História Por que tão rude Baek? - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun
Tags Drama, Mistério, Romance
Visualizações 34
Palavras 1.409
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Mistério
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 29 - Pedido de resgate e fuga


Fanfic / Fanfiction Por que tão rude Baek? - Capítulo 29 - Pedido de resgate e fuga

Baekhyun 

Acordo, lavo os rosto e vou para o quarto do meu amigo, bato na porta e recebo um 'entre'. 
-E aí cara? Conseguiu alguma coisa? 
- Sim, eles estão em um sítio de sua família que íamos quando éramos crianças. 
- Mas só minha família e você sabemos disso. 
- Talvez esse cara que sequestrou ela pesquisou um lugar que poderiam ficar sozinhos. 
- O mais estranho é o fato dele ter conseguido as chaves. - fico pensando. 
- Você tem a chaves de lá? 
- Sim.- mostro o chaveiro para ele.- A SN também. 
- É isso, o cara já sabia sobre o sítio que estava abandonado, sabia todas chaves e entrou sem nenhum esforço com SN. 
- Isso eu sei, mas como ele sabe do sítio é o mais estranho, mas eu vou ir buscá-la. Obrigado, te devo uma.- sorrio e vou caminhando para porta. 
- Baek. - viro meu olhar ao ouvir o mesmo a me chamar. 
   - Sim.-  respondo. 
- Eu vou com você. 
- Não,não posso deixar. 
Ele se aproxima de mim. 
- Eu sou mais alto que você e mais velho, sem contar que considero SN como minha irmã também. 
- Aish.- falo derrotado e com um sorriso fraco. - Vamos logo então. 
Ele concorda e fomos para o carro, logo seguimos para o sítio. 

 

Pensamento on*
Se ela tiver um arranhão, ele será morto hoje. 
                        Pensamento off*                

No sítio

SN


Estava acordada, com os olhos vermelhos por conta do choro, estava horrível. Eu sempre tentava dormir mas logo acordava com medo. Eu só queria que o Baek me salvasse disso e me levasse de volta para casa. 
Saio dos meus pensamentos ao ouvir a porta se abrir, me assusto e me distancio o máximo que posso. Era uma pessoa alta, de capa preta e máscara. 
- O que faz aqui? 
XXX: você não faz nenhuma ideia? 
Eu conhecia aquela voz de algum lugar, era uma voz rouca, eu sentia que o conhecia mas ignorei esse fato e continue a perguntar para ter certeza. 
- Não, não tenho. Quem é você? 
XXX: não lembra de mim amor? 
Amor? Tá ficando maluco, só pode. 
- Na verdade não. 
Então o misterioso homem tira sua máscara e sua capa.
- Rafael? 
Ele sorri e se aproxima 
- Oi princesa 
- Não me chame assim, por que está fazendo isso comigo? Por que me prendar aqui? 
- Não é óbvio amor?! Já que você não se lembra, vamos voltar ao passado. 


Flashback on* 


Estava em uma festa com minhas amigas até que vejo um belo loiro de olhos azuis e alto, aparentemente simpático e com um sorriso maravilhoso. Não demora muito até que o mesmo vem até mim e começamos a conversar. 
- Então princesa, deixa eu ver se entendi, sua mãe é brasileira e seu pai é coreano, são empresários, você tem um irmão que não fala com você. Uau, que história. - sorri. 
- Pois é, me fala da sua família. 
- Eu sou brasileiro, metade da minha família é dos Estados Unidos e a outra metade do Brasil. Morei no Brasil minha vida inteira mas vim para cá ter um bom futuro como meus pais querem. Meus pais são médicos e eu pretendo serguir a mesma profissão, digamos que é meu sonho. 
- Gostei da sua história, interessante. 
- Não mais que a sua amor. 
Sorrio e continuamos conversando, dia após dia continuávamos a nos encontrar para conversar até que uma forte amizade surgiu entre nós. 
Um dia resolvi ir ao club, me distrarir um pouco, chamo Rafael mas ele não tinha visto minhas mensagens, decido ir sozinha já que minhas amigas estava viajando. 
Ao chegar no club, eu era a única lá, estranhei mas lembrei que era no meio da semana então todos estavam ocupados demais. Deixo minhas coisas em cima da minha canga e vou dar um mergulho. 
Fico nadando sem prestar atenção ao meu redor e de repente alguém pula na água, olho rapidamente para trás e vejo Rafael nadando em minha direção. 
- Você me assustou.-sorrio sem graça. 
- Me desculpe, não foi minha intenção. 
  - Está perdoado. - ele nada ficando bem perto de mim, me encosta na piscina e começa a me beijar, não podia negar, o beijo dele era incrível. Tudo estava indo bem até ele começar me beijar de um jeito feroz, ele estava diferente, sinto aos mãos dele tirando meu biquini aos pouco. 
- Por favor, não.- começo a chorar. 
- Só vamos nos divertir um pouquinho. 
Pego fôlego e coragem o suficiente e começo a gritar, ele sai da piscina rápido e grita em enquanto corre para longe. 
- ISSO AINDA NÃO ACABOU. 
Saio da piscina rápido e me visto, não demora muito para o segurança vir. 
- O que houve senhorita? 
-Um bicho, me desculpe por fazer vir a toa, até.- saio de sua presença e quando estava longe começo a chorar. 
Pego um táxi e vou para casa, tiro minha roupa e entro embaixo do chuveiro, pego uma bucha e começo a esfregar ela pelo meu corpo com força na tentativa de me limpar. Coloco uma roupa comum, me deito, em meio a choros e pensamentos eu acabo dormindo. 
 

Flashback off* 


- Você é um cretino, me fez acreditar na sua amizade, me fez acreditar em você e só para quê? Abusar de mim, você nunca quis minha amizade, você sempre quis meu corpo.
- Não foi por isso, eu me apaixonei por você e queria que fosse minha. 
- Belo jeito de me conseguir, tentar me abusar. Você está de parabéns.- bato palmas pra ele.- Você quase me fez acreditar nesse discursso de merda seu, quase. 
Ele fica em silêncio me olhando, então o mesmo se aproxima. 
- Você pensa que é quem garota?-segura em meu pulso com força acima da cabeça.- Você não é ninguém, seu irmão nem deve gostar de você, só deve querer foder com você e pronto. 
Fico muda
- Eu te amei mas esse foi o melhor jeito para ter você, eu quero você de verdade SN 
Enquanto ele se mexe, escuto um barulho de chave em seu bolso, monto um plano rápido para sair dali, poderia dar errado, sim, mas eu precisava tentar. 
- Então você me quer? 
Ele sorri e concorda com a cabeça, garoto nojento.
- Então você vai me ter. - o jogo na cama ficando por cima e começo a te beijar.
Nos beijávamos, enquanto isso ele passa a mão pelo meu corpo. Tiro sua camisa e volto a te beijar. 
 A única coisa que nos separava agora é a cueca box preta que ele usava. 
- Quero que as coisas se tornem mais divertidas amor.- pego a camisa dele e amarros suas mãos bem forte na cama, pego a capa que ele estava vestido e cubro sua boca apertando bem forte. - Você não vai poder nem se mexer, nem gemer alto demais e muito menos olhar. 
Procuro algo em seu bolço para usar como venda e tapo seus olhos. Pego a chave rapidamente junto com minhas roupas, me sento em seu colo rebolando enquanto me vestia. Saio de seu colo e sussuro em seu ouvido: 
- Vou pegar gelo.- ele acente já que no quarto tinha frigobar, sorrio de sua situção e saio quieta do quarto, o tranco ali e saio correndo depois disso. 
Foi fácil, já que os capangas estavam bêbados no sofá, possivelmente drogados também. Corro o mais rápido que pude sem olhar para trás. 
 

_Quebra de tempo_ 

Baekhyun 


Enquanto íamos para lá, eu já havia comunicado a polícia que já estava a caminho, não muito longe vejo uma moça para na estrada, possivelmente descansando. 
- Para o carro Dong-yul  
Saio do carro e vou até essa moça, quando me aproximo, fico feliz e surpreendido ao mesmo tempo. 
-SN!
A mesma me olha e um sorriso aparece em seu rosto. 
- BAEK 
Nos abraçamos felizes, trocamos beijos e carícias, ela abraça Dong-yul
- Como conseguiram me achar? - ela pergunta
- Logo após você sair e não voltar, Baek foi procurar você por toda cidade mas não te encontrou e então foi para minha casa vê se eu poderia descobrir onde você estava. 
  - Muito obrigada.-sorri e nos abraça.
- De nada. - respondemos em uníssono e retribuímos o abraço.
Do nada, escutamos um barulho de carro em alto velocidade. 
-São eles.- SN diz
Vimos um carro se aproximar de nós. Teríamos tempo de fugir? 
 


 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...