1. Spirit Fanfics >
  2. Portal das Estrelas >
  3. Novo Emprego, novo começo

História Portal das Estrelas - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente. Espero que gostem da história nova. Queria lembrar que não é uma fanfic, então podem ler mesmo sem conhecer a série na qual eu me baseei. Não vão ter personagens ou coisas relacionadas aos personagens da série aqui. Boa leitura.

Capítulo 1 - Novo Emprego, novo começo


Fanfic / Fanfiction Portal das Estrelas - Capítulo 1 - Novo Emprego, novo começo

Novo emprego, novo começo 


  Minha irmã gêmea, Madison, me olhou com os braços cruzados e uma cara que dizia que ela reprovava a minha ideia. Hoje era meu primeiro dia como major na base onde nossos pais trabalhavam.  Era um projeto governamental secreto, do qual ambas sabíamos devido ao trabalho de nossos pais. E por causa desse trabalho, nossa vida mudou, e não posso dizer que foi pra melhor. 


  O governo descobriu, mais de 30 anos atrás, um portal alienígena que permitia que viajássemos para outros planetas. Primeiro, eram enviadas máquinas para certificar que o ambiente era possível de se sobreviver, e depois, as equipes de busca, que tinham como missão investigar o local, trazer coisas de outras culturas, criar vínculos e se possível, armas. Meus pais tinham uma equipe nesse projeto do governo. Meu pai era coronel, minha mãe era major, como eu. Mas quando começaram a se relacionar, se afastaram. Depois do nosso nascimento, o general, que não havia gostado da ideia de perder dois funcionários tão bons, resolveu encobrir o relacionamento deles e trazê-los de volta. Por muito tempo, ninguém ficou sabendo. Até que em uma das missões, eles desapareceram. A partir daí, meus avós tomaram conta da gente. Minha irmã guarda uma raiva gigante do governo, e eu não tiro a razão dela. Mas eu guardo outra coisa: vontade de procurar nossos pais. E pra isso, tenho que me aproximar do que eles faziam, e do governo. E hoje era meu primeiro dia. 


  — Só me faz um favor, ok? Não desapareça também. Eu não vou te perdoar se você sumir, Olivia, e eu estou falando sério. — Disse minha irmã. 


  Eu me virei para ela. Já tivemos aquela conversa inúmeras vezes. Eu não iria desistir da minha busca. Eles não iriam nos dar respostas, então eu tinha que procurar as respostas eu mesma. Por sorte, eu não estava sozinha. Tinha dois amigos lá dentro, que trabalhariam comigo. Seria muito mais fácil conseguir as respostas que eu precisava com ajuda. Coloquei minha mochila nas costas e abracei minha irmã. 


  — Não se preocupe, não vou desaparecer. Você não vai se livrar de mim tão fácil. 


  Eu entendia como ela se sentia. O desaparecimento dos nossos pais, 5 anos atrás, ainda deixava ela triste. Eu também estava triste. Mas pelo menos agora podíamos fazer algo sobre isso. Descobrir alguma coisa. Eu sabia que nossos pais haviam desaparecido em uma viagem para o planeta catalogado como PX1309. Eles usavam códigos desse tipo para catalogar os diferentes planetas habitáveis. Eu achava esquisito, mas sinceramente não me importava. 


  Peguei o carro e fui até a base militar onde o projeto Portal das Estrelas atuava. Felizmente o trânsito não estava tão ruim, e eu consegui chegar um pouco antes do horário combinado.   Meus amigos estavam esperando por mim. Damien Blake é o coronel da equipe. Ele é um pouco mais velho que eu, mas somos amigos a bastante tempo. Ele tem os olhos azuis e os cabelos claros, e a expressão dele está quase sempre séria.  Consegui ajuda dele pra ter essa vaga. Ele sabia que minha intenção era procurar meus pais, e estava disposto a me ajudar. E William Daniels, que era o estudioso da nossa equipe. Ele tinha os cabelos escuros e a pele morena. Usava óculos por causa da miopia. Ele tinha formação em história e sabia várias linguagens, e buscava encontrar coisas importantes nas explorações que fazíamos. Estar com ele era como ter uma Wikipédia particular. Eu me perguntava como ele sabia tanta coisa. Eu costumava ser estudiosa mas nunca fui tão inteligente assim. Eu era como meu pai, inteligente, mas não genial que nem minha mãe. 

Tínhamos uma reunião com o general. Caminhamos lado a lado pelos corredores. William quebrou o silêncio primeiro. 


  — Como sua irmã reagiu? — ambos sabiam que a minha irmã não aceitava bem a ideia da minha entrada na carreira militar por causa do que havia acontecido com nossos pais. Ela tinha medo que eu desaparecesse como eles. 


  — Foi bem como o esperado. — Comentei. — Drama e ameaças de nunca mais me perdoar se eu nunca mais voltar. Esse tipo de coisa. Mas no geral, ela não ameaçou me matar nem nada do tipo, então acho que foi uma reação ok. 


  Chegamos na sala de reuniões, onde o general estava sentado com outros dois homens. Nós entramos para começar a reunião. 


  — Fico muito feliz que vocês chegaram a tempo. — Começou o general. — Temos muito o que conversar. Primeiro, bem vindos ao comando. Vocês terão várias missões de reconhecimento e exploração. Por enquanto, mandarei apenas os três. Ainda falta um integrante para a equipe de vocês, mas enquanto não for decidido quem será, vocês continuarão.  Olivia, novamente eu gostaria de ressaltar que lamentamos o desaparecimento de seus pais. Amanda e Richard eram ótimos profissionais. Estamos tentando descobrir o que aconteceu, e não iremos desistir até termos respostas. Vocês terão o resto do dia para se prepararam. A primeira missão de vocês começa em breve. 


  Eu agradeci ao general, apenas por ser algo que se esperava de mim, não por estar realmente agradecida. Já estava esperando por respostas a muito tempo. Dizer que estavam tentando ajudar não resolvia o problema. E eu nunca acreditei que eles estavam tentando tanto quanto poderiam. Haviam muitos planetas para explorar, aquilo era verdade mas não via muito esforço por parte deles para trazer meus pais de volta, ou sequer encontrar qualquer coisa que pudesse servir de pista. Depois que saímos da sala de reuniões para preparar nossas coisas, Damien me disse: 


  — Eu consegui uma missão que acho que você vai gostar. 


  — Jura, e pra onde vamos? Qual o planeta da vez? — Ele conseguiu minha curiosidade. 


  — Vamos para um planeta dos Aliados. PZS0716 é o código que deram para o planeta. Mas ele também é chamado de Ospana, pelas pessoas que moram lá. Lembra que comentei com você sobre como havia vida em outros planetas? — Eu concordei e ele continuou. — Existe uma raça chamada Agharints. Eles foram descobertos desde que seus pais ainda trabalhavam aqui. E eles se dividem em dois grupos: os Aliados, que estão do nosso lado, e os Divinos. Os Divinos são cruéis. Invadem mundos, se proclamam deuses, e usam as pessoas dos mundos que invadem como servos e hospedeiros. Mas nem todos concordavam, e então surgiram os aliados, que se revelaram contra esse sistema. O meu avô é um hospedeiro dos aliados agora. O poder deles impressiona. Quando meu avô chegou lá, 1 ano e meio atrás, estava doente e fraco. Hoje em dia, ele parece tão bem como se nunca tivesse ficado doente antes. Ele pode viver mais do que a gente. E foi o último planeta que seus pais estiveram. Eles não voltaram de lá. Ospana foi o último lugar onde alguém pode ter visto Richard e Amanda. Você tem alguma foto deles que possamos levar? 


  — Claro. Trouxe uma foto deles aqui na minha carteira. — Mostrei a foto para Damien e para William. Era a última foto e a mais recente que tinha deles. Ainda doía olhar para aquela foto. Eles devem ter reparado nisso. 


  — Sente falta deles, não é? — Perguntou William. 


  — O tempo todo. Também sinto falta da minha irmã. Mas eu não pediria que ela viesse trabalhar aqui comigo. Ela está mais segura na terra. — Guardei a foto dos meus pais na mochila. — Vamos comer alguma coisa antes de ir? Todo esse tempo de espera está me dando fome. 


  Os dois concordaram. Fomos juntos até o refeitório da base. Eu estava feliz de ter Damien e William ali comigo. Não podia imaginar soldados melhores para me ajudar. Eles sabiam quais eram minhas reais intenções e estavam me ajudando. Eu não sabia o que podia acontecer se descobrissem o meu real motivo de estar ali. Mas estava completamente satisfeita por Damien ser o coronel da missão. Havia outro coronel que poderia estar liderando nossa equipe, que era a última pessoa no prédio todo que eu iria querer ver. Sabia que ele não se dava bem com os meus pais, e não se esforçou nem um pouco para ajudar nas buscas. Isso não contribuiu para que eu formasse uma opinião positiva a respeito dele. Comi pensando no que Damien havia me falado sobre Ospana. Era o último lugar onde meus pais haviam ido. Eles não retornaram. Que respostas eu poderia encontrar em Ospana? Eu estava pronta para elas? Olhei para a pulseira em meu braço, uma cortesia de minha irmã, Madison. Era uma pulseira simples, daquelas que compramos em praia. Trançada  com quatro pedras vermelhas e um peixinho pequeno no meio. Me lembrei de minha irmã me dizendo para não desaparecer. Esperava poder cumprir minha promessa e retornar para casa com meus pais algum dia. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...