1. Spirit Fanfics >
  2. Por um coração >
  3. Por um coração

História Por um coração - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oie gente, essa e minha segunda fanfic, faz um tempo que não escrevo nada, então resolvi vi com essa história pra vcs, ela aborda alguns temas delicados e emocionante se vc e muito sensível eu não recomendo. Mas sempre faço finais felizes :3
Boa leitura espero que gostem.

Capítulo 1 - Por um coração


Fanfic / Fanfiction Por um coração - Capítulo 1 - Por um coração

Eu não sabia o que ia acontecer daqui pra frente... Estava sozinha nesse mundo. Aprender a viver assim agora e o meu objetivo.

Estava lendo um livro no meu quarto, Orgulho e preconceito, meu favorito. Eu estava sozinha em casa, meu pai Charlie tinha saído para o trabalho na polícia. Vivíamos apenas nós desde que minha mãe faleceu quando eu ainda era pequena. Meu pai era meu colo, e tudo pra mim desde de então. O telefone na sala tocou e eu desci as escadas e tirei ele do gancho.

- Isabella Swan?

- Sim

- Você precisa vim ao hospital imediatamente.

Meu sangue gelou.

- Por que ?

- Seu pai estava em operação, ele entrou em briga corporal contra um bandido e acabou batendo a cabeça na parede. Está em estado grave.

Foi quando o telefone e a as lágrimas caíram.

Sem ver por onde eu ia, consegui pegar as chaves da minha picape e abrir a porta. Sei que não e seguro dirigir nesse estado, mais eu não ligava pra minha segurança nessa hora.

Cheguei correndo na recepção do hospital. E fui direto a umas das recepcionistas.

- Preciso de saber sobre Charlie Swan.

- Moça se acalme.

Como ela me pede calma em uma hora dessas ?

- Preciso saber sobre o meu pai.

Ela digitou algumas coisas em seu computador.

- Isabella Swan?

- Eu.

- O médico gostaria de vê-la na sala dele. Te acompanho até lá.

Meu coração se apertava, só conseguia pensar em meu pai. O corredor do hospital era branco, frio, dolorido. A senhora que me acompanhava bateu gentilmente na porta e ouvimos um "entre"

- Isabella Swan está aqui para vê-lo.

- Obrigado Sue. Isabella entre e fique a vontade.

Me sentei em uma cadeira na frente do médico e ouvi a porta de fechando.

- Como está meu pai ? Ele está bem ?

- Isabella, meu nome e Dr. Aro. Seu pai chegou aqui nesse hospital em estado grave. Quando fizemos os primeiros exames percebemos que a atividade cerebral era quase nula, então podemos confirmar a morte cerebral.

- Meu pai está morto ?

- Seu cérebro sim, seu corpo ainda funciona por máquinas.

Por favor meu Deus me dê um milagre.....

As lágrimas se intensificaram, eu queria meu pai.

- Nesses casos pedimos uma pessoa próxima da vítima, que no seu caso é você para assinar o papel de desligamento dos aparelhos e para a doação dos órgãos...muitas pessoas estão na fila de espera por uma nova chance de poderem viver normalmente ou mais confortáveis pelo resto de suas vidas .

Doar os órgãos do meu pai ?

Desligar as máquinas ?

Isso não pode está acontecendo......

- Sei que e difícil Isabella... Você tem algumas horas para pensar. Estarei atendendo outros pacientes pode ficar na minha sala se preferir.

Dr. Aro saiu pela porta, me deixado sozinha com meus pensamentos. Tenho que me acostumar, ficarei assim daqui pra frente. Minha mãe estava morta e pai estava semi morto, só esperando eu tomar minha decisão. A dor me dilacera.

Aprendi que nesse momento onde você perde uma pessoa amada, que você se pergunta. Pra onde vamos ? Onde será que meu pai está nesse momento? Ele está aqui comigo? Está no céu? Vou ver ele novamente? Onde está Deus? Se esse ser que e o senhor poderoso e misericordioso. Por que tirou meu pai de mim? E não me pode devolve Charlie?

Se meu pai estivesse do meu lado esse momento. Que decisão ele gostaria que eu tomasse ? Meu pai viu vidas sendo perdidas em operações, até teve que tirar vidas. Ele ficaria feliz em devolver essas vidas ? De não ter que fazer isso? Um dia seu irmão não chega em casa pois estava roubando e foi morto por um policial. Um dia seu pai não chega em casa porque foi morto por um bandido.

Sai da sala do médico e foi para a recepção. Falei com a mesma senhora.

- Gostaria de ver meu pai.

Ela me olhou com pena. Odeio isso. Sei que estou passando por um momento péssimo, mais muitas pessoas passaram por isso, a maioria deu a volta por cima. E eu não serei excessão.

- Ele está no andar 3, sala 34.

Pequei o elevador e subi até o andar. Encontrei a sala. As lágrimas vieram novamente. Estava parada na porta, coloquei minha mão na maçaneta. Seja forte Bella, papai não gostaria de me ver desse jeito.

Abri a porta lentamente, ele estava na maca e com vários fios e tubos ligado a ele.

- Papai?

Meu peito se apertou ainda mais.

- Estou aqui papai. Estou aqui pra te ver.

Me aproximei da cama e me ajoelhei passei a mão pela sua cabeça que estava com um curativo.

- O senhor vai voltar pra mim não vai ? Voltar a assistir futebol comigo, a comemos besteira quando estávamos com preguiça de fazer o jantar, voltar pra me dar um beijo de despedida toda vez que ia para o trabalho, quanto eu ainda estava dormindo.

Não tinha visto nenhuma resposta do seu corpo, que estava quente com vida ainda correndo por suas veias e rosto sereno, porém ausente de sua alma. Abracei meu pai liberando todos os sentimentos de mim, todo o choro que eu ainda estava segurando, deitei minha cabeça em seu peito e ouvi seu coração bater suave e tranquilo.

-Volta pai, volta.

Senti uma mão em minhas costas, me virei assustada.


Notas Finais


Obrigada por lerem espero que tenham gostado ;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...