1. Spirit Fanfics >
  2. Por Trás de um sorriso - (Kim Namjoon and Kim Seokjin) >
  3. Garçonete

História Por Trás de um sorriso - (Kim Namjoon and Kim Seokjin) - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente! Como vocês estão? Espero que bem!

Estou aqui hoje, com mais um capítulo!

Boa leitura!

Capítulo 11 - Garçonete


Fanfic / Fanfiction Por Trás de um sorriso - (Kim Namjoon and Kim Seokjin) - Capítulo 11 - Garçonete


A temperatura da  água que escorria por meu corpo estava uma delícia, tanto que não me dava vontade alguma de sair do banho naquele momento.


Já era de manhã quando acordei, aquele tilintar do despertador que tanto odiara meses atrás, agora eu amava, pois sabia que o dia seria ótimo, afinal, tinha um emprego e tinha amigos.


Há uma frase que eu gosto bastante que diz: “A cada nascer do Sol temos uma nova oportunidade de recomeço. Recomece, por você, e somente por você.”


Essa frase era algo que me fazia um bem danado, que me decifrava  por cada centímetro do meu corpo.  


Era algo que eu amava relembrar todo dia, e hoje fiz questão de escrevê-la em meu diário.


(...)


Estava aproveitando alguns minutos que tinha na cafeteria, tomando somente um café hoje. Era impossível enjoar dos biscoitinhos de Dona Íris, porém eu só comia isso, então resolvi passar sem por hoje.


Ao acabar meu café, vou para o balcão me despedir de Dona Íris, para assim ir para meu trabalho e começar finalmente meu serviço.


—Já vai, meu amor?


—Vou sim, Dona Íris. Agora eu tenho um trabalho, e isso é uma grande responsabilidade. É algo que está me deixando bem feliz. - vejo os olhinhos brilhantes da senhorinha em mim, acolhedora.


—Sim, meu amor, eu consigo ver em seu rostinho. A felicidade está estampada aí. E isso é muito bom!


—Bem, vou indo então, Dona Íris. Até amanhã!


Minutos antes de sair, escuto a senhorinha me chamando.


—Ei! Minha menina! Espere! - paro o meu andar e volto, dando total atenção a ela.


—Eu queria saber, que dia será a festinha? Sabe, para eu poder arrumar algumas coisinhas. - por um momento fico confusa.


—Festinha? Que festa, Dona Íris? - ela sorri para mim, e a minha confusão aumenta.


Eu tinha noção desde ontem que estava esquecendo algo, mas não fazia ideia do que era. (É, a minha memória é um lixo às vezes.)


—Ora, querida. A festinha pra comemorar a sua conquista, meu anjinho. Ontem mesmo aquele seu amigo bonito veio falar comigo sobre.


Amigo bonito? Seria Pietro?


—Desculpa, a senhora poderia me dizer o nome desse amigo? - agora quem estava confusa era ela.


—Bem querida, pelo que eu me lembre, ele se chamava Namjoon, por quê?


Meu Deus, Namjoon?! Eu esqueci completamente, estava tão exausta ontem que nem ao menos lembrei que tinha que me encontrar com ele. (E o pior era que eu mesma havia feito o convite.)


—Ah, não é nada, Dona Íris. Eu realmente tenho que ir agora.


Me despeço sem jeito da senhorinha, eu não estava atrasada, porém agora, eu queria usar os poucos minutos que tinha para me desculpar com o Outono. Pelo menos mandando mensagem.


Para facilitar a minha vida, resolvo mandar um áudio, já que olhei de relance para a tela do celular e vi que estava quase no meu horário, e agora sim eu poderia me atrasar.


—Nam, me desculpa por não ter ido ontem. Eu estava tão eufórica e tão cansada que nem ao menos lembrei. Só fui me lembrar hoje, e fiquei sabendo que realmente você foi falar com a Dona Íris, muito obrigada, viu? Ah, acho que teremos mais um convidado, digamos assim. Enfim, depois conversamos mais, está quase no meu horário. Mas hoje prometo que te encontro. Tchau. - Envio o áudio.


(...)


Já havia trocado de roupa, colocando meu uniforme. Eu havia sido uma das primeiras a chegar, por isso não tinha muito movimento ainda no restaurante.


Aproveitei esse tempo para organizar as coisas, principalmente na minha cabeça.


Ontem, o Pietro havia me dado algumas dicas, eu tentava formular situações na minha mente, e resolvendo as com as dicas dele. Até que era bom fazer isso.


—Pronta para hoje, Jin? - me surpreendo com a voz do mesmo.


—Que susto! - coloco minha mão no peito, mostrando o susto que levei. Vendo meu gesto, Pietro sorri.


—Desculpa. Olha, você já aprendeu. Chegou mais cedo e tudo.


—Eu jurava que iria me atrasar. - ele me olhou com uma cara engraçada.


—Ué? Por quê?


—Isso é coisa para outra hora. Vamos começar a trabalhar que eu estou animada e não quero perder nada!


—Tudo bem, tudo bem! Vamos lá!


Perguntei a ele por onde deveríamos começar, e o mesmo disse que como chegamos cedo, éramos responsáveis em dar ao menos uma varrida no local e passar pano no balcão e mesas.


Assim fizemos, ao meio de tudo sempre vinham conversas aleatórias, conversas que não se prolongavam muito para não nos atrapalhar.


(...)


Havíamos acabado de arrumar algumas coisas, e foi realmente ao terminar tudo e passar alguns minutos, que reparei na primeira cliente entrando no restaurante.


Não sabia o que fazer, na verdade sabia, mas eu digo na parte de quem a atenderia.


—Ei, está esperando o que, menina? Vai la, aproveita que ela acaba de se sentar. Não se pode deixar a clientela esperar muito.


Sigo o conselho de Pietro e vou em direção  à mesa da cliente.


—Boa tarde, senhorita, seja bem vinda! Já sabe o que irá pedir? - pergunto educadamente recebendo um sorriso da cliente, que assente olhando para o cardápio.


—Boa tarde, eu gostaria deste aqui. - aponta para o prato desejado, e logo percebo que era um dos mais famosos do restaurante.


—Ótima escolha, senhorita, é um bem famoso e bem gostoso, experiências à parte. - sorrio para ela enquanto anotava seu pedido em meu bloco de anotação. - mais alguma coisa?


—Oh sim, acho que um suco de laranja. Muito obrigada.


—Por nada. - me retiro logo indo em direção a bancada entregando a folha do bloquinho. E assim espero.


—Acho que ela gostou de você, você foi ótima, Jinsy! - recebo o elogio de Pietro.


—Obrigada, Pietro. - sorrio para ele.


Alguns minutos depois o pedido fica pronto, assim eu o pego e levo com todo o cuidado do mundo para a mesa da cliente.


Uso as dicas de Pietro de que só posso servir pelo lado esquerdo, nunca servindo pelo lado direito, para não causar desconforto no cliente.


—Prontinho, fique à vontade, bom apetite. - recebo o sorriso de retribuição da moça.

—Obrigada querida.


(...)


Depois da minha primeira cliente, vieram  várias outras. E eu estava amando, era tão bom ver os sorrisos satisfeitos deles com o atendimento, com a comida e com o lugar. Eu estava encantada com o meu emprego.


Ja estava na hora de sair, e me lembro de convidar Pietro para a festinha que Namjoon está organizando.


Digo a ele que eu ainda não sabia exatamente o dia e nem a hora, e que por isso, assim que soubesse de todos os detalhes entraria em contato com ele.


Depois de fecharmos, fui direto para a praça que encontraria Namjoon. E para prevenir abro a nossa conversa para ver se ele iria mesmo.


—Jin, fica tranquila, eu imaginei que você estaria cansada, e por isso não quis te incomodar mandando mensagem. Bom, eu vou estar te esperando então. Mas se você estiver cansada, não precisa ir viu? Descansa. Eu quero, acima de tudo, que você fique bem. Até depois. - esse foi um áudio que ele me enviou uma hora depois de que lhe mandei o meu.


Certo, no áudio dizia que ele estaria me esperando. Mas eu estava bem próxima da praça, e eu não o via.


—Ué...Será que aconteceu alguma coisa? - sussurro para mim mesma. E me sento no banco que havia ali para descansar um pouco. Aproveito para ler.


—Ei! Jinsy. Me desculpa a demora. - Eu ia abrir o meu livro, mas logo sou interrompida pela voz afoita de Outono.


—Calma, menino! Respira primeiro. Por que correu tanto? Eu acabei de chegar. - acabo rindo.


—Estava resolvendo algumas coisas, e lembrei que tinha que te encontrar. Mas me conta, como foi ontem e hoje? E quem é essa pessoa que você quer convidar? - depois de um tempo para tomar fôlego, Namjoon pergunta.


—Nossa foi muito bom! Ontem foi somente explicação, mas hoje, eu atendi vários clientes e me dei bem com todos! Estou maravilhada com o meu trabalho. - faço uma simples pausa para que ele consiga concluir tudo em sua mente - Ah, e ontem, eu conheci o Pietro, colega de trabalho, mas que já está se tornando um amigo muito legal. E eu convidei ele, já que tenho bem poucos amigos. Agora somos você, eu, a Dona Íris e o Pietro para a festa! Espero que não se importe de eu ter convidado ele sem você saber.


—Claro que não! Eu fico super feliz que você esteja se enturmando. Por mais que eu te conheca a pouco tempo, vejo que para você isso é muito importante. E sabendo que você esta feliz, para mim já está se ótimo tamanho. - sua covinha me encanta mais uma vez.


(...)


Conversamos por bastante tempo, um contando de seu dia para o outro. Dando risada de acontecimentos engraçados. Ele me contando da reação de Dona Íris quando ele falou da festinha. A nossa conversa era algo totalmente aleatoria, porém não era algo que se enjoava fácil. Era algo bom.


(Hoje foi o primeiro dia que tive contato com a experiência de ser garçonete. E foi maravilhoso!


É encantador ver os sorrisos das outras pessoas, e involuntariamente isso me faz sorrir também. É algo magnífico poder sorrir e não lembrar de coisas ruins. Por mais que elas te atormentem de pouco em pouco…


Ass: Jinsy)




Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado! E me digam, o que estão achando dessa nova fase da Jinsy? E as teorias, o que acham que irá acontecer mais para frente?

Beijão! Fiquem bem, até a outra semana!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...