1. Spirit Fanfics >
  2. .possessive. Jeon Jeongguk. >
  3. . prólogo - brigas resultando em "cinto"?!.

História .possessive. Jeon Jeongguk. - Capítulo 1


Escrita por: e Clahxs


Notas do Autor


Olha eu aqui de novo, postando uma história do nosso Coelho vulgo, Jeon Jeongguk (Ou Jeon Jungkook)😳✊🏻💖
Vejo vocês nos comentários 💖😔😳

Capítulo 1 - . prólogo - brigas resultando em "cinto"?!.


Fanfic / Fanfiction .possessive. Jeon Jeongguk. - Capítulo 1 - . prólogo - brigas resultando em "cinto"?!.


Novamente estava eu aqui dentro do meu quarto, trancada já que o meu "querido" marido não deixou eu visitar o meu irmão. Essa já não ė a primeira vez que ,Jeon Jeongguk já me deixou trancada dentro de casa para eu não visitar minha tia. Isso já estava virando possessividade da parte dele. Eu só tenho apenas dezenove anos, e eu quero seguir o meu sonho de ser torna psicóloga, mais parece que nem isso eu irei me torna.

Por culpa dos meus pais, a ambição deles compraram a minha felicidade, e me deram para a família do Jeon, que no caso estou casada com ele. Confesso que quando eu vi ele, eu me apaixonei de primeira amor em primeira. Começamos a namorar, assim que os meus pais me apresentaram a ele e a sua família. Ele foi um ‘amorzinho comigo no nosso relacionamento, mais agora que estamos casados, parece que eu não consigo dar a minha  própria opinião. Eu não saio de casa, imagina dar a minha opinião para alguém?

Continuei brincando com o meu cabelo, fazendo penteados e entre outros. Eu estava com fome, mais lembrei que o Jeongguk disse para a Jenny não dar nenhuma comida para mim, por causa da ignorância que eu lhe fiz na frente dos seus pais. Eu sei que eu sou arrogante e rude, mais , não precisa disso tudo.

Estava tão distraída que nem percebi o mesmo ali, me encarando com as mãos no bolso. Ele estava apoiado na porta, me olhando profundamente. Fingi que ele nem estava ali, e virei para outro lado, ficando de costas para o mais velho que insistia me pesar com o seu olhar.  Eu me sinto uma presa em seu olhar de predador.

— Vai fingi que eu não estou aqui? — Quebrou o silêncio que estava entre nós, apenas fechei os meus olhos em resposta — Eu te fiz uma pergunta!.

— Ah, oi?!. — Abri os meus olhos, os deixando um pouco entre abertos, dando um ar de sonolenta — Estava dormindo.

— Eu sei muito bem que você estava acordada. Agora, responda: Vai fingi que eu não estou aqui? — Insistiu na pergunta, se aproximando de mim , pouco de 3 centímetros de distância.

— Vou sim. Até você parar de ser babaca! — Exclamei apontando o dedo em seu rosto. Ele apenas sorriu soprado.

— Você me respeite! — Pegou em emu braço, me jogando de novo na cama e ficando por cima de mim — Posso até ser babaca, mais saiba que você é minha. Entendeu?!.

— Entendi não. Eu não entendo língua de babaca! — Cuspi em seu casaco, soltando um sorriso debochado da minha parte — Agora saí daqui! Eu não quero olhar para sua cara!

— Vai continuar me respondendo? — Perguntou retirando uma mecha de cabelo que estava caída sobre meus olhos — Vai ficar trancada dentro de casa á 1 semana!

— Não! Você não pode fazer isso ! — Após ele sair de cima de mim, abrindo a porta , exclamei  lhe encarando com raiva — Só porque é meu marido, você não tem esse direito!

— Quem te garante? Agora, prefere ficar sem come ou fica trancada por uma semana?!. — Tombou a cabeça para o lado, se aproximando de mim de novo.

— N-Não! Você não pode fazer isso! Está louco?!. — Gritei o mais potente possível, só que não foi sucesso possível.

— Grita comigo e, eu serei o seu pior pesadelo, minha querida — Ditou sussurrando em meu ouvido, segurando minha mandíbula com força — Ficará aqui pelo menos dois dias.

Saiu em direção a porta, deixando eu parada como se eu fosse uma estátua. Estava indignada com isso, não aguento ficar trancada aqui, e ainda por duas dias. Apesar de que, eu já fiquei trancada por duas semanas.  Não interessa, eu irei sair sem ou com o consentimento dele. É hora que eu irei fazer uma caminhada pelo menos.

Desci as escadas com receio, na esperança de que ele não esteja ali conversando com a segunda mãe dele, a Jenny. Desde do dia que eu me casei com o Jeongguk, a Jenny foi muito gentil comigo e ,eu só fiquei sendo rude com ela. Jenny só tem quarenta e três anos, por isso o Jeongguk a trata como se fosse a segunda mãe dele, já que a sua mãe não vista mais ele.

Olhei para os lados, vendo o mesmo que estava conversando com a Jenny , e logo o seu olhar retornou para mim, dando calafrios sobre meu corpo.

— Eu falei para você ficar lá! — Ele se aproximou de mim, me pegando pelo braço e, praticamente me prensando contra parede — Eu não falei?!. — Apertou novamente, gritando comigo ,como se eu fosse uma "menininha" que iria aguentar aquele grito dele.

— Não grite comigo! — Lhe dou um tapa , dando um estalo forte, o que resultou: a sua bochecha vermelha e a minha mão doendo do estalo.

Ele colocou a mão no local atingindo, e me olhou com um sorriso debochado. Olhei para Jenny que se aproximava do Jeongguk.

— Vou ensinar a ela os  bons modos! Comigo não tem essa se é  mulher! — Ele me pegou (de novo) pelo braço, me levando até o quarto.

— Jonnie, não faça nada! Não faça nada ! — Ela o seguiu, e ficando na frente dele.

— SAI DA MINHA FRENTE, JENNY! — Gritou com a mesma ,lhe dando um baita susto. Com o seu jeito de babaca, me jogou em cima da cama e se aproximando do guarda-roupa, pegando um cinto de couro — Deita e tira a sua roupa.

Arregalo os olhos em resposta , tentando conter as minhas lágrimas que estavam por vir. Neguei em resposta lhe deixando mais furioso que antes. Me empurrou com brutalidade na cama, e retirando toda a minha roupa, me deixando apenas de calcinha e de sutiã. Senti um arrepio percorrer pelo meu corpo, e logo me deitou deixando minhas costas quase exposta para si mesmo. Passou a mão pela minha perna, e logo ouvi algo cair no chão. 

— Por mais que você me deixe triste, eu ainda amo você e não consigo fazer isso! — Lágrimas caíram sobre sua calça preta , nem dei atenção peguei minhas roupas que estava largadas pelo quarto — Por favor, S/N me desculpe — Me abraçou, deixando algumas de suas lágrimas molharem meu ombro.

— Pode me deixar colocar minha roupa? Eu não quero... — Ele me interrompe, selando nossos lábios. Sua mão percorreu meu corpo, apertando ainda mais a minha cintura. Eu estava prestes me entregar, mais logo me toquei e o empurrei.

— O que f— Não deixei ele dar uma palavra sequer, apenas abri a porta dando de cara com a Jenny com os olhos marejados.

— Ele fez algo com você?!. — Perguntou desesperada, me abraçando.

— Não...


(...)


Coloquei a minha roupa anterior, e voltei ao quarto pensando no beijo do mesmo. Me senti uma idiota por te empurrado, mais pera... Eu o empurrei porque ele iria me bater de cinto, então eu fiz certo. Estava decidida de que eu iria fazer apenas uma caminhada.

Aproveitei que o mesmo estava na empresa resolvendo alguns negócios. E logo, desci as escadas dando de cara com a Jenny com uma bandeja me olhando.

— Se eu fosse você, não saísse daquele quarto. Jonnie disse para você ficar lá! — Ditou a mais velha me lançando um olhar preocupado.

— Eu irei fazer uma caminhada pela floresta.

— Assim? — Se referiu a minha roupa. Estava vestindo; uma calça jeans preta e uma blusa preta e branca cheias de listras — Eu não acho uma roupa adequada para se caminhar. Mais tudo bem, se você quiser caminhar assim. 

— Eu volto às 18:38 da tarde.

Calcei meu tênis da Vans , pegando a cópia da chave certa de casa e, abri a porta. Sentindo aquela brisa, me deu mais vontade de sair de casa. Caminhei até uma floresta perto de casa, na qual eu sempre olho para ela achando que tem alguém ali. 

Senti os meus pés serem pesados por algo inexplicável para isso. Ignorei continuando caminhando como se eu fosse uma pessoa normal , como se eu não tivesse um marido possessivo que quase me bateu com cinto. Suspirei me sentando em um banco qualquer que encontrei, olhei para as nuvens tentando esquecer dos problemas pessoais e mentais. 

— Olá , nova por aqui? — Um rapaz de mechas vermelhas e com uma tatuagem média no pescoço, perguntou sentando perto de mim

— Não e você?

— Sim.  Me mudei na semana passada. Achei que fosse nova, nunca te vi por aqui — Sorriu gentilmente , entendendo a mão — Prazer Byun Baekhyun!

— Jeon S/N — Apertei a sua mão na gentilmente — Eu sou um pouquinho anti-social, por isso você nunca me viu por aqui — Minto olhando para a minha aliança de casado.

— Casada?  — Olhou para o meu dedo, avistando a minha aliança.

— Sim.

— Ah bom! Eu também sou casado — Mostrou a aliança em seu dedo — Casei no ano passado. Foi a pior coisa da minha vida!.

Fiquei surpresa por ele te falado isso perto de mim. Estranhei o seu modo de sorrir e de olhar. Já faz um bom tempo que eu não saio sozinha , deve ser por isso que eu estranhei seu jeito.

— Porque ? — Questionei antes de levantar.

— Por que a minha esposa tem um ciúmes muito obsessivo e isso enjoa, entende? — Assenti, me lembrando do Jeongguk a pouco tempo — Bom, sei que a gente se conheceu agora mais , você poderia me dizer o seu número?

— A-Ah!... — Fiquei um pouco sem graça com isso — Vou pergunta ao meu marido hoje, talvez amanhã eu te dou o meu número. Tudo bem assim?

— Claro! 

— Okay então. Tchau Byun!

— Tchau Jeon!

Acenei para ele, indo em direção para fora da floresta. Não vou mentir: Mais esse tal de Byun Baekhyun é bem bonito. Fiquei com esse pensamento rodado em minha cabeça, sem perceber que o meu marido estava estacionando o carro perto de mim.

— Entra! — Ordenou com a voz rouca — Eu mandei entrar! Será que é surda por acaso? — Entrei sem questionar o mais velho, que apertou o volante firmemente — Quem era aquele? — Virei a cara, olhando para a paisagem "linda" através da janela do carro — Eu te fiz uma pergunta!. — Pegou em minha mandíbula fortemente, e me puxou para perto de si mesmo.


Notas Finais


Termina por aqui com o Jeongguk sendo rude já no prólogo das brigas entre ele e a S/N.

Contas: @Chanie_hwp / @Clahxs

Contas da minha babyzinha 💖😳✊🏻: @Sweetiiee / @Grewnp

Vão lá ler as histórias dela!💖😳😔 Ela ARRASA demais mano😳💖😔 E TEM UMA ÓTIMA CRIATIVIDADE 💖😳😔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...