História "Por você" - Kiribaku (ABO) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Hanta Sero, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Mina Ashido, Shouto Todoroki
Tags Abo, Alpha/beta/omega, Bakushima, Colegial, Dinâmica Alfa/beta/ômega, Kiribaku, My Hero Academia, Yaoi
Visualizações 75
Palavras 1.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E cheguei!

Desde já agradeço quem está acompanhando a fic <3
Eu vou ter de ser um pouco rápida aqui, mas genten, vocês são lindos <3

O tempo corre! Então sem muita enrolação, aproveitem o cap!
Boa leitura! <3
~Clankie

Capítulo 2 - Ninho


Kirishima não viu Bakugo pelo restante do dia depois daquela conversa. Estavam dando tempo um ao outro e isso era relativamente bom. Também não dormiram juntos naquela noite, por enquanto era muito arriscado. Eijiro foi para seu próprio dormitório, e decidindo que talvez isso viria a ser bom para ele também, deu alguns socos em seu peso de areia para treinar até estar exausto e cair na cama.

Agora, ele almoçava com o restante do Bakusquad totalmente perdido em pensamentos antes que Sero o despertasse:

-Ei, o Bakugo não foi pro treino de hoje cedo. Tem certeza de que está tudo bem?

-Acho que leva um tempo pros remédios fazerem efeito. -  Kirishima brincou com as sobras do prato forçando-se a não se preocupar demais, afinal é do Katsuki que estão falando.

-Sim, eles demoram. - Mina afirmou cruzando os braços. -Falo por experiência própria.

Ela era uma Ômega, a Ômega do Sero pra ser mais exato. Feitos um para o outro como ele e seu Katsuki eram, a única diferença é que eles não tinham se marcado ainda. Estavam esperando a formatura para isso. Kirishima achava nobre, mas se perguntava constantemente como Sero era capaz de suportar outros Alfas sendo inebriados pelo cheiro de Mina, ou ela, quando Sero é almejado por outros Ômegas que o acham um companheiro interessante.

Quando dois amantes se marcam, eles dizem ao mundo que pertencem um ao outro e o interesse de terceiros cai consideravelmente.

Uma pontada de orgulho se iluminou dentro dele pensando em outros Alfas, Ômegas e Betas sentindo o cheiro dele em Katsuki. Ou mesmo vendo a marca da mordida deixada por ele em sua nuca, extremamente próximo das glândulas de cheiro. E com isso, parte dele voltou a se preocupar com companheiro.

 

 

*

 

 

Mais uma tarde sem notícias se passou, e Eijiro já se sentia perdido. Mesmo quando Katsuki passa o Calor em casa eles ligam um para o outro com frequência. Às vezes só para atualizar o companheiro sobre os acontecimentos do campus, jogar conversa fora, ou transar por telefone tarde da noite, quando Bakugo precisava de um alívio urgente e só queria ouvir a voz de Eijiro enquanto se tocava imaginando tudo o que sua mente enevoada de tesão era capaz de criar.

Mas até o momento, nada.

Kirishima se ocupou com as atividades extracurriculares para desviar os pensamentos. Bakugo viria até ele quando estivesse pronto, era questão de tempo até ele sentir a agradável presença de seu companheiro novamente.

E então, durante a janta o ruivo quase teve um treco quando avistou o namorado do outro lado da cantina. Ele se perguntou se deveria se aproximar. Ele queria. Queria muito. Mas e se os inibidores de odor não tivessem funcionado? Tolice! Se não funcionassem, ele já teria sentido a essa altura. Mas no fim, ele não precisou se mover, Bakugo tinha os braços cruzados bem em sua frente. O loiro perguntou:

-Sente alguma coisa?

Kirishima farejou em busca de vestígios do Calor, e sentiu. Mas era tão sutil, um almíscar no fundo de todo o aroma natural de Katsuki que podia ser ignorado se ele se esforçasse um pouco. Isso deixou ambos mais calmos, e até os amigos de Eijiro se livraram da tensão. Estavam prontos pra agir caso algo desse errado.

-Ótimo, agora... vem comigo, eu preciso de um favor seu. -Bakugo se virou.

O Alfa o seguiu até o seu dormitório. Ele se preocupou um pouco com a ideia, mas assim que ele avistou a grande pilha emaranhada de cobertores e almofadas sobre a cama do Katsuki, um calor aconchegante se instaurou em seu peito.

-Um Ninho. -Ele declarou encantado. Bakugo passou por ele para afofar uma e outra almofada, sendo o mais meticuloso possível com sua obra. Era até delicado demais para o perfil do loiro.

-Em casa eu tenho um Ninho, macio, confortável... Mas aqui eu tive que improvisar. Levou anos pro meu ser perfeito, mas como eu não quero passar por esses dias na merda, o jeito mais fácil de construir um Ninho bom é com a sua ajuda.

-E o que quer que eu faça? -Kirishima sorriu imaginando o Ômega enrolado nas mantas durante seus ciclos, ansiando por ele.

-Preciso do seu cheiro. -Ele concluiu timidamente. As bochechas se tonificando enquanto desviava o olhar. - Só deite ali, e deixe um pouco dessa sua merda Alfa.

Kirishima sorriu com a proposta, e riu um pouco com os alertas de Bakugo sobre mata-lo se ele bagunçasse sua construção de Ninho. O ruivo se sentou com cuidado sobre o olhar vidrado do companheiro, mas depois se sentiu muito mais confortável para se deitar direito.

Katsuki parecia inquieto, quase como se estivesse carregando algo pesado demais. A visão do Alfa no Ninho era simplesmente alarmante, de um jeito bom. Ele queria correr e se jogar nos braços do ruivo. Se esfregar nele até que ambos cheirassem como um. E esse pensamento só se intensificou quando observou Eijiro batendo suavemente no macio das cobertas ao seu lado, o convidando a se juntar a ele.

-Não.- Ele declarou com mais esforço do que achou que seria necessário.

-Mas você parece precisar. Dormir comigo sempre te deixa mais calmo.

Ah, as noites quentes que passavam juntos eram tão maravilhosas. Iam apenas de abraços calorosos em dias chuvosos à fodas incríveis, isto é, quando Bakugo não está em eu período fértil, o Calor.

-Não nesse caso. -Ele riu com a aparente ingenuidade de seu amante. - Isso só piora as coisas pra ser sincero.

-Mas eu devia ser bom pra você. - O ruivo lhe lançou uma expressão suplicante. - Eu posso te dar um pequeno alívio que seja e você sabe. Eu prometo não tentar nada.

Bakugo virou os olhos. Era tentador demais. Seu cheiro estava suficientemente disfarçado? Ele seria forte o suficiente para afastar Eijiro se algo acontecesse, estando tão sensível e necessitado?

Ele concordou com uma carranca habitual, e assim que se ajoelhou no Ninho foi puxado para o calor dos braços de Kirishima como um ímã tão agradável e confortável. Ele suspirou com o toque e se sentiu nas nuvens por um segundo. Os remédios que ele tomou deixavam o odor de Eijiro menos agressivo para ele também, e dessa forma ele podia aproveitá-lo sem vazar como uma cadela por antecipação. Era tão bom.

Seu Alfa tinha o dom de tornar tudo tão mais agradável. Ele não via a hora de poder de fato passar o Calor com ele. Suprir todas suas necessidades, sem restrições. Mas agora, sua mente flutuava. Eijiro fazia questão de liberar o lado mais sutil e acolhedor que tinha, a proteção e o carinho que faria qualquer Ômega se desfazer.

Ao sentir Katsuki se aninhar mais em seu peito Kirishima se inflamou. Seu lado Alfa satisfeito em promover conforto para o loiro em um momento como esse. Com os inibidores, ele era capaz de se conter na medida do possível. Ele dava graças por não estar perto de sua Rotina. Isso seria impossível se Bakugo estivesse fértil e ele sedento.

Os minutos corriam e eles não faziam questão de se afastar. Vez ou outra Eijiro movia-se um pouco, só para marcar um pouco mais o Ninho, mas na maior parte do tempo, ele só observava a lua lá fora pela janela. Sentindo no pescoço a respiração suave do sono de Bakugo, e se deixando levar pelo prazer de ter ele por perto. Em breve, ele também adormeceu. 


Notas Finais


É isso!
Esse cap fala um pouco sobre os Ninhos dos Ômegas, feitos para serem agradáveis e confortáveis para todas as estações do ano, mas PRINCIPALMENTE durante o Calor, que é o momento no qual eles precisam de maior comodidade possível. Em muitos dos casos, os Ômegas acabam montando seus Ninhos com peças de roupa ou elementos da cama de seus Alfas em vista do cheiro de seus companheiros, que os acalma e faz do ambiente ainda melhor! É recomendável que os Ômegas passem todo seu ciclo em seus Ninhos, fazendo o minimo de esforço possível, e recebendo alimento e quaisquer necessidades dos parceiros, para que seu corpo esteja devidamente preparado para gerar filhotes!

KKKKKKK isso pq eu falei que não tinha muito tempo né... mas foi só uma explanaçãozinha kkkk
Espero que tenham gostado do cap! Não sei dizer ao certo se o próximo chega amanhã, mas em todo caso é o planejado.
Deixem um comentáriozinho pra mim, dizendo o que acharam, tirando dúvidas, acrescentando informações sobre essa Dinâmica... vou ADORAR ler <3

Kissus!
~Clankie <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...