História Porcelanas? Não! - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Aiden, Allison Argent, Derek Hale, Ethan, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Personagens Originais, Peter Hale, Scott McCall, Stiles Stilinski, Theo Raeken
Tags Aiden, Allison, Derek, Isaac, Jordan, Kira, Liam, Lydia, Malia, Malira, Personagens Originais, Peter, Scott, Segredos, Sterek, Stiles, Theo
Visualizações 11
Palavras 7.775
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey sweets! Ultimo capítulo de PN antes do meu período fora.

Vale lembrar que não é algo longo! Como eu já disse antes é uma viagem e logo em seguida mudança, então até instalarem a internet em casa again eu ainda estarei produzindo capítulos novos.

Espero que gostem e boa leitura!!

Capítulo 20 - Capítulo 19 - Ciúmes, brigas e reconciliação...


Pov. Tainá

Domingo acordei cedo depois de uma noite com sonhos agitados demais, Luna dormia envolta de mim e o filtro de sonhos que ganhei de Peter brilhava na cabeceira. Fazendo o mínimo de movimento possível sai da cama para não acordar a grande loba prata que dormia tranquilamente, fui e fiz minha higiene matinal, peguei uma regata velha e manchada no armário e um macacão jeans igualmente manchado e segui pra cozinha, pelo jeito fui a primeira a acordar, passei o café e deixei para os outros que moravam na mansão agora: Derek, Stiles, Peter, Malia, Kira, Scott (que às vezes ia ver a mãe) e Isaac. Os outros voltaram a suas respectivas casas depois que os ataques pararam. Estava terminando uma pilha de panquecas quando sinto e escuto o segundo a acordar.

- Bom dia Isaac... – disse assim que ele entrou na cozinha.

- Como voc... Quer saber esquece, acho melhor eu nem tentar entender – olhei pra ele e ri o vendo jogar os braços pro alto em rendição – Bom dia!

Ele me deu um beijo e ajudou ajeitando a mesa, fiz uma boa quantidade e deixei no micro-ondas para não esfriar para os outros, comemos conversando coisas a toa, então ele se oferece pra lavar a louça já que eu preparei, agradeci e segui pra garagem encontrando a Harley que eu estava reformando, não consigo deixar de pensar que se meu pai estivesse vivo seria com ele que eu estaria fazendo isso, mas fico feliz de ter Theo e Peter para fazer isso comigo.

- Você sempre começa cedo não é mesmo? – falando no ser...

- Bom dia pra você também Theo – disse sorrindo sem olha-lo.

Theo foi até a bancada e pegou algumas ferramentas que estavam lá e começou a me entregar conforme eu pedia:

- O que conta? Chave de fenda, por favor.

- Acredito que não tenha nada pra contar, passei na loja que você pediu, perai.

Ele saiu e segundos depois volta carregando as peças que faltavam da moto, meus olhos com certeza brilharam com tal visão. Estava separando e avaliando para certificar que estavam inteiras e se eram originais e vejo Theo inquieto.

- O que aconteceu Theo?

- Por que acha que aconteceu algo? – ele perguntou tentando desviar do assunto.

- Porque te conheço o suficiente pra saber que você inquieto é porque tem algo incomodando...

- Vou largar essa vida de sexo sem compromisso – ele disse direto e rápido.

Eu pisquei processando a informação, Theo Raeken estava me dizendo que ele iria largar sua vida de vadia? Isso mesmo produção? Deixei a peça que segurava no balcão e virei lentamente olhando-o com um sorriso se formando aos pouco em meu rosto.

- Quem é? – perguntei tentando me manter séria.

- Quem é o que? – ele tentou dar uma de desentendido.

- Quem é a pessoa que ta te fazendo desistir da vida de vadia? – sorri cruzando os braços e inclinando a cabeça.

- Ninguém... – ele corou.

- É o Liam não é?! – ele desviou o olhar e corou mais – EU SABIA!

Fiquei dando pulinhos e ele ria e dizia que eu era infantil, mas eu só comemorava.

- Ta tendo alguma festa por aqui por acaso? – Jordan estava escorado na porta olhando com um sorriso de canto.

- Claro... Por que não vem participar gato? – Theo piscou pra ele e todos rimos.

- O que eu perdi pra essa ai estar tão animada? – entrou sorrindo e indicando na minha direção.

- Ela é louca mesmo...

- O Theo vai deixar de ser vadia – respondi sorrindo ladina – pelo Liam.

- Theo vai deixar a vida vadia pelo Liam? Estou chocado com isso – Jordan tinha a mão no peito e a boca aberta e Theo revirou os olhos.

- Vocês são tão bons amigos... – resmungou emburrado.

- Correção somos os melhores amorzinho, os melhores! – eu disse voltando a dar atenção as peças – e você Jordan... Vai contar a verdade pro Isaac?

- Algum dia talvez... – ele se encostou na bancada enquanto eu colocava o escapamento novo da moto.

Bufei... Por que todos temos que ser tão complicados com tudo? Se gostávamos de alguém por que fazíamos as merdas que fazíamos? Eu não sabia, ficamos conversando por um bom tempo, Theo me ajudando com a moto, ficamos completamente sujos de graxa, paramos quando parecia ser 12h30min por ai.

- Vocês estão sujos demais, credo, não cheguem perto – Jordan fingiu nojo.

Eu e Theo nos olhamos e sorrimos cúmplices, Jordan nos olhava desconfiado se afastando devagar.

- AGORA!

Theo e eu pulamos abraçando Jordan e nos esfregando o sujando junto com a gente, conclusão tudo acabou um belo abraço grupal, voltamos pra mansão rindo com eles ainda me abraçando pelos ombros e eu suas cinturas por ser baixinha demais. Então olhei pra cima e vi meu namorado, meu sorriso morreu ao ver sua cara irada, me soltei dos meninos e caminhei em sua direção cuidadosamente, Luna já estava apreensiva dentro de mim e eu só percebi que ela estava de volta agora.

- Aiden...?

- Que lindo né Tainá? Passamos as porras desses dias afastados, porque estava ajudando o Scott e quando pode ficar com seu “namorado” – ele fez aspas na palavra – prefere ficar com seus “amiguinhos” – mais uma vez as aspas foram postas.

- Aiden eu estava...

- Se esfregando nos dois! Você fede a eles – ele tinha um olhar magoado, ferido e maldoso – pra você é tudo uma brincadeira né? Nós somos brincadeira... Na verdade pra você nem existe nós!

Eu me assustei com suas palavras, Luna que no começo estava em choque agora rosnava pro lobo a minha frente, mas eu não conseguia ter a mesma reação, eu não conseguia revidar, ele estava mesmo duvidando do meu amor por ele?

- Aiden só estávamos concertando a moto...

Ele riu, uma risada que não combinava em nada com ele, eu recuei, eu não reconhecia aquele cara, não era o meu namorado e eu não gostava nem um pouco dele.

- Eu não quero saber das suas desculpas Tainá... – ele soltou meu nome com desprezo e isso me magoou profundamente – quando for se atracar com seus machos lembre-se de usar a pulseira pra pelos menos esconder o cheiro.

Eu fiquei em choque, Aiden passou por nós e começou a correr, fiquei 5 minutos para processar tudo, os meninos não disseram nada. Eu tinha que ir atrás dele, eu tinha que arrumar essa bagunça do jeito certo, Luna estava contrariada, mas acabou aceitando, ela saiu e começou a farejar, achando a trilha começou a correr e fui atrás. Eu corria absorvendo suas palavras, não conseguia culpa-lo por falar coisas assim, não sei como eu reagiria se ele chegasse cheirando a outra.

Luna parou e notei sua agitação, ela tremia e parecia que ia atacar, eu olhei em volta para ver o que estava deixando minha loba assim e foi quando eu vi: Aiden estava parado na frente de Claire e agora ambos estavam se beijando. Eu não queria acreditar que aquilo era real, não podia ser! Disseram que éramos mates... Eu não tive muito tempo pra processar já que Luna corria para longe e fui atrás, só que ela era bem mais rápida.

Um estalo se deu em minha mente e eu me escondi ao mesmo tempo em que Luna era pega em uma armadilha de caçadores. Uma rede a suspendeu e minha loba era só rosnados de fúria, minha respiração estava acelerada, eu olhava freneticamente para tudo, um grupo de 5 homens surge.

- Ora, ora vejam só rapazes! Hoje tivemos um prêmio dos grandes!

Eu não sabia quem aquele inútil era, mas ninguém toca na Luna e sai vivo pra contar história! Olhei bem, eu só tinha uma faca no tornozelo e eles armas... Vamos improvisar!

Afastei-me e notei que tinha outra armadilha ali, acionei e um minuto depois ouvi o que supus ser o líder dizer:

- Jack vá ver o que pegamos...

Escondi-me com a faca em mãos, fiquei atenta aos passos do tal Jack, ele chegou e viu que a armadilha não tinha nada, então olhou em volta coçando a cabeça, não vendo nada ao alcance ele deu de ombros e se virou, foi seu último movimento, pois minha lâmina foi parar bem em sua garganta, me aproximei e peguei tanto ela como a arma do infeliz, então fui em direção a Luna, ela rosnava pra qualquer um que se mexia.

- Acho bom soltarem ela, ou eu estouro os miolos de vocês um por um – minha voz soou suave e glacial, abaixando a temperatura do lugar instantaneamente, eu não sabia como conseguia isso.

- E quem você pensa que é pra ameaçar Los Cran...

Não dei tempo de ele terminar e dei um tiro no meio da testa do filho da puta.

- Então...? Mais alguém quer ficar de papo ou vão logo soltar o lobo? – Luna rosnava satisfeita.

- Peguem a garota... – murmurou o que devia ser o líder, ele tinha ódio no olhar.

Seus homens começaram a atirar, eu só precisei me alojar atrás de uma árvore, sério! A mira deles era péssima, tirei a cabeça umas duas vezes e atirei uma derrubando um, quando ouvi o som de armas sem balas eu sai e já meti mais dois tiros derrubando mais dois, um tiro foi disparado e acertou meu ombro fazendo a arma cair no chão, gemi, mas não cedi.

- Você vai morrer garota, acha que é boa? Pois eu sou melhor! – o cara tinha um olhar furioso e eu só ri sadicamente – do que está rindo?

- Ninguém é melhor que Scarlett seu filho da puta!

Eu só precisei desse curto tempo de choque dele pra lançar a faca em seu coração.  Soltei Luna e tirei a regata dando um jeito no ferimento ficando de macacão e top.

“Desculpa, eu... Eu agi por impulso... Não devia ter feito isso!”.

“Eu entendo o que sente, não precisa se desculpar.”

“O que faremos agora? Se eu vir aquele desgraçado arranco a garganta dele” ela exibia os dentes e soltei uma leve risada.

“Vou informar o pack que vou ficar um tempo fora, vamos deixar a poeira baixar e tudo esfriar, cansei de fazer as coisas no fogo do momento...”

“Sabia escolha” ela se endireitou e depois inclinou a cabeça “mas ainda quero arrancar a garganta dele”.

Ri e peguei meu celular ligando pra mansão.

-Alô?

- Malia?

- Tay? É você? Onde você está? Estamos todos preocupados!

- Malia eu to bem, eu juro! Eu to indo pra mansão, liguei mais pra avisar que estou bem.

- Volta logo, estamos preocupados, Aiden mais ainda...

- Por favor, não, tentem tirá-lo daí, diz que fui pra algum outro lugar, por favor!

- Ok, vou dar um jeito...

Desliguei o telefone e olhei Luna, seguimos pra mansão e quando chegamos vi que não tinha ninguém! Estranhei, mas aproveitei pra correr ao quarto e pegar algumas roupas, coloquei tudo dentro de uma mochila, Luna estava dentro de mim sentada serena, olhei o criado mudo e vi a pulseira, por algum motivo a peguei e coloquei, corri pra garagem e lamentei a moto ainda não estar inteira.

“Vamos ter que correr muito, muito mesmo... Acha que consegue?”

“Depois de tudo que fez por mim filhote? Eu dou a volta no mundo!”

Sorri com a resposta de Luna e deixei-a dominar, sabia que o machucado seria um empecilho, mas não tínhamos escolha. Corri pela mata, saindo da reserva e adentrando mais fundo a floresta, parava vez ou outra pra descansar, mas logo voltava a correr, até que chego onde eu queria: a cabana dos meus pais! Eu estava imunda: graxa de manhã, sangue seco, lama, folhas, arranhões e suor. Dei graças por ter abastecido aquele lugar essa semana, era para eu vir com Aiden, mostrar a cabana pra ele e termos nossa primeira noite...

“É, acho que isso não vai rolar tão cedo.”

Luna se materializou e ajeitou no tapete e eu resolvi me lavar. Fui em direção ao banheiro comecei a tirar o macacão quando o celular toca, vejo na tela que é o Peter, me sinto tentada a não atender, mas sabia como ele ficaria agoniado, suspiro q atendo.

- Oi Peter...

- Onde você está? Saímos tanto para tirar o Aiden de casa como pra te achar e você some? O que aconteceu?

- Calma! Eu to na cabana dos meus pais, vim pra cá, preciso de um tempo Peter! Eu e Aiden acabamos tendo uma discussão e para não agir no fogo do momento eu vim pra cá, mas eu to bem eu juro!

- Por que será que não acredito nisso? – Peter resmungou então suspirou – quer que sua irmã vá ai?

- Não! Peter, me prometa que não vai deixa-la vir! Só diz que eu to bem e que logo volto, que é pra ela ficar com Scott.

- Não gosto da ideia de você sozinha nessa situação...

- Vou ficar bem... Relaxa pai...

- Do que me chamou?

- Desculpa foi impulsivo... – eu estava fraquejando com essa preocupação de Peter, na verdade estava prestes a chorar – Desculpa Peter... Enfim ficarei bem... Tchau!

- Esper...

Não dei chance dele terminar, eu já estava chorando com tudo que aconteceu, respirei fundo pra parar e me concentrei em retirar a bala do ombro, por sorte não foi nada profundo muito menos grave. Depois disso entrei no banho me permitindo chorar sentada com a água caindo em mim. Sai do banho e fiz os curativos, peguei uma camiseta que era de Tess, sorri fraco com isso, a coloquei e coloquei um shorts, terminei de me vestir e sinto um cheiro familiar, então escuto a porta, olhei pelo olho mágico e me surpreendi com o que vi.

- O que ta fazendo aqui?

- Bom te ver também... – Peter diz entrando e eu só olhava em choque.

Luna ergueu o olhar e Peter travou, eu ia perguntar o que foi quando percebi que ele olhava Luna e essa devolvia o olhar com a cabeça inclinada.

- O que...? Como...? Quem...? – travo o sistema do loiro...

- Peter essa é Luna minha loba guia espiritual... Luna esse é o Peter, lobo do Pack.

“Prazer conhecê-lo Peter! Obrigada por toda a preocupação por nós!”

Peter ainda estava boquiaberto e eu e Luna rimos da situação, ele revezava o olhar entre nós duas.

- Então você tem uma guia? Achei que isso não existisse mais... – ele disse claramente confuso.

“Só os guerreiros e caçadores mais fortes possuem e bom como você deve saber que Tay é uma caçadora implacavelmente forte... Sua família é tão antiga quanto a terra”.

- Sempre suspeitei que houvesse algo especial em vocês – Peter disse depois suspirou e me puxou para um abraço, gemi um pouco de dor – o que te aconteceu?

- Nada...

- Você não geme de dor por nada...

“Fui atacada e Tay me defendeu, mas acabou levando um tiro no ombro... Sinto muito... Se eu não tivesse sido tão impulsiva...”.

- Luna pare! A culpa não foi sua... – disse abraçando a loba.

- O que aconteceu? – Peter se aproximou a acariciou a mesma que ronronou.

- Não sei se devo...

- Ah, mas você vai me contar sim! Eu não me emocionei no telefone a toa com uma simples palavrinha de três letras, obriguei a teimosia da sua irmã a ficar com o mate, me forcei a não trazê-la junto, porque não queria deixá-la com aquele lobo aproveitador e briguei com um pack inteiro dizendo que só eu viria atrás só pra você dizer que não é nada...

- Você fez tudo isso? – perguntei piscando.

- E ainda trouxe a moto pra terminar e armas pro caso de precisar – disse cruzando os braços, mas descruzando logo em seguida pra coçar a orelha de Luna.

Eu fiquei olhando Peter de boca aberta, que logo foi substituído por olhos marejados, ele realmente tinha feito tudo àquilo só pra passar esse tempo comigo? Só pra não me deixar sozinha?

“Porra ele podia ser nosso mate em! Olha só esse cara! Ele é incrível!”

“CALA BOCA SCARLETT! Peter está aqui como...”.

“Nosso pai estaria, eu sei, mas ele não deixa de ser um puta homem charmoso, gostoso e doce...”.

“Okay... tenho que concordar...”.

Peter fazia carinho em Luna e essa inclinava a cabeça em sinal claro de apreciação, não aguentando mais me joguei nele e comecei a chorar, Peter me abraçou e dava beijos no topo da minha cabeça, me conduzia até o sofá onde sentou e me colocou deitada no seu colo acariciando meus cabelos.

- Me conta o que aconteceu lobinha...

De uma forma estranhamente boa aquele apelido me aqueceu, Luna voltou para dentro de mim e ambas apreciávamos o carinho de Peter.

- Aiden e eu brigamos. Eu esqueci de por a pulseira que inibi o cheiro, estava na garagem com Theo e Jordan conversando e concertando a moto... – minha voz era um sussurro fraco, era grata ao lobo conseguir ouvir – ele achou que tínhamos ficado porque eu cheirava a eles e apareci no meio dos dois...

Um soluço involuntário escapou e mais lágrimas caíram, Peter me levantou e colocou sentada em seu colo me abraçando, não havia reparado que 1º eu estava uma pedra de gelo, 2º eu tremia por conta disso. Fui parando conforme o calor dele me aquecia.

“Mas não se compara ao do Aiden...”.

“Não podemos tê-lo agora pequenina.”

“Eu sei...”

Fechei mais os olhos com essa certeza.

- E ai...? – Peter me incitou.

- E ai ele começou a falar que pra mim não tínhamos nada, que nunca nos levei a sério que o tempo que tinha eu preferia me pegar com outros machos... – lembrar suas palavras fez meu peito apertar, uma dor sufocante.

Senti os braços de Peter me apertarem mais, sentia o cheiro de raiva exalando dele, sabia que se olhasse pra ele veria os olhos azuis gélidos do seu lobo.

- Eu vou matar aquele maldito...

- Não você não vai... – falei olhando pra ele e dando um mini sorriso.

- Realmente não porque vocês me matariam... – ele disse em uma carreta que me fez soltar uma fraca risada – O que mais aconteceu?

Respirei fundo e contei o resto da história, o beijo e a captura de Luna. Peter exalava raiva, era claro o conflito entre ficar comigo ou ir atrás de Aiden.

- Eu realmente quero matar aquele filho da puta por magoar meu filhote...

- Seu filhote? – arqueei a sobrancelha e então senti sua energia mudar para constrangimento – gosto como isso soa! – falei animada.

- Sério? – ele me avaliava sério.

- Sim... Pai. – sorri tímida.

Acho que nunca conseguirei descrever como me senti naquele momento, ver o sorriso de Peter por aquela simples palavra, a alegria de Luna dentro de mim por termos um pai, ter um pai novamente e poder simplesmente ser uma adolescente com problemas era simplesmente indescritível.

- Vem filhote, vamos comer e depois você vai dormir.

Concordei e sai de seu colo indo pra cozinha. Tive certeza de uma coisa: esses dias seriam uns dos melhores da minha vida.

Pov. Tainá Off

Pov. Aiden on

“Aiden você é um imbecil de marca maior! Como pode duvidar da fidelidade da sua namorada? Como pode dizer aquelas coisas horríveis a ela?”

Do momento que gritei com Tay até agora esses eram meus únicos pensamentos, meu lobo rosnava em fúria com ódio de mim e eu nem poderia culpa-lo jê que eu estava me odiando por ter feito aquilo. Como eu pude ser tão idiota? Eu sempre soube da amizade dos três, Tay até havia me dito que suspeitava que Theo tava afim do Liam e que Jordan tinha confessado ter sentimentos por Isaac, sabia da moto que ela reformava com Peter e Theo, eu queria ter lhe dado uma, mas ela disse que gostava de por a mão na massa e até tinha me chamado para ajudá-la! Eu deixei o ciúme falar mais alto e agora estávamos nisso: procurando Tay por toda Beacon.

E ainda teve aquela maldita garota Claire que a me ver nervoso entrou na minha frente tentando “conversar” eu dispensei, mas ela ficava entrando na frente, quando estava prestes a avançar nela eis que a mesma me puxa para um beijo o qual eu não correspondo ficando em choque e me afastando logo em seguida. Mas foi tarde demais, ouvi o rosnado de Luna, mas quando olhei, nem ela nem Tay estavam ali e a maldita sai como se nada tivesse acontecido. Eu queria matá-la.

Estava voltando pra mansão com Theo e Jordan que não haviam dito uma palavra o caminha todo quando sinto o cheiro de raiva, olho pra cima esperando ver Tess, Peter ou até mesmo Malia, mas quem eu realmente vejo me surpreende: Ethan.

Meu irmão tinha a pose mais hostil do mundo: braços cruzados, as pernas afastadas, os olhos vermelhos vivos e a mandíbula travada, mas então ele rosna o que acaba por exibir seus caninos. Eu engulo em seco, eu estava fodido, raras às vezes vi Ethan assim e quando vi agradeci que essa fúria não era voltada pra mim... Mas... Bom...  Dessa vez não tive a mesma sorte.

- O. Que. Você. Fez? – dava pra ver que ele estava se controlando pra não vir pra cima de mim.

- Merda... E uma das bem grandes...

- Ora não me diga! O grande alfa Aiden Steiner fazendo merda? Quem diria não? – sua voz destilava sarcasmo – VOCÊ PRATICAMENTE CHAMOU SUA NAMORADA DE VADIA PORRA!

 - EU SEI!

- SABE MESMO AIDEN? TEM CERTEZA? – Ethan estava possesso – ELA É A PORRA DA SUA MATE, CARALHO! ELA TE AMA E NUNCA TE TRAIRIA IDIOTA!

- Ethan, amor calma! Isso não vai resolver nada, por que não conta a ele sobre aquilo?

- Aquilo o que? – revezei meu olhar entrei meu irmão e o namorado.

- Conte você... Depois do que ele fez com ela eu me recuso a contar e falar qualquer coisa! – Ethan entrou furioso na mansão, Jackson suspirou e foi atrás.

E eu? Bom eu fiquei plantando tentando assimilar o que aconteceu.

- Ela ia te levar pra conhecer a cabana dos pais dela e tinha preparado algumas coisas especiais pra vocês terem a primeira noite de vocês... – Theo respondeu sereno sentando-se na escada.

Eu nem havia percebido que ele e Jordan ainda estavam ali. Os encarei confuso.

- Como assim?

- Caramba você é lento em carinha? – Jordan disse sentando ao lado do loiro - quer dizer que ela estava preparando surpresas pra primeira transa de vocês.

Eu abri e fechei várias vezes a boca tentando falar, mas nada saia. Tivemos um momento íntimo na minha casa numa das primeiras noites que passamos juntos, mas Tess e Scott estavam tão problemáticos, que Tay resolveu intervir e eu a incentivei adiando assim nossas noites juntos. Havíamos combinado de passar o fim de semana em algum lugar que ela iria escolher, só nós dois, mas não imaginei que minha garota estava preparando uma surpresa tão grande.

“Isso se ela continuar sendo sua garota depois disso...”.

- Ela não tirou a aliança, então quer dizer que vocês ainda estão juntos, sendo assim da pra arrumar a merda... – uma voz feminina chamou atenção e olhei pro alto da escada vendo Tess, eu estava morto! Ela ergueu o óculos e suspirou, Scott estava ao seu lado com uma careta.

- Como sabe? – perguntei.

- Porque se Tay tivesse desistido ela ia deixar aliança e pegaria as coisas dela e iria para outro lugar pra ficar longe de você e ela não fez isso... – Tess fez uma careta – Peter foi atrás dela, não sabemos onde, ele não me deixou ir junto e Tay está com a pulseira. Provavelmente ela só está precisando de tempo para clarear as ideias.

Eu engoli em seco, eu havia causado toda aquela merda, só eu! Tay tentou explicar, tentou vir atrás de mim, Theo e Jordan haviam contado e eu fiz essa merda toda. Eu passo por todos entrando na mansão e recebendo rosnados, então sinto alguém me jogando contra a parede, quando olho é Malia.

- QUAL A PORRA DO SEU PROBLEMA STEINER? COMO SE ATREVE A ACUSAR TAY DE TRAIÇÃO?

- Malia ­– a voz de alfa de Derek se faz presente e ela recua contrariada – Aiden...

- Eu sei Derek, eu sei! Eu já entendi que eu fiz a porra de uma merda, agora será que vocês podem me deixar em paz?

Subi as escadas correndo e me tranquei no quarto de Tay, seu cheiro dominava o quarto e fazia meu lobo ganir querendo a fonte desse cheiro, me enroscar e enfiar o rosto bem na curvatura do pescoço onde é mais forte. Fui em seu armário e vi uma camiseta minha que ela tomou posse, seu cheiro era forte nela, a coloquei, e deitei em sua cama com o nariz colado no travesseiro e me permiti chorar pelo que fiz.

- Mas que merda que eu fiz...

“Das bem grandes, garoto...” essa voz me causou arrepios, levantei o rosto.

- Luna... – murmurei.

“Você é um desgraçado Aiden!” ela rosnava pra mim.

Ela mostrava dominância, superioridade e nobreza. Meu lobo gania abaixado mostrando sua submissão à loba e a dona dela.

“Eu devia rasgar sua garganta por fazê-la sofrer! Como ousa beijar outra garota na frente dela?!”.

- Não beijei – meu lobo respondeu – ela nos beijou a força.

Luna parou de rosnar e me olhou com atenção, eu não havia percebido que tinha me transformado por completo até ver que estava na forma total de lobo e abaixado.

“Levante-se lobo, isso é humilhante. Não escolhi um ser fraco para minha garota.”

Eu levantei, mas aquela fala me fez sentir um aperto.

“Ela não me escolheu... Nunca me escolheu...”.

“Ela te escolheu desde que te viu a primeira vez Aiden e isso foi muito antes de vocês invadirem o apartamento delas...”.

“O que? Como? Quando?”

“Você não se lembra né, da primeira vez que se viram?”

Comecei a puxar na memória, eu tinha que lembrar, então puxei algo que há muito tempo não lembrava... Eu já a observava muito antes de conhecê-la, como pude me esquecer disso!

“A biblioteca...”

Flashback

Eu estava atrás daquela garota de novo, ela me deixava intrigado mesmo ela sendo alguns anos mais nova. Eu procurei por toda a escola o seu cheiro, menos em um lugar, a biblioteca, quando me aproximei pude sentir o aroma inconfundível, entrei e comecei a procurá-la em toda parte, até que a vejo tentando pegar um livro no alto, mas uns meninos mexem na escada e ela desequilibra, corro para pegá-la chegando a tempo. Ela está no meu colo a camiseta aberta nos ombros exibe sua pele clara e a calça justa mostra o quanto, mesmo tão nova, sua perna já é torneada, os olhos muito fechados até que começa a abri-los lentamente para entender porque não houve queda e olha pra mim assustada e envergonhada.

- Você está bem? – pergunto admirando sua beleza.

Ela tira o cabelo do rosto e acena que sim, a coloco no chão e ela sussurra um “obrigada” e sai correndo e eu fico olhando-a ir.

Flashback off

“Exatamente... Eu vou acreditar em você Aiden sobre o beijo, mas faça minha criança sofrer novamente que eu garanto que ligação nenhuma me impedirá de corta-lo em pedacinhos.”

Eu assenti e Luna sumiu, voltei à forma humana, legal a camiseta rasgou... Peguei uma cueca das roupas que deixava ali, que eram poucas e coloquei deitando e dormindo na sua cama para aquietar um pouco meu lobo. Amanhã pensaria em como iria pedir perdão a minha garota.

Pov. Aiden Off

Pov. Tainá

- Tem certeza do que vai fazer? – Peter me perguntou segurando nos ombros.

Eu assenti e ele me deu um beijo na testa, passar essa semana com Peter foi maravilhoso, ele foi um paizão mesmo. Teve muita paciência com meus choros, terminamos de reformar a moto que agora está perfeita, nos filmes ele me abraçava e fazia cafuné como meu pai, aguentou melhor que Tess meus surtos com supernatural e até concordou comigo que os caras eram gostosos e que a Charlie era uma gata maravilhosa e principalmente me ajudou a pensar sobre o que fazer com Aiden.

- Vai estrear a moto?

- E você achou que não? – sorri marota.

Ele riu e entrou na caminhonete, nossas coisas estavam todas lá, então pude ir livre na moto. Liguei e ouvi seu ronco, aquele som era reconfortante e ao mesmo tempo liberava uma adrenalina tremenda. Eu estava com saudades de tudo e todos, principalmente Aiden, não sabia se ainda poderia chama-lo de namorado, mas pra mim não tínhamos terminado, olhei para a aliança que me recusei a tirar, baixei a viseira e seguimos rumo à mansão. Tirei a pulseira, eu queria que todos sentissem quando eu chegasse, mesmo que pudesse aumentar a confusão por conta do cheiro de Peter em mim. Segui com aquela sensação de liberdade que só uma moto podia proporcionar. Chegamos à mansão e eu estava descendo da moto quando olho pra trás todo o Pack ta lá.

“Menos ele...”.

Tentei não esboçar minha tristeza, afinal meus amigos cheiravam a ansiedade e saudade.

- Voltei – cantarolei.

Eu não vi quem foi o primeiro a me abraçar, só sei que fui esmagada de modo arrebatador, todos nos perguntava onde fomos e o que fizemos, Peter não contou e eu agradeci por isso. Disse que estava cansada e fui tomar um banho, chegando ao quarto eu travei, o cheiro dele era forte e muito presente, quase como se ele estivesse ali, procurei, mas ele realmente não estava então segui para o banheiro, tomei um banho rápido e sai de toalha, fui até o armário procurando uma camiseta dele regata que eu tinha, mas não encontrei, suspirei, peguei uma minha do Scorpions e uma calcinha preta e dormi sem nem jantar.

No dia seguinte acordo com a luz batendo nos olhos e Luna resmungando.

“Você bem que podia ter fechado a cortina...” ela colocou a pata nos olhos.

“Você também não pensou nisso...”.

Deixei-a resmungando na cama e fui fazer minha higiene. Coloquei um top e uma regata aberta do lado e um shorts de corrida, resolvi que iria correr depois do café. Cheguei à cozinha e Derek fazia panquecas, ovos, bancos e outras coisas.

- Bom dia estrela da manhã – ele disse bem humorado.

- Bom dia alfa bobamente apaixonado... – respondi depois de um bocejo.

Ele riu e conversamos sobre carros enquanto comia, lavei minha louça e disse que ia correr, peguei meu canivete (que fiz o Derek procurar depois da nossa briga) e sai colocando os fones. Eu sei que é arriscado dado a situação que passamos de ataques, mas eu precisava parar a minha mente e esse era o único jeito, liguei o Spotify e coloquei Avicii, comecei a correr. Eu não sei quanto tempo levei pra falar a verdade, quando cheguei Stiles e minha irmã estavam na sacada me esperando, almocei separado de todos porque estava suada mesmo eles falando que não tinha problema, depois disso descansamos e treinamos, treinei com Kira, ela era boa com katanas, mas eu ainda era melhor. Depois de um dia normal o qual não o vi e nem vi Ethan ou Jackson, fui para o quarto perdendo a esperança do nosso relacionamento, entrei e fui direto pro banho, nem falei com Luna. Tomei banho e derramei algumas lágrimas, sai nua dessa vez, eu havia trancado a porta antes de entrar no banheiro e Luna as cortinas, eu ia me jogar na cama e me enroscar em Luna, mas então vi um pacote com um bilhete que só tinha uma mensagem:

Use isso, por favor!

Ass: SEU Aiden

Meu coração acelerou, abri o pacote e sorri: era uma calça preta com uma camiseta de alças aberta no ombro roxa, com um colar e brincos prateados. Pensei em colocar a sandália prata, ia ficar boa, depois de tirar a roupa vejo um pacote menor dentro desse, mas esse eu sabia que não era de Aiden.

“Ethan e Jackson”.

Eu ri e Luna inclinou a cabeça, peguei o pacote e lá tinha exatamente o que imaginei: a lingerie preta de renda que comprei para usar com Aiden. Coloquei-a e coloquei a roupa, estava arrumando meu cabelo deixando o bem solto, quando ouço o celular tocar.

Ethan: Estamos te esperando!

Desci com o celular e uma bolsinha preta, todos na sala me olhavam admirados. Peter se aproximou e beijou minha testa.

- Está linda filhote!

- Obrigada pai!

- Boa sorte maninha! – Malia me abraçou e me surpreendeu com sua fala.

- Obrigada... Mana – sorri pra ela.

- Eu quero matá-lo – Tess disse me abraçando.

- Se quisesse teria feito – zombei retribuindo o abraço.

- Qualquer coisa você nos liga! – Stiles disse e Derek concordou.

- Vou ficar bem pessoal, agora tenho que ir... Desejem-me sorte.

- Você não precisa disso, se ele for burro de te largar tem quem queira – Liam disse me abraçando.

- Liam tem toda razão! – Lydia disse sorrindo.

Sorri para todos, céus! Como eu os amava! Sai e vi Ethan e Jackson me esperando sorrindo. Ethan correu e me abraçou eu correspondi e segurei as lágrimas.

- Estava com tanta saudade! – ele disse emocionado.

- Eu também... – respondi num sussurro.

Jackson me abraçou e beijou e entramos no carro seguindo até não sei onde. Conversamos sobre coisas aleatórias, em momento algum tocando no assunto que eu queria: Aiden. Então chegamos a um lugar estranho, aquilo por acaso era uma biblioteca?

- Entra... Espero que você goste. – Ethan sorriu gentil.

Eu assenti, desci do carro e entrei, o lugar tinha leds no chão iluminando um caminho, quando no final do caminho e no centro havia uma mesa com dois lugares de frente um para o outro, ouvi uma palma e luzes acenderam mostrando que o lugar era mesmo uma biblioteca.

- Uau... – murmurei maravilhada.

- Eu tenho que dizer o mesmo.

Arrepiei-me com essa voz e olhei na direção dela, Aiden estava um pouco atrás da mesa, usava uma camiseta azul marinho embaixo de uma jaqueta de couro, calça jeans preta e coturnos pretos também, ele me parecia tão familiar vestido daquela maneira. Ele se aproximou com todo o seu jeito dominante, seu cheiro amadeirado, forte marcando sempre presença, corri os olhos por ele todo e foquei em sua mão direita, na aliança que ainda estava ali e meu coração parecia dar pulos de alegria, ou era Luna mesmo.

- É bom vê-las senhoritas... – ele pegou minha mão e beijou, tinha certeza que Luna também estava marcando presença – senti sua falta.

Minha garganta se fechou e meus olhos marejaram, eu não percebi o que tinha feito até fazê-lo.

- Au... – Aiden disse colocando a mão no rosto onde bati, ficou vermelho.

- Nunca mais diga que me esfrego nos outros, nunca mais ouse sequer COGITAR a ideia que trai você! – eu apontava o dedo na sua cara e ele só assentiu assustado, então o puxei pelas lapelas da jaqueta para um beijo, só Deus sabe o quanto eu sentia falta daqueles lábios nos meus e daquele gosto misturado ao meu – mas principalmente: nunca mais TENHA A OUSADIA de duvidar do meu amor por você, fui clara?

- Tão clara quanto à luz da manhã. – sorrimos um para o outro.

Foi quando olhei em volta para realmente reparar no lugar, não era uma biblioteca, mas com certeza foi feito para simular uma, olhei pra ele.

- O que significa tudo isso?

- Você lembra como nos conhecemos?

- Claro... Vocês invadiram meu apart...

- Não... Quando realmente nos conhecemos, quando realmente nos vimos a primeira vez.

Meus olhos arregalaram e marejaram, eu nunca esqueci aquele dia, eu nunca O esqueci. Eu já amava Aiden sem nem saber que o amava, saber que ele se lembrava daquele dia me fez derreter e puxa-lo para mais um beijo. Um urgente e cheio de desejo que só foi quebrado, porque o ar se fez necessário.

- Vem, vamos jantar antes que eu adiante os planos dessa noite. – me deu um selinho e puxou em direção a mesa.

Comemos e conversamos sobre essa semana, Aiden me explicou a cena que vi e pediu perdão pelo ataque de ciúmes, eu pedi perdão por ter sumido e não ter dito nada, ambos pedimos perdão por termos magoado um ao outro. Foi um jantar leve, esse tempo realmente tinha sido bom para nós, para por o relacionamento em uma perspectiva diferente. Quando terminamos Aiden me deu meu capacete e fomos de moto até uma cabana, ela era simples e linda.

- Derek disse que poderíamos usá-la essa noite – ele disse coçando a nuca.

- Ela é linda... – eu tocava a madeira rústica maravilhada, Derek tinha bom gosto.

- Não mais que você – Aiden sussurrou em meu ouvido – vamos entrar, está esfriando!

A cabana era simples, uma sala separada por uma bancada da cozinha, quarto com suíte. Os móveis eram rústicos, com exceção da cama king size, no fundo você tinha a visão do lago que está magnífico nessa noite de lua cheia.

Aiden virou-me de frente para ele e começou um beijo suave, deslizando a ponta de seus dedos por meu rosto e pescoço causando arrepios, minhas mãos foram automaticamente a sua nuca agarrei seus cabelos e o puxei mais pra mim pedindo passagem com a língua que foi cedida imediatamente, elas se exploravam e exploravam os cantos de nossas bocas, eu sentia tanta falta daquele gosto. Desci minhas mãos à jaqueta e a expulsei de seu corpo, ele só permitiu, minha mão deslizava por seus braços e peitoral, sentido aqueles músculos duros como rocha; suas mãos deslizavam por meu corpo até chegarem a minha coxa e ele me erguer. Prendo minhas pernas em sua cintura e ele nos leva até o quarto sem interromper o beijo.

Coloca-me na cama e se afasta, nos encaramos por um tempo então num movimento rápido ele se livra de sua camiseta exibindo seu peitoral trincado, passo a língua por meus lábios em puro desejo, então ele se livra da minha camiseta e logo em seguida minha calça e sandálias também se levantando para ter uma visão completa minha.

- Gostei da surpresa... – ele tinha um sorriso cafajeste no rosto.

- Menos papo mais ação Steiner, não passei uma semana longe para você ficar de joguinhos.

Num movimento rápido fui até a beirada da cama e abri sua calça abaixando-a deixando-o só de box. Ele voltou pra cima de mim e começamos um beijo quente e intenso, ele desceu por meu pescoço lambendo e chupando. Fodasse se ficaria marca, isso mostraria que eu era dele! Ele desceu até meus seios então se sentou me puxando junto me fazendo sentar em seu colo, nossos membros se roçavam e gememos com isso, ele se livrou logo do meu sutiã o jogando pra algum canto, então começou a chupar meus seios, revezando; joguei a cabeça pra trás em puro deleite quando ele mordiscou os bicos.

- Aiden – sussurrei de forma manhosa e gemi em seguida.

Seu olhar me queimava, queria dizer que fiquei constrangida, mas isso só me incitava a me soltar e entregar mais e mais a ele; levantei seu rosto e o beijei, empurrando-o novamente pra cama, desci os beijos por seu pescoço, não me importava que minhas marcas sairiam rápido, naquele momento importava saber que aquele lobo gostoso era MEU! Desci por seu abdômen até chegar no caminho da felicidade, lambi aqueles ossos que indicavam e dei uma leve chupada por cima da cueca sentindo seu gosto adocicado.

- Tay... – Aiden chamava meu nome como se fosse um mantra, uma prece para mantê-lo vivo.

Tirei sua cueca liberando sua bela e deliciosa ereção. A glande já se mostrava vermelha e inchada desejosa de atenção, coloquei tudo na boca até chegar a base, quando voltava raspava os dentes de leve e olhando pra cima via como isso enlouquecia meu lobo, fiquei nesse vai e vem por um tempo então tirei todo da boca e comecei a masturbá-lo enquanto chupava as bolas, Aiden me olhava com luxúria apoiado nos cotovelos, eu me sentia devassa. Ele começou a ter leves espasmos e sabia que estava próximo, mas ele me puxou e beijou ferozmente, ao findar ele disse:

- Hoje não gatinha... Hoje vamos fazer a coisa direito.

Voltou a me beijar enquanto tirava minha calcinha, levou sua mão lá e eu tive um leve tremor quando começou a me provocar.

- Aiden... – suspirei – E-eu... Awn

- Você o que minha linda? – ele falava com uma voz rouca e sensual em meu ouvido e isso me enlouquecia mais ainda.

- Q-quero v-você... Awn... D-dentro de m-mim... Aaah... Agora! – falei a última palavra olhando em seus olhos.

- Tem certeza? Posso te prepa...

- Aiden não me negue esse prazer. – falei convicta e o puxei mostrando meu desejo.

- Antes... Você é minha? – seus olhos brilhavam em vermelho.

- Sempre fui sua Aiden – respondi tendo consciência que os meus deviam estar parecidos com a galáxia – e você é meu?

- Nunca deixei de ser! – e me beijou

Eram nossos lobos ali, eram eles declarando um ao outro que pertenciam eternamente um ao outro, ansiando em ter a certeza de que pertenciam um ao outro. E isso pareceu suficiente, pois ele meteu com tudo me fazendo arquear, céus como aquilo era bom! Aiden começou a chupar meus seios enquanto estocava firme em mim, eu era só suspiros e gemidos baixos, ele subiu os beijos até meus lábios o que abafava meus gemidos e me dava total liberdade de arranha-lo.

- Assim você me enlouquece e não conseguirei segurar. – ele grunhiu.

- Não se atreva a se segurar... Awn! – gemi com suas estocadas.

- Fica de quatro.

Ele saiu e fiquei, no mesmo momento ele estocou com tudo e eu empinei fazendo ele ir mais fundo, meus olhos reviravam de prazer, Aiden estocava mas eu sabia que ele estava se segurando.

- Aiden eu acho bom você estocar mais rápido e forte se quiser viver – rosnei pra ele.

- Eu posso te machu...

- Eu não sou de porcelana! – exclamei frustrada.

Amém que isso foi suficiente! Ele começou a estocar mais rápido e forte, uma de suas mãos segurava firme minha cintura me trazendo pra ele e a outra se prendeu em meus cabelos os puxando levemente, ele mordia meu pescoço, nuca, ombros e eu era só gemidos. Aiden então parou se sentou escorado na parede e bateu em seu colo, no mesmo instante fui e sentei começando a cavalgar, ele me olhava com desejo e admiração, o que não era muito diferente de mim, joguei a cabeça para trás gemendo.

- Aiden e-eu vou...

- Vamos juntos amor... Goza pra mim Tainá. – ele falou meu nome com deleite.

Isso fez liberar uma nova onda de prazer por meu corpo e como se respondesse a seu comando eu gozei clamando seu nome, Aiden veio logo em seguida clamando o meu. Cai sobre seu peito, estávamos ofegantes; ele acariciava minha coluna, então senti parar e seus batimentos acelerarem mais.

- O que foi? – olhei confusa.

- Vamos ter uma surpresa daqui 9 meses não é?

Eu não pude deixar de rir, tínhamos esquecido a camisinha.

- Do que está rindo, isso é sério! Peter vai me matar...

- Eu tomo anticoncepcional Aiden – respondi depois que comecei a acalmar – mas se quiser podemos comprar a pílula do dia seguinte amanhã.

- Sério mesmo? Por que não me contou sobre o anticoncepcional?

- Talvez porque você nunca tenha perguntado? – respondi arqueando a sobrancelha.

- Faz sentido... – ele murmurou e rimos.

- Bem que dizem que sexo de reconciliação é o melhor. – disse rindo.

- Quem falou isso é bem inteligente – ele disse com um sorriso sacana que retribui.

Mexi-me em seu colo e senti seu membro despertando dentro de mim de novo, olhei ainda com o sorriso sacana nos lábios.

- Mais uma rodada lobão?

- A noite é uma criança baby.

Então ele atacou meus lábios de novo.

(...)

- Aiden você não precisa disso tudo de roupa... – tentei parecer séria, mas era impossível não rir do meu namorado.

Íamos todos viajar, ideia do Sti, e Aiden estava levando praticamente o guarda-roupa inteiro.

- Mas amor...

- Aiden podemos comprar roupas lá e também você sabia que existem máquinas de lavar não é mesmo? – arqueei a sobrancelha com um sorriso irônico.

- Ok, ok espertinha... Acha que consegue arrumar uma mala pra mim?

Não levou mais que 10 minutos e eu já tinha uma mala pronta para ele com as roupas que ele e eu gostávamos.

- Não acredito que você conseguiu isso – ele falava descrente enquanto eu ria dirigindo em direção à mansão.

Chegando lá vi que todos corriam de um lado para o outro, Sti reclamava com Derek de não levá-lo a Disney, Malia e Kira procuravam o chapéu de praia da primeira, Tess provocava Derek, Isaac e Jordan conversavam com uma troca de olhares suspeitas, Theo perturbava Liam que não parecia nem um pouco bravo e Peter fazia de tudo para não olhar a comissão de trás de uma certa ruiva.

- E AI MEU POVO? BORA? O AVIÃO NÃO VAI ESPERAR A GENTE! – Jackson gritava com a cabeça pra fora do carro.

- Tay o Aiden vai te levar aos parques da Disney? – Stiles perguntou me olhando com expectativa assim que desci do carro para ver no que podia ajudar. Olhei meu namorado que estava alheio a conversa, pois conversava com Theo e Liam e respondi dando de ombros:

- Se ele não levar faço greve de sexo. – sorri ao final.

- O que? Como assim greve de sexo? Por que greve de sexo? – Aiden perguntava apavorado e não pude deixar de gargalhar.

- Se você não me levar aos parques Disney...

- Ah isso? Relaxa, vamos aos parques Disney – disse me abraçando por trás e beijando meu pescoço, para voltar a conversar com os rapazes, sorri e pisquei para Stiles.

- Viu Derek?! Até o Aiden vai levar a Tay... Acho que vou fazer o mesmo... GREVE DE SEXO ATÉ TER MEU DESEJO REALIZADO. – disse saindo enquanto Derek ia desesperado atrás tentando negociar e convencê-lo que se levasse pensariam que ele é pai dele e não seu namorado.

Eu ria da situação, Aiden pega meu pulso esquerdo e da um beijo no símbolo celta que aparece ali, o mesmo que aparece em nossas alianças.

- Amor eterno... – ele sussurra.

- Com certeza eterno! – respondi sorrindo e lhe dando um beijo.

Essas com certeza seriam as melhores férias em anos!

- OK! Você venceu, eu te levo aos parques Disney. – Derek declarou derrotado.

- YEEEEEAAAAAH! POR ISSO TE AMO MEU LOBO AZEDO!


Notas Finais


E é isso amores meus!

Espero que tenham gostado, comentem o que acharam!

Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...