História Possessive - (Long Fic Jungkook - BTS) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Escolar, Jeon Jungkook, Kim Taehyung, Possessivo, Romance, Segredos
Visualizações 228
Palavras 2.247
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ai meu Deus! Já disse que vocês são uns amores?? (♥ω♥*)

Aaaa, venho agradecer o carinho e motivação que estão me dando :) é realmente ótimo saber que estão gostando de seu trabalho!

Bem, desculpe os horários que posto, mas, enfim, boa leitura! :3

Capítulo 5 - - Threat...


Fanfic / Fanfiction Possessive - (Long Fic Jungkook - BTS) - Capítulo 5 - - Threat...

Respiro fundo.

– Eu beijei o Tae! - falo rapidamente, e ela arregala os olhos.

♪No outro dia♪

Sem nenhuma animação – como sempre – vou me dirigindo até o corredor de armários… Sei que Lee estará lá.

Hoje, não deu tempo de me arrumar. Justamente pelo fato de que eu me atrasei. Acho que, é a primeira vez que eu acordo atrasada para ir para a aula. Por isso, estou completamente acabada. Ahn, por quê? Bem, pelo simples fato de que eu passei quase a madrugada inteira pensando… Em muitas coisas, para ser verdadeira… Como por exemplo… Para que viver, sabendo que você irá morrer… Por que a água é molhada… Ou talvez, por que o céu é azul?

Ah, vocês também sentem que sua vida é um tédio? E… É só eu que fico narrando minha vida em meu cérebro, como se ela fosse… Uma história... Ou talvez, até uma piada para as pessoas?

Eu sou a garota do “talvez”. Nunca tenho certeza absoluta de algo.

Inclusive, se aquele falso azulado que está praticamente deitado numa cadeira do refeitório, é o Yoongi.

Mudo meu rumo, e agora vou indo em direção ao garoto.

– Suga? - digo, na verdade, grito, um pouco longe de sua cadeira.

Ele então, retira os pés que apoiava na mesa, e senta normalmente, logo em seguida, dirigindo o olhar para mim.

– Baixinha? - diz ele parecendo com sono, e bem confuso, logo se levantando, e ficando de frente para mim. - Hm. Parece que deu uma crescida! - fala agora num tom sarcástico e debochado.

– Ha ha ha! Bem engraçado você, hein? - digo parecendo brava, e ele logo me abraça, de uma forma bem carinhosa, o que acaba sendo um pouco impressionante.

– Estava com saudade de você! - diz bagunçando ainda mais meu cabelo e voltando a se sentar.

– Nhe, eu também estava! - sorrio discretamente, e ele ri bem baixinho. - Então, por que não apareceu ontem?

– O Namjoon disse que havia conversado com você… Ele não disse o “porquê”?

– Ah… - murmuro, me recordando do que aconteceu ontem… E de todo o resto. - Agora eu me lembrei! - depois disso, ele simplesmente volta a “relaxar” em sua cadeira. - Só digo uma coisa… - falo já virando as costas… - Não foi assim que eu te ensinei! - digo isso, o que tira um riso do mesmo.

– Ah, me desculpe… Mamãe! - ele ri, então volto a olhá-lo, cerrando os olhos, balançando a cabeça em negação… Logo rio também. - Besta!

– Bobona! - se eu não parar, ele também não para.

– Fui! - digo saindo.

– Tchau! - escuto sua risada.

Realmente, Yoongi é como um irmão – bem chato – para mim.

Hoje ele estava de bom humor… Pelo menos, não é?

Volto à seguir meu destino, que antes era o corredor de armários. Mas antes que eu pudesse chegar lá, avisto ainda meio longe, uma silhueta familiar correndo desesperadamente até mim.

Sem que eu possa dizer nada, e nem enxergar direito, o ser, literalmente, pula em cima de mim, e fica abraçada comigo, realmente pendurada em mim. Logo ela começa a gritar, mas o som permanece abafado.

– ____! Como eu te amo! - diz ainda grudada em mim.

– Tá! - digo à empurrando para se desgrudar - Eu sei… Eu sei… - ainda tento me soltar… Mas não consigo.

Então ela pula em minha frente, finalmente me soltando, com uma cara de “mãe orgulhosa”.

– Você… - aponta para mim - Kim Taehyung… - pronuncia esse nome pausadamente, então eu logo gemo de tristeza e derrota, colocando as mãos no rosto - Beijo… - diz agora apertando meus ombros. Ela então começa a gritar e pular, assim como ontem.

– Cala a boca! - falo a segurando… - Para de graça menina! - ela então para e me olha indignada. - Eu já te contei isso ontem… e você já surtou demais… E no fundo eu sabia que era uma má ideia te contar...

– Querida, você fez muito bem! Na verdade, é o mínimo que você deveria fazer... - dá uma piscadela. - Bem, mas pra quem diz: “ele é só meu amigo, mimimimimi”... - diz rindo debochada, enquanto faz uma boquinha com as mãos. -  Haha! Quero eu um amigo desses! - dito isto, dou um tapa em sua testa.

– Shhhhhhiu! - falo colocando a mão em sua boca. - Chega né? Osh… Daqui a pouco ele passa aqui, e você está gritando isso…

– Ah, ____, ____… Você não tem noção do quanto eu te lembrarei disso… Sabe… - chega perto de mim. - Para o resto da sua vida… - começa a rir, e sai pulando em direção às escadas. - Você não vem? - grita em seguida.

– Ah! - reviro os olhos, suspirando. - Já estou indo!

Vamos subindo às escadas, então, eu paro ali no meio, e resolvo olhar o pátio. De repente, vejo Taehyung entrando na escola, e com um movimento involuntário, me abaixo ali, na tentativa de me esconder.

Lee pára de subir, e fica olhando para minha cara.

– Algum problema? - diz enquanto me encara estranho.

– O Tae! - falo baixo, apontando para o pátio. Ela então olha, e fica o procurando.

– E por que você está se escondendo? - diz ela, também num tom baixo, fazendo sinais com as mãos para mim me levantar.

– Para com isso! - falo à puxando para baixo comigo, o que à faz cair, e me dar um tapa. - Ai!

– Você é louca?

– Não… - falo subindo até seu lado. - Eu estou com vergonha…

– Não é só você que tem que ficar com vergonha quando duas idiotas estão no meio da escada da escola, sentadas, se escondendo de um garoto! - diz se levantando, logo estendendo a mão para mim.

– Eu não quero falar com ele agora… - me seguro em sua mão. - Eu vou morrer de vergonha… - falo manhosa.

– Aish! Então não fala, ué! - diz enquanto continua andando.

Alcanço a mesma, e continuamos subindo, sem dizer nada.

Logo o sinal bate, e vamos indo em direção à nossa sala… O corredor começa a tumultuar, então saímos correndo e rindo para chegarmos primeiro, e não sermos pegas pela multidão.

Como sempre, alguma macumba esses professores fizeram, pois todos os dias eles atrasam 5 minutos.

Primeira aula, redação.

Como ninguém gosta dessa matéria, e nem da professora, ninguém faz nada, e fingem que estão fazendo. Assim que a professora se distrai com algo, essa sala vira uma baderna. Mesma coisa do ano passado. Sabe, às vezes eu acho que minha sala não tem muito futuro… E bem, nem eu, nessa situação que estou…

– ____! ____! - abro os olhos com Lee me sacudindo de um lado para o outro. - Por que você sempre dorme nas primeiras aulas?

– Ahn… - resmungo enquanto coloco a mão na testa - Não é minha intenção! - digo me despreguiçando.

– Okay, okay… Agora vamos logo, a não ser que você queira “não comparecer” às próximas aulas, ou talvez, até levar advertência! - diz me puxando, então, coloco a mochila do ombro esquerdo, e a acompanho.

– Qual é a próxima aula? - pergunto enquanto corro.

– Línguas! - ela me olha, logo suspirando.

Línguas? É aquele professor… Lindo…

Vamos correndo pelo corredor, que já está quase vazio, até chegar a sala, cujo a porta já está fechada.

Lee bate ali duas vezes, logo em seguida, abrindo-a.

A sala já estava em silêncio, e o professor começa a nos encarar, parecendo bravo.

– Podemos entrar? - pergunta Lee, então ele balança a cabeça em confirmação, assim ela entra, e eu entro em seguida, também o encarando.

Parece que por milésimos de segundo, percebo que nossos olhares se cruzam, engulo seco balançando a cabeça rapidamente em negação, e continuo à seguir até meu lugar.

Assim que me sento, ele se pronuncia:

– Bem alunos… - suspiro, e fico o observando falar…

Sabe… Eu não entendo… Como… E porque… Ahm… Mas que merda esse homem fez da vida dele, para estar aqui hoje? Ensinando um bando de antas acéfalas, “línguas”? Nesse momento ele está falando uns negócios em francês, e eu particularmente, não estou entendendo nada.

O negócio é o seguinte. Estou mandando a real à todos vocês: que caralhas esse cara tinha na cabeça? Porra, é estiloso – mesmo sendo sempre terno - tenho “coisas” com terno… Aish! Até me arrepio –, é bonito… Quero dizer, lindo, e tem um corpo bonito… Eu fico extremamente indignada… Agora, ele poderia estar transando com todas por aí, mas não… Está aqui…

Será que o negócio dele é professoras e estudantes?

Nossa, devem estar pagando o salário dele com o rim, nem parece que ele tem muita paciência. Além de ser novo. Pois os professores que nós esperamos, são aqueles com quarentão, mais de dois anos sem dormir com alguém, com barrigões ou rugas na cara.

Mas… Ah! Por que eu estou pensando nisso ao invés de prestar atenção na matéria cujo eu não estou entendendo bulhufas? Porque se eu tentar prestar atenção na matéria, ela se converte para o professor, e eu me perco todinha nele…

Agora, estou eu, aqui, copiando um monte de exercícios igual uma retardada. Brisando um pouco às vezes… Mas enfim.

Do nada, o sinal para o intervalo bate.

Já?

Credo, eu passei tudo isso brisando?

Todos começam a levantar, e sair da sala, enquanto o professor os observava.

Estava com um pouco de preguiça, então na fila para sair, eu era a última, atrás de Lee.

Então, assim que iria pisar o pé para fora da sala…

– Sri.____?! - paraliso com os olhos arregalados, e logo em seguida, me viro para o mesmo.

– Sim?

– Sente-se aqui, por favor. - disse apontando para uma carteira sua frente.

Vou indo em direção à carteira.

– Feche a porta! - diz, então eu volto, fecho a porta, e logo me sento na cadeira. - Então… Eu serei bem direto.

– O...Okay… - digo receosa.

– Eu vi o que aconteceu ontem. - arqueio uma sobrancelha. - E também sei o que você viu.

– O que? - digo sem entender nada. Então ele respira fundo.

– Ontem… Quando eu estava saindo do banheiro. - logo me recordo de tudo… - E logo em seguida, a professora…

– Suzanne… - o interrompo. - Sim, eu me lembro. - digo já seria.

– Exato. - ele se arruma na cadeira. - E… O que eu vi ontem… Também não é muito agradável.

– Não é… Agradável? - ele por acaso está falando do beijo? - Espere… Você viu o que aconteceu? - digo já desesperada.

– Você junto com o tal de… Kim Taehyung? - engulo seco. - É, eu vi. E não achei nada, nada agradável.

– E por que não? - digo agora com milhões de sentimentos. Meu estômago está repleto de borboletas.

– Não acho que Taehyung seja uma boa influência à você. - diz na maior plenitude, o que me deixa extremamente estressada.

– Ele é meu amigo… Sei muito bem se é boa influência ou não! - falo alterada.

– Que bela amizade, hm? - desfaço minha pose autoritária, e me sento normalmente na cadeira. - Enfim, assim como você viu coisas, eu também vi muitas coisas… - começa a brincar com os dedos, e em seguida olha em meus olhos. - Então, se alguém souber sobre o que você viu, todos saberão o que eu vi… E de uma forma, talvez, bem pior. - me ameaça de forma completamente inocente em seu tom de voz.

– Você está me… Ameaçando?

– Talvez… E, bom, ninguém pode saber sobre isso também. - afirma.

Engulo seco novamente, o fuzilando com os olhos.

– Agora, pode ir! - diz apontando para a porta.

Respiro fundo me levantando, e ele se levanta ao mesmo tempo, fico o encarando com ódio, e ao mesmo tempo encantada com a beleza incondicional, e em seguida vou até a porta.

– E lembre-se… Ninguém… - chega bem perto de mim, segurando meu braço com força - Ninguém pode saber. - somente escuto, ele solta meu braço, e eu saio, batendo a porta bruscamente em sua cara.

Depois de ficar uns cinco segundos ainda segurando a maçaneta, processando o que acabou de acontecer, a solto, e vou andando meio sem rumo, olhando para baixo.

– ____! - ouço a voz de Lee se aproximando. - Onde você estava garota? - diz segurando meu braço, quase com a mesma força de Jeon.

– Ahn… - não acho palavras. - Lee… Eu vou ao… Banheiro… Err… Eu já… Eu já volto! - digo sem olhar em seu rosto, logo me soltando da mesma, saindo correndo até o banheiro.

Chego lá aos 200km/h, me apoiando violentamente ao balcão da pia, já muito ofegante.

Jogo meu cabelo para trás, e me olho no espelho.

Tudo parece em câmera lenta.

Eu, não sei porque, fiquei bem mexida com o que acabou de acontecer.

Foi tudo estranho e amedrontador…

O jeito que ele me olhava, não era com ódio… E nem raiva… Ele me fuzilava, de um jeito que eu sentia até na alma.

Ameaça? Quando e onde eu esperaria isso… Dele?

Depois desses pensamentos, uma lágrima fujona resolveu cair.

Rapidamente à limpo com a manga da blusa de frio, e respiro fundo.

Fico ali, pensando por um tempo…

Tanto no Tae… Quanto em Lee… E nesse desgraçado que eu tenho um… Não sei o que sinto por ele…

Até que o sinal bate.

Eu fiquei exatamente 10 minutos aqui… Pensando… Em algo que não tem como estender… É isso… E pronto… Apesar de não ser muito grave…

Na verdade, eu não tenho certeza de muita coisa...

Só de uma:

Eu estou fodida nas mãos dele… E bem, ele também está… Se depender de mim.


Continua?....



Notas Finais


Bem... Eu sei que pode não ter ficado exatamente como vocês esperavam... Sei lá!

Mesmo assim, esperem que tenham gostado!

É sério, se vocês estiverem mesmo gostando, me digam, por favor, isso me motiva muito!

É isto!

Ouvindo: Baby - The Rose
Comendo: Já comi
Status: Preciso de alto estima e dormir


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...