História POSSESSIVE (Chanbaek) - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Visualizações 88
Palavras 1.198
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vou postar a nova fic hj ^¬^

Capítulo 15 - O acidente.


Fanfic / Fanfiction POSSESSIVE (Chanbaek) - Capítulo 15 - O acidente.

Eu estava sozinho no quarto.

Coloquei na instrumental de Heavy (Linkin Park.) e comecei a cantar. 

-I don't like my mind right now Stacking up problems that are so unnecessary Wish that I could slow things down I wanna let go but there's comfort in the panic And I drive myself crazy Thinking everything's about me Yeah, I drive myself crazy 'Cause I can’t escape the gravity I'm holding on Why is everything so heavy? Holding on So much more than I can carry I keep dragging around what's bringing me down If I just let go, I'd be set free Holding on Why is everything so heavy?

Logo ouvi um barulho de palmas. Comecei a desligar o celular desesperado. Quando desligou, afundei a cabeça no travesseiro. A mesma pessoa, eu acho, subiu nas minhas costas.

- Channo! - Era o Baek. Amém! - Você canta muito bem! Deveria fazer audições ou sla, gravar você mesmo suas músicas.. -

Virei apenas a cabeça, para não derrubar ele no chão (mesmo ele merecendo.).

- Não mesmo. Não canto bem. - 

Ele saiu de cima de mim, e se deitou do meu lado.

- Canta sim. -

- Não. -

- Sim. -

- Não! -

- Sim!! -

- ;_; -

- :) -

Baek ficou ali, me encarando. Eu ficava rindo, pois, ele tem esse costume de começar do nada.

Quando eu tentava virat de lado, ele me segurava.

- Baek! Fala oque você quer! Deixa de ser estranho ;_; -

- Tô esperando você adivinhar.. -

- Uhh...que eu saia do quarto? -

- Isso mesmo! Você passou o dia trancado aqui. -

- Aaaah.. Por que você não falou antes? Eu não quero sair. -

- Mas vai. Vamos sair de casa um pouco! -

- Eu num quero. -

- Mas vai! Vai tomar seu banho. -

Me levantei a força, peguei a toalha e minhas roupas. Tranquei e retirei minhas roupas.

Liguei o chuveiro, e com a maior força de vontade entrei. Comecei a me lavar, a lavar os cabelos. Depois de passar o sabonete, peguei o frasco de Shampoo e derramei na mão.

- Que cor estranha.. -

Fui passando de mecha em mecha. O engraçado, era que a cor do shampoo mudava! Mas eu ignorava e voltava a passar no cabelo. Esperei uns 20 minutos, pois aquele era meu creme de hidratação. Depois que os 20 Minutos se passaram, molhei os cabelos, assim tirando o creme. 

- Espera.. Cadê a espuma? -

Enxuguei os cabelos e o corpo apressado. Coloquei a roupa e desliguei o chuveiro. Corri para a frente do espelho e puta que pariu..

- MEU CABELOOO! OH MAI GODI OH MAI GODI OH MAI FUCKING GODI. -

- Que foi, Channo?! -

Comecei a passar água nos cabelos pra ver se saía, mas não acontecia nada. Abri a porta com a toalha cobrindo os cabelos, e Baek me olhou com sua expressão preocupada. 

- Oque foi?! Da cozinha te ouvi gritar! -

- Que berros foram esses? - Chegou LuHan e Kai.

- Quem morreu? - Gritaram de longe, Chen, Lay e Suho. Mas se aproximaram e foram para a frente da porta.

- Meu deus! Massacre de Columbine! Adianta os Passos, XiuMin. - SeHun e D.O.

- Eu ouvi os grito! Lá do quintal. - Tao e Kris se aproximaram.

- Que bom que estão todos reunidos aqui! - Gritei. E todos ficaram assustados. - Quem mexeu..No meu Shampoo?

Quando eu tirei a toalha, SeHun começou a rir, mas logo, os outros começaram a rir também.

- Isso é impossível! - Falou Baek Rindo. - Como você pintou de mecha em mecha??

- Eu passei de mecha em mecha! E só quem sabe disso é o SeHun! - Gritei.

Todos olharam para o SeHun com aquele Olhar de "Fudeu pra você, amigo. "

- Inclusive, você começou a rir primeiro.. -

SeHun correu. Eu peguei a navalha do pai de Baek e sai correndo atrás dele. Ele foi para o lado de fora, e eu, com o Rainbow Hair e uma navalha na mão fui atrás dele.

- Você vai pagar com seu sangue! Você fudeu meu cabelo! -

Alguém me segurou. Era XiuMin.

- Calma, Menino! Nem está tão ruim assim..-

- Eu tô igual a bandeira LGBT! Só que ambulante.. -

XiuMin começou a rir igual uma Hiena da minha cara.

- Tá mesmo! -

- Seu desgraçado ;_; -

- Vem cá, Bandeira LGBT Ambulante. - 

Ele me pegou no colo e eu muito mimado, fiz um bico.

- Fecha a navalha.. - Fechei a navalha e entreguei pra ele.

- Cara, Você é um bebê. Não vou mais te largar.. -

Ele me ajeitou nos seus braços e eu fiquei parecendo de verdade um bebê.

- Eu não sou um bebê! Me coloca no chão! Eu já tenho 6 anos. -

- Admita, meus braços estão confortáveis. -

- Estão mesmo ;v -

Ele me colocou no chão, e mesmo que seus braços fossem realmente confortáveis, me espreguiçei aliviado. Eu poderia ter ficado com dor nas costas.

- Chen, guarde está navalha para a segurança do SeHun. -

- E então, Arco-Íris..- Baek se aproximou de mim. - Nossa saída de casa ainda está de pé?

- Ah, está! Posso ir..trocar de roupa..?? -

- Ué! Vai. Mesmo que você..já tenha trocado. -

- Ah, é! Já coloquei a roupa ;_; -

- Usem camisinha.. - Falou XiuMin.

- Ué. Pra que? Um casal Gay que não é portante de doenças..e não vamos.. Você sabe..- Falou Baek se aproximando mais de mim, e ficando do meu lado.

- Baek..você vai querer usar camisinha..-

- Espera. Da última vez ele não usou...- Falei confuso.

- Puta que pariu! - XiuMin correu até a cozinha.

- Que otário! Saiu sem dar nenhuma explicação..- Baek franziu o cenho.

- Deixa ele. - 

Ignoramos e fomos para o lado de fora. Dessa vez, fomos andando e bagunçando no meio da rua.

Andamos até um lanchonete. Comemos umas comida de rua que eu nunca tinha visto na merda da minha vida e elas eram totalmente deliciosas.

Quando terminamos, o cara não aceitou que Baek pagasse '_' ele insistiu mas o cara ficava falando "Não! Não! É por conta da casa."

Baek acabou desistindo. Então, voltamos a andar por aí.

- Channo.. - Ele me chamou.

- Huh? -

- Você não quer ir embora, né? -

- Como assim?? -

- Não sei..você já havia tentando ir embora várias vezes. Tenho medo que aquilo volte a acontecer. -

- Baek..eu.. Eu não sei. Mas acho que não.. -

- Acha? -

- Ué! Sim! Eu não tenho certeza.. -

- Você pintou seu cabelo da minha cor favorita!! - Gritou alguém que pulou nos meus braços. Era aquela mesma menininha de todas as vezes.

- Bem, digamos que foi assim..-

- Oh, ChanYeol. Vejo que já conheceu a encrenqueira Misty Day..-

- Essa coisa fofa encrenqueira?? -

- Não se engane com a aparência.. - Falou a mãe dela rindo. - Bem, Venha Misty! Deixe o casal passear..-

A menina não foi para os braços da mãe. Ela correu em direção a pista. Quando vi, um carro vinha.

- Ai meu deus! -

Sai correndo. Quando o carro quase pegou ela, a peguei nos braços, e a joguei para longe da pista.

Quem o carro pegou, fui eu.

Minha vista aos poucos escureceu, e aquela multidão de gente começou a se juntar, quase me deixando sem ar.

- ChanYeol! Fique acordado! - Alguém gritou..

- Desculpa, Princesa.. - Falou a menina quase chorando. Enquanto ainda estava acordado, a abracei e sorri. Mesmo sentindo dor, queria mostrar que estava tudo bem..




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...