1. Spirit Fanfics >
  2. Possessive Heart >
  3. Você não conhece aquele cara

História Possessive Heart - Capítulo 13


Escrita por: e Cxmlx14


Notas do Autor


Oiiiee! Aqui estou eu novamente com um capítulo novo.

Nada a declarar, somente leiam.

BOA LEITURA, rapaziada

Capítulo 13 - Você não conhece aquele cara


Fanfic / Fanfiction Possessive Heart - Capítulo 13 - Você não conhece aquele cara

 

Hailey Baldwin P.O.V.

 

Eu precisava - como combinado - ir para a casa do Manuel, eu queria muito ver a Karen - faz tanto tempo que não converso com ela -, eu tinha que ver como ela estava, se tudo estava bem de verdade.

ㅡ O que você vai fazer? ㅡ Justin chamou minha atenção, me fazendo paralisar os meus braços, parando tudo o que eu iria fazer, para fitá-lo.

ㅡ Você acha que funciona? ㅡ apontei para o telefone fixo. Eu iria ligar para a casa do Manuel para saber se eu não incomoria em ir lá agora, mas Justin me impediu de o fazer.

Eu teria que usar aquele telefone, pois o meu havia ficado na minha casa, que no momento estava a quilômetros de distância de mim e agora... bom, agora eu estou na "minha" outra casa, na "minha" antiga casa. É realmente ótimo estar aqui, eu sinto tanta nostalgia ao olhar cada canto do espaço, especialmente da sala - mas que ligeiramente me lembram as brigas dos meus pais - e do meu quarto - que é mesmo o meu lugar preferido -, onde eu podia ficar sozinha, podia não escutar os gritos dos meus pais, aonde eu passava meu tempo com o Shawn, com o Carl e com... Bom, com eles.

ㅡ Eu não sei ㅡ negou, quase que imperceptível, com a cabeça ㅡ, provavelmente não. Mas pra que você quer saber? Você iria usar isso pra que? ㅡ foi sua vez de apontar para o telefone atrás de mim.

ㅡ Eu vou ligar pro Manuel ㅡ indiquei a janela com os olhos - a qual a vista dava visão a casa dele ㅡ Eu tenho que ver se posso ir pra lá, antes de ir pra lá.

ㅡ Tá, mas você não vai ㅡ disse simples, notavelmente como se fosse óbvio.

Não?

ㅡ Eu preciso ㅡ murmurei ㅡ Eles podem estar me esperando, Justin, e... eu quero muito rever a Karen.

ㅡ Eu já disse que você não vai sair ㅡ ele aparentava estar certo de que aquilo aconteceria ㅡ Vai querer sair no meio do furacão? ㅡ Justin estava tranquilo com sua ideia de que eu ficaria em casa, entretanto mesmo assim seguia a tentar me convencer, mas não era acreditavel o que ele dizia, já que o dia estava ensolarado lá fora, então sua fala sobre furacão não era plausível.

ㅡ Está fazendo sol lá fora.

ㅡ Não importa ㅡ deixou mais claro. Eu queria tanto ir lá pra fora, queria tanto falar com a Karen.

ㅡ Justin, por favor, eu tenho que ir ㅡ depois de falar, fiquei alguns minutos em pé, descobrindo assim que ele me ignorava.

Eu queria tanto ir.

ㅡ Você não precisa ir pra lá ㅡ tornou a dizer ㅡ Se eles quiserem realmente te ver, eles vêm aqui te ver ㅡ eu não tinha certeza se ele próprio acreditava naquilo e muito menos se ele havia falado pra fazer com que eu descartasse a ideia de ir pra casa do Manuel, mas sentia que poderia ser verdade.

Talvez eu devesse esperar mesmo.

Mas enquanto eu espero, eu poderia ver a situação do meu lugar preferido. Eu estava evitando entrar nele por conta das memórias, mas agora eu não fazia nada e acho que eu poderia ver o quanto aquele quarto está mudado - apesar da casa inteira não ter mudado completamente nada.

ㅡ Onde vai?

ㅡ Eu vou lá pra cima ㅡ lhe respondi.

Subindo as escadas, firmava meu olhar pra frente, prestando atenção onde pisava, até ficar de frente com a porta do meu quarto antigo - que agora pode estar diferente.

Eu mesma me dei um tempo antes de entrar. Eu precisava saber que pensar no passado é uma opção descartada, que eu não posso relembrar coisas que aconteceram a muito tempo - não que fosse coisas ruins, mas iria me fazer ficar pensativa e isso me faria acumular pensamentos, logo me levando a ficar mal sobre tudo que já ocorreu - Então, antes mesmo de eu estrar, deveria pôr em mente para não pensar em nada além do que já aconteceu nesse quarto, ou seja, coisas boas, memórias boas, memórias felizes, eu não poderia migrar meus pensamentos para outro cômodo - como a sala, por exemplo.

Após respirar fundo, passei a mão pela maçaneta, empurrando a porta devagar, ouvindo-a ranger até ficar completamente aberta, dando-me a visão de todo o quarto, que se encontrava incrivelmente no mesmo estado em que o deixei, em que lembrava como deixei. As paredes ainda estavam com as mesmas cores: azul, com alguns detalhes em preto. Os móveis estavam no mesmo lugar, as decorações, objetos e até alguns dos meus materiais escolares estavam no mesmo lugar. Parecia que os anos nem haviam passado, tudo estava igual ali.

Respirando dentro do quarto, reparei que cheirava bem e que não havia sinal algum de que tinha poeira ali, o ar estava limpo, completamente limpo.

Comecei a passear pelo quarto, tocando minhas mãos em todos os móveis, até chegar na cama, onde me deitei na tentativa de me aconchegar e não pensar, assim como ainda não havia pensado.

Era tão bom estar aqui outra vez.

 

ㅡ Eu só acho melhor você fazer uma faculdade ㅡ novamente esse assunto surgiu ㅡ Eu não quero que você vire algum tipo de dependente ㅡ continuou Shawn. Eu sentia que aquele assunto era cansativo pro Carl - que não demonstrava muito isso - Carl, na verdade, estava ignorando - como sempre -, mas agora adicionando o celular que estava em seu ouvido - o que começou a acontecer com mais frequência nos últimos meses -, de novo com a ligação de uma pessoa que ele nunca contava quem era.

ㅡ Carl... assim... ㅡ suspirei ao ver outra vez Shawn revirar os olhos ㅡ Você deve fazer o que se sente bem, o que se sente confortável em fazer... e... como sempre digo, se o que você quer fazer não precisa de faculdade... tudo bem, eu apoio ㅡ disse o que se passava em minha mente toda vez que esse assunto vinha à tona

ㅡ É sério, Hailey? ㅡ Shawn perguntou em tom de deboche ㅡ Ele vai se tornar um desempregado desse jeito.

ㅡ Shawn, muitas pessoas que não cursaram faculdade se deram muito bem.

ㅡ Quem? ㅡ novamente quis saber ㅡ Ele tem 21 anos, já passou da hora de entrar pra uma...

ㅡ Não, ele vai pra uma faculdade se ele quiser.

ㅡ Eu só não sei por que você tanto defende essa ideia ridícula dele ㅡ apontou para Carl, que estava ao meu lado, mexendo no meu notebook e prestando atenção na voz da pessoa que falava em seu ouvido - pela ligação ㅡ Ele nem está te ouvindo.

ㅡ Eu estou ouvindo a Hailey, só estou ignorando você enquanto falo no telefone ㅡ pronunciou-se finalmente.

ㅡ Por que você não dá um tempo de tecnologia e presta atenção no que estamos falando? ㅡ o moreno arqueou as sobrancelhas ao falar.

Carl não teve muito tempo para responder - e eu não sei se responderia -, pois batidas medianas foram escutadas.

ㅡ Sim? ㅡ disse antes mesmo da porta se abrir e o rosto da Ava aparecer no meu campo de visão ㅡ Oi!

ㅡ Com licença... ㅡ ela deu um passo pra frente, entrando completamente no quarto ㅡ Seu namorado está te esperando lá embaixo, quer que eu peça pra ele subir?

ㅡ Claro ㅡ respondi ligeiramente. Eu estava com saudades do Alex.

ㅡ Tudo bem ㅡ não demorou muito pra ela se retirar.

ㅡ Você tá brincando, Hailey? ㅡ ao virar meu rosto para os meus amigos, reparei que os dois me encaravam de forma estranha.

ㅡ O que foi? ㅡ agora me sentia um pouco confusa.

ㅡ Você mandou ele subir ㅡ Shawn falou de forma óbvia.

ㅡ Ele veio me ver, ué.

ㅡ Mandava ele embora ㅡ sugeriu ㅡ, dizia que estava com companhia melhor... ou até que queria ficar sozinha ㅡ olhou discretamente pra porta ㅡ Cara chato.

ㅡ Ei ㅡ o repreendi de modo simples ㅡ Você só está com ciúmes.

ㅡ Porque você está namorando um cara grudento.

ㅡ Realmente, Hailey ㅡ murmurou Carl.

ㅡ Quê?

ㅡ Ele é um babaca grudento ㅡ disse outra vez, agora resmungando.

ㅡ Não é.

ㅡ Ele é um baba...

ㅡ Ah ㅡ interrompendo nossa conversa, Alex entrou no quarto abrindo a porta ㅡ Vocês estão aqui ㅡ pareceu surpreso ㅡ Eu pensei que...

ㅡ Que a Hailey estava sozinha? ㅡ Shawn completou a frase do Alex de modo rude ㅡ Não, não está.

ㅡ É ㅡ deu de ombros ㅡ Parece que não.

ㅡ Vocês podem não discutir hoje, por favor ㅡ pedi, relembrando a última briga deles.

ㅡ Nós não vamos discutir, princesa ㅡ assegurou.

 

Querendo ou não, minha adolescência - até meus 16 anos - foi ótima, porque eles fizeram parte dela.

Lembrando de tudo isso, um sentimento me tomou, o mesmo sentimento que aparecia quando eu lembrava do Alex, um sentimento de decepção, que sempre me fazia chorar, como agora. O que também juntava a saudade inexplicável que eu sentia do Carl, que me levava a sofrer mais ainda.

 

[...]

 

Tudo tinha passado tão rápido, que nem parecia que fazia 2 dias que estávamos em Atlanta novamente. Justin insistiu que eu ficasse na casa dele nesses últimos dias e só agora eu pude vir pra minha casa. Já havia algumas horas que eu esperava por Shawn, o que me deixava mais preocupada do que o normal. Na minha mente, quando eu chegasse, Shawn estaria por aqui, mas não, ele não estava.

Enquanto eu mexia no meu celular, procurando se eu havia perdido algo, e então apareceu a notificação das 28 ligações - que eram perdidas - do Shawn. Será que aconteceu algo? Será que ele está bem? Ele pode só estar dormindo em outro lugar, só isso...

Minha conclusão foi confirmada quando a porta repentinamente foi aberta por ele, por Shawn.

ㅡ Onde você estava? ㅡ quis logo saber, logo vendo ele tomar um susto, virando-se rapidamente.

ㅡ Hailey! ㅡ ele estava surpreso por me ver ali ㅡ Meu Deus, que bom que você está aqui! ㅡ aparentava estar bem aliviado.

ㅡ Aconteceu alguma coisa, Shawn? ㅡ ao perguntar levantei-me, tentando não começar a me preocupar precipitadamente.

Comecei a notar a feição de surpresa dele se tornar uma leve frustração.

ㅡ É, aconteceu ㅡ sua voz seguia calma, mas de qualquer jeito era dura ㅡ Você sumiu, Hailey ㅡ gestuculou, mostrando que nele se iniciava uma inquietação ㅡ Você simplesmente, do nada, sumiu!

ㅡ Não foi do nada, Shawn ㅡ soprei. Eu não queria brigar com ele, eu não queria discutir. A gente não faz isso, nós não brigamos, e eu quero que isso aconteça. Nós não somos assim, ele não é assim, eu não sou assim.

ㅡ Hailey, você não me deu notícias, então... foi do nada, sim ㅡ explicou, seguindo com seu tom meio rude.

ㅡ Eu e Justin viajamos e foi...

ㅡ Você e o Justin? ㅡ acho que eu acabei de piorar a situação. Claro que o Shawn tinha que saber que eu tinha viajado com Justin, mas não assim, mais tarde, quando ele estivesse mais tranquilo ㅡ Você e o Justin viajaram? Certo... ㅡ resmungou ㅡ Certo, eu sabia que você não tinha sumido sozinha... Mas com o Justin, Hailey? Você não conhece aquele cara, você não sabe nada sobre ele e... e decidiu viajar com ele? Vocês simplesmente...

ㅡ Eu conheço o Justin, Shawn ㅡ eu disse tentando acalmá-lo nem que seja somente um pouco ㅡ O Justin, ele... Nós... Eu acho que estamos namorando.

ㅡ Ah, você acha? Como assim? ㅡ ele realmente estava confuso ㅡ E você só vem me contar isso agora? Você está namorando com aquele cara e só me conta agora?

ㅡ É que aconteceu lá ㅡ me referi a viagem.

ㅡ Lá aonde? ㅡ questionou ㅡ Pra onde vocês foram?

ㅡ Nós fomos para Colúmbia.

ㅡ Colúmbia? E por quê? ㅡ franziu a testa levemente confuso ㅡ Eu sempre te chamo pra ir lá e você não...

ㅡ Eu não sabia que estávamos indo pra lá.

ㅡ Como assim?

ㅡ Nós fomos pra outro lugar primeiro ㅡ contei ㅡ, eu pensei que íamos ficar na casa da floresta, porém...

ㅡ Na casa da floresta, Hailey? ㅡ Shawn aumentou o tom, demonstrando estar indignado, entretando não expressava muito isso, agora ele estava muito mais tranquilo.

ㅡ Sim... ㅡ abri minha boca, puxando uma grande quantidade de ar pro meu pulmão, para ter ar suficiente para começar a falar sem que ele me interrompesse ㅡ Olha, nós fomos pra casa da floresta e depois pra Colúmbia... e lá eu vi que...

ㅡ Que o quê? ㅡ e não adiantou, mesmo assim ele me atrapalhou ㅡ Ele fez algo com você? ㅡ o que o Justin faria?

ㅡ Não, deixa eu... ㅡ suspirei, tomando coragem para ver a reação do Shawn ao escutar o que vou dizer ㅡ Justin comprou a casa.

ㅡ Que casa?

ㅡ A minha casa... digo, é dele.

ㅡ Que casa, Hailey? ㅡ Shawn parecia minimamente perdido ㅡ Essa? ㅡ apontou rapidamente para toda a sala.

ㅡ Não, não ㅡ neguei ㅡ A casa da Colúmbia ㅡ observei Shawn ficar parado por alguns minutos, tentando, provavelmente, entender o que eu havia falado.

ㅡ Ele comprou a sua casa?

ㅡ Não, ele...

ㅡ Ele comprou a casa da sua tia?

ㅡ Sim ㅡ afirmei.

ㅡ Sim? ㅡ agora seu semblante era ainda mais incrédulo ㅡ Hailey, você não acha isso estranho?

ㅡ Foi uma coincidência ㅡ dei de ombros.

ㅡ Uma coincidência? ㅡ balançou a cabeça ㅡ Entre outras várias casas expalhadas naquela cidade, ele vai comprar logo aquela?

ㅡ A boa localização, Shawn.

ㅡ Então ㅡ aparentava estar unindo tudo que havia entendido ㅡ, você foi para uma floresta com o seu namorado, que você não conhece, depois foi parar na Carolina do Sul, lá na sua casa.

ㅡ Não é minha...

ㅡ É dele, sei ㅡ outra vez o silêncio tomou conta do ambiente, porém dessa vez ficou por mais tempo, ficou por muito mais tempo, um tempo duro e constrangedor.

ㅡ Você está bravo comigo?

ㅡ Não, eu estava preocupado ㅡ resmungou ㅡ Você já pensou na desculpa que vai dar pra poder voltar a trabalhar?

Meu Deus, meu trabalho.


Notas Finais


E aí? Ruim? Médio? Bom?

Shawn está preocupadinho...

Foi isso aí, galera. Espero que tenham gostaaado.

Bye, até o próximo capítulo!

Xx Cxmlx14


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...