História Porto Seguro - Capítulo 8


Escrita por:

Visualizações 234
Palavras 1.575
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Ficção Adolescente, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hallo Liebes! Mais um para vocês e espero que gostem. Se puderem indicar a fic serei eternamente grata. Ao leitores fantasmas, apareçam por favor, comentem, preciso da opinião de vocês também. NOS VEMOS NOS COMENTÁRIOS E BEIJOS! 💛💛🐝 BOA LEITURA.

Capítulo 8 - Help me please


Fanfic / Fanfiction Porto Seguro - Capítulo 8 - Help me please

Não há nada de errado com que você é. - Jessie J.


É, eu sei que as coisas já não estou boas em Dortmund, porém preciso dizer que hoje vem mais uma onda enorme, então se protejam desde já.


Erik Pov.

Havana está de volta e eu não sei o que fazer. Sei que minha amizade com a Lais nem existe mais, e por culpa minha. A afastei por medo de deixar o que eu sinto por ela a mostra e esse foi o meu maior erro. Eu e Havana não estamos juntos, embora os tablóides e a própria digam que voltamos.

A seleção alemã já está fazendo suas viagens dos últimos jogos para a Copa do mundo o ano que vem e é claro, eu não estou nelas. Sobre a minha volta aos gramados? Provavelmente acontecerá entre janeiro e fevereiro, estou muito ansioso. Já não estou mais sentido dores, na verdade me sinto normal e isso vem fazendo os fisios do Borussia Dortmund contentes.

Havia acabado minha corrida e quando volto pra casa que entro, logo vejo Lais sentada no sofá. Estava surpreso, pois fazia dias que não nos falávamos, entretanto além de surpreso eu estava feliz, muito feliz.

- Lais… - Digo quase que num sussurro.

- Ah, oi Durm. - Respondeu-me ela sem jeito.

- Como você está? - Pergunto simpático.

- Eu estou bem, obrigado por perguntar. E você? - Retribuiu ela visivelmente nervosa.

- Estou melhor agora. - A respondo na hora. Eu realmente estava feliz em vê-la. E ela vermelha ficou. Ah se ela soubesse o quanto fica encantadora assim. Eu assumo pessoal. Assumo que realmente estou apaixonado pela Lais.

- Erik, isso não deveria… A Havana não vai gostar de te ver falando comigo. Ela é a sua namorada e é visível que a mesma não gosta de mim. Então é melhor parar com isso. - Dizia ela simples.

- A Havana não é minha namorada Lais. - Digo suspirando.

- Ela sabe disso? - Disse ela já um pouco alterada.

- Sabe, só que prefere pensar que somos. Eu sinto a sua falta. - A respondo com toda a sinceridade.

- É mesmo? Não parece. Você simplesmente me deixou de lado Erik! Me afastou sem ao menos me dizer o que eu fiz. No meu aniversário me tratou como uma Zé ninguém e ficou do lado da Havana mesmo sabendo que ela também estava errada. Amigos de verdade não fazem isso alemão. Eu sempre estive aqui por você e você foi um ingrato. Você sumiu. - Dizia ela como uma metralhadora e eu sentia cada palavra.

- Você me procurou? - Perguntei alterado.

- Nós dois sabemos que sim Erik Durm. A verdade é que achamos que conhecemos alguém, mas a verdade é que apenas conhecemos a versão que elas querem nos mostrar e eu cansei de ser porto para quem não joga a âncora. - Falava ela magoada.

O silêncio reinou até Sara aparecer na sala sem saber o que fazer. Eu aposto ela tinha ouvido tudo. Apenas assenti e segui para o meu quarto. Foi possível ouvir as duas saindo. Eu acabei percebendo que talvez eu tenha percebido tarde demais. Odeio ter que concordar com o Reus, todavia ela realmente me deu um sopro de vida. Eu sinto que com ela eu posso ser apenas o Erik e não o Erik Durm o jogador. Sinto que sempre que precisar de alguém ela sempre estará ali para mim. Isso parece loucura! Como em meses uma pessoa possa fazer isso com alguém? Eu não posso perder ela e não vou. Reus e Jasmine precisam me ajudar nisso.

Pego as chaves do carro e vou até a garagem depressa. Logo depois de entrar dou a partida e sigo em direção a casa de Lais. Espero que Jasmine atenda o telefone e diga se está lá ou não.

Ligação On.

- Aconteceu algo Erik? - Perguntou a mesma preocupada.

- Na verdade sim. Eu preciso da sua ajuda com algo. - A respondo virando a esquina.

- Diz logo o que. - Disse ela curiosa.

- Eu quero fazer uma surpresa para Lais. Não posso deixar ela escapar. - Quando termino de dizer isso é possível ouvir uns gritinhos do outro lado da linha. - Avisa o Reus, ele é todo romântico e é o único além de mim que não está viajando com a seleção. Estou indo para a sua casa. Tchau. - Me despeço e logo desligo.

Ligação Off.

 

Estava nervoso e espero que tudo dê certo. Depois de um tempo chego a casa das Silva, estaciono o carro já notando o carro de Reus. Como assim?

Aperto a campainha e Jasmine abre a porta dando espaço pra eu entrar e assim faço depois de cumprimentar a mesma.

- Como esse boneco chegou aqui primeiro que eu? - Pergunto confuso.

- Sou o Marco Reus gazela. - Respondeu-me convencido e Jasmine riu. - Você sabe que Havana vai surtar não é? E embora ela seja minha amiga, preciso confessar que prefiro você e Lais como casal. Falando nisso, até que enfim acordou pra vida Erik! - Dizia ele contente.

- Já sabem como vão me ajudar? - Pergunto curioso.

- Basicamente eu e Reus tivemos a ideia de fazer diversos corações vermelhos com cartolina e colar na parede. Pétalas de rosas espalhadas pelo o chão. Algo bem clichê, pois Lais é assim em relação ao amor. - Falava ela e eu apenas concordava com tudo.

Saímos para comprar as coisas e quando voltamos, começamos a organizar tudo. Sara já sabia do plano e por isso estava enrolando com Lais. Segundo minha irmã, estava com ela além de Lais, Scarlett também. Estava tudo indo numa boa até Jasmine receber uma ligação.

Ligação On.

- La? - Chamou pela irmã em alemão e eu agradeço mentalmente, pois assim entenderia a conversa. - Lais o que aconteceu? Calma, respira, fala devagar. - Dizia ela e logo colocou no viva voz.

- Batemos o carro. A Sara desmaiou do nada e batemos no poste Jas. Eu não estou conseguindo mexer minhas pernas. Scarlett está tendo um ataque de pânico e a Sara não quer acordar, me ajuda por favor. - Falava o meu porto desesperada. Era possível ouvir Scarlett no fundo chorando.

- Onde vocês estão? - Foi a vez de Reus falar. Jasmine foi pegar sua bolsa às pressas.

- Ken? - Perguntou ela confusa.

- Eu estou aqui na sua casa com o Erik e a Lais. Agora me fala aonde vocês estão? - Perguntou ele outra vez.

- A ambulância, ela está vindo. Eu não sei dizer o nome em alemão! - Falava ela soluçando. E eu já estava sem chão. Era aterrorizante ouvir esse tipo de coisa e não poder fazer nada. - Não, não. Scarlett não dorme, não dorme. - Era possível ouvir os gritos de desespero de Lais e Marco ficar mais pálido do que já é. Logo em seguida a ligação ficou muda.


Pegamos nossas coisas e saímos às pressas em busca das meninas. Se não tivéssemos tido a ideia de rastrear os celulares delas, não saberíamos onde as mesmas estariam.

Com isso depois de quase uma hora, chegamos ao hospital central de Dortmund. O desespero era nítido e Jasmine foi quem se prontificou a pedir por informações. Eu estava em choque, Reus parecia que ia morrer a qualquer momento e Jasmine estava chorando.

Já sabíamos que elas estavam ali, porém a demora para nos atualizar sobre o quadro delas era demais. Tão demorada que meus pais já estavam aqui e Melissa Bartra também. Depois de horas uma alma enviada do céu chegou para nos dizer sobre as meninas.

- Eu peço desculpa pela demora, pois precisávamos ter certeza de tudo antes de falar com vocês. Vamos começar pela senhorita Scarlett… Ela está bem, fora de risco de vida. Desmaiou por conta do pânico e agora está em observação. - Disse ele e Reus suspirou mais aliviado.

- E a minha filha doutor? A Sara. - Perguntava minha mãe nervosa.

- Sua filha já é um caso mais sério. O câncer no ovário aumentou e isso não é nada bom. Pode custar a vida dela e por isso preciso saber se a senhora e o senhor autorizam a cirurgia. - Falou ele e eu poderia jurar que meu coração ia parar.

- Autorizamos. - Respondeu meu pai seguro e minha mãe assentiu.

- E por que a Sara desmaiou então? - Melissa perguntou confusa.

- Porque ela não tomou os remédios que deveria ter tomado. - Respondeu ele e eu fiquei intrigado, pois a Sara sempre tomava os remédios. Mesmo assim fiquei quieto… Por enquanto.

- E a Lais? Na ligação ela disse que não estava conseguindo mexer as pernas. - Perguntou Jasmine chorando.

- Ela está bem. O fato dela não ter conseguido mexer as pernas, foi pela falta de espaço, porém ela terá que usar gesso na perna direita. Está em observação no quarto 222 ao lado do quarto da senhorita Scarlett. Agora se me dêem licença, tenho que preparar a sala de cirurgia para podermos tratar da senhorita Durm. - Dizia ela por fim se retirando.

Reus tinha ido ver Scarlett junto com Melissa. Jasmine foi ver a irmã. E eu? A única coisa que conseguia pensar era o motivo da Sara não ter tomado os remédios.

A madrugada chegou e com ela a notícia que a cirurgia tinha sido um sucesso também. Eles conseguiram eliminar o câncer, só que um ovário tinha sido perdido, então as chances da minha irmã conseguir ter filhos tinha sido reduzida. Só rezava para que este pesadelo acabasse logo.






Notas Finais


O que acharam? Digam-me aqui nos comentários e muitíssimo obrigado por acompanhar. Beijos 💛💛💛💛🐝


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...