História Por um triz (SasuSaku) (NaruHina) - Capítulo 14


Escrita por: e NandaSK

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Drama Familiar, Naruhina, Sasusaku
Visualizações 1.093
Palavras 2.147
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom dia amores...

Mais um capítulo como prometido.

Quem faz a postagem nessa fic é Karol, mas como ela tem compromissos, hoje ficou por minha conta.

Ela bem melhor com as palavras do que eu então apenas quero agradecer os 392 favoritos e a todos que estão nos apoiando nesse projeto.

Música: Say Love - Jojo

Capítulo 14 - Fale Comigo


Fanfic / Fanfiction Por um triz (SasuSaku) (NaruHina) - Capítulo 14 - Fale Comigo


“Isso somos nós no nosso melhor e no nosso pior

E quando nós falamos, não parece tão natural?

Porque onde eu quero estar é muito longe

De onde estamos, de onde nós estamos

E eu pensei ter encontrado um lugar onde podíamos começar

A falar com o coração, falar com o coração...”


SAKURA UCHIHA


Eu estava sufocando e precisava saber o que seria da minha vida e de Sasuke dali pra frente. Eu não queria mais pensar se iriamos nos divorciar ou não, eu só precisava sair daquela bolha de incertezas. Precisava sair antes de ficar completamente louca.

Como das outras vezes, deixei sair tudo o que estava sentindo e ele me encarou com uma expressão inexplicável. Até quando não conseguiria ler meu próprio marido? Odiava me sentir de mãos atadas...

- Não quero o divórcio – disse por fim, naquele mesmo tom seco que estava tão acostumada.  

- Então o que você quer? - pergunto querendo acabar logo com aquilo - Me punir?

Ele se aproximou e sentou na mesa, era incrível como tinha aquela áurea de superioridade e arrogância sem nem ao menos se esforçar.

- Eu não sou bom com palavras...

- Não precisa ser bom, só precisa falar. Pelo menos tentar demonstrar que se importa.

Ele ficou me encarando por um tempo e sorri sem humor. Acho que ganharia mais se fosse dormir aquilo não daria em nada. Me levantei da mesa sabendo que nossa conversa não traria resultados, porém antes de chegar ao corredor sinto sua mão me puxando.


“Mas você só diz que sou perfeita

Diz que sou linda

Diz que eu valho a pena

Mas se você realmente se importa comigo...

Diga “amor”...”


O encarei com surpresa e senti seu corpo prensando o meu contra a parede.

- Irritante... – disse antes de me beijar com urgência.  

Senti todo meu corpo se arrepiando quando ele penetrou minha boca com sua língua e começou a me guiar em um beijo quente e selvagem. Sua mão apertou minha cintura enquanto eu levei meus braços para seu pescoço o dando ainda mais espaço.

Sentia os pulmões começando a reclamar por ar quando ele deixou meus lábios e passou a beijar meu pescoço.

- Sasuke...

Ele grunhiu e me olhou com o Sharingan brilhando.

- Eu vou te fazer lembrar quem é o homem que você ama.


“Eu quero que você diga amor

Quando eu digo: Eu te amo

Você apenas diz: Eu também

Mas eu quero que você diga: amor.”


Senti seus lábios urgentes sobre os meus novamente me puxando para seu colo com seu braço demonstrando a força que tinha. Sasuke esfregou seu membro rígido em minha intimidade para me mostrar que sentia falta daquilo tanto quanto eu. Podia sentir as lagrimas arderem eu meus olhos fechados... a quanto tempo eu sentira falta de seu corpo... quantas vezes eu me imaginara em seus braços quando chegava o cair da noite após um dia frustrante no trabalho... quantas vezes eu me punira por querer ter um casamento como os das pessoas a minha volta.  

Meu marido estava protegendo nossa Aldeia enquanto eu cuidava da nossa gente no hospital, mas acabamos nos dedicando demais aos outros e deixamos nossa família de lado.

Meu corpo inteiro ardia em chamar e eu precisei abrir os olhos para ter certeza que ele não havia usado seu Amaterasu em mim.  

- Sasuke... Sarada está...

- Dormindo... – disse sem desgrudar seus lábios da minha pele me marcando deliberadamente – Não vai poder gritar enquanto eu te fodo, tsuma.

Ouvir aquelas palavras sussurradas em meu ouvido de forma sacana enquanto seus olhos pareciam me devorar quase bastava para eu ter meu primeiro orgasmo da noite.

Meu corpo era tomado pelas fortes emoções...

Mordi os lábios tentando conter os gemidos enquanto sua única mão subia por minha blusa e apertava meu seio esquerdo. Sasuke brincava com meu mamilo rígido me fazendo choramingar com aquela tortura... não era só minha alma que sentira sua falta, mas meu corpo gritava... implorava pelo seu toque.

- Tire a roupa – disse com a voz grave e eu estremeci diante da ordem em sua voz.  

Puxei minha blusa para cima revelando meus seios medianos. Sasuke lambeu os lábios e devorou meu seio livre enquanto o outro estava tomado por sua mão. Sentia a fricção de Sasuke em minha intimidade e arfei. Todos esses anos sem contato íntimo com ninguém estava me deixando louca.


“E parece que nós não podemos sair da primeira

E sempre que conseguimos é como se estivéssemos presos em reverso”


- Sasuke... – gemi seu nome. Não aguentava mais aquela tortura – preciso de você.

- Sabe quantas noites eu sonhei que te fodia em nossa casa?  

Ouvir aquela frase me fez derreter por dentro.  

“Não fora só eu que sentira saudades...”

- Talvez o mesmo tanto de noites que eu.

Sasuke me fez voltar ao chão e puxou a própria camiseta me dando a visão de seu corpo delicioso, mas quando fez menção de tirar a calça eu o parei. Sorri de canto e me ajoelhei a sua frente, sentia seus olhos grudados em meus movimentos. Céus, há quanto tempo eu ansiava por meu marido.

Segurei seu membro ereto em minhas mãos e comecei a massageá-lo, estava salivando por antecipação e não me privei de engolir seu membro o máximo que podia.

- hm... – sorri ao vê-lo tão entregue, sua cabeça estava jogada para trás, seus olhos fechados e os lábios entre abertos,  seus dedos se emaranharam em meu cabelo.

Me sentia tão quente e úmida. Quantas noites havia me tocado sentindo a falta de meu marido?  

- Sakura... – disse ofegante e então senti seu membro inchar em minha boca e seu ápice me preencher com força. Senti minha garganta arder pela surpresa e me forcei a engolir o máximo possível sentindo meus olhos lacrimejar – droga...

Ele me olhou e eu lambi os lábios.

- Essa foi rápido, Anata – provoquei.

Ele bufou envergonhado e eu prendi o riso.

- Não fazemos isso há quatros anos, natural que eu goze rápido na primeira vez... Irritante.

Sorri e me levantei, tirei a calcinha e sorri maliciosamente a girando em meu dedo antes de joga-la em sua direção. Quase havia me esquecido de que estávamos no corredor.

- Acho que ainda preciso de atenção... – mordi os lábios e o vi caminhar em minha direção com um sorriso presunçoso.

- Vamos para a sala. - ordena dando uma palma seguida de um aperto em minha nádega esquerda.

Assim que cheguei o senti me deitar no sofá e abrir minhas pernas o máximo possível. Senti sua respiração próxima a minha intimidade e gemi. Sua língua me sorveu com avidez e tive que levar uma das mãos a boca para não gritar.

- Sasuke... – puxei meus dedos adentraram em seus fios sedosos prendendo sua cabeça em minha intimidade de forma urgente. Eu estava desesperava e ansiosa, enquanto sua língua me contornava e chupava com maestria. – Ooohh...

Seus dedos me invadiram e eu estremeci, era uma combinação perfeita que me deixava cada vez mais necessitada. Senti o formigamento em meu ventre me avisando que meu ápice estava perto e não conseguiria controlar.  

- Oh... Anata ..  por favor ...  

Me derramei em seus lábios enquanto mordia os lábios para não gritar, o gosto de sangue me fez abrir os olhos e notar que havia usado força demais.

- Aguenta mais um pouco? – disse sorrindo de canto e pincelando seu membro em minha carne ainda sensível.

- É claro que sim – disse ofegante.

O senti fazer pressão em minha entrada e arfei, o incomodo não era tão grande quando na primeira vez, mas ainda estava lá.

- Apertada – disse quando me invadiu completamente.

Meu corpo estava febril, sentia meu interior sendo preenchido por meu marido e comecei a gemer.

- Shiii... – disse tomando meus lábios para que eu não gritasse. Estremeci sentindo os calafrios e espasmos me descontrolando novamente.

- Ooh... Anata.

- Senti tanto sua falta... – disse mordendo meu maxilar e me fazendo revirar os olhos de prazer – Fica de quatro.


“Porque onde eu quero estar é muito longe

De onde nós estamos, de onde nós estamos

E eu pensei ter encontrado um lugar onde podíamos começar...”


O senti sair de dentro de mim e me posicionei com os joelhos afundados no sofá. Ele me invadiu com vigor, porém não conseguia me segurar com apenas uma mão, então ativou o braço mecânico do Susanoo e me puxou para mais perto dele.

- Oh! – o senti ainda mais fundo e forte enquanto sua mão segurava meu queixo aproximando minhas costas de seu peito enquanto penetrava minha boca com sua língua, me fazendo provar de meu próprio gosto.  

Mais algumas invasões e não me segurei, me derramando em seu membro, meu corpo tremia enquanto ele me penetrava tornando o orgasmo mais intenso e demorado... me sentia extremamente úmida e conectada de uma forma única com ele.  Era como se eu pudesse sentir seu desespero, saudade e excitação em cada estocada. Como se tentasse deixar sua marca em meu corpo...  

- Amor... – Sasuke me apertou e se derramou em mim em seguida.  

Nos jogamos no sofá exaustos, nossos corpos suados ainda tremiam devido a torrente de emoções pelo que estávamos passando.

- Acho que agora eu preciso descansar, depois de um banho, é claro – sorri amortecida.

Sasuke me encarou e desgrudou os fios de meu cabelo que grudaram em meu rosto.


“Mas você só diz que sou perfeita

Diz que sou linda

Diz que eu valho a pena

Mas se você realmente se importa comigo...

Diga “amor”

Eu quero que você diga: amor.”


- Eu não sei me expressar com palavras, mas quero que saiba que me importo. Prometo me esforçar para ser o marido que você merece e o melhor pai para Sarada.

Aquela frase era muito mais do que eu poderia imaginar, mas não seria o suficiente. Talvez por aquela noite aquilo bastaria, mas encontraria uma forma de fazer Sasuke se expressar melhor e juntos melhorar nosso casamento. Essa seria minha missão mais importante.

- Anata, não sinto minhas pernas.

Ele sorriu de canto e me pegou no colo nos levanto até nosso banheiro. Depois de muito tempo eu finalmente sentia que teria uma longa e relaxante noite de sono.


.

.

.


Acordei nua, dolorida e com o braço do meu marido em volta de minha cintura. Se não sentisse em meu próprio corpo as dores da noite anterior, diria que a noite anterior não passou de um sonho. Seria cômico a forma possessiva com que me segurava, se não estivéssemos passando por uma avalanche em nosso casamento.

- Okasaan... - ouço o choramingo de Sarada vindo de seu quarto e antes que pudesse me levantar Sasuke faz isso primeiro.

- Deixa que eu vou. - diz depositando um beijo casto em minha testa e se dirigindo ao outro quarto.  

Não posso deixar de namorar seu andar que mais lembrava um felino, envolto por calça preta. Sem camisa podia ver as covinhas em suas costas... que homem.

- Sakura para de olhar para minha bunda. - diz ele antes de sumir no corredor me deixando corada por ter sido pega em flagrante.  

Após enrolas mais uns minutinhos na cama, faço minha higiene matinal e vou para cozinha enquanto Sasuke ainda está conversando com Sarada. Dou inicio ao café da manha e ele logo se junta a mim.

- Ela voltou a dormir. - Explica ao servir de uma xicara de café.  

Me aproximo dele e sem me conter passo a mexer em seus cabelos negros. Sorrio ao lembrar de quando criança eu tinha uma vontade imensa de tocar naqueles fios negros e agora aqui estava eu... Casada com Uchiha Sasuke.

- Por que está sorrindo? - pergunta curioso.

- Lembranças... - respondo tentando pentear os cabelos com os dedos.  

- Conte.  

- Não é nada demais... - inicio mais sou interrompida pelo AMBU na janela.  

- Sim? - pergunto demonstrando minha cara de desagrado... não suportaria ir ao hospital logo agora que estava resolvendo as coisas em meu casamento.  

- O que você quer Sai? - pergunta Sasuke deixando claro que sabia exatamente quem era sem precisar se voltar.

Tanto eu quando o ninja ficamos surpresos pela facilidade de meu marido identificar alguém que estava com o chakra oculto.

- Nada passa despercebido diante desses olhos não e mesmo Uchiha? – disse Sai tirando a mascar e então se voltando para mim - Mensagem do Hokage para você Sakura.

Assim que eu pego o papel de suas mãos ele some.

- O que ele quer? - pergunta Sasuke demonstrando seu aborrecimento com a testa franzida e olhar emburrado.  

Abro o papel.


“Sakura, estou liberando você por uma semana de suas obrigações para com a Aldeia. Assim como Sasuke e eu. Kakashi assumira o QG e Tsunade ficara responsável do Hospital. Aproveite suas férias para por a cabeça no lugar assim com eu estarei fazendo o mesmo.”


Sakura? - chama meu marido ainda sem paciência.  

Sorrio e me jogo em seus braços entregando o papel a ele.  

- Estamos de FÉRIAS!  




Notas Finais


Gostamos bastante do resultado desse capítulo e esperamos ter suprido as expectativas de vocês. 😎

Link da música: https://youtu.be/FG09YJjhFoE

Fic indicada >> "Alma Congela" Universo Marvel.

https://www.spiritfanfiction.com/historia/alma-congelada-17966821


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...