1. Spirit Fanfics >
  2. Por Trás Daquela Cena >
  3. Por trás de uma cena...

História Por Trás Daquela Cena - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


História de minha autoria, porém, personagens e atores não me pertencem;
Sem plágios, ok?!

Olá, meus amores!! Tudo bem com vocês?
Então... Essa one eu já tinha escrito ela há um tempinho e decidi postar agora.
Espero que gostem...

Capítulo 1 - Por trás de uma cena...


#Álvaro

Estávamos a dez minutos da gravação da cena de sexo entre Raquel e Sérgio na terceira temporada de La Casa de Papel que seria exibida no último episódio. Eu estava tenso, pois não havíamos gravado uma cena tão intensa assim antes. E o pior de tudo era saber que a cena seria com ela. Itziar Ituño. Dona dos meus sonhos mais quentes. Ok, eu estava muito errado ao pensar nela dessa forma, mas... O que eu podia fazer? A mulher era maravilhosa. Perfeita em todos os sentidos. Mexia com a cabeça de qualquer homem. Inclusive com a minha... Que era a cabeça de um homem casado. E não era só com a cabeça de cima que ela mexia, se é que vocês me entendem. Branca que me perdoe, mas Itziar... Era uma tentação ambulante.

Quando a conheci antes do início das gravações, fiquei completamente encantado por ela. Já havia visto alguns de seus trabalhos e tinha que confessar: Havia virado seu fã. Quando conheci a pessoa que existia por trás da Itziar atriz... Fiquei ainda mais encantado. Ela era maravilhosa. Um exemplo de humildade. A mulher que qualquer homem gostaria de ter ao seu lado. Inclusive eu. Meu casamento com Branca estava acabado há tempos e só mantínhamos as aparências por causa de nossos filhos. Eles não mereciam sofrer por uma separação, porém, depois de saber que Itziar estava solteira... Me arrependia imensamente por ainda não ter me separado. Poderia tentar algo com ela... Claro, começar com uma amizade... Que na verdade, já tínhamos.

- Pessoal... Álvaro... Itziar... Vamos começar a gravar. – O diretor fala nos chamando. Suspiro pesadamente. Era agora. Me posiciono como o professor e o diretor grita um “gravando”. Após uma breve “conversa” com Raquel, na qual ela fica seminua em minha frente... Com uma lingerie preta de renda... A cena do Sérgio e ela sugere que ela faça sexo oral nele. Observo Itziar se abaixar em minha frente e fico imaginando que a cena de fato... Poderia ser real.

Estremeço só de pensar na possibilidade. Suspiro quando vejo ela simular que estava me chupando. Só de vê-la ali “fazendo” isso... Me deixava imensamente satisfeito. O pior de tudo era sentir que meu membro começava a ganhar vida somente por imaginar ela naquela posição. Puta que pariu! Tinha que rolar isso justamente no meio de uma gravação? Confesso que já tive que usar todo meu autocontrole para não ter uma ereção no meio das gravações, mas naquele momento... Era impossível controlar. Porra! Estávamos fingindo que fazíamos sexo. Como não querer que meu membro reagisse a esse pensamento? Humanamente impossível.

Após esse ato, Itziar, quero dizer, Raquel... Se senta em meu colo, me fazendo deixar o livro que lia de lado. Na cena encenada para a série, era mais que óbvio que ela em meu colo se ajeitava para se encaixar em meu membro, porém, na realidade... Iríamos simular tal feito. Sinto seu olhar mudar quando se dá conta de que meu membro está duro feito pedra com ela em cima de mim. Começamos a simular a cena de penetração com gemidos, caras e bocas... E sinto meu corpo cada vez mais quente imaginando estar verdadeiramente transando com ela.

- Corta! – O diretor fala e rapidamente nos separamos. Ela baixa o olhar timidamente. Era lógico que isso iria acontecer. Afinal, não era todo dia que um ator simplesmente ficava duro em cena. – Vocês foram demais.

- Obrigado. – Falo e sorrio timidamente também. Decido sair dali o mais rápido possível, pois não estava muito a fim de dar explicações sobre minha “situação maravilhosa”.

Era a última cena do dia e então decidi já trocar de roupa. E após colocar minha jaqueta preta de couro, escuto uma batida na porta de meu camarim. – Posso entrar? – Itziar fala e eu suspiro. Fazia meia hora que me encontrava trancado em meu camarim. Motivo? Minha ereção. Sorte minha que havia um banheiro com chuveiro e com o banho, consegui acalmar meu membro que só de sentir sua presença atrás da porta, já estava ficando duro novamente. Porra! O que estava acontecendo?

[...]

#Itziar

Eu não podia acreditar! Álvaro estava excitado por minha causa! Isso era mais que óbvio. O pior de tudo é que eu havia amado sentir que ele estava assim por mim. Éramos muito amigos, mas eu sabia que rolava mais que isso. Sabia que ambos queríamos muito mais que amizade, ainda mais agora que eu estava solteira. Na época em que lhe contei sobre isso, pude perceber seus olhos brilhando por saber que agora eu estava “na pista”, como dizem por aí.

A cena que gravamos mexeu intensamente comigo. Sentir Álvaro duro por mim foi algo maravilhoso. E eu queria que aquela cena de sexo fosse real. Queria sentir seu corpo contra o meu. Seus gemidos em meu ouvido. Queria sentir Álvaro dentro de mim. Vocês podem até me chamar de louca, depravada e tudo mais, mas... Porra! Como não enlouquecer com um homem daqueles duro por você? O único problema é que ele era casado. Mas pelo que escutei de uma conversa dele com Pedro, esse casamento estava com os dias contados. E no fundo, eu me sentia feliz por saber disso. Não queria a infelicidade de ninguém, mas também não poderia negar que saber disso havia me deixado extremamente feliz. Após finalizarmos a gravação da cena de sexo, Álvaro simplesmente sumiu do mapa. Claro, estava trancado em seu camarim. Precisava falar com ele e por isso criei coragem e fui bater em sua porta.

- Posso entrar? – Pergunto ainda com um certo receio. Tinha até medo de imaginar o que poderia rolar dentro daquele camarim. Álvaro demora para abrir a porta, mas depois de alguns segundos... Já vejo seus olhos lindos me encarando.

- Ér... Claro. Entra. – Álvaro fala e me dá espaço para passar. O escuto trancar a porta após minha entrada e respiro fundo. Eu não iria sair dali tão cedo.

- Eu... Eu acho que você já deve imaginar o motivo da minha vinda aqui. – Falo e ele suspira.

- Sim. Em primeiro lugar... Quero te pedir desculpas. Em hipótese alguma quis te constranger o te causar algum desconforto. Foi algo involuntário e...

- Álvaro, eu entendo. Tá tudo bem. Relaxa. É que... Ver você daquela forma por mim, me surpreendeu.

- Não... Não foi por você. – Ele fala e suas palavras são como um soco no meu estômago.

- Ah... Não foi? Ér... Des... Desculpa, então. Eu... Eu pensei que tivesse sido. – Falo e não consigo esconder meu desapontamento ao saber disso. Espera aí... Ele pensava em quem quando estava gravando comigo? Na Blanca? Não era possível.

- Na verdade... Foi por você, mas... Não foi algo premeditado. Eu... Eu não sei o que aconteceu. Simplesmente a imagem de você simulando sexo oral em mim me deixou daquela forma. Itz... Me... Me perdoa se te constrangi... Se... Se te fiz ficar incomodada com... Com o que aconteceu. Eu... Eu não tinha a intenção e... – Coloco meus dedos em seus lábios o fazendo se calar.

- Não precisa falar nada, Álvaro. Nada... – Falo alternando olhares entre seus olhos e sua boca. Seu olhar desce para meus lábios e ele engole a seco.

- Eu quero tanto você... – O escuto sussurrar e sorrio.

- Também te quero. Muito... – Falo e sem pensar duas vezes, nossas bocas se encontram num beijo quente e intenso. Onde havia o simples e puro desejo. Explorávamos a boca um do outro com precisão. Com força. Era delicioso beijá-lo de verdade. Era delicioso sentir seu corpo junto ao meu de verdade. Sem atuação. Sem estar na frente de cinco câmeras diferentes para filmar o melhor ângulo. Eu queria estar com ele assim... Da forma que eu estava naquele exato momento.

Sem pensar muito, fizemos amor no sofá de seu camarim sem nem ao menos nos preocupar com alguém escutando nossos gemidos. Só queríamos nos amar e nos entregar aquele desejo maravilhoso e avassalador que havia nascido entre nós e que não era de hoje.

Vocês devem estar se perguntando... Mas... Iríamos ficar juntos depois desse intenso momento de prazer? Álvaro iria se separar por minha causa? Só Deus sabia a resposta, porém... Havíamos decidido que deixaríamos rolar até onde Deus quisesse que fosse...

Eu só podia afirmar que aquela cena em nada se pareceu com o que aconteceu por trás dela. O sexo real havia sido muito melhor. E não iríamos parar tão cedo...


Notas Finais


Gostaram? Odiaram?
E aí? Será Alvitz vai ser real?
Espero que tenham curtido a one...
Beijos e até mais!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...