História Por você - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Drama, Ficção, Lésbica, Romance
Visualizações 71
Palavras 1.922
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), FemmeSlash, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura! !
P.S: leiam as notas finais!

Capítulo 33 - 33-A primeira vez


O olhar de Flávia, diante daquele pedido, era uma mistura de carinho e desejo. Suas pupilas dilataram e suas íris escureceram. O coração parecia querer saltar pela boca. Ela nada disse e o sorriso de sua amada era toda a confirmação que precisava.

-Vem.- Disse Isabel, levantando-se e estendendo a mão para guiá-la até o seu quarto.

 

POV Isabel

Eu estava nervosa. Meu corpo estava a cada minuto mais quente e eu sentia minha calcinha molhar diante daquele olhar. Não me lembro de me sentir tão desejada como estava me sentindo diante dos olhos dela. Chegamos ao meu quarto e eu fechei a porta. Flávia agarrou minha cintura e me prendeu contra a porta. Nossos corpos colados e seu olhar desejoso sobre mim. Envolvi meus braços pelo seu pescoço e deslizei minhas mãos, arranhando levemente sua nuca. Ela me beijou com urgência e fome, enquanto apertava levemente os meus quadris. Gemi em meio ao beijo, não consegui evitar. Ela me olhou e sorriu e naquele sorriso, minhas inseguranças porta atiradas para longe. Colei novamente os nossos corpos e murmurei em seu ouvido:

- Muita roupa, não acha?

O gemido dela fez meu sangue ferver e de repente suas mãos estavam no zíper do meu vestido e as minhas no fecho do seu lindo macacão. Quando ambas as peças foram ao chão, abri a boca em admiração àquela visão maravilhosa. Ela usava um conjunto de lingerie branco, de renda. Suas pernas eram levemente torneadas e fortes, o abdome malhado na medida certa (aquela cicatriz fininha me fazendo lembrar de como nos conhecemos), os seios pequenos escondidos por um delicado sutiã com bojo...

- Você é linda!-Deixei escapar num sussurro.

- E você é maravilhosa.- Respondeu ela.

Beijei-a e fui empurrando seu corpo em direção à cama. Ela sentou na beirada e eu sentei em seu colo com uma perna de cada lado. Abracei seu pescoço e encarei seus olhos. Ela sorriu, levando uma mão ao meu rosto e acariciando minha bochecha.

- Se eu fizer algo que vc não goste, por favor, me diga.- Disse ela.

Assenti com um menear de cabeça,  seus lábios capturaram os meus e suas mãos foram parar em minha bunda, por cima da calcinha. Comecei a rebolar institivamente no seu colo. Ela desceu os beijos pelo meu pescoço enquanto suas mãos subiam pelas minhas costas até o fecho do meu sutiã e rapidamente eu estava livre daquela peça.

Um gemido muito alto saiu dos meus lábios ao sentir sua língua quente e macia no meu mamilo direito; intensifiquei meu rebolado e senti suas mãos apertando minhas coxas. De repente fui surpreendida: com um movimento rápido, Flávia inverteu nossas posições e me jogou de costas na cama, sentando em minhas coxas com uma perna de cada lado do meu corpo. Senti sua umidade e levantei um pouco o tronco, enlaçando-a pela cintura e puxando-a pra cima de mim. Beijei aquela boca com urgência, na tentativa de abafar meus próprios gemidos. Nunca senti tanto tesão na minha vida. Minhas mãos tateavam suas costas em busca do fecho do seu sutiã. Arranquei aquela peça do seu corpo e delirei ao sentir sua pele quente contra a minha. Seus beijos foram descendo para o meu pescoço, colo, seios, chegando até minha barriga onde demorou um pouco mais entre beijos e chupões. Da barriga ela desceu para os meus pés e foi subindo; mordiscou a parte interna das minhas coxas e minha reação foi abrir mais as pernas. Eu me sentia escorrendo de tesão.

- N..não m..me tortura, meu anjo.

Ela abriu um sorriso safado e colocou as mãos nas laterais da minha calcinha. Olhou-me e eu assenti; mas ao invés de tirar normalmente aquela peça ela simplesmente a rasgou. Não tive tempo de protestar, logo senti sua língua entre minhas pernas e o gemido que escapou foi quase um grito.

-AAH! Hummm, que delícia!

Eu já não tinha controle sobre meu corpo; e ondas de prazer se acumulavam no meu baixo ventre. Não consegui me controlar, o orgasmo veio intenso quando ela substituiu sua boca maravilhosa por um dedo, penetrando-me sem aviso.

Enquanto acalmava minha respiração e as batidas descontroladas do meu coração, ela subiu fazendo uma trilha de beijos suaves até a minha boca.

-Você é muito gostosa, linda.- Seu corpo repousava sobre o meu e ela fazia um carinho em meu rosto, afastando os fios de cabelo grudados em minha testa suada.

- Tudo bem?

- Tudo maravilhoso.- Respondi. Mas agora, é minha vez.

Inverti nossas posições, ficando por cima. Beijei aquele pescoço, mordiscando de leve e fui descendo. Flávia me olhava com adoração e eu não estava diferente dela. Circundei seu mamilo com a língua. O gosto da sua pele era viciante e o gemido que recebi me deixou novamente molhada. Eu nunca havia feito aquilo, mas queria desesperadamente provar o seu gosto. Tirei lentamente a sua calcinha; ela estava muito molhada. Passei o dedo médio de baixo pra cima e num gesto quase involuntário, chupei-o. Gemi com aquele gosto e não esperei mais: literalmente caí de boca. Ela gemia despudoradamente e aquilo era apenas um incentivo para que eu continuasse a provar aquele néctar maravilhoso. Parei de chupá-la e ela protestou. Calei-a com um beijo e desci minha mão devagar para o meio de suas pernas.

- Tão molhada!- sussurrei em seu ouvido.

- Meu deus, Isabel! Você vai me matar falando assim.- Disse ela, e num movimento repentino, levantou o tronco e se posicionou sentada, entrelaçando nossas pernas e colando nossos sexos.

- Vamos gozar juntas, meu amor.

E assim começamos um rebolado lento e torturante, sincronizado e delicioso. Conforme eu gemia ela aumentava a intensidade daquele atrito. Um tremor percorreu meu corpo e concentrou uma onda violenta de prazer em meu baixo ventre, anunciando o orgasmo próximo. E ele veio implacável e maravilhoso. Flávia desabou sobre o meu corpo e eu a abracei.

- Eu te amo!- Foi tudo o que quis e consegui dizer naquele momento.

 

POV Flávia

Segui Isabel até seu quarto. Meu coração estava muito acelerado e a excitação que eu sentia era evidente. Chegamos ao seu quarto e não me contive: empurrei-a prendendo contra a porta e colando nossos corpos. Eu a olhava com desejo.  Nunca desejei ninguém com essa intensidade. Ela envolveu os braços pelo meu pescoço e arranhou levemente minha nuca. Estremeci. Ataquei seus lábios com urgência e fome e ela correspondeu na mesma intensidade. Gemeu em meio ao beijo e aquilo atiçou mais ainda o meu desejo. Sorri. E fui surpreendida pela sua atitude:

- Muita roupa, não acha?

Foi a minha vez de gemer. Céus,  aquela Isabel despida de vergonha era absurdamente sexy! E de repente as minhas mãos estavam no zíper do seu vestido e as suas no fecho do meu macacão. Quando ambas as peças caíram ao chão, eu estava embasbacada com aquele corpo à minha frente: sua pele alva extremamente convidativa, coxas grossas e levemente torneadas, cintura delineada, barriga lisinha e seios médios envolvidos por um lindo sutiã vinho e rendado que contrastava com aquela pele. Uma obra-prima. Notei que ela me olhava com admiração e falou:

- Você é linda!

- E você é maravilhosa.- Respondi.

Ela me beijou senti que me empurrava em direção à cama. Sentei na beirada e ela sentou em meu colo com uma perna de cada lado. Eu estava adorando aquela Isabel sem pudores. Abraçou meu pescoço e encarou-me. Eu sorri e levei uma mão ao seu rosto, acariciando sua bochecha. Deus, como eu amo essa mulher!

- Se eu fizer algo que vc não goste, por favor, me diga.- Disse eu. Ela assentiu com um menear de cabeça e meus lábios capturaram  os seus; minhas mãos foram parar em sua bunda, por cima da calcinha. Ela começou Comecei a rebolar no meu colo, me deixando louca de tesão. Eu desci os beijos pelo seu pescoço, provando aquela pele macia e deliciosa enquanto minhas mãos subiam pelas suas costas até o fecho do sutiã, que retirei  rapidamente do seu lindo corpo. Admirei aquele belo par de seios diante de mim e levei minha boca até um deles. Ouvi um gemido muito alto em resposta e o rebolado dela ficou mais intenso. Eu já não tinha controle. Minhas mãos foram para suas coxas e apertei ali. Com um movimento rápido, inverti nossas posições e joguei-a de costas na cama, sentando em suas coxas com uma perna de cada lado do seu corpo. Eu precisava provar mais dela. Ela  levantou um pouco o tronco, enlaçando-me pela cintura e puxando-me pra cima dela. Me beijou com urgência, Correspondi na mesma intensidade. Senti suas mãos tateando minhas costas em busca do fecho do meu sutiã. Arrancou aquela peça do meu corpo e eu delirei ao sentir sua pele quente contra a minha. Desci os beijos para o seu pescoço, colo, seios, chegando até a barriga onde fiz questão de demorar um pouco mais entre beijos e chupões, notando que seus gemidos eram maiores. Da barriga, desci para os pés e fui subindo, fazendo uma trilha de beijos, passando por suas maravilhosas coxas, onde mordisquei a parte interna e ela abriu mais as pernas.

- N..não m..me tortura, meu anjo.- Pediu ela com a voz rouca, e aquilo me incendiou. Ofereci a Ela um sorriso safado e coloquei as mãos nas laterais da sua calcinha.  Pensei em retirar a peça lentamente, mas quando notei quão molhada ela estava, decidi fazer melhor e rasguei. Caí de boca em sua intimidade.

-AAH! Hummm, que delícia!- gemeu ela. Deliciosa demais. Foi quando a penetrei com um dedo que ela gozou violentamente em minha mão. Suguei tudo, saboreando cada gota.

Subi pelo seu corpo, beijando cada pedacinho até chegar em sua boca.

-Você é muito gostosa, linda.- Disse eu, afastando os fios de cabelo grudados em sua testa suada.- Tudo bem?

- Tudo maravilhoso.- Respondeu ela.-Mas agora, é minha vez.- Completou.

Inverteu nossas posições, ficando por cima. Eu já estava escorrendo de tesão. Senti beijos deliciosos pelo meu pescoço e leves mordidas que arrepiavam minha pele. Eu a encarava admirada. Senti sua lingua quente circundar meu mamilo e enlouqueci. Não segurei o gemido mais luxurioso que já dei em minha vida. Ela estava tão determinada no que fazia que eu simplesmente me entreguei. Ela tirou lentamente a minha calcinha; Eu estava enxarcada. Seu dedo tocou minha intimidade de baixo pra cima e eu tive a visão mais sexy de todas: ela chupou eroticamente o delo úmido com meu líquido. Não tive tempo de dizer nada pois no segundo seguinte sua boca estava entre minhas pernas. Nem parecia que ela nunca tinha feito aquilo. Eu só sabia gemer despudoradamente. De repente ela parou e eu murmurei em protesto, completamente tomada de prazer. Fui calada com um beijo e sua mão direita foi descendo devagar para o meio de minhas pernas.

- Tão molhada!- sussurrou em meu ouvido.

- Meu deus, Isabel! Você vai me matar falando assim.- Disse eu, e num movimento repentino, levantei o tronco e me posicionei sentada, entrelaçando nossas pernas e colando nossos sexos.

- Vamos gozar juntas, meu amor.- Falei. Gemendo ao sentir sua vagina molhada na minha.

E assim começamos um rebolado lento e torturante, sincronizado e delicioso. Conforme Isabel gemia eu aumentava a intensidade daquele atrito. E o orgasmo veio implacável e maravilhoso.  Desabei sobre o seu corpo completamente sem forças e em êxtase e ela me abraçou. Eu queria morar naquele abraço. E foi então que senti meu coração errar todas as batidas ao ouvir sua voz rouca:
- Eu te amo!


Notas Finais


Gente, esse é o primeiro hot que escrevo e pelo desculpas se não ficou do agrado de vcs...
Comentem pra eu saber o q estão achando!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...