História Por Trás Dos Holofotes - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais
Tags Ação, Bts, Drama, Jimin, Jungkook, Mistério, Romance
Visualizações 25
Palavras 1.273
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente!
Mais um capitulo para vocês!
As aulas finalmente acabaram e agora eu posso me dedicar e finalmente terminar a fic
Espero que vocês continuem comigo até o final dessa historia!!!
Desculpem qualquer erro de português!

Capítulo 38 - Surpresa


     As aulas já haviam acabado e eu e Agnes já estávamos saindo pela secretaria quando alguém gritou nosso nome logo atrás de nós. Eu e Agnes nos viramos com uma expressão de interrogação estampada em nosso rosto. Tratava-se de Amanda, a menina nova que sempre se metia em encrencas.

     - Ei espera! – Gritou ela.

     Agnes e eu fomos juntas andando até ela.

     - Nossa o que aconteceu hoje de manhã? Sério que você pegou o anel dela? – Perguntou Agnes, quebrando o silencio que havia se instalado pelo corredor. Todos os alunos já haviam saído da escola.

     - Não.. Alguém quis pregar uma peça em mim e fez isso, que raiva!

     - Ei relaxa... A maioria das pessoas aqui recebe os alunos novos desse jeito. Vamos até uma sorveteria aqui perto? Assim podemos conversar mais sobre o que aconteceu, além disso quero contar algo a Agnes – Eu disse.

 

 

 

Mais tarde, quando elas já haviam aceitado o convite, chegamos a sorveteria e sentamos em uma mesa que ficava encostada na parede. A sorveteria era bonita, tinha decorações de coloração azul e branca, como se toda a sorveteria fosse feita de sorvete de tuti fruti.

     - E aí o que você tem para me falar? – Perguntou Agnes.

     As duas haviam sentado no banco da frente, por isso, estavam me encarando simultaneamente.

     - Sabe, eu estou namorando...

     Eu fechei meus olhos em um sinal de espera para o grito que Agnes fosse dar ao descobrir que eu estava namorando. Foi dito e feito, ela soltou um gritinho agudo e pareceu extremamente animada. Amanda deu um sorriso de canto, parecendo estar se sentindo meio deslocada e pensando se realmente devia estar aqui.

     - Bom, ele me pediu em namoro ontem. Mas o problema é que ele veio com um papo que ira voltar para a Coreia essa semana...

     - Ele é Coreano? – Me interrompeu Amanda.

     - Sim, nos conhecemos quando fui visitar a empresa do meu pai, que tem uma filial lá – Menti.

     - Ah, que legal! – Disse ela animada.

     - Mas e aí... Vocês vão namorar a distância?      

     - É isso que está me deixando nervosa, não sei se conseguiremos estabelecer um relacionamento a distância. Não sei nem ao menos como vai estar minha vida daqui a alguns dias. Está tudo acontecendo tão rápido e eu simplesmente não sei como vou agir e continuar com esse namoro. Eu amo muito ele, mas... Ah, sei lá.

     Agnes me lançou um olhar controverso.

     - Acho que você está problematizando demais. Juliana, o cara é rico, é só ele pegar um jatinho que vai estar aqui em dois tempos – Disse ela.

      - Verdade, você tem razão...

     Nosso pedido havia chegado. Eu pedi um milk-shake de nutella, Agnes o mesmo e Amanda um de leite ninho.

     - Eu vou talvez me mudar para a Coreia ano que vem – Disse Amanda, bebericando o seu milk-shake.

     - Sério? Sua família é de lá.

     Quando eu disse a palavra “família” os olhos de Amanda se arregalaram por alguns segundos, como se ela tivesse alguma repulsa ou lembrança sobre aquela palavra.

     - Eu não tenho família... – Disse ela, enxugando uma lagrima que escapou e escorria pela sua bochecha – Moro com a minha tia, meu pai e minha mãe morreram quando eu era pequena.

     - Sinto muito – Eu disse.

     Queria dizer mais alguma coisa, mas eu não conseguia encontrar palavras para dizer a ela naquele momento.

     - Mas ela tem sim família na Coreia – Terminou de dizer.

 

 

 

 

Levantei-me da poltrona de meu camarim e segui em direção a porta que dava para um corredor largo que não parecia ter fim. Não via Jimin desde a nossa discussão quando lhe contei sobre Juliana. Será que ele fez alguma bobagem? Jimin sempre foi muito temperamental e sempre fez coisas que se arrepende depois.

     Andei pelo corredor até encontrar uma salinha que dava para outro corredor que ia até o palco onde apresentaríamos nosso último show aqui no Brasil. Só de pensar que já esta chegando a hora de partir sinto uma pontada em meu coração e uma vontade imensa de encontrar Juliana e abraça-la, sentir o seu cheiro, seu calor, seus lábios... Mas acho melhor eu parar de pensar nisso por enquanto, tenho que me concentrar!

      Cheguei até o palco e todos me esperavam lá para o ensaio, todos, menos Jimin. O que será que ele estava aprontando?

     - Ei Jungkook, vem cá cara – Disse Jin, fui andando até ele – Não vai nos contar sobre a sua namorada?

     Minhas bochechas se enrubesceram rapidamente, mas antes que eu pudesse dizer alguma coisa e abafar as risadas que haviam se instalado por todo o palco, Jin semicerrou os olhos e me encarou.

     - Preciso falar com você.

     Ele se levantou e caminhou até a minha direção, colocou uma de suas mãos apoiadas em meu ombro e me guiou até atrás do palco. Estávamos sozinhos, ele tinha uma expressão muito séria, senti um frio na barriga e uma onda de calafrio percorrendo meu corpo.

     - Eu ouvi a sua conversa com o Jimin – Disse ele.

     Meu mundo veio ao chão, o que ele irá falar sobre o meu namoro? Qual será sua opinião sobre a Juuh e Jimin?

     - Eu quero que você termine com essa garota – Disse ele.

     - O que? Mas nós começamos a namorar agora!

     - Ela é uma Brasileira Jungkook, vocês não conseguiram ter um relacionamento assim, a distância. Vocês moram cada um em um lado do planeta!

     - Você não tem nada a ver com disso – Respondi. Virei-me para trás para sair e deixa-lo falando sozinho.

     - Quando o assunto envolve a eu e ao grupo eu tenho a ver sim.

     Virei assustado para ele, onde queria chegar com isso?

     - Como assim? – Perguntei.

     - Acha que eu não ouvi a sua discussão com o Jimin? Onde ele está agora? A falta dele hoje é culpa da briga tola de vocês – Jin tinha a expressão ainda mais séria, caminhou até a minha direção e encostou o dedo indicador no centro de meu peito, como se estivesse me acusando de algo – Se por algum acaso o grupo for afetado de alguma maneira pela briguinha de vocês a culpa será totalmente sua por querer continuar com isso!

     Jin não esperou que eu respondesse ao que ele acabara de falar e virou-se na direção contraria a mim, voltando para o palco.

 

 

 

Depois de tomarmos o sorvete levantamos da mesa e cada uma seguiu seu rumo depois. Agnes foi para casa e Amanda foi encontrar a tia no shopping ali perto. Eu estava parada na calçada esperando o motorista de meu pai vir me buscar. Mas de repente um carro parou em minha frente. Era preto, como aquele que Jungkook e Jimin usava para me visitar. O vidro era todo preto, por isso não dava para enxergar direito quem estava dirigindo. O vidro do carro abriu e fiquei surpresa ao perceber que se tratava de Jimin. Ele inclinou seu corpo em direção a porta do carona e a abriu.

     - Entra, precisamos conversar.

     - Não vou – Respondi, não quero mais conversar com ele.

     - Por favor Juliana, agora que você retomou a memória, quer dizer, uma parte dela, precisamos conversar a respeito.

     - Pode deixar que da minha memoria cuido eu! – Respondi.

     Comecei a caminhar para frente, tentando ignora-lo ao máximo. Jimin andou com o carro com a porta ainda aberta. A porta tocou em minha bunda e eu quase cai ajoelhada no chão.

     - Você é maluco? – Disse irritada.

     - Entra logo! Preciso te contar uma coisa!

     Percebi que ele ficaria insistindo até eu aceitar a sua proposta e adiei o inevitável. Entrei no carro e fechei a porta.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...