História Possessive love - Jung Hoseok. - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 72
Palavras 1.324
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pois bem mais um capítulo.
Boa Leitura amorinhas.

Capítulo 25 - Casa comigo, Jungkook?


Fanfic / Fanfiction Possessive love - Jung Hoseok. - Capítulo 25 - Casa comigo, Jungkook?

                         ♧Hoseok ON ♧

Já era noite, o sol já havia se despedido de nós a muitas horas e mesmo eu querendo acreditar já tinha certeza que Jungkook não viria mais hoje.

S/N estava deitada no sofá, ainda assistindo filmes antigos, com a cabeça apoiada em minhas pernas. Ouvi o toque da campainhia e rapidamente fui atender a porta, ao abrir a porta me deparei com um Jungkook sorridente.

- me fez esperar três horas além do prometido.- afirmei enquanto voltava para a sala perto de minha gravidinha.

- olá, S/A, parece até exagero, mas sua barriga tá maior.- Jungkook falou se ajoelhando próximo a barriga de S/N. - olá, bebê.

- são dois bebês. - falei e ganhei um belo tapa da gestante. - ai, jagiya.

- não era pra contar agora.- a morena afirmou me encarando.

- só faz de conta que eu não sei.- Jungkook falou fazendo carinho na barriga da minha garota.- mas vocês já sabem o sexo?

- não. Eles não quiseram se revelar.- S/N afirmou. - e o que traz o senhor tão ocupado kook aqui?

- Hoseok que me chamou aqui.

- Ah então quer dizer que se não te chamarmos você nunca viria?- S/N indagou parecendo machucada.

- é um pouco complicado.- Jungkook falou me olhando.

- é por causa da sua ex, Hoseok?- S/N indagou levantando com brutalidade.

- Jungkook, eu te chamei aqui para te mostrar um documento, tem como você me acompanhar?- indaguei levantando do sofá.

- você não vai a lugar algum!- S/N afirmou batendo a mão, com força, no sofá.

- S/A, eu não quero confusão. - Jungkook afirmou segurando a mão direita da morena e quase suplicando com olhar para que ela relevasse.

- tudo bem, meu problema não é com você.- a morena afirmou e saiu, simplesmente saiu da sala.

- S/ N, volta aqui.- pedi, mas fui ignorado pela morena.- valeu, Jungkook.

- eu não fiz nada.- o moreno afirmou levantando os braços.

- abriu a boca.

- a culpa é sua que não me deixa vir na sua casa.- Jungkook afirmou e seguiu para meu escritório. - o que você tem pra me mostrar?

- isso.- falei entregando o papel com o prazo de permanecia da S/N na Coréia.

- é sério que tu me chamou aqui pra mim ler isso é te dizer que a S/N só pode ficar aqui por seis meses?!- Jungkook debochou de mim.

- não isso eu já sabia. O que eu quero é uma solução.

- casar ou trabalhar.

- vou buscar ela para ouvir isso de você. Ela não acredita em mim.- falei e segui direto para a cozinha onde encontrei uma gravidinha esfomeada comendo frutas cortadas em uma pequena tigela.- S/N, você tem ouvir o que o Jungkook acha sobre seu visto.

- tá. Vou já. - ela afirmou e rapidamente saiu com a pequena tigela em mãos vindo até mim.

Entramos no escritório e S/N sentou ao lado de Jungkook e eu fui para minha cadeira de sempre.

- S/N, você já sabe que seu visto vai acabar em dois meses, né?- Jungkook indagou.

- sei sim. - S/N afirmou e levou um pequeno pedaço de morango até a boca.

- ótimo. Temos duas soluções a primeira é você começar a trabalhar.

- certo. Pra isso eu teria que passar meu diploma pra cá né?

- sim. Isso pode demorar cerca de três meses. E isso é até encontrarmos um tradutor da embaixada coreana e tem os trâmites pode ser que você tenha que fazer uma prova de conhecimentos gerais e outra de específicos da medicina.

- então quando tudo terminar você já vai ter sido mandada para o Brasil.- concluí olhando para a morena.

- é isso mesmo, S/A, se demorar muito você vai ter que ir para o Brasil e continuar o processo de lá.- Jungkook terminou a fala.

- e a outra opção?- S/N indagou.

- casar. É a coisa mais rápida e o qu você pode fazer antes do seu prazo acabar.- Jungkook falou colocando o papel na mesa.

- Jungkook, casa comigo? - S/N indagou séria.

- que palhaçada é essa?!- indaguei batendo as duas mãos na mesa fazendo assim um barulho alto.

- é brincadeira, fofinho.- S/N falou rindo e Jungkook também estava rindo de mim.

- S/N, não gosto de brincadeiras.- afirmei sério.

- Você casa comigo, Jung Hoseok? - S/N indagou me olhando.

- caso quando você quiser.

- ótimo. Mas antes eu tenho um pedido.

- O que é o golpe?

- gente, eu vou indo pra casa. - Jungkook afirmou, mas S/N segurou o moreno.- Jungkook, você fica.

- O que você quer, S/N? - indaguei quase prevendo o que viria pela frente.

- Você casa comigo se perdoar o Jungkook. - S/ N afirmou mostrando um largo sorriso de satisfação.

- mas é nunca que eu faço isso.- afirmei e dei uma risada debochada.

- certo. Eu não vou me casar com ia pessoa que odeia o próprio irmão por causa de uma mentira. Jungkook, você pode levar até o aeroporto?- S/N indagou voltando a atenção para meu irmão mais novo.

- Eu não sei.- Jungkook afirmou sem jeito.- eu não quero ser o motivo de mais ódio.

- Você não é.- a morena declarou abraçando meu irmão. - só não posso me casar com um homem que tem o coração entregue a outra mulher.

- Eu já te disse que não é bem assim, eu preciso de sua compreensão, S/N. Ainda é difícil falar.- confessei e a morena largou do abraço de Jungkook.

- quer saber de uma coisa? Eu não caso meu querido amigo e vou esperar o dia que vão vir aqui me levar para o Brasil. E se você não quiser perdoar seu irmão tudo bem, mas vai ter greve.- S/N afirmou e saiu do escritório com tanta raiva que até me deu medo dela.

- me desculpa. Se você quiser eu posso ir lá falar com ela.- Jungkook falou.

- não, ela tem toda razão de ficar chateada.- falei caminhando até Jungkook.

- então eu acho que agora eu já vou indo.

- não, espera. Você me perdoa por não ter acreditado na sua palavra antes?- pedi oferecendo um abraço carinhoso a meu irmão.

- eu quem te peço perdão, querido irmão.- Jungkook falou me abraçando calorosamente.

- valeu, cara.

- mamãe vai ficar contente por isso. - afirmei rindo.

- a S/A também.- Jungkook brincou. - greve?

- vou convencer ela do contrário.

- ela gosta de você, tem ciúmes da Sunhee.- Jungkook afirmou e depois saiu do escritório, agora estava sozinho ,mas de alma lavada.

Fui até meu quarto, mas ela não estava lá. Fui no quarto dela e lá vi minha morena olhando para fora do quarto, tão distante em seus pensamentos.

- Jagiya, eu quero muito ficar bem com você, o que eu faço?- indaguei a abraçando.

- perdoe seu irmão e esqueça a idiota da sua ex.- ela falou saindo do abraço.

- Eu já me ajeitei com Jungkook e a Sunhee já é passado.

- e o passado vai ficar onde?

- no passado.

- bom garoto.- S/N afirmou e me beijou na bochecha.

- na bochecha?- indaguei fazendo careta.

- Você me irritou muito, não merecia nem isso.

- Eu te amo.

- Eu sei, eu sou muito adorável para não ser amada.- S/ N afirmou mostrando todo seu amor próprio.

- o Jin te ensinou isso foi?

- não. Eu já nasci sabendo.

- garota insuportavelmente minha.

- te adoro.- S/N afirmou me abraçando.- mas ainda estamos em greve.

- sério isso?- indaguei revoltado.

  - vamos testar quão grande é o seu amor.- a morena falou e sorriu.


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado.
Bjs no coração 😘❤😘❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...