História Possessive and sick - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags Jeon Jungkook
Visualizações 59
Palavras 1.186
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 14 - 14 - A Special Invitation


          Eu estava cansada, destruída pra falar a verdade. A clínica estava cheia. Por mais que eu ainda não tivesse feito nenhuma cirurgia, eu ainda sim estava cansada.

         Cheguei ao prédio, chamei o elevador e rezei para que ele não demorasse. Um homem apareceu do meu lado e, pareceu me olhar "disfarçadamente"

--- Boa noite. - sorriu

--- Boa noite. - respondi.

--- O elevador está demorando, não está?! - assenti. Só foi ele dizer isso que a porta do elevador abriu. Nós entramos. - Vai pra qual andar, senhorita?

--- Para o décimo segundo. - ele sorriu ladino.

--- Sério? Eu também. - ele apertou o botão. - Qual o seu nome?

--- _______, e o seu?

--- Park Jimin. - estendeu sua mão e eu apertei. - mora aqui há muito tempo?

--- Não, estou aqui há uma semana somente. E você?

--- Ah, eu não moro aqui. Vim visitar um amigo. - a porta do elevador se abriu e passamos por ela lado à lado. Por coincidência, o amigo que ele veio visitar, morava ao lado do meu apartamento, eu já havia o visto algumas vezes e trocado poucas palavras, ele é bem simpático.

--- Bom, até algum dia, Park Jimin. - acenei e entrei em meu apartamento. Fui para o meu quarto, guardei minha bolsa, tirei minhas roupas e começei a tomar meu banho.

     Estava com muita dor nas costas. Eu estava seriamente necessitando de uma boa massagem relaxante.

       Vesti um conjunto de lingerie, um short soltinho, uma blusinha de alcinha e fui até o sofá, logo me sentando. Peguei o controle da TV e a liguei. Escutei batidas na porta e levantei para ver quem era.

--- Oi, _______. - é o meu vizinho simpático. Não sei o nome dele.

--- Olá. - sorri

--- Bom, meu amigo Jimin, está em casa comigo. Ele estava falando sobre você para mim. Disse que gostou de te conhecer. - novamente sorri. - Você por acaso quer beber conosco?

--- Pode ser. - tranquei a porta do apartamento e o acompanhei até o seu.

--- À propósito, meu nome é Frédéric. - ao abrir a porta, demos de cara com o Jimin "jogado" no sofá assistindo à uma programação qualquer. Seus olhos foram a direção dos meus e ele sorriu para mim.

--- Você não havia me dito que ia buscar uma xícara de açúcar? - Jimin perguntou.

--- Bom eu disse. Mas aí eu encontrei esse docinho e resolvi trazer. - ele me olhou e eu ri de seu comentário. - sente-se _______. Fique à vontade. Qualquer coisa estou na cozinha. - apontou e seguiu

--- Oi de novo, _______. - sorriu. - Quer beber?

--- Na verdade, não. Ele me chamou para beber, mas não posso. Amanhã acordo cedo para trabalhar.

--- Entendi. Com o que você trabalha, _______?

--- Trabalho como médica, na clínica do meu amigo.

--- Qual área você trabalha?

--- Na cardiologia. E você com o que trabalha?

--- Sou obstetra. - um médico?

--- Com todo o respeito, mas você não tem cara de médico.

--- Ah, é? Então eu tenho cara de que? - passou a língua sobre o lábio inferior.

--- Um assassino? - ele riu nasal. - Sei lá, não sei. Qualquer coisa menos médico. - ele sorriu mostrando seus dentes branquinhos.

--- Voltei! - Frédéric disse se aproximando com uma bacia com algumas guloseimas. - Sobre o que conversavam?

--- Sobre trabalho.

--- Você é médica não é, _______? - se sentou ao lado do Park. - assenti. - O Jimin também é.

--- Pois é, acabei de descobrir. - eles começaram a beber suas cervejas e eu bebi um refrigerante. Nós conversamos muito sobre programas de TV, trabalho, festas, músicas e até sobre dinheiro.

--- Sobre o que vamos conversar agora? - Frédéric perguntou. Jimin e eu levantamos os ombros em sinal de "Não sei". - Que tal falarmos sobre a maior decepção de nossas vidas? Eu começo! - fez uma pausa. - Um dia eu me apaixonei por um cara - fungou. - ele eu nos relacionamos por um bom tempo. Quando eu estava prestes à pedi-lo em casamento, descobri que estava me traindo e que tinha um filho. - começou a chorar. - Foi aí que decidi abandonar Nova Iorque e vir para cá continuar meu negócio. - Eu o abraçei de lado.

--- Um dia você arruma um homem que te ama de verdade, Frédéric. - Eu disse olhando em seus olhos.

--- Tomara! E você, Park, qual foi sua maior decepção? - Frédéric perguntou.

--- Perdi a pessoa que amava. - seus olhos se encheram de lágrimas.

--- Sua namorada? - perguntei.
Quando ele abriu a boca para me responder, o Frédéric me chamou e pediu para que eu contasse a minha decepção. Respirei fundo antes de começar a contar à ele.

--- Eu estava aqui de viagem, na verdade vim para a festa de aniversário de um amigo. Foi aí, que eu conheci um cara. Nós começamos a namorar. Depois tive que voltar para o Brasil por questões de trabalho. Decidimos que continuaríamos juntos e ele iria me visitar assim que possível. Um dia ele e meu amigo, que era melhor amigo dele, chegaram em minha casa de surpresa. Ele me pediu em casamento, e eu abandonei tudo para vir ficar com ele.

--- E aí?

--- Eu precisei procurar emprego na atual clínica que eu trabalho hoje. Ele ficou com ciúmes e acabou por me bater. - Frédéric colocou as mãos sobre a boca. Jimin contraiu os lábios deixando -os em uma linha reta. - Ele me puxou da escada, eu caí e cortei o lábio. Foi o dono da clínica que me ajudou. Tanto com o meu ferimento, quanto em um lugar para ficar e um advogado para regularizar a minha situação.

--- E seu ex não te procurou mais? - Jimin perguntou.

--- Algumas vezes, depois ele deve ter cansado.

--- Então, ______. Você tem algum compromisso para amanhã? - neguei. - Eu vou dar uma festa amanhã. Eu aluguei uma casa para isso. O que acha de irmos todos juntos e nos divertimos à beça?

--- Claro, por que não?! - respondi sorrindo.

Ficamos mais algumas horas ali jogando conversa fora. Frédéric acabou por adormecer no sofá. - Ele estava bêbado. - Eu disse que já era tarde e precisava ir para à casa. Jimin pegou suas coisas, encostou a porta do apartamento do Frédéric e me acompanhou até o meu.

--- Já são uma hora da manhã, Jimin. - ele riu.

--- Pois é. Vou deixar você descansar já que tem que trabalhar amanhã. - Silêncio por alguns segundos. - Quer ir comigo para a festa amanhã? - assenti. - Eu venho te pegar às sete, tudo bem?

--- Pode ser as oito? Eu saio da clínica as sete.

--- Claro, pode sim. - tirou um cartão do bolso e me entregou. - Qualquer coisa me liga. - beijou minha bochecha e sumiu de minha visão.

       Entrei para o meu apartamento, tomei outro banho, troquei de roupa e me deitei para dormir.

*


Notas Finais


Ate sábado.
😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...