1. Spirit Fanfics >
  2. Por siempre - Armatty (Betty en NY) >
  3. Decisões

História Por siempre - Armatty (Betty en NY) - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


oieeeee

Ia dividir o cap em dois, mas preferi trazer um cap grandão pra vocês. Ta chegando né o casamento, agora vaiii.. depois disso, lua de mel, gravidez. Humm.

Espero que gostem.

Capítulo 23 - Decisões


 

    “Armando…..Armando..” 

    Acordei assustado.

- Hãn? O que aconteceu? Onde está o incêndio? - perguntei olhando para todos os lados.

- Armando, você dormiu no sofá meu amor. - sorriu Betty carinhosa.

- Eu? Hãn? - só então percebi que realmente tinha dormido no sofá da casa Betty enquanto as esperava.

Vi dona Julia me olhando com um leve sorriso.

- Ai meu deus, me desculpe dona Julia, eu só ia descansar um pouquinho, não tinha a intenção de colocar os pés no seu sofá, mas olha, eu tirei os sapatos. - levantei meus pés só de meias e mostrei, preocupado que ela estivesse brava.

- Ai Armando, filho, não tem porque se preocupar com isso, você devia estar cansado. Se quiser tirar mais um cochilo enquanto preparo o jantar, fique a vontade. - sorriu carinhosa dessa vez e se virou para a cozinha.

- Não, imagina, obrigado, já estou descansado. - suspirei aliviado.

- Vem, vamos até o meu quarto e você me conta como foi com o alfaiate e eu te conto como foi com o vestido. - Betty esticou a mão para que eu me levantasse. 

Peguei meus sapatos com a outra mão e subi só de meias de mãos dadas com Betty.

- Você está bem amor? Você nunca dorme assim do nada, o que aconteceu? - perguntou Betty se sentando na cama e me puxando com ela.

- Sim Betty, estou ótimo, acho que só estava mais cansado do que pensava mesmo, e aí eu relaxei no sofá e não vi mais nada. - ri. - Deve ser a idade. - fiz uma careta.

- Bobo. Então, como foi com o smoking? - perguntou animada.

- Foi tudo bem, comprei um ótimo, todo preto. O alfaiate me mostrou um azul, mas eu quis algo tradicional para o nosso dia. - sorri.

- Ai que lindo Armando, tenho certeza que você ficaria maravilhoso com qualquer um. - sorriu de lado.

- E o vestido? Não me conte como é, dá azar, mas me diga, você gostou? Se divertiu escolhendo? - perguntei curioso.

- Simm, foi ótimo, minha mãe ficou bastante emocionada, era seu sonho que eu me casasse, mesmo que eu sempre dissesse que sendo feia ninguém ia querer saber de mim.. Ahhh- riu.

- Bettyyy… - chamei sua atenção.

- Enfim, o vestido é lindo, Ángel fez algumas opções de modelos de vestido para eu escolher, depois tiramos minhas medidas e semana que vem eu vou para provar o vestido final. - sorriu animada.

- Ai meu amor, fico muito contente, quero que você tenha todas as experiências de um casamento, do jeito que você sonhou um dia. - fiz carinho em seu rosto.

- Sabe Armando, na verdade eu nunca me permiti sonhar com esse momento, ainda me sinto como se tivesse em outro corpo. Esses preparativos, a decoração, a comida, a música, parece que eu estou tendo uma experiência fora do corpo, ainda não caiu a ficha que é comigo. Nunca achei que esse dia chegaria para mim. - disse emocionada.

- Meu amor, não pense assim, todas as coisas acontecem por algum motivo, se algum dia você foi magoada, se você se achou menos que os outros, se eu mesmo já fiz você se sentir assim, te peço perdão por mim e por todas essas pessoas, mas você Betty, você passou por essas coisas para renascer ainda melhor, para mostrar pra todos que você merece o mundo. E se depender de mim eu te darei. - a abracei beijando sua cabeça.

- Eu te amo tanto Armando. - disse emocionada.

- E eu mais. - beijei sua testa. - Mas ei, agora é hora de alegria, nada de pensamentos ruins. Quero que a gente decida uma coisa. - sorri empolgado a segurando pelos ombros.

- O quê? - sorriu de volta.

- Onde vamos passar nossa lua de mel. - mordi o lábio sorrindo.

- Aiii Armandooo, simmm.. - pulou animada.

- Eu quis te perguntar, mas eu meio que já fiz algumas pesquisas e só preciso que você diga sim. - a olhei com um sorrisinho de lado.

- E pra onde você pensou que podíamos ir? - perguntou curiosa.

- Vamos para um cruzeiro nas ilhas gregas? - queria realizar o que ela me disse em Miami que queria fazer.

- Ahhhhh, Armando. - colocou as mãos na boca surpresa. - Você se lembrou. - seus olhos estavam arregalados.

- É claro que sim meu amor, tudo que você me disse até hoje eu prestei atenção, e quero realizar cada sonho seu. - disse carinhoso

- Aii você é perfeito sabia? - me beijou.

- Sabia! - fingi estar convencido e ri. - Mas então, eu pesquisei e os cruzeiros para as ilhas gregas saem de Veneza, então primeiro iríamos passear na Itália e de lá para o cruzeiro o que acha? - disse empolgado.

- Claro que sim, isso é maravilhoso, vamos conhecer esses dois lugares perfeitos. Ai meu deus, não estou acreditando. - me abraçou.

- Pois acredite, amanhã mesmo comprarei nossas passagens e farei todas as reservas. - dei um selinho sorrindo.

Após nossa conversa, ficamos mais alguns minutos descansando abraçados na cama, até que fomos interrompidos por Nicolás entrando no quarto, que obviamente estava de porta aberta.

- Isso são horas de estar na cama? - perguntou com as mãos na cintura nos olhando.

- Ai Nico, estamos descansando esperando o jantar, o que você quer? - perguntou Betty.

- Nada, sua mãe mandou chamar vocês, se não quiserem vir melhor, sobra mais comida. Hahaha - riu alto.

- Diga isso para sua namorada, ela que come toda a comida da mesa. - disse debochado, me levantando e puxando Betty.

- Por isso amo minha Patri. - suspirou exagerado.

- Aii Nico, deixa eu te contar. Lembra que eu sempre disse que queria conhecer as ilhas gregas? - perguntou Betty empolgada segurando Nicolás.

- Simm Bettyy.. Você me enchia a cabeça contando tudo sobre os filósofos, o teatro, o Dionísio, a odisea, tudoo. - citou exatamente o que Betty havia me dito e riu.

- Então, Armando vai me levar pra lá de lua de mel. - deu um gritinho pulando e abraçando Nicolás.

- Aiii Bettyyy que legal, você queria muito isso. - pulou Nicolás com ela.

Sorri para os dois, a amizade deles era realmente bonita, realmente meus ciúmes foram absurdos, era tão nítido a cumplicidade de irmãos que tinham.

- Nicooooo, que demora é essa? - apareceu Patrícia na porta gritando por Nicolás.

- Nada Patri, já vamos descer. Betty estava me contando pra onde vão viajar de lua de mel. - sorriu

- Ah é, pra onde? - perguntou curiosa.

- Pras ilhas gregas. - disse Betty animada.

- Aii, mas e Paris? Londres? Aqueles lugares chiques e maravilhosos. - questionou Patrícia sonhadora.

- Ai Patrícia, eu não gosto dessas coisas de lugares chiques nem nada. - deu de ombros Betty.

- Eu sei. - sorriu. - Mas nossa lua de mel vai ser em Paris não é Nico? - perguntou sorrindo para Nicolás.

Arregalei os olhos enquanto Betty cobria a boca chocada e Nicolás parecia que estava se engasgando com algo, buscando o ar. 

Dei umas batidinhas em suas costas para ver se ajudava, me preocupei com sua falta de ar. 

Patrícia parecia não ter percebido a profundidade de sua declaração.

- É.. Claro Patri. - Nicolás sorriu amoroso para ela.

- Ai que bom Niquinho. Então vamos comer, que estou morta de fome. - sorriu e o puxou para as escadas.

- O que foi isso? - perguntou Betty em choque.

- Ela acabou de dizer que vai se casar com ele? - perguntei igualmente chocado.

- Acho que sim. - concordou surpresa.

- Quem diria. - respondi no mesmo tom.

Rimos e descemos as escadas abraçados. Mais uma vez teríamos um jantar animado, nossa vida jamais seria monótona.

Nós todos estávamos muito mais unidos, nossa viagem a Miami foi um divisor de águas, Betty agradeceu Patrícia por ter defendido nosso relacionamento com Naomi, Patrícia também estava grata pela minha ajuda com os assediadores da praia, então todos estávamos muito mais relaxados ao redor um do outro, podia ver que essa amizade seria sincera e duradoura.

    

MESES DEPOIS… 


 

    Os meses que antecederam o casamento passaram voando, por sorte as decisões estavam todas tomadas, então Catalina não teve muitos problemas em organizar tudo.

    Faltavam 3 dias para o casamento, meu estômago se embrulhava toda vez que eu pensava que o dia estava chegando. A ansiedade já estava tomando conta de mim. Queria que tudo fosse perfeito, mas principalmente queria ser oficialmente o esposo de Betty, e que ela fosse minha esposa.

- Que cara de sonhador é essa meu filho? - perguntou meu pai entrando em minha sala.

- Ansioso para o casamento papai, já está chegando o dia. - respondi sorrindo esfregando as mãos uma na outra e me levantando para cumprimentá-lo

- Sim Armando, estou muito contente por você. - me deu um abraço apertado.

- Obrigado papai. Estou muito feliz. - meu rosto quase dóia com o tamanho do meu sorriso.

- Posso ver que está feliz, e por falar nisso, vim aqui falar sobre a sua despedida de solteiro. - levantou as sobrancelhas sorrindo.

- Ai sim papai, nossa noite de rapazes, vai ser muito legal, o que você pensou que podemos fazer? - perguntei empolgado.

- Acho que podíamos ir ver um jogo do Giants amanhã e depois vamos para um bar tomar umas bebidas e jogar conversa fora. - sorriu animado.

- Seria maravilhoso, faz muito tempo que não vamos a um jogo, tenho certeza que o Seu Deme e o Nicolás vão adorar. - estava animado, seria uma ótima noite.

- Então deixa comigo, vou comprar os ingressos e informar os convidados. - piscou.

- Fechado papai. - nos abraçamos sorrindo.

- Olá, boa tarde seu Roberto. - cumprimentou Betty entrando na sala.

- Boa tarde minha filha, como está? - cumprimentou papai dando um beijinho em seu rosto e um abraço amoroso.

- Muito bem obrigada e o senhor? - sorriu.

- Muito bem Betty, estava aqui combinando com o Armando a despedida de solteiro, mas agora já tenho que ir porque a Margarita quer sair para comprar o presente de casamento de vocês. - se despediu e foi embora.

- Despedida de solteiro é? - perguntou Betty levantando uma sobrancelha questionadora.

- Hum, sim, sabe como é. Boate, streaptease, bebidas, coisas de homens. - fiz minha melhor cara séria tentando não rir dos olhos arregalados de Betty.

- O- o queê? - gaguejou Betty.

- Claro que não sua boba, papai vai comprar ingressos para um jogo e depois vamos beber em algum bar com seu pai e Nicolás. - sorri indo abraçá-la.

- Armando. - me olhou severa e me deu um tapa no braço. 

- Desculpe amor, não resisti deixar passar essa piada. - sorri me desculpando.

- Pois você aguarde os gogoboys e o dinheiro na cueca que haverá na minha despedida de solteira. - cruzou os braços desafiadoramente.

- Não amor, desculpe, não faço mais isso. - fiz beicinho.

- Acho bom, mas eu ainda vou pensar bem sobre minha despedida de solteira. - sorriu irônica. Engoli em seco, espero que ela não faça realmente uma festa com gogoboys.

Continuamos a trabalhar normalmente o restante da tarde. Ao fim do expediente, uma expedição do pelotão entrou por nossa porta.

- Boa tarde chefe, boa tarde chefa. - disseram em sincronia.

As olhamos questionadores.

- Boa tarde. - respondemos juntos.

- Viemos aqui sequestrar nossa futura noiva, como pelotão de amigas, vamos levá-la para uma reunião extraordinária para decidir sobre a despedida de solteiro. - informou formalmente Bertha.

Arregalei os olhos assustado e olhei para Betty, que sorria ironicamente para mim.

- Claro meninas, vamos para nossa sala de reuniões. - disse Betty animada.

- Ér.. Meninas, o que vocês estão pensando sobre a despedida de solteira? - tentei esconder minha ansiedade por trás da pergunta.

- Hum, não sabemos, de repente um desfile de homens seminus, muita tequila e cuecas de elefantinho. - disse naturalmente Sofia.

- Aii sim, aqueles homens saradões, gostosos, só de cuequinha para que possamos encher de notas de 1 dólar enquanto passamos as mãos por seus tanquinhos. - falou quase gemendo Aura Maria.

- O QUÊ? - saiu um pouco alto demais minha voz, percebi tarde demais quando as vi rindo muito.

- Anda meninas, vão indo na frente que já encontro vocês. - sorriu Betty e o pelotão se despediu indo até o banheiro, que agora eu sabia ser a sala de reunião delas.

- Viu como é engraçado? - cruzou os braços Betty com ironia.

- Você combinou isso com elas sua diabinha? - a olhei com os olhos semicerrados.

- Não confirmo, nem nego. - fez cara de anjo.

- Anda sua malvada, vá com suas amigas decidir isso logo, quero ir pra casa e passar a noite toda te amando já que a partir de amanhã sua mãe quer que você fique na casa deles pela tradição. - fiz beicinho.

- Vão ser só duas noites meu amor. - me abraçou.

- Que eu vou morrer de saudades, não consigo passar mais nenhuma noite sem você nos meus braços. - beijei delicadamente seus lábios.

- Nem eu sem você. - enlaçou seus braços em meu pescoço.

- Se você continuar assim, vamos usar novamente meu escritório. - sussurrei em seu ouvido.

- Já estou com saudade do seu sofá. - respondeu de volta.

- Betty, Betty. - disse em tom de advertência.

- Tudo bem, vou encontrar as meninas antes que elas voltem e me arrastem. Me espere que não demoro e já vamos para casa. Te amo. - me deu um último selinho e se foi.

Me sentei rindo, ficaria com mais cabelos brancos por causa dessa mulher e suas amigas, mais cedo do que imaginava. Ainda bem que ela gostava de homens mais velhos, pensei ironicamente.

 


Notas Finais


olaaarr
temos lua de mel no cruzeiro que a Betty disse que queria fazer
temos provocações sobre despedidas de solteiro.
temos Patrícia dando brecha

ahhh como eu amo um quarteto kkk
Espero que tenham gostado, espero vocês nos comentários hehe. bjsss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...