1. Spirit Fanfics >
  2. Por um Triz - Parte 2 >
  3. Uma nova chance

História Por um Triz - Parte 2 - Capítulo 9


Escrita por: e NandaSK


Notas do Autor


Olá meus anjinhos, desculpem a demora na atualização, nós estamos com outros projetos e isso tomou tempo e criatividade kkkk mas tudo está bem agora.

Nanda e eu trouxemos o tão esperado e aclamado capítulo GaaIno, preparados?

Por favor, leiam as notas finais!

Capítulo 9 - Uma nova chance


Fanfic / Fanfiction Por um Triz - Parte 2 - Capítulo 9 - Uma nova chance

GAARA NO SABAKU


Eu já passei por muitos momentos difíceis na vida, desde pequeno sou obrigado a conviver com a maldade humana e tudo de ruim que possa existir, a única coisa boa no meio de tudo isso sempre foi ela. Ainda consigo me lembrar da primeira vez que nos vimos após os exames Chunnins. Seus olhos azuis demonstravam medo, porem a pitada de curiosidade era maior.

Não perdi a oportunidade de solicitar sempre sua equipe para missões oficiais e extraoficiais em Suna, além de perceber que aquilo também agradava minha irmã mais velha. Aos poucos aquela Yamanaka de nariz em pé e completamente escandalosa foi tomando conta dos meus pensamentos, deixando meus dias mais leves e meu coração mais aquecido.

Seu sorriso sempre iluminou meus dias, seu olhar sempre me trouxe paz e segurança e mesmo nunca tendo amado antes, eu sabia que o que sentia por Ino Yamanaka sempre seria amor. Eu tentei lutar contra isso no início, não queria mancha-la com meu passado mergulhado em sangue, porem sua insistência e persuasão sempre me puxavam para ele.

Foi depois da quarta guerra ninja que eu percebi que a vida de um kage exigia muito de si e seus familiares, eu amava tanto aquela garota que abri mão de um futuro ao seu lado para que ela fosse verdadeiramente feliz com alguém inteiro, não uma criatura fragmentada e oca como eu.

Vê-la partir foi uma das piores coisas que já enfrentei na vida, saber por outros sobre seu casamento, sua gestação e sua nova fase de vida me feria mais do que mil facas envenenadas, porém eu queria sua felicidade acima de tudo.

Por isso é tão difícil vê-la nesse estado... em cima de uma cama de hospital após sofrer diversos tipos de abuso da pessoa que ela mais confiava, a única pessoa que jamais poderia machuca-la, seu marido.

- Acho melhor você ir para casa descansar um pouco – minha irmã disse tocando em meu ombro.

Ino estava adormecida por conta dos sedativos que deram a ela.

- Eu não vou conseguir sair do lado dela Tema – passei a mão no rosto de forma nervosa – Conversei com uma das enfermeiras e ela disse que não tem problema eu passar a noite aqui, só não tem um lugar muito confortável para eu ficar – dei de ombros – vou passar a noite nessa poltrona, não se preocupe.

- Não tem como não se preocupar Gaara – ela respirou fundo – mas acho bom você ficar com ela. Vou atrás do Shikamaru e depois pegar Shikadai com minha sogra, volto pela manhã.

- Obrigado.

- Fique bem irmãozinho. – ela deu um beijo em minha testa e se afastou.

Fiquei encarando sua face adormecida até que acabei adormecendo também.


//


Não sabia em qual altura da madrugada estava quando acordei com os gritos e choro de Ino.

- NÃO, POR FAVOR... NÃO, NÃO!!

Ela se debatia na cama e chorava com os olhos fechados.

- Ino, Ino... abra os olhos – me aproximei e segurei em seus ombros – Eu estou aqui, está tudo bem... Amor... eu estou aqui.

Seus olhos azuis me fitaram imerso em lágrimas.

- Gaara... - disse respirando fundo e me abraçando.

- Eu estou aqui... tudo bem – respirei fundo ao sentir sua respiração começar a se acalmar. Me arrumei em cima da cama de forma que ela se deitasse em meu peito de forma mais confortável.

- Eu tive um sonho terrível... - sua voz ainda estava embargada pelo choro.

- Quer me contar?

- Sai estava me perseguindo em um corredor enorme quando eu olhei para trás, ele estava com Inojin nos braços, eu tentava pegar meu filho, mas ele não deixava... Gaara, preciso saber se meu filho está bem.

- Ele está, Naruto mandou Kiba, Chouji, Shino e Lee montarem guarda junto com alguns AMBUS de confiança. A casa da sua mãe está completamente protegida, quando você receber alta irei te levar lá.

- Kamissama – ela engoliu em seco – O que irei dizer a ele sobre o Pai?

- Não é hora de pensar sobre isso, agora vocês precisam ficar seguros e quando ele for crescendo você pode ir explicando o que aconteceu.

- Obrigada por estar comigo. – ela se aconchegou bem mais a mim.

- Eu vou estar com vocês sempre, nunca mais vou me afastar...

Ela levantou os olhos e me fitou.

- Gaara...

- Eu não queria ter essa conversa agora, você acabou de passar por um evento traumático por isso não quero te encher com informações, mas... preciso que você saiba que eu ainda te amo, amo mais do que posso imaginar e não posso correr o risco de te perder novamente. – Notei que seus olhos se arregalaram e acariciei sua face – Não quero que se sinta pressionada, eu vou esperar o tempo que for necessário para você me amar e finalmente ficarmos juntos.

- Eu não sei o que dizer... eu...

- Não precisa dizer nada, eu só quero que você saiba.

- Obrigada – disse com os olhos marejados e me abraçou novamente.

Nos aconchegamos na maca do hospital e com o calor de nossos corpos adormecemos rapidamente.


.

.

.


Acordei com o barulho da porta sendo aberta e os cabelos róseos de Sakura passando por ela.

- Bom dia – ela sorriu ao notar que ambos estavam abraçados na cama.

- Bom dia – respondi um pouco envergonhado por sermos pegos dessa forma – Você precisa examina-la, certo?

- Vou precisar se ela quiser receber alta.

Movi meu corpo para fora da maca e Ino resmungou, acordando em seguida.

- Gaara..

- Estou aqui – sorri e beijei sua testa – Sakura veio te ver.

- Testuda – ela arregalou os olhos e se sentou na cama rapidamente – Eu preciso saber sobre meu filho e...

- Ei... calma porquinha – a Uchiha riu – Inojin está bem, passei na floricultura hoje pela manhã e ele estava se divertindo com sua mãe. Quanto ao Sai – ela respirou fundo e automaticamente fechei os punhos – Inicialmente ele havia conseguido escapar e pensamos que havia feito Hinata de refém, porém – ela abriu um sorriso extremamente satisfeito – Nossa Uzumaki mostrou ao Sai o que acontece quando se mexe com a família do Hokage.

- Ele está morto? - Ino questionou receosa e até mesmo boquiaberta.

- Bom, não – Sakura apoiou a prancheta no quadril – Mas seu estado é grave e não suspeito que irá se recuperar e mesmo se o fizer, ainda terá que compareceu ao julgamento por crimes contra a aldeia e ao hokage, fora todas as violências que ele praticou contra você durante esses anos, se ele sobreviver ficará preso em uma prisão em Kirigakure de maxima proteção, contido 24 horas por dia e sob vigilância intensiva. Os ambus que facilitaram sua fuga também foram presos e serão julgados.

- Então... estamos a salvo?

Sakura sorriu e assentiu.

- Sim porquinha, vocês estão a salvo.

Consegui respirar com facilidade sentindo um peso sair de minhas costas. Por mais que meu lado vingativo ansiasse por matar Sai com minhas próprias mãos, eu sabia o quanto Hinata se sentiu vingada ao ir atrás dele sozinha. A pedido de Ino eu não deixei o quarto e acompanhei seus últimos exames até que fosse liberada.

Horas mais tarde já estávamos na floricultura de sua mãe. Elas se abraçaram e choraram, foi um momento muito complicado, pois ninguém sabia o que Ino passava dentro de casa e de certa forma todos se culpavam por não ter notado antes. Inojin não compreendia muito o que estava acontecendo e pediu para continuar brincando na casa da avó durante o dia.

Acompanhei Ino até sua casa e notei o quanto aquele ambiente a deixava incomodada.

- Vou voltar para a casa da minha mãe – ela respirou fundo após se sentar na sala – Não vou conseguir morar aqui depois de tudo o que aconteceu.

- Pode passar uns dias em Suna, até tudo isso esfriar.

Ela me encarou por um tempo e respirou fundo.

- Eu não quero simplesmente fugir, preciso enfrentar essa situação com a cabeça erguida, mas agradeço sua proposta, prometo pensar com carinho.

Deixei ela a vontade para tomar um banho e fazer suas coisas enquanto me dirigi até a cozinha, nós dois estávamos há um tempo sem comer. Estava no meio dos preparos quando senti suas mãos delicadas me abraçando por traz e respirei fundo.

Kami, como eu amava aquela mulher.



INO YAMANAKA



Eu não consigo descrever a sensação de alivio que me tomou quando abri meus olhos e encontrei Gaara comigo durante a noite. Mesmo em meio a toda aquela loucura, eu me sentia completamente protegida com ele.

Sakura me deu uma das melhores noticiais da minha vida ao dizer o que aconteceu com Sai e surpreendentemente eu não me senti sensibilizada por sua situação, eu queria que ele pagasse, ele não fez mal apenas a mim, ele ameaçou nosso filho e isso fez com que qualquer resquício de respeito ou sentimento que eu ainda tivesse fosse embora.

O kazekage me acompanhou durante todo o tempo, era uma presença silenciosa e reconfortante em todos os lugares que eu ia. Ainda estava pensativa sobre o que ele me disse a respeito de seus sentimentos, Gaara sempre mexeu comigo e se ele não tivesse se afastado após a guerra certamente teríamos terminado juntos. Por kami, tantas coisas teriam sido diferentes...

Terminei de tomar meu banho e coloquei um vestido solto, passei pelo quarto de Inojin e respirei fundo, ele parecia tão contente na casa da minha mãe, tão inerte a tudo o que estava acontecendo com nossa família.

Afastei os pensamentos e fui para a sala, ouvi os barulhos na cozinha e o cheiro delicioso de comida. Sorri imediatamente ao encontrar Gaara cozinhando para nós dois. Eu tinha medo de adiantar as coisas, me jogar de vez em algo que havia acontecido há muitos anos só por que eu estava emocionalmente fragilizada. Porém, mordi os labios e pensei: O que eu tive com o Sai foi a distração. Por isso o Kazekage sempre esteve em minha mente.

Com essa certeza me deixei levar pelo sentimento dentro de mim e o abracei por trás.

- Com fome?

- Um pouco, quer ajuda?

- Não – ele se virou e me abraçou pela cintura – Hoje eu quero cuidar de você.

- Está planejando me conquistar pelo estomago?

- Se der certo... - ele beijou meu nariz me fazendo rir – Sim.

Era como se eu tivesse ido do Inferno ao paraíso de um dia para o outro. Se eu fechasse os olhos poderia imaginar que aquela era nossa rotina, que ele era minha família e tudo estava bem. Almoçamos tranquilamente, não falamos sobre Sai ou qualquer outra coisa. Gaara me contou sobre as mudanças em Suna, falamos sobre o hospital e seus planos para o futuro.

Depois arrumamos as cozinha juntos e fomos para a sala.

- Temari não vai ficar preocupada com você?

- Eu sou maior e vacinado, Sabia? – ele brincou e eu sorri.

- Só não quero tomar seu tempo, você é um kage... Obviamente tem compromissos.

Ele me olhou de uma forma que eu não soube descifrar e respirou fundo.

- o que foi?

- Não suporto a idéia de voltar para Suna e te deixar aqui... Eu não vou conseguir.

Me aproximei dele e como uma gatinha me aninhei em seus braços. Pela forma que estava deitava conseguia ouvir os batimentos acelerados de seu coração e sorri. Gaara sempre despertou isso em mim, esse sentimento intenso que me deixa completamente maluca.

Eu me privei de muitas coisas nesses últimos anos, não queria continuar fazendo isso pelo resto da minha vida.

- E se... Inojin e eu fosse para Suna com você?

Gaara puxou meu rosto de forma que eu encarasse seus olhos verdes.

- Ino... Não brinque comigo.

- Poderiam ser férias ... E depois ... Quem sabe... – respirei fundo e fitei seus lábios – eu só quero esquecer tudo o que aconteceu e ser feliz.

Senti que sua respiração ficou entrecortada e suspirei... Eu o queria.

- Ino... Não me olhe assim.

- assim como? – minha voz saia manhosa e baixa. Meu Kami, toda aquela atmosfera de cuidado e amor estava despertando em mim um desejo desenfreado.

- Como se quisesse me ver nú – brincou, porém eu não sorri. Apenas puxei seus lábios agora o meu e iniciei um beijo cheio de luxúria e desejo. Eu queria que ele sentisse o mesmo que eu... Precisava tirar os toques de Sai do meu corpo, da minha alma... E me preencher completamente de Gaara.

- Ino... – disse me afastando com dificuldade – Por Kami, eu não posso fazer isso com você... Você ainda está ferida...

- Eu estou bem... Quero ficar bem e pra isso preciso de você – disse seriamente – eu preciso de você Gaara, por favor.

Seus olhos pareciam ainda mais escuros por conta do desejo e num rompante senti seu corpo sob o meu. Gaara me beijava de uma forma apaixonada e alucinante me fazendo sentir a mulher mais desejada do mundo, de uma forma que eu nunca me senti antes.

Com calma e delicadeza o ruivo passou a tirar minha roupa sem desfazer nosso contato visual. Eu me sentia em chamas pela forma como ele admirava meu corpo a medida que ficava nua.

O vi trincar o maxilar quando me fitou completamente e fechar os olhos.

- O que foi?

- nada – sorriu docemente – apenas não consigo entender como um homem não pode venera uma mulher como você.

- Talvez seja por que eu não estava com o homem certo.

Ele me deu um sorriso aberto que fez todos os meus pelos se ouriçarem.

- Disso eu não tenho dúvida, não me agrada a ideia de te fazer minha mulher nos lugares que Sai esteve, mas precisamos de uma cama.

Ele me pegou no colo e me guiou até o quarto de casal. Sorri quando tirou a roupa de forma apressada após me deitar na cama e mordi os lábios ao encarar seu corpo nú.

Por Kami, aquele homem era a própria personificada da luxúria.

- Primeiro eu quero dar prazer a minha mulher – disse sorrindo maliciosamente e engatinhando sobre meu corpo como um predador. Gaara começou me dando um beijo delicioso e depois começou a descer pelo meu pescoço até chegar nos seios.

Joguei a cabeça para trás em total rendição ao sentir sua língua chupando e brincando com meus mamilos. Eu nem lembro quando foi a última vez que me senti tão molhada.

Após alguns minutos de puro prazer, ele voltou a trilhar seu caminho de beijos até minha intimidade. Sorriu malicioso quando abriu minhas pernas e beijou meu monte de vênus me fazendo rir. Sua língua me invadiu com fome e devoção, me controlei para não gritar aos quatro ventos tomada por emoções e sensações tão intensas. Gaara não tinha pressa, ele estava totalmente dedicado a me dar prazer e isso não demorou a aconteceu.

- Gaara... Oooh!!! Por Kami!!!

Eu sentia o corpo febril quando ele introduziu dois dedos em minha intimidade e começou a me estimular lentamente. Não demorei a explodir em um ápice intenso me fazendo derramar em sua boca.

- deliciosa... – voltou seus beijos até minha boca me fazendo sentindo meu gosto misturado ao seu hálito fresco.

- eu também quero... – disse tocando em seu membro ereto.

- Não... Hoje é sobre o seu prazer amor – sorriu e beijou minha testa – teremos tempo para descobrir a melhor forma de dar prazer um para o outro. Agora eu preciso amar você...

O senti se posicionar em minha entrada e me invadir lentamente. Minha respiração estava acelerada tanto pela excitação quando pela intensidade em seus olhos.

Gaara estava me amando da maneira mais intrínseca que um homem pode amar uma mulher.

Seus olhos me faziam sentir desejada, única e exclusivamente sua. Nunca me senti assim com Sai... Tudo o que Gaara transmitia através de seu olhar me fazia querer me entregar de corpo e alma a ele.

- eu te amo – disse aumentando o ritmo das invasões e me fazendo prender o corpo contra o dele. Eu sentia, sentia em cada célula do meu corpo aquelas palavras e não evitei que meus olhos se enchessem de lágrimas.

- Gaara-kun...

- Shiii .... – ele beijou minhas lágrimas – eu quero que você sinta.

Eu não sei se o tempo parou, ou se nós fomos levados a outra dimensão, só sei que com o tempo encontramos um ritmo perfeito que nos levou ao ápice mais intenso que eu já havia sentido... Não era apenas um orgasmo de dois corpos, eram duas almas se tornando apenas uma.

E naquele momento eu soube que nunca haveria outro, a não ser o meu Kazekage.



Continua...


Notas Finais


Nanda e eu amamos escrever esse capítulo, além de ser importantíssimo para o desfecho da história, também trouxe uma sensação de paz ao saber que nossa bebê Yamanaka será verdadeiramente amada nos braços de um homem de verdade.

Esperamos muito que vocês tenham gostando...


Sobre a história, teremos apenas mais dois capítulos, a conclusão e o Epílogo! Então, desde já agradecemos todo o apoio e carinho que vocês nos dão em casa comentário. Amamos vocês.

Sem vocês nada disso seria possível!!!

Enfim... Até breve... Beijos da Kaah e da Nanda
( ˘ ³˘)♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...