História Por Trás dos Muros de Mármore - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Drogas, Incesto, Romance
Visualizações 3
Palavras 773
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 14 - Capítulo 14 - Ataque de Pânico


Naquela manhã Alice acordou mais cedo, tinha esperanças de tomar seu café sem ter que dar de cara com a família em peso. Mas suas esperanças foram frustradas ao entrar na sala de jantar e dar de cara com Ethan.

- Oi - ele disse.

- Oi - Alice respondeu envergonhada.

Ela se sentou na cadeira de frente à dele, deixando assim a mesa entre eles.

- Alice - ele disse após um longo silêncio, Alice o encarou. - Podemos conversar?

- Sobre o quê? - Alice se fez de desentendida enquanto enchia seu prato de morangos e croissant de chocolate.

- Você sabe sobre o quê.

- Ethan - Alice tentou dizer.

- Não. Alice, eu te amo. E isso não vai mudar.

- Eu… - Alice não sabia o que ia dizer, mas nunca teve a chance de descobrir porque naquele momento a porta foi aberta.

- Bom dia família - Mai disse entrando na sala de jantar.

- Bom dia - Alice foi a única a responder.

- Nossa - Mai disse colocando a mão no peito - Qual é a bomba de hoje? Não vão me dizer que dessa vez o Ethan beijou a Holly?

- Ha-ha - Ethan riu irônico - Muito engraçada você.

- Ethan, querido, suas tendências incestuosas não são nenhuma surpresa.

- As suas também não - Ethan disparou sorrindo.

Alice encarou a garota com as sobrancelhas arqueadas, mas ela apenas deu de ombros como se dissesse “ele é louco”, e se sentou na cadeira ao lado da garota.

- Bem, onde está a minha mãe? - Mai perguntou.

Alice desviou o olhar. Mai respirou fundo.

- Certo, não vou me estressar. Hoje é o grande dia.

- Audição na Julliard? - Alice perguntou sorrindo.

- É.

- Você vai se sair bem.

- Obrigada.

- Bom dia - Alex disse, assim como Mai, ao entrar na sala de jantar.

- Alex - Mai disse alto, a voz esbanjando alegria. - Meu primo favorito, é bom te ver. Você é o único que se salva dessa família.

- Obrigada - Alex disse se sentando na cadeira do outro lado de Alice.

- Bom dia - a garota disse para o primo.

- Como você está?

- Eu estou bem - Alice disse, porque era verdade, agora que tinha saído do hospital estava bem.

- Bom dia - a voz baixa de Maddy foi ouvida - Alguém viu meu pai?

- Não - Ethan deu de ombros.

- Como você está Alice? - Maddy perguntou.

- Estou bem - Alice sorriu.

- Argh! - Ethan revirou os olhos - Por que todo mundo pergunta o tempo todo se ela está bem? - ele se levantou da cadeira e elevou a voz - E eu? Por que ninguém quer saber se EU estou bem?

Alice deu um pulo da cadeira quando ele bateu a mão com força na mesa. A garota até tentou, mas não pode evitar a reação que teve a seguir, o ar faltou em seus pulmões, o peso de mil toneladas sobre o peito, ela tentava respirar mas não conseguia. Alice estava tendo um ataque de pânico, conforme lutava para respirar, lembranças daquela noite invadiam sua mente e lágrimas escorriam de seus olhos.

- Alice - Alex gritou.

O garoto se aproximou da prima e a segurou pelos ombros.

- Alice, por favor, olhe para mim - pediu, Alice tentou, mas o ar faltava-lhe e tudo que conseguia fazer era lutar por ar -  Você tem que se acalmar Alice, por favor, olhe para mim. Eu sei que é difícil, mas se não se acalmar a sensação de sufocamento não vai passar.

Alice olhou para o primo, o rosto dele próximo ao seu, o olhar de ambos se encontrou. Havia algo, algo que Alice não conseguia explicar nos olhos do primo, uma luz de vivacidade e compreensão que acalmou, e então a garota conseguiu voltar a respirar.

Mai respirou aliviada ao ver que Alice respirava.

- Qual é o seu problema? - ela se virou para gritar no mesmo instante - Ela foi espancada Ethan, você entende a gravidade disso? Ela quase morreu e perdeu um bebê. É claro que as pessoas vão perguntar se ela está bem, porque nós seres humanos que não pensamos só em nós mesmos nos preocupamos. Sinto muito se partiram seu coração, mas você mereceu, babaca.

Ethan olhou com ódio para Mai, a mulher empinou ainda mais o queixo, como se o desafiasse. Mas Alice teve que desviar o olhar, ultimamente estava sensível a todo tipo de agressividade. Ela evitava confrontos a todo custo, nem mesmo suas tradicionais discussões sobre política aconteciam mais nos jantarem em família.

Alice estava diferente, todos sabiam, não dá para passar por algo assim e continuar igual. Traumas mudam as pessoas. E aquele mudou Alice, de uma forma que nem ela mesma entendia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...