História Pote Colorido - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 0
Palavras 790
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Suspense, Terror e Horror

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpa se não gostarem e os erros
É a primeira história que eu crio e escrevo, as outras tão só na cabeça

Capítulo 1 - Corredor


Fanfic / Fanfiction Pote Colorido - Capítulo 1 - Corredor

Mesmo pisando do jeito mais suave e sem fazer barulho que eu seria capaz, ainda ouviam-se os sons de meus passos pisando na madeira velha ecoando pelas minhas orelhas, com cuidado atravessando o primeiro corredor, tinha me mudado a pouco tempo para uma casa ampla, com muitos móveis velhos e sujos, as paredes mofadas e com o papel de parede descascando, mesmo assim, era uma casa bonita, resolvi ir para lá com Camila e Rodrigo, meus 2 melhores amigos, numa certa noite eu ouvi um barulho do diabo na cozinha, achei que fosse Camila, a mais desastrada de nós 3, eu estava indo devagar para a cozinha ver se assusto ela por me acordar, continuo pelo 2 corredor que leva as escadas, desço os degraus cuidadosamente, para não ser ouvida, e enfim chego ao 3 corredor, que no fim tem a cozinha, me escondo atrás da porta e a olho de costas, com seu pijama comprido listrado em enfeites de estrelas, e seu cabelo comprido até as costas, chego cuidadosamente até Camila, que segura algo, não consigo ver o que é, mas coloco minhas mãos em seus ombros gritando "Buh!" O que eu julgava ser minha amiga não se assustou, ela se virou calmamente e quando eu olho a criatura, tem olhos amarelos brilhantes e a pupila fina como as de gatos, com um rosto pálido e fino, um queixo triangular e os lábios finos, a criatura me olha e finalmente abre sua boca, revelando dentes pontudos e grandes, eu sem pensar direito, fecho meus olhos e grito com todas as minhas forças, quando sinto água sobre meu rosto, abro os olhos assustada com medo daquilo, mas eu não estou em casa, estou num lugar não tão grande com pouca luz, mas parece ser inteiramente branco, estou deitada em uma cama que também não é minha, é desconfortável, o colchão duro e os lençóis e travesseiro brancos como o local são murchos, finalmente noto uma mulher baixa ao lado da cama em que estou deitada, aparentava ter minha idade, uns 20 anos, ela está com o cabelo, que parece ser castanho claro, preso em um coque desajeitado, com vestes sujas e surradas, brancas e sem graça, ela está segurando uma jarra d'água vazia em sua mão e me olhando com uma cara de desaprovação. Seus olhos são verdes e redondos, sua bochecha e redonda e os lábios carnudos

-De novo!! Eu tava dormindo de boa cara!! -ela gritou pra mim, me sento na cama tentando me secar passando as vestes, que são as mesmas da menina, em meu rosto, o que não adianta, pois tambem estão molhadas. 

-O que ta acontecendo?! Quem é vc?! Cadê Camila?! Rodrigo ta bem?! -Pergunto depois de desistir de me secar com as roupas e passando o lençou em meu rosto, a mulher que olha e fala 

-Quem é Camila?! Não existe nenhum Rodrigo! Só o do quarto ao lado que come giz... -ela olhou pro lado se desconcentrando e então voltou a olhar pra mim e continuou-E como assim "Quem sou eu"? Ágatha! Sua amiga, eu sou Ágatha! -Busco na memória uma alguém com esse nome, mas não acho, a mulher, Ágatha, colocou o jarro D'água vazio em um pequeno criado-mudo ao lado da minha cama, ele é marrom e velho, como os móveis do que eu achava ser minha casa, devia ter umas 3 gavetas, que não abri, as quinas do móvel tinha pequenas espumas, como se pais super protetores que acabaram de ter uma filha tivessem os colocado para a criança não se machucar, em cima do criado mudo tinha um porta copos em que Ágatha pois o jarro em cima, um pequeno abajur aceso, a única luz que iluminava o local, e um pote, colorido em volta, de modo que não desse para ver o que havia dentro, com um pequeno laço enfeitando a tampa, olhei um pouco ao lado do criado mudo e tinha a cama em que Ágatha de sentou, olhando pra mim, a minha direita, ela sorriu um pouco e disse calma

-Vc tem sorte de Sabrina ter saído, se não vc não ia ficar viva até amanha gritando de novo -ela deu uma pausa de distraindo novamente, e parecendo se lembrar de mim ela disse -Se pretendermos sair daqui juntas, vc tem que ficar comportada, se não eu saio e vc fica mais alguns anos... -ela me olha novamente e se vira de costas pra mim deitando na cama e se cobrindo- Boa noite... 

-Noite.. -Respondi ainda olhando ela, apaguei a luz me sentindo mais calma, me virei deitando e fiquei, olhei para a parede ao meu lado, havia algumas gravuras que no escuro não indentifiquei, adormeci olhando o local que nunca, pelo que me lembrava, de ter conhecido. 




Notas Finais


Então, é isso, bem, vou tentar colocar os outros melhores, desculpem se não gostarem e gastaram o tempo de vcs..
Bjss :^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...