1. Spirit Fanfics >
  2. POSSESSIVE- Josh Beauchamp (Beauany) >
  3. And Now?

História POSSESSIVE- Josh Beauchamp (Beauany) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Volteeeeiii kkkk
Não desistam de mim, eu vou tentar voltar


Compartilhem e comentem:)

Capítulo 6 - And Now?


AND NOW?



-Pra que, Beauchamp? -Perguntei, mas ele me deixou sem respostas, apenas virou as costas e saiu. Filho da mãe. O que aquele idiota queria comigo?


        Logo lembrei-me de Joalin e de Jake e saí correndo, afim de chegar a casa de Joalin o mais rápido possível pra ver se Jake estava bem.


-JOALIN?, ONDE ESTÁ JAKE?, ELE ESTÁ BEM? -entrei em sua casa gritando, a porta estava aberta e mesmo assim era uma tremenda falta de educação, sorte que seus pais não estavam em casa.


-Calma Any, nossa... -Ela disse assustada. -Ele está lá em cima, está bem e tal, quer dizer, não está morto. -Fui correndo correndo para o quarto, cheguei a tropeçar nas escadas, vi Joalin reprimir um riso, mas nem liguei. Jake estava deitado na cama com os olhos fixados no teto, seu olhar era estranho, continha ódio...


-Jake?, Você está bem? -Fiz uma pergunta idiota sentando ao seu lado. -Nossa, eu fiquei super preocupada..


-Você não deveria ter se metido.

-Ele disse com certa dificuldade, sendo grosso. -Eu iria matar ele.


-Mas Jake, eu não queria falar nada, mas..., Você estava apanhando como aqueles bonecos de boxe. - Falei com cuidado pois não queria pisar nos sentimentos dele.


-Você que viu mal, eu ia acabar com ele. -Realmente, Shawn tinha batido muito em Jake. -E você pisou no meu orgulho, isso vai pegar mal pra mim.


-Você está sendo infantil, cara. -Falei.


-E injusto também. -Joalin disse enquanto observava tudo incrédula.


-Não interessa, só fiquem fora disso. -Ele disse friamente, os olhos cheios de ódio, e alguns curativos que Joalin havia feito, ou tentado fazer. -Eu vou embora. -Ele disse tentando se levantar com certa dificuldade. -Onde está Jefferson? -Jake estava sendo totalmente injusto com a gente, nós ajudamos ele, e se na cabeça dele, ele pensa que vai conseguir acabar com o Josh, me desculpe, mas ele está vendo gnomos em Marte. -Pois Beauchamp socava ele loucamente, se eu não tivesse interrompido, Jake já era. Eu estava com raiva por ele ter sido tão babaca, minha vontade era de ir até Beauchamp e dizer: “Oi seu idiota, resolvi deixar meu amigo morrer, Tenha um bom trabalho, Tchau.” ,Mas eu ainda era idiota, e tinha esperanças de Jake voltar a ser o que era antes, eu me preocupava com ele, uma amizade não acaba assim, por mais que ele estivesse sendo um merdão, eu não queria que nada de mal o acontecesse, desde que Jake criou essa gangue pra afrontar The Canadians, meu sonho era o levar até a igreja mais próxima e o entregar a Deus, pois ele tinha mudado muito, e isso doía demais, por mais que eu escondesse essa dor.


Jeff logo veio e ajudou Jake a descer as escadas, o levando embora.


-Você sabe onde está o velho Jake? -Joalin perguntou pasma.


-Se eu soubesse, já tinha o trago de volta a muito tempo. -Falei com um tom de voz triste. -Mas mudando de assunto. -Disse respirando fundo, tentando me recompor. -O que você tinha de tão surpreendente pra me falar?, Hein dona Joalin? -Perguntei curiosa.


-Então, conheci um garoto super lindo, simpático, tudo... -Ela suspirou.


-Ah, claro. Você me chamou pra dizer que você desencalhou e eu não, é isso? - Rimos.


-Para Any. Você está encalhada porque quer, tem vários gatinhos que te dão mole e você faz cu doce.  -Rimos novamente. -E você tem 17 anos, muito tempo pra tudo.


-Você falou igual minha avó agora. -Joalin riu.


-Mas então, agora que eu me dei conta, Any... -Joalin disse, a olhei. -Por que você não veio com Jake e Jeff? Veio só depois...? Jefferson me contou que você estava lá na hora da briga e tal, só não entendi o porque de você não ter vindo junto... -Endureci, droga. 


-Bem... -Merda, e agora? -Eu... é... eu estava falando com o Josh -Por fim, falei.


-O QUE? -Joalin deu um berro levantando-se rapidamente da cama. -Você falou com aquele gostoso? E você esta viva, ai meu Deus, Any, me abraça. -Exagerada até não poder mais.


-Affs, Loukamaa...


-Não me chame assim, é JOALIN. -Ela me repreendeu.


-Ok, Louk...- Ela me olhou com cara feia. -Joalin... -Ela sorriu. -Como você pode venerar aquele garoto? Ele quase acabou com o nosso amigo.


-Na real, Jake mereceu, olha como ele nos tratou, como duas estranhas, e isso é o que menos somos pra ele. Se bobear, falo para aquela gangue ridícula dele, The King né?


-The Killers... -Ri e corrigi.


-Foda-se... um monte de podres dele.


-Que menina rebelde. -Falei


-Mas enfim... o que você falou com o Josh? -Ela voltou ao assunto, eu achei que tinha me livrado, mas me enganei.


-Nada... nada demais, só falei pra ele ficar longe de Jake. -Falei simples.


-Você é louca? Onde está?


-Está o que?


-O tiro que você levou por dizer a Joshua Beauchamp o que fazer?


-Ha ha ha, Idiota. 


-Me ama demais. Mas e aí..., o que ele disse?


-Não disse nada, apenas riu da minha cara e foi embora. -Menti, eu odiava mentir pra Joalin, me sentia suja, mas eu não queria contar nada agora. Talvez amanhã, ou depois de amanhã, ou semana que vem, ou daqui a 10 anos, ou no próximo século. Gostei; no próximo século. 


-Sua sorte foi que ele riu ao invés de te dar um tiro. -Joalin disse.


-Pois é. -Queria que o assunto acabasse.


      Eu e Joalin ficamos mais um tempo falando de coisas alheias, até que eu tive que ir embora, meu único pensamento era: “Evite a rua 6”, e foi o que eu fiz, aquela rua estava me causando muitos problemas ultimamente.  Cheguei em casa um pouco mais tarde, pois tive que pegar um caminho mais longo, sorte que meu pai não estava em casa, pois eu estava de castigo e mesmo assim havia saído.


      Eram 19:35 p.m, quando me lembrei do que me aterrorizava: “Você, lá em casa, hoje a noite.” Meu coração disparou, e agora? Eu ia ou não ia?, não gostava de estar no mesmo local que Josh, ele me aterrorizava e me atraía de um jeito estranho, eu não precisava disso. Mas a única coisa que eu conseguia pensar era: “O que ele quer comigo?”. E se ele quiser me matar? Droga. O que eu faço? Pensei o motivo desse “sacrifício”. Jake. Será que ele realmente merecia? Será que eu estava sendo uma idiota por me preocupar tanto com Jake?. A resposta pra segunda pergunta é: Sim, claro e com certeza.


Vou ou não vou? Vou ou não vou?

Vou ou não vou? Vou ou não vou?

Vou ou não vou? Vou ou não vou?

VOU. 


     Enrolei um pouco em meu quarto, e quando eram 20:15 p.m, comecei a me arrumar. Tomei um banho, coloquei um moletom, uma calça jeans e um tênis qualquer. Não me arrumei muito, queria que Josh me olhasse e não visse nada demais, não queria que ele tentasse nada. 


    Pensei em levar uma faca, um estilete ou um pedaço do que Debbie havia feito, serviria como uma perfeita pedra, de tão duro. 

Ia ser golpe de mestre na cabeça de Josh. Mas no fim, resolvi ir sem nada, só eu e a minha coragem que ultimamente não estava me abandonando. 


     Eram 20:30 p.m e me senti um pouco atrasada, por mais que não tivesse horário, pulei a janela, até porque tinha que sair escondida. Se Josh me queria tanto em seu apartamento, bem que ele poderia ser cavalheiro uma vez na vida e vir me buscar com sua humilde Ferrari, mas não, teria que passar pela rua 6, pois ele morava num condomínio luxuoso que ficava na rua ao lado, mas dessa vez não tinha problema porque eu só não gostava daquela rua porque Josh ficava ali com alguns membros do The Canadians, porém dessa vez, eu estava indo ao seu próprio encontro. Mesmo assim fui correndo, porque era perigoso, caras estranhos e tudo mais.


    Assim que cheguei na portaria, hesitei um pouco em apertar o interfone, o que não foi necessário, o porteiro logo veio e abriu. Obrigada amigo, você não ajudou.


     Entrei no elevador, décimo andar, se por acaso alguma força sobrenatural surgisse em mim eu poderia atirar Josh e os garotos de lá. Fácil, eu estava com muita vantagem. Cheguei no andar e logo bati na porta, queria acabar logo co

 Isso. Ela se abriu.


-Mas olha quem está aqui...- Krystian disse. -Entre... hã... nós ainda não sabemos o seu nome, mas não importa.


-Vamos direito ao assunto, o que vocês querem comigo?- perguntei com as mãos na cintura 


-Nós nada, mas creio que Josh quer muita coisa. -Bailey apareceu falando. -Nós estamos de saída, vamos logo Noah, seu bunda mole, está sempre dando uma de tartaruga aleijada. -Bailey xingava Noah.


-Não, caras... Fiquem, por favor. -O que eu menos queria era ficar sozinha com Josh. -Me ensinem nomes de armas, como fazer carreirinhas, como descobrir a senha de um cofre, ou então vamos jogar videogame, tomar um chá, jogar Ping Pong, assistir um jogo de hóquei, basquete, o caralho a quatro, MAS NÃO ME DEIXEM SOZINHA COM O JOSH. -Falei apavorada.


-Tchau. -Cameron piscou pra mim e os três saíram me deixando naquele  apartamento... sozinha, porque até agora não havia visto Josh. 


-Ah. -Krystian semi abriu a porta e colocou a cabeça para dentro. -Josh esta no banheiro, espere ele no sofá. -Afs, eu odiava aquele sofá também. 


-E não quebre mais nada. -Ouvi q voz de Beiley gritar, e os três se foram. Me vi sozinha de novo, sentei no sofá, eu estava soando frio, esperei por cerca de dez minutos e então Josh apareceu só de calção e cabelos molhados, droga, esse idiota é gostoso pra caralho, confesso.


      Logo ele me notou, e deu um sorriso de lado. Pura sedução. 

Aquele seu jeito bad boy me causava sensações estranhas.


-Você... -Ele disse passando as mãos no cabelo molhado. -Pensei que não viria...


-Eu não queria, mas né... Trato é trato, já posso ir embora?


-Quer beber alguma coisa?

Água? Vodka? Veneno?.....




     


Notas Finais


Eu não demoro pra voltar com outro, beijinhos bbs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...