História Portraits of My Life - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Choi Siwon, Han Geng, Kim Heechul
Tags Hanchul, Sichul, Sihanchul
Visualizações 24
Palavras 2.678
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Música tema: Cool (Gwen Stefani)
*Frase inspiração: TVD

Tô devendo a todo mundo daqui. Mas quem aparecer aqui, por favor, não me atirem pedras :((

Inspiração do nada, (devidoaorelacionamentolindodohangengqueagorapareceserseriomesmo), então segue essa historinha como um pedido de desculpas, se gostarem, é claro :D Se não gostarem, deixem quieto :((

Boa leitura!

Capítulo 1 - Oneshot


Fanfic / Fanfiction Portraits of My Life - Capítulo 1 - Oneshot

Aceitar o convite para fotografar o casamento do meu primeiro amor, de longe não me pareceu uma boa ideia. Na verdade, me pareceu até algo impossível de acreditar que eu fosse capaz de fazer.

Eu sabia que não seria a uma tarefa simples e muitos podiam até me chamar de idiota, masoquista, o que fosse... mesmo com tudo isso, todos os contras, ainda assim, foi a escolha que fiz.

Não era a mais simples, não era a mais fácil, nem a menos dolorosa. Apenas, a necessária.

No passado, Hangeng e eu tivemos um relacionamento intenso, cheio de momentos marcantes que duraram exatos seis anos. Nos aproximamos devido as dificuldades que ele tinha para se adaptar a um país que não era o seu de origem. Hangeng era chinês e não tinha qualquer experiência com a Coreia do Sul. Inicialmente, achei graça das suas tentativas falhas e até debochei por diversas vezes. Ele me odiava.

Mas é como dizem, o ódio muitas vezes está atrelado ao amor. Quando se odeia demais alguém, de certo odeia por existir algo nela que mexe com seus sentimentos.

Eu notei que mexia com os sentimentos de Hangeng e isso me divertia muitas vezes. Estar no comando da situação, ser admirado e até temido muitas vezes, desperta uma sensação extremamente prazerosa e desafiadora em mim.

Mas o que eu realmente não esperava era que rapidamente, Hangeng também fosse mexer com os meus sentimentos.

Quando menos me dei conta, estava mais preocupado em estar com ele do que debochar de seu péssimo sotaque ou de suas piadas sem graça. Eu não me importava nem mais com o fato dele reclamar dos meus gatos - já que ele preferia cachorros - ou do meu jeito meio enfezado para lidar com minha falta de paciência com pessoas e suas características marcantes de serem extremamente insuportáveis.

De repente, tudo isso se tornou não mais motivo para que eu risse de Hangeng, mas qualidades do chinês, para que eu sentisse falta dele.

Então, não me restou mais nada a fazer, a não ser o mais idiota, embora, inconsequentemente mais lógico. Ora, muitas vezes não se há lógica no amor. E eu não era o tipo de pessoa que pensava demais antes de tomar qualquer decisão. Embora seja esperto, embora seja extremamente meticuloso, ainda assim, não se há regras para o amor. E quem era eu para determiná-las?

Me joguei nos braços de Hangeng.

E ele me segurou...

Por seis anos.

Porque depois disso, Hangeng partiu.

Partiu, levando com ele a minha alegria e força de viver.

Ele teve de voltar para a China e nunca mais conseguiu retornar para a Coreia do Sul. Tentamos continuar com o relacionamento, mas ele desistiu antes. Disse que eu precisava cuidar da minha vida, pois as coisas nunca dariam certo a distância.

Aquele foi o momento mais doloso para mim.

Eu nunca imaginei que pudesse passar por algo assim. Nunca, jamais, imaginei que sofreria tanto por causa de outra pessoa. Logo eu, muito prepotente e arrogante, sempre a menosprezar o amor de quaisquer outras pessoas, pois para mim, nenhuma era o suficiente. Era como se todos estivessem de alguma forma mentindo ou exagerando ao dizer que me amavam. Como podia ser verdade?

Eu queria ser como uma flor no alto do penhasco. Preciosa, difícil, delicada e inalcançável.

Por quê? Porque as pessoas machucam. Pessoas são o problema, pessoas são insensíveis e cruéis. 

Hangeng era a prova disso.

Eu quis morrer quando Hangeng me deixou.

Passei longos três meses sem sair de casa, comer direito ou falar com pessoas. Eu as via entrando e saindo do meu quarto, murmurando palavras desconexas as quais eu não fazia questão de escutar ou entender.

Meu mundo havia desmoronado.

A luz de minha vida havia se apagado e por mais que em alguns momentos eu tenha desejado sair daquele sofrimento, era difícil, quando tudo o que eu enxergava, era um borrão de preto e branco ou cinza.

Me senti naturalmente um inútil, frustrado por estar naquela situação, por me deixar chegar a um nível tão baixo, tão decadente, a ponto de todos olharem para mim com pena, abismados com aquela pessoa anteriormente tão cheia de vida, agindo daquela forma.

Era vergonhoso.

Era errado.

Foi quando ele surgiu em minha vida. Choi Siwon.

Na verdade, não exatamente surgir, porque para ser sincero, ele esteva ali há mais tempo, embora eu nunca o tenha percebido. Ou dado a devida importância.

Todos os dias, eu encontrava flores vermelhas e artificiais ao lado de minha cama, sendo que junto a cada uma delas, havia sempre um bilhete. Eram frases curtas, embora eu nunca conseguisse desvendar o que queriam dizer.

“Encontre a resposta”

Num certo dia, Siwon simplesmente me jogou da cama, fazendo com que eu despencasse no chão. Olhei para ele, indignado. Como ele ousava?  Enquanto todos me tratavam com o máximo de delicadeza, aquele cavalo simplesmente aparecia em minha vida daquela forma?

“Lento demais, hyung.”

Aquele bastardo!

Gritei com ele, xinguei-o dos nomes mais absurdos, inapropriados e inexistentes no dicionário. E o que ele fez? Ele riu. Aquilo me fez ficar com mais raiva. Ele não estava apenas rindo, mas zombando descaradamente de mim. De uma hora para outra, o riso se transformava numa gargalhada incontrolável.

E todos os dias era a mesma coisa. Ele sempre fazia da mesma forma, não se importando que eu batesse nele após me derrubar da cama.

“Bate mais, hyung.”

E eu realmente batia, embora aquele masoquista de uma figa não se cansasse de apanhar.

Eu sentia tanta raiva!

Não. Raiva não. Eu o odiava!

Choi Siwon definitivamente era o homem mais insuportável da face da terra.

Mas quatro meses depois, se tornou magicamente o mais encantador e irresistível também.

E, outra vez, lá estava eu, burlando minhas próprias regras sobre o amor.

Siwon e eu iniciamos um relacionamento.

E não era para menos. Siwon se mostrou ser a pessoa mais paciente do mundo comigo. Até mesmo com relação ao que eu ainda sentia por Hangeng.

“Não importa se ele foi seu primeiro amor, hyung. Eu serei o seu último” ele me disse certa vez.

Aquilo ficou meio que registrado em minha cabeça. E se eu não conseguisse esquecer Hangeng?

O tempo foi se passando e nisso foram-se quase sete anos. Vivíamos bem, embora não conversássemos sobre casamento e nem nada do tipo, coisa que fazia muito com Hangeng.

Se eu pudesse comparar o relacionamento que tive com os dois, poderia dizer que com Hangeng, as coisas eram muito intensas e cheias de sonhos, aventuras... algo meio fantasioso, bobo, talvez até infantil.

Com Siwon, as coisas pareciam durar sempre mais tempo do que o normal. Nós não fazíamos sonhos, fazíamos acontecer. Não vivíamos fantasias, criávamos as oportunidades. Éramos ainda assim dois bobos, porém, ele muitas vezes que se mostrava meu oposto, não exigia qualquer mudança de minha parte, dando-me a liberdade e o espaço para lidar com minha personalidade nada fácil.

Pouco a pouco, as comparações foram se mostrando cada vez mais claras em minha vida. Até que eu percebi certa ocasião.

Talvez, eu não amasse mais Hangeng.

Pelo menos não como antes, não daquela forma exagerada e incontrolável.

Mas eu o amei um dia, por seis anos.

Talvez por eu ser intenso demais e viver a vida da mesma forma, por temer que se aproximassem, mas me apegar demais a quem eu permitisse entrar em minha vida, por amar demais, foi que também, de igual tamanho e intensidade, foi que prolonguei minha dor, estendendo-a por tanto tempo, afastando as outras pessoas de perto de mim, sentindo raiva e acumulando mágoa no peito, por ter sido abandonado e por não conseguir ser forte o suficiente para superar o fato de ser deixado.

Ser deixado, abandonado... Seria este o problema? Quem sabe fosse o fato de eu não me dar bem com a rejeição? Era sempre eu a dizer adeus, era sempre eu a dar o ponto final. Até Hangeng mudar isso.

Sobre Siwon, ao contrário do que muitos pensam, ele não se tornou o meu novo mundo, mas ele foi uma luz para que eu conseguisse encontrar a resposta a qual eu tanto precisava.

Foi através dele que eu me dei conta de que minha vida, meu mundo e minha felicidade não deveriam ficar nas mãos de uma única pessoa. Pelo menos que não fosse eu mesmo.

A pessoa mais importante deveria ser eu, pois sem a minha existência nada mais poderia ter importância.

Siwon não passou a mão em minha cabeça ou desejou boa sorte como muitos fizeram. Ele me desferiu tapas na cara, fazendo-me acordar e enxergar a realidade em que eu estava vivendo. Ou vegetando.

Graças a ele, eu pude melhorar minha forma de pensar, viver e registrar novos momentos em minha câmera fotográfica, onde a imagem dele estava registrada na maioria das fotos reveladas.

As coisas estavam caminhando bem.

E foi então que aquele dia chegou.

Siwon me entregou o convite do casamento de Hangeng. Eu mencionei que eles eram amigos? Eram na verdade, grandes amigos. Embora o tempo e a distância tenham de certa forma afastado os dois. Um problema é que eu só soube quando Siwon me entregou o convite, revelando-me a história sobre a amizade dos dois os quais foram criados na mesma rua, durante os dez anos que Siwon morou na China. E o segundo problema é que um não fazia ideia sobre o meu relacionamento com o outro.

Quando eu recebi o convite, Siwon se mostrou feliz por mim, pois havia conseguido que eu fosse cobrir o casamento de seu melhor amigo. E não somente isso, ele seria um dos padrinhos.

Eu estava tão nervoso.

Mas decidi ir. Eu tinha que ir.

Aquela era a única situação mal resolvida em minha vida, a qual eu sentia a necessidade de superar.

Coisas mal acabadas, pela metade também não me deixavam viver tranquilamente. Para mim foi sempre preto ou branco, sim ou não, resolvido ou não resolvido. Nada de quase ou metade.

Me aproximei do altar e registrei algumas fotos. Hangeng olhou para mim meio perplexo, como se seus pensamentos tivessem feito uma viagem, talvez se recordando do passado.

Click 

Foi quando ele percebeu que Siwon também me olhava. O coreano se afastou dele e me pegou pela mão, levando-me até Hangeng que nos olhava visivelmente confuso com a situação. Eu fiquei chocado com tudo aquilo, embora nada tenha dito. Eu já devia esperar que Siwon me apresentaria a ele.

“Este é meu namorado, Heechul. Falei para você que ele era um ótimo fotógrafo e tenho certeza que não irá se arrepender, meu amigo. ” Siwon me beijou no rosto.

Hangeng permaneceu estático, me encarando, pálido. Parecia que havia visto um fantasma. Seus olhos sequer vacilavam.

Até que, desconfortável e meio sem jeito, tentando quebrar o gelo, estiquei minha mão para ele. Quando Hangeng retribuiu o cumprimento, após algum tempo ainda petrificado, notei o anel que havia em seu dedo, toquei nele discretamente, embora Hangeng tenha percebido.

E enquanto nossas mãos permaneceram juntas, um flash automaticamente passou por minha cabeça. Alguns momentos durante os seis anos em que compartilhamos tantos momentos juntos e algo como uma ideia sobre como seria o futuro, caso não tivéssemos nos separado.

E se fosse o “nosso” casamento?

Acredito eu que os mesmos pensamentos também tenham passado na cabeça de Hangeng.

Ouvimos a marcha nupcial iniciar e então o olhar do chinês se voltou para o lado de fora da igreja. No mesmo instante, olhei para detrás de Hangeng e meus olhos automaticamente se depararam com os de Siwon. Era como se ele soubesse de alguma coisa. Um brilho diferente era emanado de suas orbes escuras. Mas ele não disse nada, apenas piscou para mim e sorriu.

Aquele homem era realmente um charme. 

Quando Hangeng e eu nos olhamos novamente, notei que algo ali – entre nós - também estava diferente. Sorrimos ao mesmo tempo um para o outro. Não havia qualquer tensão ou desconforto desta vez.

Me afastei dele e procurei ficar em um local estratégico para continuar a registrar o casamento. Algumas vezes nossos olhares se cruzavam, mas sempre sorriamos para o outro, de forma delicada.

Após o casamento, quando todos saíram da igreja, me sentei em um dos bancos de madeira, encarando o altar o qual instantes antes, Hangeng havia se casado com sua esposa. Sorri sozinho, lembrando das coincidências da vida e das voltas que o mundo dá.

Quase treze anos se passaram desde que tudo aconteceu, desde que encontrei o meu primeiro amor, desde que sofri por ele, desde que conheci Siwon e aprendi coisas novas sobre a vida. Desde que soube que apesar de minha prepotência e arrogância, eu não sabia tanto o quanto pensava saber. Eu era muito inexperiente e não passava de um aprendiz.

Só porque você encontra alguém e vive intensamente um relacionamento com ele, não quer dizer que deva ser assim para sempre.

Hangeng de fato podia até ser o meu primeiro amor, mas não o da minha vida inteira.

Notei de repente que havia uma flor caída no altar. Fui até lá e a peguei. Olhei para ela por alguns instantes, lembrando das outras que havia ganhado de Siwon. Mas esta estava um pouco escura, como se quase morrendo. Levei-a comigo para o lado de fora e me deparei com Siwon a me esperar.

Ele me olhou, como se já esperasse que eu tivesse algo para falar. Siwon as vezes parecia um anjo de tão lindo. Quando sorria, mostrava duas covinhas que tornavam o dia de qualquer pessoa mais feliz e agradável apenas em ser contemplado com aquela imagem. Era o que havia transformado muitos de meus momentos também.

 “Eu já sei. Matei a sua charada. ” Falei e ele sorriu, exibindo as covinhas. Me derreti instantaneamente. “As flores de verdade com o tempo morrem, mas as artificiais duram para sempre. Era o que queria me dizer? ” Sorri, convencido. “Meio clichê, não acha? ”

Ele ficou meio sério, como se tivesse me analisando e depois falou:

“Você é como uma flor, então todas elas te representam. Não importa se mais perto ou mais distante de se alcançar. As flores de verdade por serem mais lindas, mais cheias de vida e sensíveis. Se tocar nelas, vai ter que cuidar bem, ser delicado e saber podar para não furar as mãos com os espinhos. Mas você não tinha flores artificiais. É muito comum se ganhar flores de verdade, mas sem qualquer significado. Eu notei que você precisava de mais. Porque você é muito mais do que pensa, muito mais especial. Era o duradouro que você também precisava em sua vida. O eterno. Assim o amor que eu sinto por você. Embora se molhe, embora se suje, ainda assim, será eterno. ”

Para a minha surpresa, ele me entregou uma outra rosa. Mas desta vez, era diferente de qualquer outra. Havia um anel dentro.

Os meus olhos ficaram banhados de lagrimas.

“Esperou que eu deduzisse isso pra me pedir em casamento?

“Nós dois precisávamos que você se entendesse com o seu passado. ”

O olhei abismado.

“Quer dizer então que você...”

“Quer fazer o favor de aceitar logo, antes que eu tenha um ataque de ansiedade. “

Gargalhei alto.

“Continua sendo um clichê, Choi Siwon. Mas eu te amo, mesmo assim. É claro que aceito casar com você.”

Ele abriu os braços para mim.

“Até que fim. Você tem muitos espinhos, Kim Heechul. Mas eu também te amo... mesmo assim.

E sem mais delongas, me joguei nos braços dele, sentindo meu corpo sendo envolvido por seus braços firmes, fortes e protetores.

Eu sei que ele não me largaria.

As coisas serão diferentes agora. Será difícil lembrar como era antes. Agora eu encontrei o amor da minha vida. Coisas passadas ficarão mais confortáveis.

Tudo dará certo.

As memórias já parecem ser de muito tempo atrás, porque o tempo mata a dor.

Nós mudamos mas ainda continuamos os mesmos. E eu estarei feliz por Hangeng. Assim como sei que ele estará feliz por mim.

E também sei que nós estaremos bem daqui pra frente.

Nós três.

 

 

Nós quatro***

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Link: https://www.youtube.com/watch?time_continue=44&v=TGwZ7MNtBFU

Obs.: sorry, mas eu não corrigi nada :(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...