História Por que o amor tem que doer? - RusKraine - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Countryhumans, Russaucra, Rússia X Ucrânia
Visualizações 18
Palavras 724
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lírica
Avisos: Álcool, Heterossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Essa OneShot é para o desafio da @RussaNarcisista

Boa leitura💗

Capítulo 1 - Único


A vida é tão engraçada... As vezes parece brincadeira o que ela faz com a gente. O que ela nos faz ver. O que ela nos faz ouvir. O que ela nos faz sentir...

Não. A vida não é nada engraçada...

Ela é muito cruel...

A existência é o mais amargo dos doces.

Contraditória... Nos fazendo criar esperanças, só para parti-la em milhões de pedacinhos.

Eu ainda me lembro...

Nós.. Dois corações partidos, dois espíritos iludidos... Eu, pela americana. Você, o canadense. Almas irmãs, compartilhando da mesma hipocrisia imunda, da mesma falta de sinceridade plena que tanto nos enganou.

Nosso amor não foi o bastante para eles...

Deixamos nosso âmagos sucumbirem a melancolia. Você, junto as flores que rasgavam a sua garganta. Eu, ao lado do álcool que queimava a minha.

Então... Eu te encontrei...

Acaso ou destino? Não sei dizer, só sei que, quando te vi naquela mesa, em seu azul e amarelo, coberta de flores junto as lágrimas, eu soube... Era você!

As memórias me vem a cabeça, quando nossos olhos se encontraram... Senti meu coração sorrir de novo. As nossas conversas, nossas risadas, quando vi, estava amando de novo. O que você viu neste russo de expressão fria e cheiro de vodka, nunca vou saber...

O tempo passou, viramos amigos, inseparáveis, mas nossos corações clamavam por mais. Tomei coragem, te chamei pra sair, ainda rio daquele dia...

- Você quer sair comigo?! – Dissemos ao mesmo tempo.

- Claro que eu quero! – Resposta em coro.

Começamos a rir, completamente corados, era evidente, nossas almas se completavam.

Aquela noite... Não me sentia tão feliz havia muito tempo. Estava tão nervoso, acabou que tu tomaste a iniciativa...

- E-Eu te amo Rus – Segurando meu rosto, você uniu seus lábio aos meus. Por um momento, fiquei sem reação.

- M-Me desculpa, eu me deixei levar, talvez tenha sido muito rápido, eu... – Eu delicadamente segurei seu queixo, fazendo nossos olhares se encontrarem. Meu coração palpitava.

- Tá tudo bem... – Você sorriu pra mim, com os braços em volta do meu pescoço, eu te beijei de novo.

O tempo passou, nosso amor cresceu...

As lembranças aquecem meu coração. As conversas que tivemos, as risadas que compartilhamos, os presentes que trocamos, as lágrimas que dividimos, os prazeres que partilhamos...

Até que...

- Rússia, e-eu tô grávida! – Seu rosto, iluminado apenas pelas velas da mesa, demonstrava preocupação – Eu deveria ter me cuidado mais, eu entendo se estiver chateado ou... – Calei sua boca com a minha, o momento que já esperava ser perfeito havia ficado melhor.

- Não sabe como estou feliz! Mas tem algo que fara do meu coração ainda mais completo – E então eu me ajoelhei, fazendo tu abrir o sorriso mas lindo que já vi.

- Quer casar comigo Ucrânia?

Com o tempo, a nossa vida correu. Crimeia, nosso filho, cresceu. Não poderia pedir mais nada...

Por que isso tinha que acabar...?

Chegando de uma viagem, você estava diferente, seu olhar não tinha mais o mesmo brilho. Seus olhos encontram os meus, tu se pôs a chorar.

- Fui diagnosticada com câncer...

Ainda sinto em meu coração a dor daquelas palavras. Apenas lhe abracei, junto ao nosso menino. Nesse momento, fiz uma promessa...

- Pelo tempo que ainda temos, farei de tudo para sermos o que sempre fomos, a família mais feliz do mundo!

Promessa é dívida, e me consola saber que eu a cumpri... Até teu último suspiro, te fiz a mulher mais feliz do mundo, e tu me fizeste o homem mais feliz do mundo.

Estou divagando de novo junto ao teu túmulo, não estou?

Queria que pudesse ver nosso filho, o homem que se tornou, o quanto ele me lembra você...

Eu ainda lhe trago flores, girassóis, suas favoritas, lindas como tu.

Todos os dias eu pergunto, o que tu viste naquele rapaz introvertido, de expressão fria e cheiro de álcool, agora um velho de coração frágil, usando a mesma ushanka que você adorava...

A vida é tão engraçada... As vezes parece brincadeira o que ela faz com a gente. O que ela nos faz ver. O que ela nos faz ouvir. O que ela nos faz sentir...

Tudo que sei é que, apesar da dor, eu não poderia ter pedido vida melhor, e saber que foi com você, aquece o vazio em meu coração.

Ucrânia... Obrigada por me fazer sorrir de novo!


Notas Finais


Obrigado por lerem ( ~^3^)~ ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...