1. Spirit Fanfics >
  2. Posso te ver? >
  3. A Treta

História Posso te ver? - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Oi oi oi, CrazyChan aqui!
A mídia  (foto do cap) talvez nun tenha muita haver com o título, mas no final do cap, vai ser a cara do Zenitsu hehe
Boa leitura! ^-^

Capítulo 6 - A Treta


Fanfic / Fanfiction Posso te ver? - Capítulo 6 - A Treta

 

                 - É… - disse Tanjirou, sentado em sua varanda - dessa vez eu me ferrei bonito.
                E riu de sua possível desgraça. O ruivo havia praticamente chamado aquele cara doido de pedra para brigar. Sendo que ele era cego e o cara uma fera endemoniada. 
                Tanjirou realmente estava maluco por ter provocado o Sr. Cabeça-de-javali. Ou melhor, estava maluco por causa do Sr. Cabeça-de-javali.
                 O jovem Kamado simplesmente perdia a cabeça perto daquele tal Inosuke Hashibira, talvez fosse o cheiro dele. Um cheiro tão único que Tanjirou poderia passar um dia inteiro apenas analisando e desfrutando de seu aroma.
                  Porém, naquele momento, havia apenas duas perguntas na cabeça de Tanjirou: como raios ele ia tentar "não morrer" lutando contra um surtado sendo que ele era cego e como Nezuko ainda estava dormindo depois daquele barraco todo de manhã. De certa forma, ele estava aliviado por sua irmã ter um sono de pedra, porque não sabia qual seria a reação dela com um estranho maluco no meio da sala.
                 "Imagina a reação do Zenitsu! Tem hora que ele consegue ser mais surtado do que o meu 'hóspede"  pensou Tanjirou, rindo de seus próprios pensamentos e rezando para que quando seu amigo loiro chegasse o maluco musculoso já estivesse bem longe dali, pois o menino não conseguia nem sequer imaginar o barraco que seria com aqueles dois surtados juntos.
                 Tanjirou suspirou e segurou o cabo de sua antiga espada, pronto para lutar a qualquer momento, como se ainda fosse o Tanjirou antes da cegueira. O ruivo sentiu uma corrente de euforia entrando nele quando tocou a espada, e começou a tremer levemente. Mas não era medo. Não. Era um sentimento longe do medo. Era ansiedade. Tanjirou estava ansioso para lutar novamente, porém estava mais ansioso ainda para sentir aquele cheiro de novo. Aquele cheiro que fazia o garoto se sentir bem, que o fazia esquecer de tudo o que ele deixara de lado por causa de sua deficiência.
                 Estava perdido em pensamentos até um grito vindo da floresta ocupar seus ouvidos. Tanjirou teve certeza de quem era o grito quando ouviu:
               - Aaaaeeeeee ô cabelo de beterraba! Cai pro pau, fi da mãe! - berrou a inconfundível voz de Inosuke Hashibira. 
               Tanjirou segurou o riso e se levantou, segurando sua Ninchirintou se aproximou do seu antigo hóspede. O ex caçador de onis respirou fundo, tentando analisar o máximo possível o cheiro do maior e gravá-lo em sua mente, assim ficaria mais fácil de perceber seus movimentos. 
                 Porém quando fez isso se assustou. Pelo cheiro, Inosuke Hashibira tinha duas Ninchirintou's, o que significava que ele era caçador de onis!
               - Ei! Espera! - gritou Tanjirou, antes que o maior atacasse.
               - Hãn?! - exclamou Inosuke, parando a menos de um metro do jovem Kamado - Que que foi caraio?
              - Você é um caçador de onis, não é? - perguntou o ruivo.
              - Sou. E daí? 
              - Eu também sou, ou melhor, eu era. Então não podemos lutar. É contra as regras do Esquadrão de Exterminadores. Estaríamos metidos em tabu se lutássemos. - respondeu Tanjirou, abaixando a espada.
             - É  mermo? - perguntou Inosuke, num tom surpreendentemente baixo.
            - É - falou Tanjirou sorrindo. 
            - FODA-SE! - gritou o maluco musculoso partindo para porrada com o ruivo cego.
            "Merda… Ferrou!" Pensou Tanjirou, levantando o mais rápido de pôde a espada e respirando fundo, tentando perceber cada movimento de seu oponente. Analisou. Apreciou. Sentiu. E com um manejar de espada (para sua própria surpresa) rebateu o golpe do outro.
                E foi assim consecutivamente. Desviando e prestando atenção no cheiro do maior, que por ser tão singular deixava um certo "rastro" no ar, que com um pouco de dedução do menino era possível prever e rebater o próximo golpe. É óbvio que ele não conseguia se esquivar de todos (como chutes e algumas cotoveladas), mas dos mais letais o menor conseguia com uma maestria incrível para alguém sem a visão.
               - Vai ficar só desviando, miséria?! - vociferou o cabeça de javali, com raiva - tá me subestimando, Kentarou?!
              - É… Tan… ji… rou! - corrigiu o outro, com dificuldade para falar, já que estava tentando se concentrar em não ser partido ao meio - Acho… que... seria… bom… eu te… falar… que… eu… sou… ceg… oooooooaaa!
              Tentou dizer, antes de desviar por pouco de um golpe letal. Que cortou a roupa de Tanjirou, o deixando com o peitoral exposto. Ah... mas foi aí que o musculoso machão congelou e se pôs a apreciar aquela escultura dos anjos. 
               O corpo definido e suado de Tanjirou Kamado não era algo que se via com frequência. Apesar de saber que seu físico era de dar inveja, Inosuke se surpreendeu e quase "babou" o corpo do menino ruivo. Era definido, mas não exagerado. Músculos naturais e de certa forma tímidos, davam ao garoto um aspecto divino e inocente, mas também atraente. Além de estar suado e com o sol do fim da tarde refletindo em sua pele que sem dúvida era macia, um fio de sangue escorria de seu peitoral e fazia um caminho sinuoso até umas partes do corpo do menino que Inosuke estava começando a ter uma certa… curiosidade.
                - Ai caralho. - disse para si mesmo, batendo no rosto totalmente corado que se escondia atrás da cabeça de javali.
                Tanjirou não entendeu a pausa, mas agradeceu mentalmente por ela. Assim poderia pensar em alguma forma de desarmar Inosuke e imobilizá-lo. Fácil pensar, difícil era pôr em prática.
               Os golpes de Inosuke eram tão simples que chegavam a ser bobos, mas o problema era que ele tinha uma flexibilidade incrível, o que o permitia transformar golpes infantis em golpes letais e dolorosos. Tanjirou tinha que ter muito cuidado, e naquele ponto da luta, o menino já sangrava.
                 A pausa durou pouco, e Inosuke voltou a atacar. Mas Tanjirou percebeu que os golpes estavam diferentes. Estavam… incertos. Como se ele estivesse distraído por alguma coisa, o que fez o ruivo perceber uma abertura para atacar. Tanjirou cortou levemente as mãos de Inosuke, mas o suficiente para fazê-lo soltar a espada.
                "Pronto. Uma coisa foi." Pensou Tanjirou, visivelmente satisfeito com seu feito, enquanto Inosuke ficou extremamente furioso que partiu para porrada com os punhos, obrigando Tanjirou a largar a espada e bloquear os socos, as "pézadas", as cotoveladas e cabeçadas do outro. Mas também deu uma oportunidade ao menino ruivo dar um soco no queixo de Inosuke, fazendo a cabeça de javali cair, deixando o maior mais puto ainda.
                 - Ahhhh! - gritou Inosuke, atacando freneticamente, o que faz Tanjirou recuar até chegar à sua varanda. 
              - P-pera aí, Inosuke! - falou o jovem Kamado - Vamos recuar, porque lutar dentro da casa não vai ser uma boa idéia!    
             - Sabe onde eu tô, Gompachiro? - perguntou Inosuke, parando por um momento de atacar.
            - Ahn… na minha frente? - disse o menino, um tanto confuso. 
            - Não. EU TÔ NEM AÍ!
              Tanjirou não sabia se ficava com raiva da pior piada que já tinha ouvido ou por causa do maior ter avançado nele, o obrigando a lutar a própria casa. E para completar o menino ficou doido quando ouviu ao longe um manhoso e alto:
              - TANJIROOOUUU!
              "Agora ferrou legal" pensou Tanjirou  "Com o Zenitsu aqui a merda vai estar feita". 
               - HAHAHA! Baixou a guarda, seu trouxa! - gritou Inosuke, literalmente pulando em cima do Kamado e o prendendo de uma forma nada inocente e irritante, já que o menino estava sem movimentos.
               - Ah! Inosuke! Sai de cima! - exclamou Tanjirou - Se Zenitsu… ou melhor… se alguém ver você aqui te esfola vivo! 
             Inosuke, muito prático, esticou a perna e fechou a porta do cômodo onde estavam (a sala) e disse:
            - Pronto. Agora… ADMITA QUE EU VENCI! HAHAHAHA!
              Tanjirou se remexeu, tentando se soltar. Foi uma péssima hora para o garoto ter orgulho e não admitir que havia perdido. Na verdade, ele queria ganhar para chantagear o maior mais tarde, obrigando-o a ajudá-lo a treinar, assim teria pelo menos um fiasco de esperança à voltar a alcançar seu objetivo. Não. Tanjirou não iria desistir naquele ponto. Não quando chegou tão perto de voltar a ser o Tanjirou de antigamente. 
                Enquanto isso, um Zenitsu coberto de lama, faminto e com olhos vermelhos de choro descia correndo a pequena colina até a casa dos Kamados. Estava concentrado em chegar e abraçar seu amigo quando uns sons ocuparam seus ouvidos aguçados, além de ter visto uma cabeça de javali no quintal, a Ninchirintou de Tanjirou e duas espadas dentilhadas no chão.
                Quando ouviu esses sons, diminuiu o ritmo. Tentando saber se aqueles sons estavam vindo da casa ou não. Quando chegou na varanda, Zenitsu quase caiu de costas quando ouviu:
              - Ah! I-Inosuke! Dá pra parar?! Ah! - ouviu a voz arrastada de Tanjirou.
             - Se você não fosse não teimoso isso já… já tinha acabado! - ouviu uma voz desconhecida, que era rouca e autoritária.
            - V-você que é um… precoce maluco! - exclamou seu amigo. 
            - Ah, cala boca! - ouviu a voz rouca dizer - Você só não quer admitir que eu sou bom pra caralho!
           - Não sei aonde que você é bom… aaaaa! Agora é sério. JÁ CHEGA INOSUKE!
            - ENTÃO ADMITE QUE EU…
            Zenitsu estava pasmo demais ouvindo aquele diálogo nada puro. Se aproximou da sala e arregaçou a porta, vendo uma cena mais pervertida que o diálogo. 
            Tanjirou estava esticado no chão, corado e suado, com o peitoral totalmente exposto. E em cima do seu amigo havia um cara musculoso, que arfava e estava suado, também sem cobrir a parte de cima.
              Zilhôes de pensamentos passaram pela mente do loiro, mas sua boca só conseguiu pronunciar uma frase:
             - QUE PUTARIA É ESSA AQUI, TANJIROU?!

                                     
 

          

           


Notas Finais


Bommmmm foi isso! Espero que tenham gostado!
Vejo vcs no próximo cap!
Bj bj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...