História POV- Irmãos Pevensie - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


"We can be the kings and queens of anything if we believe
It's written in the stars that shine above
A world where you and I belong
Where faith and love will keep us strong
Exactly who we are is just enough
There's a place for us, there's a place for us"

Capítulo 5 - Pedro-POV


Fanfic / Fanfiction POV- Irmãos Pevensie - Capítulo 5 - Pedro-POV

Pedro-POV

A responsabilidade veio bem cedo para mim desde que nosso pai morreu, cuidar dos irmãos era comigo, mesmo que estávamos na escola, tinha que proteger eles. Meu ciúme maior era das meninas, pois elas eram alvo dos olhares dos babacas dos times da escola,ai veio toda o ataque aéreo, tudo parou,  discuti com Edmundo devido a foto que ele queria salvar, fiquei bravo ,tivemos que ir para a casa de um professor que estava disposto a cuidar de nós, não só ele, tinha uma governanta também.

Despedimos de nossa mãe, perguntou se eu garantia o cuidado com eles, claro que sim, sempre, seguimos em um trem que a paisagem lá fora foi uma distração, pois o silencio entre nós era total. Para completar, não éramos os únicos que estavam ali, havia várias crianças que estavam sérias, era um clima bem triste.

Durante nossa estadia na casa do professor, veio uma surpresa que mudou da água para o vinho, as coisas já não estavam legais, veio para piorar. Em uma brincadeira que Lúcia sugeriu, ela descobriu Nárnia, na hora que escutei isso, fomos claro, até lá para ver se era mesmo isso que ela estava falando, mas tudo que vimos foi tudo fechado. Eu e Sasana procuramos imediatamente o Sr Kirke, para nossa surpresa ele se assustou, ainda completou que devemos confiar mais em Lúcia do que em Edmundo. Depois dessa, Lúcia parecia mais chateada, tive que chamar a atenção de Edmundo, ele era um cavalo, vivia atazanando os outros na escola, era um pestinha.

E o inacreditável aconteceu, Lúcia estava certa que eu e Susana ficamos sem graça  devido a nossa negação, exploramos junto com ela aquele mundo, conhecemos o povo, ouvimos histórias e ainda mais louco que dois filhos de Adão e Eva iriam ocupar os quatro tronos em um tal de Cair Paravel, iriamos voltar por onde entramos, pois essa não era nossa tarefa, mas o desaparecimento de Edmundo levou a gente ter que ficar ali e procurar a única ajuda: Aslam, ouvimos dizer que é Leão poderoso, claro em uma terra onde estávamos conversando com dois castores, não podia ser  nova essa.

Enfrentamos tudo, batalhamos, alias, depois do resgate do Edmundo claro que tínhamos que retribuir o Aslam, mas não parou por ai, fomos chamados de Reis e Rainhas, isso foi surreal para nós, coisa mitológica, então vivemos naquele mundo que chamamos de Lar, fomos soberanos, a resposta, acabamos com o que tinha de errado ali, eu fui o Grande Rei Pedro, as batalhas eram fáceis e ao mesmo tempo difíceis, pois tinha cada criatura horrorosa....

Ao analisar tudo  que vivemos ali, mesmo com a responsabilidade nas minhas costas, foram nossos melhores anos juntos, nos 4 tivemos tudo do bom e do melhor, foi uma era de ouro extraordinária, depois dos 2 primeiros anos que batalhamos, eu com os gigantes e Edmundo e Lúcia com o burro, foram só glórias.

Fizemos muitas partidas de xadrez juntos, corridas a cavalo, festas com outros reinos, natal em família, onde o Sr e Sra castor me disseram que lembravam de mim com os meus 13 anos na coroação ainda, nesse dia da conversa estava com 20. Essa fase da adolescência lá, Edmundo e Lúcia pregou peça em mim e Susana fugindo na floresta, ainda bem que eles voltaram bem. Todas nossas coisas que tínhamos ganhado para a nossa primeira batalha, foi guardado em um baú especial, era símbolo da chegada da primavera.  

O nosso desejo de ficar ali para sempre era tanto, que uma dessas idas nossa a floresta, fomos com toda a guarda real junto, mas nos separamos deles, era a caçada do veado, que iria realizar nosso desejo, o que aconteceu, foi a volta para nosso mundo, ali eu eramos apenas os irmãos Pevensie, minhas responsabilidade com  eles não mudou, eramos nos. Tanto que depois ficamos dias conversando com o Sr Digory, revelou o nome dele. Contou para nós sobre ele, sobre as aulas na universidade de Oxford, os alunos adoravam a aula dele e o segredo, dele ter ido a Nárnia no começo, o Guarda roupa e a feiticeira. Nós 4 tornamos amigo dele, conhecemos a doce Polly e não parou mais dali.

 

Passou o tempo, um ano, nada da nossa volta, ainda fiquei estressado em uma dessas voltas para casa, quase fomos presos pela guarda do metro, Edmundo me ajudou claro, vi isso mas não falei nada, estava com o cansaço da fúria dos garotos que me viam como criança, sabendo que nem sempre eu fui, eu reinei um reino poxa, com os meus irmãos, como iriamos ser crianças? Éramos diferentes. Infelizmente esse segredo jamais contei para os colegas na escola, pois senão iriamos virar alvo de chacota.

Quando vimos um lugar bem diferente de onde estávamos uma praia linda, damos conta que era nosso reino, fiquei arrasado, só faltei derramar lágrima de raiva, tristeza por encontrar nosso querido castelo todo abandonado e destruído, foi um soco no estômago. Como pode ter acontecido isso? Como deixaram? Não tinha ninguém que tentou proteger restaurar, ninguém?, Edmundo estava com a preciosa lanterna, ajudou a encontrar o pouco que restava de nós, do nosso reino e da nossa felicidade ali. Foi uma onda de atualizações, espantei quando deu 1300 anos depois, sabendo que nos ficamos um ano fora.

Passar a nossa coroa para Caspian foi bom, afinal era difícil aceitar, mas ficou o sentimento de dever feito, voltamos a vida nornal, fomos passar férias na casa de Eustáquio, ele quase me enlouqueceu com as provocações dele em relação a nossa outra vida, ele não tinha ideia de quanto era ignorante, ele tinha que um dia viver uma aventura, quem sabe?

Passou o tempo, fui somente eu estudar na casa de Digory, ele tinha uma biblioteca maravilhosa, me preparei para uma prova que seria minha entrada na universidade, Susana estava com mamãe e Edmundo e Lúcia terão o desafio com Eutáquio, como eu queria que eles estivessem aqui comigo, mas assim foi o destino.

Depois soube que nessa estadia dos meus irmãos na casa de Eustáquio, embarcaram no Peregrino da alvorada, ri bastante e todos levaram de boa nas reuniões, para completar tivemos o rompimento com Susana, fiquei triste dela querer arquivar o que um dia fez parte da vida dela e nossa, preferiu as coisas materiais, eu não me conformei com essa escolha dela, tanto que toda vez que tentamos falar sobre, me irritava ver o descaso com o assunto.

Estávamos em um de nossos compromissos e Eu e Edmundo combinamos com Lúcia, Digory e Polly, de encontrar os anéis onde Digory morou, ainda bem que econtramos, nosso plano deu certo, nos disfarçamos de trabalhadores hidráulicos, mas na espera, um baque bem forte atingiu eu e Edmundo, foi muito rápido, quando acordamos, estávamos em um lugar que era parecido com Narnia, mas era bem melhor uma terra linda, não tinha palavras para tamanha beleza e conforto que sentimos ali, encontrei todos os nossos amigos, Caspian, Reis e Rainhas do passado, era um castelo igual ao nosso, mas com lugar para todos que serviram Nárnia e o nosso Leão, fomos informados que era o Pais de Aslam, ai que a nossa vida começou, vi Eustáquio e Jill pole chegar, era a segunda ida deles a Nárnia, eles batalharam na ultima batalha junto Tirian, o ultimo rei do nosso pais,vimos tudo ser destruído pelo poder de Aslam, o lugar onde toda a vida aconteceu, onde reinamos e a nossa história foi escrita. Agora entendi por que Aslam disse que um dia voltaremos, era para nos surpreender com essa terra extraordinária que ele reservou para nos, com felicidade e vida eterna, ali que nosso primeiro capítulo começou a ser escrito.  

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Ele foi aquele Pevensie que me deu vontade de abraçar e encher de beijinhos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...