História Porcentagem - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 9
Palavras 699
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá pessoas que lêem essa história.
Eu só queria lembrar que o número de cada capítulo vai descendo de 5 em 5.
Por isso que depois do 90 foi pro 85.
A notícia é inútil e vocês devem ter percebido.
Mas só pra avisar mesmo.
Boa leitura

Capítulo 5 - Porcentagem 85


Larry:Seja bem vinda, Melzinha.

Eu:Onde ta a minha mãe?

Larry:Não vai me perguntar como foi o meu dia?

Eu:Que se foda o seu dia, eu quero saber onde ta a minha mãe!

Larry:Não seja grossa querida.-Ele se levanta e vem até mim, depois que ele se apróxima de mim ele para.-Sua mãe está em um lugar melhor agora.

Eu:C-como assim?

Larry:Não pense que eu matei sua mãe, eu não fiz isso, se eu fizesse isso não teria como te chantagiar.

Eu:C-chantagiar?

Larry:É claro, você irá fazer tudo que eu mandar, e se não fizer aí sim eu irei matar sua mãe.

Eu:Você não teria coragem...

Larry:A eu teria sim.-Ele colocou suas mãos em meu rosto e foi se apróximando aos poucos.-Agora você será só minha, Melzinha.-Ele sela nossos lábios.

Eu realmente eu não queria, tentei me soltar mas eu não conseguia, eu sou fraca pra bancar a valente. Ele tentou colocar sua língua em minha boca, e não deu muito tempo pra ele conseguir o que queria. Eu mesmo sendo fraca eu tentei me soltar, e consegui, tentei correr para a porta mas ele me segurou e me bateu com alguma coisa na minha nuca, me fazendo desacordar.

Eu finalmente tinha acordado, mas eu sentia uma dor em minha íntimidade. Quando eu consegui abrir mais os olhos eu vi o Larry nu encima de mim. Eu sentia muita dor em minha ítimidade, o Larry fazia movimentos de vai e vem, me fazendo gemer alto.

Larry:Já acordou Melzinha?

Eu:P-por f-favor... p-pare...

Larry:Porque parar o que eu comecei?-Ele falava ofegante.-Ainda mais está perfeito!

Eu:P-por f-avor... n-não...

Larry:Shhhh, só fique em silêncio e aproveite.

Ele começou os movimentos mais uma vez, mas dessa vez ele chupava meus seios me fazendo gemer e gritar de tanta dor. Nesse momento em vez de chorar, pedindo que ele pare, eu queria morrer.Eu não aguentava mais, queria deixar de existir, queria não existir nesse momento, mas parece que o mundo conspira sobre mim.

Depois de horas dele fazendo aquilo em meu corpo, ele dormiu ao meu lado. Vi que na minha cama tinha sangue, fui para o banheiro tomar banho, me vi no espelho e minha porcentagem estava em 85%. Tomei um banho, vesti uma roupa qualquer, e saí de casa. Não queria que aqule "homem" acordasse e fizesse tudo denovo.

Fui para a casa da Chris, não me importava de que horas seriam agora, eu só queria minha melhor amiga. Mas eu acho que eu nãoo deveria contar a ninguém o que acinteceu, se não ele mataria a minha mãe. E eu realmente não queria isso.

Chegando na casa da Chris, bati na porta de sua casa três vezes. Ela demorou um pouco para abrir mas ela finalmente tinha chegado.

Chris:Melzinha? O que você ta fazendo aqui? A essa hora da noite?

Eu:Posso dormi na sua casa por esses dias, só pra deixar minha mãe e o namorado dela a sós?-Minto, eu não quero que ela se envolva nisso.

Chris:Tudo bem, entra.

Entrei em sua casa, era bem arrumada por sinal. Era espaçosa, e tinha vários comodos. Eu nunca vim em sua casa, mesmo a gente sendo melhores amigas.

Chris:Quer assistira alguma coisa? Comer alguma coisa?

Eu:Eu não quero atrapalhar seu sono.

Chris:Magina, eu nem estava conseguindo dormir mesmo, estava até pensando horas atrás em te chamar pra vir pra cá.

Eu:Então vamos assistir um filme, mas você sabe o filme que euquero assistir.

Chris:Você não está falando daquele filme está? Pois se estiver falando eu iria pirar.

Eu:É claro que eu estou falando daquele filme.

Eu/Chris:Vamos assistir O Som do Coração!!

Chris:O final dele sempre me emociona.

Eu:Mas depois iremos assistir um filme de terror.

Chris:A não Melzinha! Eu não quero assistir todos aqueles filmes de terror!

Eu:Mas vamos assistir pois é um dos maiores clássicos filmes de terror.

Chris:Eu não queri assistir A Hora do Pesadelo! É muito assustador!

Eu:Por isso que ele é de terror, ou você quer assistir It a Coisa, ainda mais sendo o antingo.

Chris:Vamos assistir A Hora do Hush mesmo.

Eu:Ok, vamos assistir esse.

Chris:Ebaaa!!

A Chris fez pipoca, trouxe doritose nutella. Começamos a assistir o filme O Som do Coração. Depois assistimos A Hora do Hush. Mesmo me diverdindo com ela, eu sentia nojo de mim, por ter sido fraca naquele momento em que ele me estrupou. Eu sinto mais nojo ainda por não contar a ninguém. Nem pro meu próprio pai, que quer me ajudar. Não posso contar


Notas Finais


Meu Deus!
Porque eu fiz isso com a Merlín?!
To sentindo raiva de mim mesma.
Mas não seria uma história triste sem sofrênça.
Mas a bixinha não merecia esses atos do Larry.
ESSE FILHO DA PUTA DO LARRY!!!!
VOU TE MATAR LARRY!!!!
SÓ ME ESPERA!!!

'-'

Mas agora sem mais delongas...

FALOUWWWWWWWW!!!!!!




Ps:Guarde minha palavras Larry, eu irei te matar mais pra frente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...