1. Spirit Fanfics >
  2. Por toda a minha vida >
  3. Promessas

História Por toda a minha vida - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Promessas


Levi

Mikasa merece o benefício da dúvida. Eu sempre soube disso, inclusive quando saí do meio dos pirralhos e me tranquei no quarto. Ouvi suas batidas na minha porta e depois seus passos se afastando, mas sabia que ela voltaria. Não atendi na hora, porque não gostaria de conversar estando de cabeça quente. 

No entanto, esse tempo não me ajudou muito. Continuo aqui ao ponto de explodir e cada palavra que começa a sair da sua boca me atinge com um medo inexplicável. 

Mikasa ficou sem palavras com minha fala. Nem eu mesmo sei porque falei isso. Foi um ato impulsivo, porém é tudo verdade. A expressão preocupada e aflita no seu rosto entrega que alguma coisa realmente aconteceu e isso é o estopim para que a angústia explodir dentro de mim. 

Respiro fundo quando a sinto se aproximar. Não quero me afastar, não mesmo. Mas não sinto nenhuma certeza quando estou com Mikasa e eu não espero que ela seja devota a mim como foi com Eren, mas se é para ficarmos juntos, não pode ter interferência externa e com ela e Eren isso parece impossível. 

Sinto suas mãos em meu rosto e a delicadeza do seu toque é um alento em meio ao turbilhão de desespero dentro de mim. 

- Me escuta, por favor. - sua voz sai tão preocupada que por um momento me sinto culpado. 

Nossos olhos se encontram e os seus estão em súplica pelo seu pedido. Suas mãos descem e param em meu peito, esperando uma resposta. 

- Tudo bem. - ela solta um ar que eu sequer sabia que prendia e então volta o olhar para mim novamente. 

- Realmente teve um beijo... - suas palavras são altamente destrutivas, será que ela não percebe? Sinto todo meu corpo enrijecer a fim de disfarçar que estou prestes a desabar. - Mas não com Eren descreveu. Eu não lhe contei sobre a nossa conversa, deveria ter dito antes e assim evitaríamos toda essa confusão. - embora eu não quisesse saber antes, suas palavras me causam curiosidade. 

- Então o que aconteceu? - seus braços me puxam em um abraço repentino e, quase automaticamente, eu devolvo. 

Mikasa sabe como me desarmar, ela faz isso desde o início e só por isso estamos aqui. Se ela não tivesse destruído cruelmente todas as barreiras em volta do meu coração, essa aproximação não teria acontecido. Mas cá estamos nós, juntos, e eu totalmente entregue. 

Ela se afasta e então junta nossas mãos. 

- Tem que prometer que não fará nada. - pede e eu novamente não entendo. - Prometa. 

- Eu prometo. - digo e ela fecha os olhos com força, depois abre e encara os meus. 

- Eren não aceitou nossa aproximação. Disse que ainda me ama e me quer somente com ele. Ele se aproximou e me beijou, não foi consentido, eu o empurrei e ele caiu, batendo a cabeça na mesa, por isso o corte. - cada uma das suas palavras fazem meu sangue subir a cabeça e o ódio do pirralho só aumenta. 

Ela parece perceber o meu sentimento porque novamente me abraça, mas eu não consigo retribuir, não com a força que estou sentindo para matar o pirralho. 

- Você prometeu. - lembra e eu respiro fundo, relaxando em seus braços. 

- Eu não vou fazer nada que você não queira. - respondo e retribuo seu abraço. - Mas não pode me esconder as coisas. - me afasto e vejo seu olhar confuso. - Eu sei que nunca teremos uma relação de mútua entrega por causa da sua ligação com Eren. - sua expressão fica ainda mais confusa e ela se afasta mais um pouco. 

- Eren faz parte da minha família. - seu tom óbvio só demonstra o quanto ela não entende. 

- Armin também é sua família, Mikasa... Ele também é sua família e a relação de vocês é completamente diferente. - vejo seu olhar confuso tornar-se pensativo agora, enquanto sua boca tenta formular palavras que não saem. - Pode me dar cem por cento de certeza que sabe o que sente por Eren? Pode me garantir isso? - no fundo, tenho esperança que sua resposta seja a que eu desejo, mas a razão me dá certeza do contrário e sua falta de resposta também. 

- Levi, eu... - suas mãos gesticulam enquanto procura uma resposta, que não vem. 

- Está tudo bem. - lhe ofereço um meio sorriso e coloco as mãos no bolso da calça, tentando disfarçar o constrangimento que estou sentindo e a tristeza também. - Pode me deixar sozinho agora? - peço e ela suspira, vindo ao meu encontro. 

- Eu não vou sair porque não há motivos. Eu sei que minha ligação com Eren vai muito além da familiar, mas é algo que nem mesmo eu sei explicar, mas eu posso garantir que não é como você está pensando. - suas mãos tocam meu rosto e eu fecho os olhos tentando manter o único pingo de orgulho que resta em mim antes de ceder ao seu toque. - Armin também. Mas com ele, tudo é mais fácil. Ele é meu melhor amigo. E nós... você não precisa se preocupar, porque eu realmente tenho sentimentos por você, Capitão. - seu dedo aponta para o meu peito enquanto fala e eu continuo sério. - Vai continuar disfarçando a vontade de me beijar? - pergunta, dando um leve sorriso que me desconcertar. 

- Tenho que manter a pose por um tempo. - retruco e seu sorriso se alarga, me fazendo sorrir junto e envolvê-la em meus braços. 

- Levi, eu estou com você independente de qualquer coisa, não duvide disso. O que temos... é algo que eu não quero perder. Nunca. - afirma, ainda abraçada comigo e eu sinto suas palavras me confortarem. 

- Certo. - é tudo que eu consigo responder. 

Suas mãos sobem para o meu pescoço e assim iniciamos um beijo calmo, tranquilo. Seus braços são meu lar e eu finalmente me sinto completo nessa vida. Mikasa é, sem dúvidas, tudo que eu preciso. Muito além dos toques, muito além das promessas, muito além de nós dois. Ela é a minha vida. 

Nossa aproximação foi rápida, nossa relação começou rápido, tudo nosso é com pressa. Agora não está sendo diferente. Sinto suas mãos puxarem minha camisa e jogá-la em qualquer lugar. Por uns instantes, seus olhos passeiam pelo meu abdômen assim como suas mãos, me causando arrepios. 

Pego a barra do seu vestido e o tiro com delicadeza, aproveitando a visão de cada parte do seu corpo. Me abaixo em sua frente e puxo sua calcinha, me dando visão completa da perfeição em pessoa enquanto seu olhar afetuoso queima sobre mim. 

Sinto suas mãos em meu cabelo fazendo um leve carinho, me arrepiando por inteiro. Afasto suas pernas transfiro beijos por sua intimidade, sentindo suas pernas enfraquecerem um pouco. 

- Levi... - sua voz me chama abafada e eu levanto meu olhar, encontrando o seu. 

Seus dedos puxam meu cabelo para cima e eu me levanto, sendo atacado por seus lábios em chamas desejando os meus, enquanto suas unhas apertam meu pescoço tão fortemente que posso sentir arranhar. Caminho com ela até a cama sem parar o beijo, que me enlouquece. 

Caio por cima do seu corpo e suas pernas me envolvem, nos pretendo ainda mais. Mikasa para o beijo e empurra com os pés a minha calça, me fazendo sorrir.

Então é assim, pirralha? 

- Parece que tem alguém aqui querendo dominar a situação. - digo, me levantando e tirando a calça de uma vez sendo devorando por seus olhos. - Mas quem está no controle hoje, sou eu. - me abaixo entre suas pernas e volto ao meu trabalho anterior. 

Espalho os beijos por sua virilha, suas coxas, apertando sua bunda e ouvindo seus gemidos abafados por suas mãos na própria boca. 

Coloco dois dedos em sua entrada enquanto trabalho também com minha língua e sinto seu corpo se movimentar embaixo, intensificando os movimentos, sedento por mais. 

Suas mãos agarram meu cabelo enquanto seus gemidos agora saem mais rápido. 

- Levi... por favor, p-por favor... - sua voz praticamente implora para que eu intensifique os movimentos e, é claro, seu desejo é uma ordem. 

Coloco mais um dedo e continuo, enquanto levo minha mão livre ao seu seio e aperto, ouvindo seu grito escapar e suas pernas prenderem meu pescoço entre elas, enquanto seu corpo se contorce por inteiro indicando que chegou ao seu ápice. 

Sua respiração ofegante toma conta de todo o quarto enquanto seu corpo vai relaxando aos poucos, me possibilitando que eu saia e encontre seu olhar. 

- Você acabou com todas as minhas forças. - sua voz falha me faz sorrir. 

- Não acabamos ainda. Vamos testar algo novo. - digo e seu olhar se abre, enquanto sua expressão curiosa toma conta do seu rosto. 

Vire. - ordeno e assim ela faz. - Agora... fique de quatro para mim. - seu rosto vira levemente para mim incrédulo. 

- Está falando sério? - pergunta e eu sorrio. 

- Sim. 

- Mas eu... Não... Eu... - suas palavras se confundem e eu sorrio ainda mais. 

- Relaxe... Se você não gostar, nós paramos. Experiências, Ackerman... - seu rosto suaviza e ela então fica de quatro para mim. 

Mikasa está tão entregue que me faz o homem mais realizado. Seu corpo é um monumento que precisa ter tocado... por mim. Eu quero sentir o contato viciante da sua pele contra a minha o resto da minha vida e mesmo quando ficarmos velhos, ainda vou achá-la a mulher mais perfeita de todas. 

Levo minhas mãos a sua bunda e aperto firmemente, ouvindo-a arfar. 

- Quero que aproveite cada sensação. - afirmo, encaixando meu membro em sua intimidade e sentindo o prazer tomar conta do meu corpo inteiro. - Posso continuar? - pergunto. 

- Oh... sim... - sua voz sai mais arrastada e eu coloco por inteiro, iniciando os movimentos. 

Embora seu corpo seja forte, não é exagerado. Seu quadril é levemente largo, seus seios são fartos, assim como sua bunda. 

Céus, que visão é essa? Essa menina me provoca os pensamentos e vontades mais insanos que alguém poderia ter. 

Dou um tapa estalado em sua bunda, a pegando de surpresa, mas ela não se importa. Seus gemidos continuam ecoando por todo o quarto aumentando minha vontade de possuí-la e eu posso jurar que todos sabem do nosso sentimento profano nesse quarto. 

Levo uma mão ao seu cabelo e seguro, puxando levemente tornando-a mais entregue à mim, assim como sou à ela.

- Mais rápido... - pede. 

- Seu pedido é uma ordem, Ackerman. - como eu já disse... 

Faço sua vontade e sinto que não vou aguentar por muito tempo. Mikasa é perfeita de todas as formas mas essa, agora, supera todos os limites que a loucura podem me levar. 

Chegamos ao ápice ao mesmo momento e Mikasa se desfaz sobre a cama, enquanto eu caio ao seu lado. 

- Isso... foi... maravilhoso. - sua fala cansada, com os olhos fechados. 

Levo minha mão as suas costas e fico fazendo carinho, observando seu rosto tranquilo. Seus olhos fechados, suas bochechas vermelhas e sua respiração ofegante. Essa é a mulher que eu quero passar a minha vida. 

Fico pensando se seria estranho lhe dizer essas coisas, porque, afinal, ela é uma menina ainda. A diferença de idade é enorme e nossa relação aconteceu repentinamente, mas acredito que ainda terei chance. 

Sua respiração começa a ficar pesada e percebo que está dormindo. Tão linda, tão entregue, tão tranquila... Minha menina dos cabelos negros como a noite e a pele branca como porcelana. Vou deixá-la descansar. 

Levanto e cubro seu corpo com um lençol, em seguida tomo meu banho e deito ao seu lado para aproveitar o presente de dormir sentindo o seu calor. 

[...]

Batidas na porta me despertam assustado. Vejo Mikasa ainda dormindo ao meu lado, coberta apenas por um lençol. 

Levanto da cama e caminho até a porta, percebendo pela janela que ainda está amanhecendo. 

- Armin? - sua presença em minha porta não é um bom sinal e sua expressão preocupada confirma. 

- Senhor, Hange nos aguarda lá embaixo. - diz rapidamente e eu concordo. 

- Obrigado. Já vou. - ele sai pelo corredor e eu fecho a porta. 

Viro e encontro Mikasa sentada na cama, enrolada no lençol com o rosto levemente inchado. 

- Você é a coisa mais linda do mundo. - digo e ela continua me encarando sonolenta, o que me faz sorrir. 

Sento ao seu lado e beijo sua mão. 

- Aconteceu alguma coisa? - pergunta, preocupada. 

- Sim. Hange precisa de nós. - explico e ela suspira. 

- Tudo bem. 

- Vou sair primeiro, você sai depois. - explico, pensando nos olhares sobre nós e ela parece entender. 

- Certo. 

Vou até o banheiro e tomo um banho, me vestindo ali mesmo. O caos está prestes a começar e eu sinto isso. Estava calmo demais até agora. 

Saio do banheiro já pronto e Mikasa vem ao meu encontro, juntando nossos lábios.

- Tinha que beijar você antes de manter as aparências na frente de todos. Bom dia. - diz, quando nos afastamos. 

- Bom dia. - respondo, beijando sua testa em seguida. 

Vejo ela entrar no banheiro e então saio do quarto à procura de Hange. Encontro-a na sala com Armin, Historia e Moblit tomando café. Ainda estava amanhecendo quando Armin me chamou e, provavelmente, chamou os outros. 

- O que aconteceu? - pergunto, sentando também ao redor da mesa. 

- Vamos esperar todos chegarem antes de começar. - Armin afirma enquanto Hange sorri sorrateira para mim. 

- O que foi, quatro olhos? - pergunto, me servindo um chá. 

- Esse arranhão em seu pescoço, Levi... a noite deve ter sido boa. - o sorriso irritante continua em seu rosto e só então me lembro do momento que pode ter arranjado ontem. 

Se não fosse por todos esses olhos em mim, estaria sorrindo com a lembrança.

- Cale a boca, quatro olhos. 

- Bom dia! - Sasha, Connie, Jean e Eren entram na sala e sentam conosco. 

Eren me observa inexpressivo por alguns instantes. Ainda não engoli o que fez com Mikasa, mas prometi que não faria nada e minha única preocupação é com ela. Desvio o olhar quando ela entra no ambiente, perfeitamente arrumada com seu fardamento, espalhando sua beleza por todo o local.

- Bom dia. - diz, brevemente, e senta ao lado de Armin. 

- Agora que todos estão aqui, podemos começar. - Hange chama a atenção de todos. - O pastor Nick foi assassinado. 

[...]

Segundo as afirmações de Hange, o pastor foi torturado e assassinado pela polícia militar do interior, mas aparentemente não falou nada sobre as informações que tinha, uma vez que todas as suas unhas foram arrancadas nos levando a crê que foi porque se recusou a falar. 

- Quem decide falar, fala na primeira. Se não falam, tirar as outras não adianta. - todos me olham atentamente enquanto falo. - O pastor Nick, pensei que fosse um idiota. Mesmo assim, não se afastou do que acreditava nem no fim. Ou seja, eles não fazem ideia de que encontramos alguém da família Reiss. - olho para Historia, calada até então. - No entanto, alguém sem boas intenções no governo está de olho em nós. 

Uma soldado entra na casa e me entrega um recado de Erwin anunciando que estão vindo atrás de nós. Oficialmente, nosso inferno começou. Espero que terminemos vitoriosos e, principalmente, com Mikasa bem, farei de tudo por ela. 

- Levantem todos! Partiremos agora! - anuncio, recebendo suas olhares agitados e confusos enquanto preparam-se para sair. - Não deixem rastros de que estivemos aqui. 

Caminho para o quarto e coloco minha capa. Hange entra no ambiente comigo e fecha a porta. 

- Levi, você está bem? - pergunta, encostada na parede. 

- Sim. Por que a pergunta? - seu sorriso sorrateiro surge novamente. 

- Ora, Levi... todos já estão sabendo do seu caso de amor com a menina Ackerman. Não deixe que isso interfira na missão. - diz, antes de sair. 

Quatro olhos irritante... Sigo para o estábulo e encontro Mikasa. Ela parece pensativa e seus olhos brilham ao me ver. 

Caminho até o meu cavalo e ela vem atrás. 

- O que você tem? - sua pergunta me pega de surpresa. 

- Prometa que vai se cuidar. Não hesite em escolher a sua vida se algo acontecer. - peço, seriamente, enquanto entrelaço nossas mãos. - Prometa! - sinto o desespero me consumir e ela se assusta. 

- Calma... Eu prometo. Você também. - pede e eu sorrio. 

- Não vai ser agora que vai se livrar de mim, pirralha. 

Pego o cavalo e me reúno com ela e os outros em frente da casa, todos já montados e equipados, prontos para partir. 

- A Polícia Militar está vindo atrás de nós. Vamos seguir para a floresta e lá pensaremos em alguma coisa. Lembrem-se, nossa prioridade é manter Eren e Historia a salvo. Vamos! - sigo na frente e todos avançam atrás de mim. 

Mais uma vez, seguimos direto para o inferno. Mas dessa vez, eu tenho um verdadeiro motivo para voltar. 

[...]

Estão tratando Erwin como criminoso. As missões do Reconhecimento fora das muralhas foram congeladas e querem que pegar Eren e Historia. Posso notar a preocupação com o pirralho afligir Mikasa. 

Hange e Moblit foram atrás de Erwin. Nós estamos a caminho do Distrito de Trost, onde o pastor Nick foi morto. Com a ajuda de todos, já tínhamos um plano para entrar na cidade. 

Agora Jean e Armin estão disfarçados no lugar de Eren e Historia, que estão em outra carroça para sair daqui. 

Caminhamos entre a cidade com nossas capas cobrindo nossos rostos quando uma carroça em alta velocidade passa e pega nossos soldados disfarçados, bem como o plano previu. 

Mikasa, Sasha e Connie vão atrás deles e eu sigo por cima dos telhados procurando alguma coisa que só vou saber, quando encontrar. 

- Como estão as coisas lá dentro? - pergunto ao notar Mikasa chegar. 

- Se não nos apressarmos, vão descobrir o disfarce de Armin. Eu... me sinto mal por ele. - sua fala me faz imaginar que algo deve estar acontecendo. 

- Quando resolverem lá, venham me encontrar. - digo, observando sua expressão por cima do ombro. 

- Como está sua perna? - honestamente, ela ainda me causa uma dores repentinas, mas já não me incomoda. 

- Bem. E suas costelas? - pergunto, enquanto ela dá um sorriso óbvio. 

- Bem. 

- Ah, Mikasa... preciso que saiba uma coisa. - chamo e ela agora vem para a minha frente. - Há a possibilidade de enfrentarmos novos inimigos agora. Me refiro não só aos titãs, mas aos humanos também. Conte aos outros e estejam preparados para lutar. - sua expressão confusa logo muda para determinada. Não esperava menos dela. Beijo sua mão e me preparo. - Agora vá. - digo e me lanço contra o próximo telhado. 

- Tenha cuidado. - escuto sua voz ao longe, me fazendo sorrir. 

Inicio minha procura por Eren e me encontro com Nifa, uma soldado de Hange que estava fazendo a vistoria nos arredores. 

Há algo errado. Não há como a polícia militar estar por trás disso. A polícia militar não usaria amadores para capturar seus alvos. 

- Nifa, já ouviu falar em Kenny, o estripador? - temo que minha teoria esteja certa. Se ele estiver por traz disso, estamos com problemas. 

- O assassino em série da Capital? Que matou milhares de policiais? Não é apenas uma lenda? - seu olhar está sobre mim enquanto eu penso nessa possibilidade. 

- Ele é real e é tudo verdade. - respondo, observando a carroça de Eren e Historia partir. 

Kenny não se importaria de usar amadores... Se seus capangas estivessem atrás da carroça, estariam pelo menos dois ângulos atrás assim teriam mais possibilidades de atacar... um lugar alto com boa vista... 

O que? Merda! 

- NIFA! - Grito, imaginando o ataque que pode nos acontecer e... acontece. Desgraçado! 

Vejo a menina ser atingida e jogada para longe. Me escondo atrás da chaminé no telhado ouvindo os passos do maldito. 

- E aí, Levi... Já cresceu? Parece que não mudou nada. - sinto sua voz aumentar o ódio dentro de mim. 

Se ele está aqui, provavelmente vários dos seus capangas estão espalhados pela cidade. Mikasa... que droga! Não posso ir atrás dela agora. 

Vejo-o usar o DMT e aparecer em minha frente, me apontando suas armas. 

- KENNY! - Esse desgraçado pode até tentar mas não vai destruir meus planos. 

Eu juro que vou proteger Mikasa e salvar o moleque para ela, nem que isso custe a minha vida. 

Mikasa

Recuperamos Armin e Jean. Mesmo assim, meu coração está apertado desde que vi Levi pela última vez e agora está ainda mais. 

- Estou ouvindo tiros. - a voz de Sasha nos chama atenção enquanto estamos reunidos no telhado. 

- Ah, é... O capitão pediu para avisar que agora teremos que lutar com humanos também. Temos que estar preparados. - digo, para a surpresa de todos. 

- Ele deve estar precisando de nós. - Armin diz quando os tiros se intensificam. 

- Vamos! 

Acredito na sua força mas o medo de perdê-lo é aterrorizante. Levi passou a ser minha família também e agora estamos sob a iminência de um inimigo desconhecido. 

Toda razão que tenho estou usando para me manter sã diante da preocupação que me invade por Eren e Levi. Se eu tiver algum crédito dessa vida, peço que eles estejam bem. 

Mais tiros ao longe... Droga, droga, droga! 

Se sobrevivermos a isso, prometo que me me tornarei oficialmente sua mulher não importa o que aconteça. 



Notas Finais


Ooooi!
A história agora vai seguir baseada em algumas partes do anime acrescentando a história de Levi e Mikasa, que vai levá-los a um desfecho totalmente inesperado.
Mesmo assim, muitos outros conflitos ainda irão acontecer para esse casal!
Algum palpite???
Espero que gostem!
Amanhã sai capítulo novo! ❤
BEIJOS!

Obs: apesar de tudo, eu adoro Kenny, kk.

• Erros ortográficos ainda serão corrigidos! •


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...