No final da janta arrumamos tudo e eu fui lavar a louça, Paulo secava e Marce guardava

Logo o celular de Marce tocou

Marce: é Mário - ela parou o trabalho e foi responder

Paulo: ei Marce,af já foi

Eu: pelo visto vai ter q substituí-la

Paulo: eu não

Eu: tu sim - Paulo revirou os olhos, pegou um pote q tinha um pouco de água e jogou no meu rosto

Eu: desgraçado - eu só ouvia sua risada,peguei sabão e passei em seus cabelos,logo seu sorriso se desmanchou

Paulo: meu cabelo não - ele falou demostrando frustração e eu ri,ele encheu um copo e colocou dentro da minha blusa e eu me contorici por estar muito muito gelado

Eu: ta gelado,muito gelado -quando eu disse isso eu nem vi q tinha molhado todo o chão e ainda tinha sabão ou seja eu caí de bunda no chão e Paulo caiu na gargalhada, eu dei um gritinho de dor e ele parou de rir

Paulo: ta tudo bem? - ele perguntou muito preocupado achei fofo mas e dai,o puxei e caimos deitados eu por cima do mesmo e molhei toda a sua blusa

Paulo: isso não vai ficar assim

Eu: já ficou - eu estava sentanda em cima da sua barriga rindo muito, ele pulou em cima de mim fazendo cosquinha

Eu:hahaha para haha paulo haha

Ele parou e foi se levantando e limpando sua roupa

Paulo: abaixa o vestido Lícia - ele falou e eu olhei,meu vestido tinha alevantando um pouco,o puxei pra baixo e levantei

Eu: temos que limpar essa bagunça

Paulo: pode deixar capitã - Paulo pegou as coisas para limpar e fomos limpando, não deixei de notar como mesmo puro sabão e água ele continuava lindo, quer dizer, oq eu to falando

Pude ver q ele me encarava demais

Eu: oq tanto me olha Guerra?

Paulo: me surpreendo com sua beleza Gusman - ele se levantou guardando as coisas e saindo da cozinha me deixando atordoada em meio de meus pensamentos

Desgraçado








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...