1. Spirit Fanfics >
  2. Por Que Você? Justo Você? (Kim Taehyung) >
  3. Capítulo V

História Por Que Você? Justo Você? (Kim Taehyung) - Capítulo 5


Escrita por: armylovebts13

Capítulo 5 - Capítulo V


S/N P.O.V

Acordei um pouco cedo demais, olhei para todo canto e percebi que ainda estava no quarto junto com o pequeno Minjun.

Peguei meu celular e olhei as horas, já é hora de acordar o pequeno para ir a escola, já que ele estuda de manhã esse é o horário de se arrumar.

S/n: Minjun... Minjun... -Chamo o pequeno que abre os olhinhos e quando me vê, sorri.

Minjun: S/n! Você ainda está aqui... -Ele fala e me abraça.

S/n: Estou sim pequeno, não iria te deixar sozinho. Mas, você precisa banhar, daqui a pouco você tem aula. -Eu falo e não vejo o menor resmungando, ele apenas desce da cama e vai até o banheiro.- Enquanto você banha eu arrumo suas roupas.

Minjun: Ok! -Eu fecho a porta para o pequeno e vou até o guarda roupa do menor, abro as portas e vejo muitas, muitas, muitas roupas. Queria eu um armário desses. Vejo uma camisa com o nome da escola dele, isso deve ser o uniforme, pego uma bermudinha junto com a cueca e um tênis com as meias para o pequeno usar.

Esse foi o tempo certinho para que ele terminasse de banhar.

Ele aparece só de toalha, com o cabelinho todo molhado e lambendo a água que tinha perto da boca. Cena essa que me fez rir.

S/n: Vem pequeno, eu vou te ajudar a se arrumar. -Ele se aproxima e eu o seco com a toalha que o mesmo estava usando. Pego a cueca e a bermudinha e o visto, logo em seguida pego a camisa do uniforme e ponho nele, eu o pego e o sento na cama, ponho uma meia nos pés dele e logo depois os tênis. Penteio seus lindos cabelinhos molhados com uma escova fofa para bebês e passo um perfume com cheirinho de neném nele.- Prontinho, parece um bebê.

Minjun: Eu não sou um bebê.

S/n: Mas pra mim é um bebê, meu bebezinho! -Beijo a bochecha do menor e ele logo sorri. Escutamos batidas na porta e ela logo é aberta, revelando o senhor Kim. Ele nos olha surpreso e entra dentro do quarto.

Taehyung: Vejo que já estão acordados, e... -Ele olha para o pequeno.- Que o Minjun já está pronto. Podem descer, eu fiz o café da manhã. -Ele pega o pequeno no colo e sai do quarto, eu fui logo atrás fechando a porta. Descemos as escadas e vejo que a senhora Kim já está acordada, eu acho que ela dormiu aqui esta noite.

Senhora: Bom dia, netinho! -Ela fala com um sorriso meigo nos lábios para o pequeno que estava no colo do pai.

Minjun: Bom dia, vovó. -Ele fala ainda meio tímido e abraça seu pai. Tal atitude nós arrancou risos, pois foi fofo.

Senhora Kim: Que gracinha. Bom dia, querida! -Ela fala comigo dessa vez. Sorri gentilmente e logo a respondi.

S/n: Bom dia, senhora Kim!

Senhora Kim: Por favor, não me chame de senhora, me chame de Heejin.

S/n: Acho que vai levar um tempinho para eu me acostumar. -Falei passando a mão na nuca envergonhada e ela ri de minha atitude.

Heejin: Vocês são os tímidos mais fofos que eu já conheci. -Ela fala se referindo ao Minjun e a mim.- Agora vamos nos sentar e comer, daqui a pouco Minjun precisará ir a escola.

Todos nós fomos para a cozinha e começamos a conversar. É meio irônico ver que a mãe de uma das pessoas mais frias que eu já conheci, ser tão amigável, ela e o filho são dois extremos.

Taehyung: Vamos, Minjun? -O mesmo diz se levantando e arrumando seu terno, ajuda o pequeno a descer de sua cadeira e pega a maleta dele e a mochila do pequeno.- Mãe, a senhora pode falar com ela? Eu não btive tempo ontem.

Heejin: Claro, meu filho, eu falo sim, pode deixar. -Ele falam me deixando confusa.

Minjun: Tchau, S/n! -Ele fala e vem até mim, logo me abraça, eu aperto o pequeno e depois o solto.

S/n: Tchau, pequeno! -Eu falo e o vejo indo até seu pai.- Ei mocinho! -Ele me olha e eu levanto uma sobrancelha.- Cadê o abraço da sua avó?

Minjun: Ah, verdade. -Ele fala e se aproxima de Heejin, os dois se abraçam e logo os rapazes saem de casa.

Heejin: Não precisava o lembrar de me abraçar.

S/n: Claro que precisava, você é a avó dele.

Heejin: Obrigada. Tenho certeza que Tzuyu não faria isso. -Ela fala me deixando muito confusa.

S/n: Quem é Tzuyu?

Heejin: Ela era a mãe de Minjun.

S/n: "Era"? -Estou ainda mais confusa.

Heejin: Tzuyu e Taehyung eram casados, eles eram felizes, e havia chegado o dia em que Tzuyu descobriu que estava grávida, ela contou para Taehyung que reuniu todos da nossa família e da dela e fez um grande jantar, e no final ele revelou que iria ser pai. Nunca vi meu filho sorrir daquele jeito, -Ela fala e sorri levemente, lembrando do dia em que isso havia acontecido- Ele realmente estava muito feliz, desde pequeno ele sonhava em ser pai e quando descobriu que seu filho estava a caminho, um brilho ainda mais forte surgiu em seu olhar. O tempo foi passando, e foi passando até que o dia do parto havia chegado, todos estavam contentes e Taehyung estava entusiasmado, eufórico, cheio de adrenalina e com sono pois não havia dormido na noite anterior, porque no dia seguinte sabia que iria finalmente ter seu filho em seus braços. -Ela dá uma pausa para respirar e eu escuto tudo atentamente.- Depois de algumas semanas, Taehyung percebeu que Tzuyu estava estranha, ela andava muito quieta e quando o respondia, respondia com ignorância e arrogância. Isso durou até o dia em que eles tiveram uma briga, Tzuyu ficou com tanta raiva que acabou revelando o motivo de estar tão estranha com ele. Ela revelou que estava cansada de Taehyung, que não queria mais ele e disse também que estava o traindo, ele ficou com raiva e começou a tacar coisas na parede, no chão, sujou toda a sala. Até que ela o segurou e falou que tinha mais uma revelação... -Ele respirou fundo e me encarou.- Ela era lésbica. -Isso me deixou em choque, não que eu tenha preconceito, mas isso é realmente uma bomba. Arregalei meus olhos e atentamente continuei escutando cada palavra que ela falava.- Se casou com meu filho apenas por interesse e pegou todo o dinheiro que conseguiu juntar para ser feliz com outra pessoa. E ele ficou ainda mais abalado quando descobriu que Tzuyu estava o traindo com Jeongyeon, uma amiga de infância que ele tinha. Ele a espulsou de casa e falou que ficaria com o bebê, ela debochou falando que nunca quis a criança, que ele tinha total liberdade de o pegar para criar. E na mesma semana, tivemos a notícia de que ela e Jeongyeon haviam se suicidado, de acordo com os investigadores, ela ingeriram veneno, tal líquido foi encontrado em duas taças que continham as digitais das duas em cada taça. Meu filho ficou devastado, triste, tive que vir aqui o ajudar a cuidar do pequeno Minjun, quando ele já estava mais estável, ele me deixou ir, então eu fui embora, e quando eu volto, eu encontro meu neto apaixonado por uma moça linda e carinhosa, que dá a devida atenção que ele merece. -Ele fala e me olha sorrindo, tais palavras me deixaram envergonhada.- Você o trata como se fosse seu filho... -Ela fala com lágrimas de emoção preenchendo seus olhos, logo as mesmas caem de seus olhos.- Me desculpe chorar assim, é porque eu sei o tanto que uma mãe faz falta, eu não quero que o meu pequeno passe por esse sentimento, apenas quero que ele ame alguém que o ame na mesma medida, e você, é a pessoa que eu tanto queria que aparecesse na vida do meu neto. Taehyung me falou das coisas que fez para Minjun, e ficou realmente parecendo a mãe dele, conseguiu fazer uma cama debaixo da mesa da recepção da empresa para que ele se sentisse confortável. -Ela fala rindo, o que me fez rir também.- E enfrentou o meu filho, admiro sua coragem.

S/n: Obrigada, de verdade... -Falei ainda meio envergonhada, eu não acho que seria uma boa mãe para Minjun, não mesmo.

Heejin: Eu que agradeço, meu bem, por ter aparecido assim do nada. Agora, eu preciso falar uma coisa com você, Taehyung disse que não conseguiu, e sobrou pra mim. -Ela fala me fazendo rir.

S/n: Diga.

Heejin: Meu filho e eu queremos saber se você aceita ser a nova babá de Minjun?

S/n: E-Eu? -Indago surpresa.

Heejin: Você mesmo. Voc—

Ela é interrompida por um barulho de telefone, eu a acompanho até a sala e ela atende o telefone que não parava de apitar.

Heejin: Alô?... O quê?... Minjun? -Ela fala o nome do pequeno e isso me fez gelar.- Já estou indo.

S/n: O que aconteceu?! -Perguntei preocupada.

Heejin: Parece que Minjun se meteu em uma briga na escola. Vamos, não podemos perder tempo!

S/n: A senhora quer mesmo que eu vá?

Heejin: Claro que sim, vamos! -Ela me puxa pelo braço até a porta, assim que saímos da casa ela tranca a porta e nós andamos rapidamente até o seu carro.



Heejin: Com licença. -Heejin fala assim que entra na diretoria da escola. Vimos Minjun e um outro menino sentados em cadeiras afastadas um do outro, Minjun estava encolhido no seu canto chorando baixinho, já o outro menininho estava com seus pais.

Minjun escuta a voz de Heejin e levanta a cabeça levemente, ele olha para a mais velha e logo depois me olha, ele desce da cadeira rapidamente e tenta sair da sala, mas a diretora o segurou. Não adiantou muito pois o pequeno conseguir se soltar e correu até mim. Ele me abraçou se jogando com força em mim, eu o abraço o ajeitando no colo, uma mão servia de apoio para que ele continuasse em meu colo e a outra estava em sua nuca, o pequeno soluçava de uma forma descontrolada.

S/n: Respira pequeno, calma, está tudo bem. Eu estou aqui, ok? -Falei tentando o acalmar, beijo sua cabeça e faço um carinho ali mesmo.

XXX: Quem o seu filho pensa que é para bater no meu?! -A mãe do outro menino se levanta e dirige suas palavras para mim. Heejin se põe em minha frente e me pede para ir para um canto mais afastado dali, enquanto ela resolvia toda essa questão.

Eu vou para um lugar cheio de flores e outras plantas, eu me sento nas raízes de uma árvore ali perto com o pequeno no meu colo um pouco mais calmo.

S/n: Quer me contar o que aconteceu? -Eu falo e ele balança a cabeça concordando.

Minjun: Aqui na escola sempre teve um menino que implicava com todo mundo, e hoje foi o dia em que ele me encheu a paciência, desde a hora que eu cheguei ele ficou implicando comigo, quando eu andava ele colocava o pé pra eu tropeçar, me empurrava e me fazia derrubar as coisas, colocou cola na minha garrafa de água e depois ele... -O pequeno começa a chorar novamente.- Ele falou que a minha mãe me abandou porque ela nunca quis me ter, ele disse que ela me odeia e que não quer me ver nunca mais... -Eu abraço o pequeno o confortando em meu colo, a vontade que eu tive foi de chorar junto com ele, pois eu sei a dor de não ter uma mãe do seu lado, e ele é tão pequeno para estar passando por uma situação dessas, mas eu preciso ser forte, por mim e por ele.

S/n: Calma, não precisa chorar, eu estou aqui com você, eu sei muito bem como se sente. 

Minjun: Sabe? -Ele pergunta enchugando as lágrimas e me olhando.

S/n: Sim. Como você sabe, eu cuido da minha avó, eu nunca soube nada sobre a minha mãe e o meu pai, apenas sabia que eles me abandonaram, então minha avó me pegou para me criar, e eu sou muito grata a ela, por mais que ela seja minha avó, eu a considero minha mãe, porque foi ela que fez o que minha mãe não fez. E agora, eu cuido dela. Com todo amor e carinho, porque foi assim que ela me criou.

Minjun: Nossa... Sinto muito... -O pequeno fala e me abraça, um abraço tão bom, tão... Não sei explicar, mas aquilo me reconfortou de alguma maneira.

Heejin: S/n? -Escuto a senhora Kim me chamando e logo me levanto com o pequeno Minjun em meus braços.

S/n: Estou aqui! -Caminho em direção a ela.- Como foi lá?

Heejin: Foi um saco, ela sabia que o filho dela estava errado e mesmo assim o defendia.

S/n: Acho que é coisa de mãe. -Nós duas rimos e ela logo fala.

Heejin: Mas eu tenho certeza que eu nunca defenderia um filho meu mesmo sabendo que ele está errado.

S/n: Não sei não hein? -Eu a olho com os olhos semicerrados, o que fez a mais velha rir.

Heejin: Você está certa. Vamos para casa.



Heejin: S/n, você ainda não me deu uma resposta.

S/n: Sobre o quê?

Heejin: Sobre seu novo emprego de babá. Você aceita?

S/n: A-Ah, claro que sim. Só espero não incomodar.

Heejin: Não, meu anjo, não se preocupe com isso, eu vou começar a preparar as coisas para o almoço, você poderia vestir Minjun?

S/n: Claro que sim, eu já volto! -Falei e subi as escadas indo para o quarto do pequeno.

Minjun: S/n, pode me ajudar a vestir isso aqui? Eu não estou conseguindo vestir isso.

S/n: Claro que sim, deixa eu ver. -Eu pego a roupa da mão do pequeno e analiso a mesma procurando um lado certo para o vestir, mas percebi que ele havia pegado a peça de roupa errada.

Eu começo a rir alto e ele fica confuso me olhando.

Minjun: O que foi?

S/n: Você pegou uma roupa para um bebê recém-nascido, pequeno! -Eu falo rindo e ele ri envergonhado passando a mão na nuca.- Vem, vamo ver uma roupa que seja confortável e, de preferência, maior.



Heejin: Bom querida, eu vou precisar ir agora, depois eu venho aqui junto com o meu esposo e nos falamos mais, ok? -Fala assim que se despede de Minjun.

S/n: Tudo bem senho— Heejin! -Corrijo a minha fala e ela ri.

Heejin: Foi um prazer te conhecer S/n, nos vemos depois. Beijos! -Ela fala e me abraça, eu retribuo o abraço da mesma e logo nos soltamos, eu a acompanhei até a porta e depois ela foi embora.

Minjun: S/n, o que nós podemos fazer agora?

S/n: Gosta de pipoca com leite Ninho?

Minjun: Eca!

S/n: Eu vou fazer e você vai esperimentar, se não gostar eu faço outra coisa pra você, se gostar a gente vai jogar um videogame.

Minjun: EBAA!! -Ela fala animada, saltitando da porta da cozinha até mim. Ele abraça as minhas pernas e depois levanta a cabeça.- Hoje vai ser super divertido!

S/n: Vai sim, pequeno.



S/n: Gostou? -Eu pergunto vendo o pequeno mastigando a pipoca com leite Ninho que eu acabei de fazer.

Minjun: Hum, isso é bom! -Ele fala e logo pega mais um pouco.

S/n: Eu vou dividir pra nós dois, enquanto isso, vai escolhendo o jogo que você quer jogar.

Minjun: Ok! -Ele fala e corre para a sala.

S/n: Cuidado pra não cair, Minjun! -Falei e peguei um outro recipiente para colocar uma quantidade que eu sei que ele vai comer, encho dois copos grandes de água porque isso vai dar um sede muito grande. Vou até a sala e coloco tudo em cima da mesa de centro da sala e olho para a televisão vendo qual jogo o pequeno escolheu.- God of War? Eu amo esse jogo!

Minjun: Sério?! Agora eu gostei ainda mais de você. Eu passo uma fase e depois você passa a outra, ok?

S/n: Tudo bem! Vamos!

Passamos um bom tempo jogando, enquanto eu esperava ele passar a primeira fase, eu fui comendo a minha pipoca e a mesma coisa com ele. Pude perceber que o pequeno é muito bom nesse jogo.

S/n: Você joga demais, Minjun! -Falei impressionada com o pequeno que quando vê a minha surpresa, faz um brilho surgir em seus olhinhos.

Minjun: Obrigado! Eu sou bom nesse e em vários outros jogos porque não tem nada pra fazer depois que eu chego da escola, a minha antiga babá não cuidava de mim, ela nem ligava pra mim, então eu ficava aqui jogando. Meu pai sempre anda muito ocupado, quase nunca tem tempo pra mim. Eu sou bem sozinho... -Ele fala e lágrimas se formam em seus olhos, ele os fecha e as mesmas começam a cair, passando primeiro por suas bochechas, maxilar e depois caindo em suas roupas, ele não soluçava ou emitia som algum, apenas as lágrimas caiam de seu rosto.

Eu me aproximei e, vagarosamente, o puxei para um abraço, ele rapidamente retribuiu e foi nesse momento que ele começou a soluçar.

S/n: Calma, pequeno. Você nunca mais vai ficar sozinho, você nunca mais vai sentir esse sentimento, sabe por quê? Porque eu vou estar aqui com você... -Ele me aperta mais em seus braços e se acalma. Seu coração que antes estava acelerado, agora está mais calmo. Ele, aos poucos, vai parando de chorar e depois me solta ele me olha e sorri.

Minjun: Obrigado, S/n! Eu amo você! -Ele pula em mim de novo e me abraça forte, eu ainda estava surpresa pelas palavras do pequeno, agora quem sentiu o coração acelerar fui eu. Eu retribui o abraço do pequeno logo depois, e me levantei do sofá com ele no colo pois percebi seu bocejo e seus olhos pesando.

S/n: Eu vou te dar um banho e colocar você pra dormir, ok? Você parece cansadinho. -Ele concorda e deita a cabeça no meu ombro, e ando até as escadas e escuto a porta sendo aberta. Olhei rapidamente para a porta com o coração na mão e me tranquilizei quando vi que era apenas o senhor Kim entrando dentro de casa.- Ai... Que susto! -Fecho a cara na direção do mesmo, eu realmente fiquei assustada.

Taehyung: Me perdoe, não foi a minha intenção. Como ele está? -Ele fala deixando sua maleta no chão e se aproximando de mim. Quando ele chegou perto de mim, me senti pequena pois o mesmo é bem alto, o cheiro amadeirado dele entra pelas minha narinas me deixando ainda mais nervosa.

*Porque estou assim?!*

S/n: B-Bem, ele está ótimo. Apenas com sono... 

*Pare de gaguejar, sua tonta!*

Taehyung: Estava indo o colocar pra dormir? -Afirmo com a cabeça.- Oh, está bem. Pode ir.

Me viro novamente e subo as escadas com o pequeno ainda no meu colo, acho que ele já dormiu inclusive. Mas ele precisa banhar, hoje está um dia quente e ele já está suando.

S/n: Pequeno? Acorda. -Aproveitei que seu sono aí da estava leve e o acordei para banhar.

Minjun: Eu quero dormir... -Ele resmunga.

S/n: Vamos, é apenas um banho. Quando você terminar de banhar vou te deixar dormir o quanto quiser.

Minjun: Então eu vou banhar. -Ele levanta os braços para que eu pudesse tirar a lá roupas dele.



Fazendo carinho na cabeça do pequeno e cantarolando uma música que eu acabei de inventar, o pequeno dorme. Fiquei assim por mais um tempinho e depois que percebi sua respiração pesada, percebi que ele já havia dormido por completo.

Me levantei da cama e abri a porta para sair do quarto, dei uma última olhada no pequeno e fechei a porta logo descendo para a sala. 

Taehyung: Senhorita S/n? -Escuto a voz rouca do mesmo me chamando da cozinha. Caminho até lá e o vejo tomando um copo de água.

S/n: Sim, senhor?

Taehyung: Minha mãe falou com você?

S/n: Falou sim. -Forcei um sorriso, estava meio nervosa, só não entendi o motivo.

Taehyung: Perfeito, e você aceitou?

S/n: Claro, eu quero muito cuidar do pequeno, só tem um problema...

Taehyung: Dinheiro? -Ele pergunta arqueando uma sobrancelha.

S/n: Nada disso! -Fechei a cara para o mesmo.- É apenas a questão de quem vai ficar no meu lugar na recepção.

Taehyung: Ah! Eu pedi para que a senhora Park ficasse lá.

S/n: Tudo bem então. Mas agora eu preciso ir, preciso ver como a minha avó está. Mas primeiro, preciso lavar algumas coisas que eu sujei aqui.

Taehyung: Tudo bem, pode ir. -Ele fala e logo depois pega sua maleta e sobe as escadas. Eu vou até a sala e pego os copos e os recipientes que estavam com a pipoca, levo tudo até a cozinha e coloco na pia começando a lavar tudo. Depois, voltei para a sala e arrumei os controles do videogame que eu e o pequeno jogamos e logo após dei mais uma olhada pra vez se faltava mais alguma coisa pra fazer.

Vendo que não tinha mais nada, abri a porta e me retirei da casa indo para a rua, mas sou parada por alguém me chamando. Me virei e percebi que senhor Kim chamava meu nome e andava em minha direção.

Taehyung: Deixe-me levá-la até sua casa. -Ele fala com um semblante sério, como se estivesse fazendo isso apenas pra ser educado.

S/n: Não, senhor, muito obrigada, mas não. -Me viro e começo a andar novamente mas ele segura meu braço e me vira pra si.

Taehyung: É apenas em agradecimento por cuidar de Minjun.

S/n: Não precisa me agradecer, sabe que de agora em diante é minha obrigação fazer isso. -Falei me soltando de suas mãos e caminhando novamente para fora do condomínio.

Taehyung: Vamos, eu apenas estou tentando ser gentil! -Ele fala em um tom de reclamação.

*Não acretido que ela ainda está atrás de mim.*

S/n: Eu já falei que não, será que não entende? E outra, porque está sendo tão "legal" comigo? Você não tem cara de que faz isso com ninguém. -Falei cruzando meus braços e o encarando do jeito mais frio que eu pude.

Taehyung: É porq— Deixa quieto. -Ele mesmo se interrompe e abaixa a cabeça.

S/n: Está bem. -Respiro fundo e o olho.- Até amanhã. -Me virei mais uma vez com a esperança de que ele me deixasse em paz, e graças a Deus ele voltou para casa. Apenas chamei um táxi e voltei para casa.



KIM TAEHYUNG P.O.V

Ela tem razão, porque estou assim com ela? Justo com ela? Percebi o jeito que ficou nervosa quando cheguei perto da mesma hoje, mas parece que esse nervosismo saiu de repente e se transformou em ira, pois ela foi um pouco ignorante comigo.

*Ela devia aproveitar essa minha bondade, não sabe o quanto eu torço pra ficar longe de todo mundo. Mas ela... Ela... Eu nem conheço ela e quero a companhia dela. Ela é tão carinhosa com o meu filho e se deu tão bem com a minha mãe, diferente de Tzuyu que já de cara, minha mãe não gostou nem um pouco dela. Porém o que mais me assusta é a semelhança delas duas, Tzyuy e S/n, não de personalidade, mas sim da questão estética.*

*Minjun me falou de quando o motorista perguntou para ela se ela era mãe do pequeno, porque os dois são bem parecidos. Me senti feliz? Não sei... Deveria? Também não sei...*

Abri a porta do quarto do pequeno e o vi dormindo tranquilamente em sua cama, ele estava com um leve sorriso no rosto, como se agora ele estivesse feliz.

Eu sei que nunca fui de dar muita atenção para ele, mas se ele soubesse o quanto eu o amo...

Maldita seja Tzuyu por me ter feito sofrer, e por estar fazendo o mesmo com o meu pequeno. Éramos pra ser uma família feliz, mas ela estragou tudo, meus sonhos, desejos, sentimentos.

Minha vida...

Rapidamente, me veio a imagem de uma pessoa que é tão linda e tão carinhosa, todos que chegam para falar com ela, se encantam com seu jeitinho.


S/n...


Jennie havia me falado dela assim que chegou de viagem, falou que a achou uma mulher incrível. Jimin e Rosé gostaram muito dela também.

Mas eu não posso estar assim de novo, vai que ela é mais uma daquelas mulheres que apenas pensam em dinheiro.

LEMBRANÇAS ON

S/n Claro, eu quero muito cuidar do pequeno, só tem um problema...

Taehyung: Dinheiro? -Levantei uma sobrancelha já desconfiando.

S/n: Nada disso!

LEMBRANÇAS OFF

*E se não for?*





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...