1. Spirit Fanfics >
  2. Por um acaso - JJK >
  3. 17 de janeiro de 2020, às 18:47

História Por um acaso - JJK - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Me desculpem a demora, estou tendo problemas 😔

Espero que gostem desse capítulo, é tranquilo e muito legal :D

Estão gostando?

Capítulo 4 - 17 de janeiro de 2020, às 18:47


Fanfic / Fanfiction Por um acaso - JJK - Capítulo 4 - 17 de janeiro de 2020, às 18:47

Jeon me passou o seu número, dizendo que eu poderia decidir se ele poderia trabalhar comigo. Pensando por muito tempo, decidi escolher ele. Entrevistar muitas pessoas iria dar muito trabalho. E eu conversei com Namjoon, ele me disse que Jungkook adora desenhar e que sempre quis trabalhar com algo relacionado à isso.

Liguei para ele dizendo a novidade e nós passamos a tarde toda só no meu estúdio. Me mostrou seus desenhos, o ensinei à usar a máquina e arrumamos a outra sala, tudo pronto para que ele comece à trabalhar.

Assim que terminamos tudo, pedi alguns lanches para nós, que demoraram quase anos para chegar.

— Então eu começo à trabalhar segunda? — Ele pergunta e eu concordei, olhando para o calendário no meu balcão. — Eu vou contar para o Namjoon que irei trabalhar, ele vai ficar louco.

— Vocês são amigos à muito tempo? — Me sento ao seu lado novamente, ele assentiu.

— Ele é meu melhor amigo, quase todos os dias estamos juntos. — Contou e eu sorri.

Alguém bateu na porta, deve ser Taehyung. Deixei meu sanduíche na caixinha e fui abrir. Assim que abro a porta, ele me abraça.

— Taehyung, entra, quero te mostrar uma pessoa. — Segurei seu o pulso e o puxei para dentro. — Comentei contigo que estava procurando alguém para trabalhar comigo. Esse é Jeon Jungkook, amigo do Namjoon. E Jungkook, esse é meu irmão, Kim Taehyung.

— Muito prazer. — Jungkook se levanta e cumprimenta meu irmão, que sorriu orgulhoso.

— Faz tempo que não vejo o Namjoon, ele está bem? — Taehyung pergunta curioso e Jungkook apenas concorda. — Desculpe, Jeon. Mas eu tenho que dar uma conversada rápida com a Soo, se importa?

— Não tem problema. — Jungkook fala sem jeito e se senta novamente. Taehyung me puxa até minha sala.

— Onde tu arrumou esse gato? — Taehyung aperta minha cintura e eu o mando falar mais baixo.

— Eu já disse, ele é amigo do Namjoon.

— Namjoon tem belos contatos pelo jeito. — Ele sorriu na cara de pau.

— Mas eu não penso em nada do que você imagina. Ele é só alguém que vai trabalhar comigo. — Avisei e ele revira os olhos para mim. — E ele é um homem muito legal, então não caga tudo.

— Tudo bem, eu prometo. — Taehyung resmunga e eu sorri vitoriosa. — Ah, e eu vim aqui para te dizer que vou passar a noite na casa do Hoseok. É sábado e nós temos que aproveitar esse tempo.

— Sem problemas. — Digo e nós saímos da sala. Fiquei atrás do balcão anotando algumas coisas e Taehyung ficou conversando com Jungkook.

— Você não namora, Jungkook? — Ouvi Taehyung perguntar e eu levantei meu olhar, curiosa.

— Não não. Para falar a verdade, faz tempo que namorei. — Jungkook disse. Os dois estão super confortáveis enquanto conversam.

Me pergunto como homens conseguem fazer uma amizade mais rápido.

— Ai, eu já tenho que ir. — Taehyung choramingou olhando as horas. — Estou atrasado. — Ele veio até mim e beijou minha bochecha. — Tchau para vocês dois, até depois.

— Tchau. — Acenei e fui com ele até a porta. Taehyung sorriu malicioso e fez sinal de positivo com os dedos. O que eu entendi foi que ele "aprovou" Jeon Jungkook.

— Acho que já tá na hora de eu ir também. — Jungkook disse e jogou toda a sujeira no lixo. — Você mora longe daqui?

— Eu moro aqui ao lado. — Apontei e ele me encara surpreso e confuso. — Se fosse longe, eu poderia te dar uma carona.

— Obrigada mesmo assim. — Sorri e fui pegar minhas coisas. Peguei minha jaqueta e bolsa. Fui com Jungkook até a saída. — Então, até segunda feira. Se tiver alguma dúvida, pode me mandar uma mensagem.

— Tudo bem. — Ele assentiu e foi até sua moto. Me virei para fechar o estúdio. — Tchau, Eun Soo.

— Tchau, Jeon. — Sorri e acenei para ele, fui para casa. Assim que parei na porta, vi Jeon colocar seu capacete e ir embora, a moto sumiu da minha vista rapidamente.

Entrei em casa indo direto ao meu quarto. Me sentei na mesa de desenhos e peguei a folha que estavam os desenhos que fiz de Jeon, terminei de fazer uns detalhes em seus olhos.

••

20 de janeiro de 2020, às 09:50 da manhã.

Termino de colocar meu short e me olho no espelho para terminar de me arrumar. Peguei um casaco preto do meu guarda roupa, minha bolsa e saí de casa indo até meu estúdio. Deixei minhas coisas de baixo do balcão e fiquei sentada esperando a hora de abrir.

Deu exatamente 10:00 da manhã e eu ouvi uma buzina. A mesma buzina da moto de Jungkook. Em segundos, ele abriu a porta e sorriu para mim.

— Bom dia. — Ele acena se aproximando e se apoia no balcão.

— Bom dia, ansioso para o seu primeiro dia? — Levantei as sobrancelhas curiosa. Ele assente rapidamente. — Vou deixar o primeiro cliente para você.

— Assim você me deixa nervoso. Como foi quando começou à trabalhar como tatuadora?

— Foi ótimo. Os clientes eram compreensivos comigo. Você vai se dar bem, não se preocupa. — Falei confiante e ele assentiu, ainda nervoso.

••

Entrei na minha sala com mais um cliente. Aparenta estar na casa de seus 20 anos. Peguei o desenho e ele levantou sua camisa para que eu possa fazer a tatuagem.

Comecei à me sentir desconfortável quando ele começou à pegar em minhas coxas. Engoli seco e tentei continuar com a tatuagem.

Isso já aconteceu poucas vezes e eu tento não discutir. Acredito que se eu brigar, vai ter problemas para mim ou para o próprio estúdio.

Eu sei como hoje em dia ainda existem homens nojentos que não respeitam o espaço da mulher.

— Olha, pode ocorrer algum erro aqui. Eu posso errar a sua tatuagem. — Digo calma e ele sorriu debochado.

— Não tem problema, você pode me recompensar com outra coisa. — Ele falou e eu fiquei mais nervosa ainda. A porta da minha sala se abriu rapidamente e eu vi Jungkook. Ele parou na porta confuso e assim que viu o que o homem estava fazendo comigo, ficou mais confuso ainda. — Quem é esse aí?

— Ele trabalha aqui também. — Digo e Jungkook fecha a porta. — Algum problema, Jeon?

— Ah não, é que não tem nenhum cliente no momento. — Ele veio até meu lado e o homem nojento me soltou. — Pode deixar que eu termino para você, Eun Soo.

— Mas eu quero ela. — O homem levanta um pouco o tom de voz e Jungkook pega a máquina de minha mão.

— Vai ficar querendo meu querido. — Jungkook respondeu e eu sorri quando ele sentou para terminar a tatuagem, e começou à fazer com força de propósito.

O homem nojento suspirou indignado e ficou aguentando a dor no lugar de seu abdômen.

Fui até minha mesa e tirei o álcool em gel. Coloquei um pouco em um algodão e passei na minha coxa, no lugar que esse babaca passou a mão em mim. Tenho medo de germes.

Continuei na minha sala. Jeon terminou com a tatuagem dele e o levou para fora. Depois de alguns minutos, ele aparece, com uma cara nada agradável.

— Algum problema, Jungkook?

— Desde quando isso acontece, Eun Soo? De homens te alisando por aqui? — Ele se sentou na cadeira reclinável e cruzou os braços.

— À pouco tempo. Não fala para ninguém, por favor.

— Eun Soo, isso é errado. Você não pode deixar o cara te alisar quando bem querer. Eles não sabem que você é quem tem autoridade nesse lugar?

— Eu não brigo com eles com medo deles falarem para as outras pessoas do jeito contrário. Não quero que pensem o errado sobre mim. — Me levanto do meu puff e fui até ele. — Não gosto que façam isso comigo, mas prefiro ficar calada.

— Você sabe que as mulheres sofrem mais agressões por que elas não falam a verdade? Tem que tomar cuidado, sabe? Vocês não merece ser tratada assim por esses homens. — Falou e foi até a porta. Ele saiu e eu suspirei cansada.

Saí também e esperei minha última cliente chegar. Fui terminar umas 18:30. Me sentei no meu puff e me estiquei cansada.

— Eun Soo. — Ouvi Jungkook me chamar e ele abre a porta, colocando só a cabeça para dentro. — Gosta de sushi?

— Gosto, por que?

— Na praça aqui perto está tendo um monte de barraquinhas, vamos juntos. — Ele sugere e eu assenti.

— Eu vou já. — Avisei e ele concorda. Ele saiu da minha sala e eu me levantei. Peguei minha bolsa e mandei uma mensagem para Taehyung dizendo que não voltaria logo para casa.

Saí da minha sala, Jungkook está colocando um casaco e segurando suas chaves.

— Vamos? — Ele pergunta tirando os capacetes de baixo do balcão.

— Vamos. — Assenti baixo e fechei minha sala. Peguei as chaves do estúdio e nós saímos.

— Coloca isso. — Ele me dá um capacete e eu fiz o que pediu. Em seguida, subi na moto. — Se segura.

— Você não voar, né? — Sorri e pelo retrovisor o vi sorrindo também. Ele colocou o pé no acelerador que fez a moto repentinamente ir para frente e eu me assustei, o segurando em seguida. — Credo, Jungkook.

— Se segura. — Ele riu e eu envolvi meus braços em sua cintura.

Em alguns minutos, chegamos na praça. Nós ficamos andando até encontrarmos um lugar para comer. Fiquei sentada na mesa enquanto Jungkook foi pedir nosso sushi.

— Você bebe? — Jungkook senta na minha frente, segurando uma garrafa de soju.

— Bebo sim. — Sorri e estendi meu copo à ele, que encheu. Viramos nossos copinhos juntos. — Ei, obrigado pelo que você fez hoje. Se você não tivesse entrado naquela hora, ele continuaria fazendo besteira.

— Não precisa agradecer. Mas você tem que se proteger. Alguns homens são uma merda e aquele é um. Você tem que mostrar autoridade. Levanta o rosto e diz: "Oh caralho, eu sou a dona desse lugar, tá ligado? Dimicosta" — Ele falou mudando o tom de voz e eu caí na risada. — Tem que mostrar que tem poder.

— Parece que eles não escutam.

— Tem que botar medo. Eu conheci uma mulher que ameaçou um homem com uma caneta. Ameaça com a máquina de tatuagens.

— Ameaçar como? Ameaçar à fazer um pinto no lugar da tatuagem? — Nós caímos na risada.

— Aqui estão os pedidos. — O moço da barraquinha disse trazendo nossos sushis. — Bom apetite.

— Obrigada. — Me curvei lentamente e o observei se distanciar. — Você mora longe do estúdio, Jungkook?

— Meu apartamento não é tão longe, mas eu passo maior parte do tempo na casa dos meus pais, que é mais próximo. — Falou, eu assenti.

— Posso te dizer uma coisa? — Pergunto, ele me olha curioso. — Desde que te vi pela primeira vez, senti que já conhecia seu rosto. Como se eu já te conhecesse, é muito estranho. E ainda sinto isso.

— Nossa, também sinto isso. Fiquei perguntando sem parar à Namjoon de onde te conhecia. Até hoje não sei. — Jungkook explica e eu fico confusa, continuo o encarando.

— Talvez já tenhamos nos visto em algum lugar por aí. Deve ser isso. — Deixei de mão e voltei à comer.

•••

Subi na moto novamente e segurei em Jungkook. Bebi quatro garrafas com Jungkook, e como eu sou a menos fraca com bebidas, estou um pouco alterada. Assim que chegamos na frente do meu apartamento, ele me ajuda à descer.

— Se eu soubesse que era fraca para bebidas, não teria deixado você beber. — Jungkook disse e entrega minha bolsa.

— Estou ótima. — Me apoio em uma só perna e o vi sorrir. — Até amanhã.

— Até. — Ele acenou e eu fiz o mesmo. Me virei para entrar no prédio.

Entrei no apê, Taehyung está no sofá, jogando um joguinho no celular, que não consegui reconhecer.

— Ai que delícia, cheiro de seu impregnado em você. — Taehyung ironiza. — Estava com quem?

— Jungkook.

— Sério? O gatinho do estúdio? — Taehyung vem atrás de mim até o quarto. — Fizeram o que?

— Bebemos e comemos, foi isso. — Me joguei na cama e a minha bolsa caiu no chão. Taehyung se aproxima e a pega.

— Pelo jeito ele não sabia o quão é fraca com bebidas. — Ele sorriu e eu revirei os olhos. — Vou te deixar dormir, vamos conversar amanhã.

— Obrigada.

21 de janeiro de 2020, às 9:30.

Acordei em um pulo, pois Taehyung começou à bater na porta. Me levantei confusa e ele ficou sorrindo da minha cara.

— Você só tem 30 minutos para se arrumar, tomar café e ir abrir o estúdio. — Taehyung encara seu relógio e me levantei rapidamente.

Tomei um banho rápido e me arrumei. Vesti uma calça jeans, uma regata e uma jaqueta por cima.

— Ya, Eun Soo. O Jungkook vai trabalhar todos os dias com você? — Taehyung se senta do meu lado, eu confirmei com a cabeça. — É melhor ter alguém trabalhando com você. Não confio em você trabalhando sozinha.

Mudei a direção de olhar e tentei não parecer nervosa. Taehyung não sabe o que maioria dos homens fazem e nem pretendo contar.

— Jungkook é gente boa. — Taehyung comenta, mordendo um pedaço de bolo.

— Ele é. Me levou para comer e nós bebemos ontem, foi tão confortável. — Sorri, ele assentiu.

— Acho que escolheu a pessoa certa para o trabalho. — Taehyung comeu seu último pedaço e se levantou para sair. — Vou dormir na casa do Hoseok hoje, então não me espere. Até amanhã. Qualquer coisa me liga.

— Até, Oppa. — Ele sorriu e saiu para trabalhar. Vou para o quarto e pego minha bolsa.

Chego no estúdio, Jungkook chegou na mesma hora que eu. Abri a porta e fiquei o esperando entrar.

— Bom dia, Chefe. — Ele entrou com um sorriso grande e eu fiquei confusa.

— Chefe?

— Você é minha chefe, certo? — Ele balança a cabeça e guarda os capacetes. — Acordou de ressaca?

— Não tão forte. Posso ser até fraca com bebidas, mas não fico com ressaca. — Falo e ele me olha sem acreditar em mim. — É sério.

— Ah. — Ele apenas abriu a boca e começou à tirar sua jaqueta. Bufei e guardei minha bolsa.

Fui para minha e deixei a porta aberta. Jungkook veio atrás de mim.

— Chefe, você tem alguma tatuagem? — Ele se senta na cadeira reclinável e começou à olhar para mim, procurando alguma.

— Nenhuma.

— Sério? — Ele me olha assustado, eu confirmo. — Então deixa eu fazer a sua primeira?

— Vou pensar, Jungkook. — Digo, ele se deita na cadeira e fecha os olhos. Peguei meu celular e conectei à minha caixinha de som. Coloquei uma playlist de melhores músicas. — O que significa a que eu fiz em você?

— Ah, é uma frase que penso toda vez que lembro dos meus tios. — Ele sorriu e encarou a própria mão. — "Quem parte continua na memória de quem fica."

— Meus pêsames. — Falei séria, ele se vira olhando para mim. — Também perdi pessoas importantes na minha vida.

Assim que terminei de falar, alguém chega. Me levantei e fui abrir. Os clientes começaram à chegar, então eu e Jungkook começamos à trabalhar.

•••

Saí da sala assim que o horário acabou. Fiquei sentada no sofá, esperando Jungkook terminar de fazer a tatuagem de uma mulher. Demorou uns cinco minutos para ela sair. Concluiu o pagamento com ele e foi embora.

Alguém bateu na porta, eu olhei para Jungkook confusa, ele levantou os ombros também confuso.

— Oiê! — Namjoon estava atrás da porta e exclamou animado assim que abri.

— Oi, Namjoon. — Sorri e o puxei para um abraço. Também o puxei para dentro.

— Vim ver vocês. Queria saber se Jungkook estava se dando bem no trabalho. — Namjoon disse enquanto o abraça. — Ele está?

— Muito bem. — Fiz joinha com as mãos, vi Jungkook sorrir tímido.

— Eun, vamos sair para beber? Falando em bebida... Jungkook, devíamos apresentar o Jimin para ela. — Namjoon conversa diz e os dois caem na risada.

— Quem é Jimin?

— Um amigo nosso. Bebe mais que nos três juntos e o incrível, ele consegue não ficar bêbado. — Namjoon explica suspreso, eu sorri. — Qualquer dia te apresento à ele. Quer ir beber com a gente?

— Ai gente, muito obrigada pelo convite, nas não vou beber hoje... Sabe, sou fraca para isso e não quero dar problema para vocês. — Falo, eles sorriram compreensíveis.

Peguei as chaves do estúdio e nós três saímos. Me despedi dos dois e fui para meu apartamento.

Aproveitei para descansar. Ficar sem roupa pela casa, deitar no sofá toda embrulhada e assistir qualquer filme na TV.

Assim que o filme acabou, fiquei mexendo no meu Instagram. Como que sigo muitas coisa de tatuagens, aparece muitas no meu feed e eu olho cada uma. Uma me chamou a atenção. Logo embaixo dos seios, umas flores.

Salvei a foto e desenhei em uma folha que achei perdida encima da mesinha. Peguei a folha e fui para frente do espelho, no banheiro. Coloquei a folha no mesmo lugar da foto e até que eu gostei.

Acho que essa vai ser minha primeira tatuagem.

Desliguei as luzes da sala e fui para meu quarto dormir.


Notas Finais


Good Night ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...