História Possessive and sick - Capítulo 89


Escrita por: e Karol_93

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Seventeen, TWICE
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jihyo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Mingyu, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Jeon Jungkook
Visualizações 108
Palavras 957
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura!
❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤

Capítulo 89 - 89 - Who is you?





Park Jimin. 



— Eu vim despedir. - disse como se fosse a coisa mais normal do mundo.


— Você não tem vergonha na cara pra aparecer aqui! - esbravejei e ele se manteu em silêncio.


— Ela está em coma por sua culpa!


— Eu vou ceder à sua vontade de ser livre. - soltou a mão dela. — Vou deixá-la livre para faze o que quer.


— Eu não quero causar mais mau à sua vida, amor. - selou sua testa.


O que me impede de quebrar cada pedacinho do seu rosto agora, é eu estar calmo demais para fazer isso. Os remédios que tomei me deixaram neste estado.


— ... - cochichou algo em seu ouvido, passou por mim de cabeça baixa e saiu.


Cinco dias se passaram, e com eles, a minha preocupação e ansiedade para saber o que está acontecendo com ela aumentaram gradativamente.

Ainda é cedo, eu sei. Mas estou muito preocupado com ela. Preciso ver seus olhos e ouvir de seus lábios se ela está ou não bem.

JaeHyun vem todos os dias aqui, e é alimentado pelo seio da mãe. - continuo tentando estimular os sentidos dela.

Taehyung conversa com ela sobre o quão esperto o Jae está ficando com o passar dos dias.

Meus pais vieram duas vezes aqui, e mesmo sabendo que ela poderia ou não escutar o que eles diziam, pediram desculpas por tê-la tratado com desdém naquele tribunal.

A sua melhor amiga, Min Woo Si, passou aqui uma vez, para conversar com ela e dizer o quão preocupada estava com tudo o que aconteceu.

Todos à sua volta à amam. Especialmente a minha mãe, que gosta dela como se fosse uma filha, e reconhece que errou por tê-la tratado mal.

Sempre há um funcionário do hospital aqui para dar uma passadinha e dizer um "oi" para ela.

Flores são entregues todas as manhãs por um ser anônimo. - Até pensei que fosse o JungKook, mas isso seria impossível, já que fui avisado que ele está morando fora do país.


— Oi, Jagiya. - beijei seus lábios. — Jae está sentindo muito a sua falta, sabia? - Me sentei ao seu lado. - sua mão apertou a minha.


— Você consegue me ouvir?


— ...


— _________?


— ... - eu sei que o corpo humano pode apresentar espasmos musculares, e talvez seja isso que a tenha feito apertar a minha mão. - Espasmos ocorrem mesmo após a morte.


— Eu pedirei ao médico para te acordar do coma. - alisei seu rosto.


— É arriscado, mas eu não conseguirei ficar sem falar com você por muito mais tempo.


— Eu preciso te dizer tudo aquilo que não disse.


— A sua carta me deixou muito feliz. - sorri. — Eu me sinto muito bem depois de saber que você ama a mim e não a ele.


— Eu queria poder te dar um milhão de beijos. - ela novamente apertou a minha mão.


— Você consegue me ouvir?


— Tem certeza de que quer acordá-la? - o médico estava na porta.


— Eu ouvi sua conversa com ela. - se sentou na poltrona. — Ainda é cedo para acordá-la, mas se quiser, posso fazer isso. Eu entendo a sua dor, e sou testemunha do quanto se amam.


— Traga o termo. - como a _______ está debilitada, eu sou o responsável dela. E terei que assinar um termo de responsabilidade, comprovando que eu me responsabilizo por qualquer dano causado à sua saúde.


Eu sei o quão errado eu estou por fazer isso, talvez eu até esteja sendo egoísta, mas eu preciso saber de sua boca o que é que ela está sentindo.

Para ter uma noção do quão grave é o caso dela, o coma induzido somente é indicado nos casos de traumatismo craniano; tumores; derrame; reações tóxicas aos medicamentos ou a ingestão voluntária de sedativos e outras substâncias tóxicas.

O ferimento que ela tem no rim não é motivo para induzi-la ao coma.

Mas o médico preferiu dar um descanso à ela, e ao seu corpo, que está fragilizado. Ainda mais depois de descobrirem que ela não estava se alimentado direito, e por esse motivo está anêmica.

A nossa sorte é que o pessoal já sabe qual é o tipo sanguíneo dela, e isso facilitou e muito!


— Aqui está. - assinei o papel. Ele estava retirando pouco a pouco a medicação que deixava o seu cérebro "dormente".


— Ela deve acordar pela manhã. - assenti.


Se eu disser que dormi estaria mentindo. Passei a noite toda acordado esperando que ela acordasse, mas não acordou. - bufei frustrado.

Peguei roupas e entrei no banheiro, para tomar banho e tentar acalmar os nervos à flor da pele.


— Você precisa se acalmar, Jimin. - disse para mim mesmo.


— Tudo vai dar certo, e com sorte ela sairá dessa ilesa. - encostei a testa na porta de madeira.


— Eu não consigo acreditar no que eu mesmo digo. - bati a testa na madeira da porta duas vezes seguida.


— Mantenha-se calmo por ela. É por ela que você deve ser forte e resistir a tudo que está acontecendo. - assenti como se fosse outra pessoa que tivesse e me dito a frase.


Terminei de vestir as minhas roupas e saí do banheiro, voltando ao quarto e encontrando a minha esposa ainda deitada, e com os olhos abertos, olhando para o meu rosto sem expressão alguma.


— Jagiya... - O coração acelerou tanto que pensei que fosse morrer.


— Meu amor, você está bem? - Me sentei na cama, segurei seu rosto e beijei seus lábios gelados.


— Eu senti tanto a sua falta. - abraçei com certa dificuldade.













— Quem é você? - perguntou -me com o cenho franzido. 


Notas Finais


Hmm😥
Espero vocês nos comentários.
VOCÊS SÃO MEUS ANJOS ❤

Obs: Sinto muito por não agradar vocês no último capítulo. Vi que vocês não comentaram, e por isso sei que não gostaram.
Eu mesma reconheço o quão ruim estava.


Deem uma olhada na minha nova fic:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/a-sensual-con-artist-possessive-17724910

Até logo! ❤🌹


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...