1. Spirit Fanfics >
  2. Por uma noite >
  3. Aos olhos de Naruto - extra.

História Por uma noite - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oie gente linda! Capitulo extra quentinho pra vocês. Obrigada pelos comentários, favoritos e visualizações. Espero que tenham gostado do enredo da estória, já estou preparando algumas outras one's e fics mais curtinhas (de 5 a 8 capítulos).
Bom sem lenga-lenga, vamos de capítulo pelos olhos do Narulindo Delícia que eu amooooooooooooo.
*Haverá hentai nesse capítulo*
Boa leitura e até as notas finais.

Capítulo 2 - Aos olhos de Naruto - extra.


Naruto Uzumaki, Konohagakure.

Domingo;

Meus olhos se abriram vagarosamente, a claridade pouco invadia meu quarto, apenas alguns fechos de luz passavam pelas frestas da cortina pesada que cobria a janela. Fui inebriado pelo cheiro suave do perfume de lavanda e todas as lembranças da noite anterior vieram como um flash em minha memória.

Sábado. Festa. Sasuke. Garota de cabelos rosas. Olhos de pérolas. Cupido. Hinata Hyuuga.

Virei para o lado exasperado, buscando o corpo curvilíneo em que me perdi durante a madrugada e encontrei apenas o vazio da cama. Suspirei cabisbaixo. Ela havia ido embora sem me acordar? Me deixou sozinho? Isso nunca havia acontecido antes. Será que errei em algo?

Balancei a cabeça levemente espantando todos os pensamentos depreciativos que vieram a surgir, busquei minhas roupas jogadas pelo quarto e tratei de colocá-las num canto para lavar. Passei meus olhos rapidamente pelo quarto, relembrando os momentos ali vividos. Pousei o olhar em um papel que brilhava na minha escrivaninha, franzi o cenho. Não me recordava de ter deixado algum lembrete ali. Andei até o papel e me surpreendi ao ver que a caligrafia não era a minha. Um arrepio rodou pelo meu corpo assim que comecei a ler.

Oi Uzumaki! Cupido aqui. Antes que você chame meu trabalho de meia-boca, vou deixar o número da Hinata Hyuuga para você. (***) (*******-*****).

Com carinho e muito prazer, seu cupido.

 

Encabulado, pasmo e estupidamente feliz. Não tardei a pegar meu celular e salvar seu número, iria mandar uma mensagem assim que tivesse um tempo, afinal dar uma festa tem alguns contras desanimadores, como ter que limpar a bagunça no dia seguinte. Como ainda permanecia nu, segui para o banheiro do meu quarto e entrei debaixo do chuveiro para um banho frio. Tentando não pensar muito sobre a garota Hyuuga.

[...]

Desci as escadas já devidamente vestido, pronto para começar a arrumação, mas me surpreendi ao encontrar com a casa limpa. Estranhei, e muito, a situação. Segui para a cozinha e encontrei Sasuke aos beijos com a garota de cabelos rosas da noite anterior. Ao lado deles, haviam três sacolas imensas com copos e restos de garrafas. Ambos estavam suados e a garota segurava uma vassoura em mãos.

- Agora eu entendi o porquê de a casa estar tão limpa. – atrapalhei o aparente casal e Sasuke me olhou de soslaio revirando os olhos.

- A Bela Adormecida finalmente acordou. – disse o Uchiha me fitando. – Sabe que horas são, Naruto? – apenas neguei com um manear de cabeça. – 16h30, seu inútil. 

- Porra, eu dormi isso tudo?

- Dormiu, cara.

Apenas ri, negando com a cabeça. Completei: E ah, boa tarde... Sakura? – ela assentiu corando levemente. – Ainda bem que eu não pude escutar vocês, meu sono foi pesado.

- Engraçado... – interveio Sasuke, ergui as sobrancelhas esperando seu comentário continuar. – Já eu, escutei você perfeitamente, Naruto-kun.

Meus olhos se arregalaram e a rosada deu risinho, sendo seguida por Sasuke. Malditos.

- Quem era, Naruto? Shion? Nunca me lembro dela ter gemido isso e eu já escutei vocês várias vezes. – disse Sasuke, em tom zombeteiro.

- Não era ela, irmão. – respondi encostando minhas costas no batente da porta. – Foi uma garota que conheci ontem, ela se chama Hinata Hyuuga.

­- Hi-Hinata? – perguntou Sakura, boquiaberta. E eu apenas concordei. – Hyuuga? – concordei novamente. Era o nome que eu havia falado, não entendi a visível surpresa. – Pensei que a primeira pessoa da faculdade que ela fosse transar, seria o Inuzuka.  Estou completamente chocada, ela é minha melhor amiga, sabia?

- Eu sabia que vocês eram amigas, afinal, foi na hora que ela te levou para perto do Teme que eu a vi e imediatamente quis conhecê-la. – Sakura assentiu, ainda visivelmente perplexa. – E esse Inuzuka aí é o Kiba? Ele é da minha turma.

- Ele mesmo. – completou Sakura. – Eles flertam sempre na cafeteria onde ele trabalha e ela vai estudar, mas sempre que ele tenta algo a mais, ela o corta dizendo que precisa priorizar os estudos. Mas acho que é só falta de vontade mesmo, já que com você ela não finalizou nada. – a rosada riu ladino e eu assenti, adorando ter conhecimento daquela situação.

- Eu também iria preferir o Naruto. – disse o Uchiha, arrancando um olhar desconfiado de Sakura. Eu ri e fui em direção a ele, passando meu braço por cima dos ombros de Sasuke. Sakura nos observava quieta.

- Claro que escolheria, Teme. Você é doidinho comigo desde... sempre? – ele riu, sarcástico.

- Você é um porre. Some daqui, quero ficar sozinho com a Sakura. Seu invasivo de merda.

Gargalhei alto e me despedi deles, voltando para o meu quarto e deixando que o casal se aproveite ali naquele cômodo mesmo. Ao entrar no meu canto ainda inebriado pelo perfume da mulher de olhos encantadores que fluía livremente pelo quarto. Coloquei uma música ambiente pelo quarto para evitar que qualquer som emitido da cozinha, fosse audível por mim. Deitei-me na cama e peguei meu celular em mãos, digitando uma mensagem para Hinata no mesmo instante.

Olá Hinata. Naruto aqui. O cupido me deixou seu número e acho que isso significa alguma coisa. Espero que possamos nos encontrar novamente e o mais rápido possível.

Alguns minutos depois, meu celular vibrou em resposta.

Hinata Hyuuga:

Nós iremos nos encontrar de novo. Só basta me dizer o dia e o horário.

Sorri feito bobo com aquela mensagem. Aquela mulher é uma perdição, é um mar violento. E, sinceramente, eu não vejo a hora de mergulhar profundamente.

[...]

9 meses depois

A música era ensurdecedora, mulheres dançavam sensualmente e em cada canto pessoas se pegavam em beijos quentes e eróticos. Meus dedos seguravam firmemente o baseado que eu tragava, ora ou outra. Eu recebia alguns olhares maliciosos e femininos, mas eu só sorria e negava educadamente, eu não estava interessado em nenhuma delas. Levei o cigarro até meus lábios e traguei, a fumaça inundava meus pulmões, exalei vendo-a sair dentre meus lábios.

- Alguém já te disse que você fumando é minha perdição, Naruto-kun? – a voz que me fazia delirar todas as manhãs sussurrou em meu ouvido. Sorri, fechando os olhos para sentir seu cheiro doce e viciante. Virei meu rosto para o lado e pude apreciar Hinata com um short jeans curtinho e uma tshirt lilás, seus fios azulados, que agora estava em um corte curto, esvoaçavam pelos seus ombros pequeninos.

- Você tá gata pra porra, amor. – elogiei. Suas bochechas tomaram um tom vermelhinho e eu a puxei para mim, beijando a pontinha de seu nariz.

- Naruto-kun, você me deixa tímida. – falou baixinho enquanto tomava o cigarro da minha mão, ela deu um trago e tossiu antes de liberar a fumaça. – Eu nunca aprendo a fazer essa merda. – murmurou estressada.

- E eu já tentei te ensinar mil vezes. – uma voz conhecida disse. Sakura surgiu emaranhada nos braços de Sasuke que estendeu sua mão para mim, pedindo meu beck também. Folgado do caralho.

- Sasuke, você já está com a Sakura tem meses e ainda não conseguiu deixá-la menos intrometida?

- É o jeito dela, eu gosto dela assim. – Sasuke respondeu passando as pontas dos dedos nas bochechas avermelhadas da rosada. Apaixonadinho.

Hinata apenas riu e maneou sua cabeça assentindo, ela puxou Sakura pelo pulso, se distanciando e avisando que iria pegar uma bebida juntamente a amiga. Sasuke se aproximou, tragando novamente o cigarro antes me oferecê-lo de volta. Tomei-o de suas mãos e o levei aos lábios, fechei os olhos sentindo toda a sensação inebriante da maconha correr por meu corpo, mas ainda sim sentia falta de uma droga mais forte e viciante, e para a minha sorte, essa droga tinha nome, sobrenome, uma timidez apaixonante e era minha.

[...]

Já se passavam das 2h40 da manhã e eu me encontrava sentado em um sofá macio, Hinata estava sentada ao meu lado, suas pernas macias estavam apoiadas na minha e eu acariciava sua pele branquinha com meus dedos. Ao meu lado, se encontrava sentado o Uchiha com a Sakura em seu colo. No estofado da frente, Shikamaru e Temari trocavam carícias maliciosas, Ino estava ao lado de Sai, que mantinha seus dedos firmes nos fios de cabelos loiros da namorada, fazendo movimentos repetitivos de carinho. Tenten e Neji, um primo de Hinata que havia sido transferido de faculdade, trocavam beijos também. Depois que Sakura, Sasuke, Hinata e eu nos envolvemos com seus respectivos cônjuges, nossos grupos se uniram e nos tornamos todos grandes amigos. Era incrível como nos identificávamos uns com os outros e todo evento parecia o melhor quando nos uníamos.

Apertei o joelho de Hinata com um pouco mais de pressão, ganhando a atenção da garota toda para mim. Seus olhos delicados me fitaram e eu iniciei o diálogo:

- Vamos para casa? – ela rapidamente assentiu, se levantando e ajeitando suas roupas. Repeti suas ações e me despedi de todos. – Tchau galera, nos vemos depois. Se cuidem.

- Beijos meninas que eu amo! E se cuidem garotos, seus trastes ambulantes. – zombou Hinata, ganhando risinhos e resmungos da galera.

- Por favor, Dobe, vá dormir na casa da Hinata hoje. Estou realmente farto de escutar coisas que eu não quero. – ralhou Sasuke. O olhei indignado e senti Hinata se encolher, tímida, ao meu lado. Lhe lance o dedo médio em tom de reprovação e todos riram. Balancei a cabeça rindo também e Hinata também soltou um risinho fraco.

Entrelacei nossas mãos, sentindo os dedos finos e delicados encontrarem o dorso da minha pele. A pontinha de suas unhas encontrava minha epiderme, causando leves carinhos. Tudo que ela fazia causava reações em mim, era cômico. Andávamos em direção ao meu carro, puxei as chaves do bolso e antes de entrar, sua voz melodiosa me chamou.

- Naruto-kun, você pode dirigir? Você fumou hoje, deve estar chapado ainda. – perguntou docemente.

- Eu consigo dirigir, Hime. Não estou chapado assim. – refutei. Era realmente verdade, eu me sentia normal. Como sempre.

- Eu sei, amor. – ah, eu amava quando ela me chama assim. – Só fico preocupada, você sabe, pode ser perig...

- Quer dirigir hoje então? – a interrompi. Seus olhinhos cor de pérola brilharam e ela assentiu, vindo até mim e tomando as chaves de minha mão. Rapidamente ela entrou no carro e se posicionou, rodeei o veículo e me sentei no banco do carona.

Durante todo o trajeto eu observava Hinata no volante, as mãozinhas pequenas deslizavam do volante para a marcha e eu me deliciava. Sua expressão me fazia delirar, era tão serena e alegre. Daria muita coisa para vê-la sorrir assim sempre, ainda mais se eu estivesse perto para presenciar. Quase não percebi que já estávamos na rua do apartamento dela, deixamos o carro na rua e subimos as escadas. Procurando pela porta 106 que escondia o cantinho cheiroso que minha gatinha morava. Ao entrar no cômodo, todo o cheiro de Hinata me deixou zonzo, a casa cheirava a doces, assim como a pele da minha garota.

- Quer ver um filme? Estou sem sono e sei que você também não quer dormir. – a voz delicada me alcançou, seus braços me rodearam por trás e senti seu queixo se repousar no meio das minhas costas. Sorri.

- Claro, meu amor. Escolhe o filme, vou fazer pipoca. – ela saiu sorridente, tirando os sapatos e dando pulinhos. Era tão menina e tão independente ao mesmo tempo, estava fissurado.

Rapidinho, fiz a pipoca e peguei dois sucos de caixinha com canudinho. Hinata amava aqueles suquinhos, sempre tinham vários na geladeira dela. Ao ir para o sofá, me deparei com uma Hinata deitada de pernas totalmente a mostra, seu short estava jogado no canto e a calcinha lilás diferia a pele esbranquiçada dela. Na televisão o spotify estava aberto e uma música da SZA soava pelo local.

- Acho que o filme e o lanche podem esperar. – Hinata disse, corando levemente. Desesperadamente coloquei a pipoca e os sucos na mesinha de centro e me aproximei da minha garota. Meus dedos foram diretamente para sua coxa desnuda, iniciando uma sequência de carinhos apertados, meus dedos marcavam a pele sensível. Tirei minha blusa laranja e joguei em qualquer canto. Os olhos perolados fitaram calmamente meu abdômen e uma mordida no lábio me fez perder todo o controle. Tomei seus lábios, desesperadamente, sentindo seu gosto doce inebriar meus sentidos. Minha língua explorava cada canto de sua boca, seus lábios se uniam ao meu com perfeição, seu piercing encostava em meu lábio criando uma sensação cheia de erotismo que eu jamais perdia a oportunidade de sentir. As pequenas mãos de Hinata foram para minha nuca, seus dedinhos puxavam meus fios loiros com certo desespero, enquanto suas mãos me acariciavam, as minhas apertavam-na desde as coxas desnudas até a cintura coberta pela sua blusa. Arranquei o tecido do corpo esbelto dela, puxando seu sutiã a seguir. Tudo em mim queria possuir tudo que ela podia oferecer.

Me soltei de seus lábios e me sentei no sofá, Hinata estava deitada ao meu lado e eu a encarava. Seus olhinhos curiosos me olhavam, atentamente. Com a palma da minha mão, tomei seu pé direito, levando até os meus lábios. Os olhos da minha princesa se arregalaram minimamente, em surpresa. Beijei seu dedão, iniciando uma trilha de beijos molhados até a parte interna de sua coxa. Hinata arfava conforme eu me aproximava da sua carne pulsante e molhada, as manchas úmidas destacavam a calcinha, levei as mãos até a barras de sua calcinha e a puxei, retirando a peça íntima e expondo toda a região molhada que Hinata me ofertava. A pele brilhava pela umidade, o pontinho inchado gritava por atenção.

- Você é tão receptiva pra mim, Hime. – sussurrei próximo a intimidade pulsante. Meu pau latejava ardidamente, eu estava louco. Queria me enfiar dentro dela e sentir sua boceta gotejante deslizar sobre ele, com facilidade.

- Naruto-kun... Por favor. Quero ser sua. Rápido. – implorava. Ela era tão minha.

Meu dedo indicador entrou em contato com a carne quente, ele deslizava com facilidade até a entrada, afastei os grandes lábios vendo o buraquinho que antes estava escondido. Coloque a ponta do dedo e levei meus lábios ao clitóris. Mordiscando, sugando e lambendo. Hinata estava com os dedos da mão direita no meu cabelo e sua mão esquerda acariciava seu mamilo rijo. Era a visão mais erótica que eu poderia ter. Penetrei meu dedo por completo na intimidade rosinha, e minha princesa arqueou as costas, buscando mais contato. Suas paredes se contraiam ao redor do meu dedo e como incentivo, penetrei mais um. Hinata rebolava, involuntariamente, contra meus lábios e meus dedos. Ela urrava de prazer e eu arfava, até a voz dela me satisfazia. Cada vez que ela clamava pelo meu nome, eu sentia meus sentidos e coerência sumirem do meu corpo consciente.

Suas paredes internas apertaram meus dedos violentamente e seu líquido quentinho escorreu pelo comprimento deles, levei-os até os lábios e suguei seu suco com avidez. Era doce, assim como a minha garota. Aproveitando que Hinata estava recuperando suas energias, me despi e me sentei novamente no sofá. Puxando seu corpo cheiroso para mim, meu pau encostava em seu umbigo e senti ela se arrepiar.

- Naruto-kun... – sua voz trêmula sussurrou. Seus dedinhos ágeis tomaram toda a extensão e se movimentaram antes de Hinata o segurar firmemente e se sentar nele. Meus olhos se arregalaram em surpresa e meu corpo todo se incendiou quando nossos sexos se uniram, meu lugar favorito era dentro dela. Tomando aquela cavidade quentinha para mim.

Ela começou a se mover e eu me deliciava com a visão dos peitos grandes pulando perto dos meus lábios. Minha palma segurava suas costas úmidas de suor e a outra puxava seus fios de cabelo para o lado, fazendo-a pender a cabeça e me encarar com seus olhinhos esbanjando luxuria. Seu rosto estava corado, as bochechas avermelhadas, o delineador levemente borrado, lábios entreabertos enquanto emitiam gemidos. Hinata sussurrava meu nome e frases obscenas, eu fazia o mesmo. Sua cavidade me apertava e os movimentos faziam com que eu me perdesse lentamente. Levei minhas duas mãos em seus ombros magros e a empurrei para o sofá novamente, suas costas deitaram no estofado e sem me retirar de dentro dela, retomei os movimentos que eram, agora, regidos por mim.

- Você é tão minha – disse entre gemidos, enquanto estocava firmemente. Minha pele se chocava com a dela causando barulhos extremamente sensuais.

- Sou sua desde o primeiro dia em que te vi. – sussurrou minha garota, e eu me derreti. Continuei a estocar com rapidez na minha menina que gemia descontroladamente. – N-n-naruto-kun! Por favor. – implorava eroticamente. – Quando estiver prestes a gozar, me deixe fazer algo. – ela pediu. Franzi o cenho, mas concordei.

Continuei estocando enquanto gemidos fluíam pela sala, tantas juras de amor, frases obscenas e pedidos soavam de nossos lábios. Em conjunto.

- Hinata, estou quase. – a avisei. Ela se remexeu e me fez sair de dentro dela. Estranhei. Ela se ajoelhou e me pediu.

- Sente-se, Naruto-kun.

Apenas obedeci, chocado com o tom de voz autoritário que ela tinha usado. Ajoelhada na minha frente, Hinata levou uma de suas mãos até meu pênis úmido e duro, o posicionando entre o vão de seus seios. Suspirei embasbacado e muito, muito surpreso. Suas mãozinhas seguraram seus dois peitos grandes e macios, iniciando movimentos de vai-e-vem constantes. O prazer que eu sentia era incomum. Era totalmente inimaginável.

Hinata estava me masturbando com os próprios seios e como se não bastasse, sua boca estava aberta, ofertando a língua vermelha que tocava minha glande ora ou outra. Não durei por muito tempo, gozei em seus seios e lábios. Vendo-a engolir tudo que podia. A puxei pra mim e a abracei com possessão, beijei seus lábios e a fiz aninhar em meu corpo.

- Eu te amo, Naruto-kun. – sussurrou sonolenta. Estava quase dormindo.

- Eu também te amo, Hime. – respondi.

Eu sempre fui incerto em diversas coisas na minha vida, mas a única certeza que eu tinha era de que eu queria Hinata sempre ao meu lado e que eu faria tudo e mais um pouco para isso.

Fechei meus olhos deixando o sono me levar também, mas antes, olhei para a parede e o relógio marcava 05h45. O dia estava amanhecendo. E assim, iriamos adormecer. Juntos, nus, com minha menina deitada do meu peitoral, no sofá e com a playlist erótica da minha garota tocando baixinho no ambiente.

Bom, parece que o filme e o lanche vão ficar para próxima. Ri comigo mesmo antes de adormecer profundamente.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Acho que essa foi a cena hot mais intensa que já escrevi, espero ter atendido as mentes pervertidas de vocês, hahahahahah.
Espero que eu tenha conseguido passar pra vocês esse Naruto fofo e delicado com a Hinata, porque creio que é bem assim que ele seja.
E espero ter conseguido abordar a forma possessiva dele de um jeito "saudável", neahhhhhhhh, só na hora do VAMOVÊ mesmo.
Enfim é isso, gratidão pela leitura! Bjitos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...