História Powerful;Jikook - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, G-Dragon
Personagens G-Dragon, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, T.O.P
Tags Bts, Jikook, Namjin
Visualizações 442
Palavras 1.622
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - ;2 - Doctor Jin.


Fanfic / Fanfiction Powerful;Jikook - Capítulo 2 - ;2 - Doctor Jin.

   O Doutor Kim foi convidado para entrar, ele parecia ser alguém da nobreza pela maneira como andava e olhava as coisas ao redor. Era como um príncipe. O terno preto perfeitamente alinhado em seu corpo fazia ele parecer apenas mais elegante. 


   — Café Doutor Kim? Sinto muito por não termos nada para oferecer... 


   — Um café está ótimo, eu cheguei de surpresa então não estou incomodado. — ele sorriu para ela e se acomodou no sofá. — Parabenizo o filho de vocês pela excelente pesquisa, poder e psicologia se não me engano. 


    — Está aqui por causa da pesquisa? — Jungkook arregalou os olhos, será que alguém finalmente tinha reconhecido seu talento. — Mas ela foi publicada ontem... 


   — Mas estou de olho em você desde antes de ontem. — O Doutor respondeu, enquanto recebia a xícara de café da senhora Jeon. — e a pesquisa apenas confirmou que você é perfeito para uma tarefa muito importante. 


   — Que tarefa? — os pais de Jeon falaram ao mesmo tempo.

 

   — É um trabalho nos Estados Unidos. Cinquenta mil dólares por mês. 


   — Ah vai falando! — Jeon sentou ao lado do Doutor. 


   — É um trabalho entre o governo americano e o governo coreano, pesquisei sobre você e vi que fala inglês fluente, gosta de livros, ter cada vez mais conhecimento, conversar sobre ideias, é jovem e tem vigor para trabalhar... Enfim, você é o perfil ideal. 


   — Mas qual é o trabalho? 


   — Bom... É secreto, você tem que ir até lá para descobrir. Dou todo o tempo que você quiser para pensar na sua escolha. 


   Cinquenta mil dólares por mês, trabalhar para o governo de seu país e de uma grande potência mundial, era uma oportunidade única... 


   — Mãe, pai... 


   — Se você quiser ir, não vamos impedi-lo. É claro que vai doer, mas você sempre quis... Ser alguém grande. — A mãe dele sentou ao seu lado, passando a mão em seus cabelos. 


   — Vamos estar aqui pra te apoiar, mesmo que seja no serviço Secreto e você não possa contar para ninguém, nem pra nós. — O pai de Jeon deu um soquinho no braço dele, algo que os dois faziam muito. — Você é o nosso garoto prodígio. 


   — Eu vou sentir saudades... Mas acho que está na hora de dar orgulho a vocês... Doutor Kim, quando você planeja ir?

 

   — Sinceramente... Hoje mesmo. — O homem de terno se levantou. — Eu volto as onze da noite para te buscar, queiram me perdoar mas estou atrasado para um compromisso importante. 


   Ele cumprimentou a todos rapidamente e saiu apressado. 


   [][][][][] 


   Eram dez e cinquenta e cinco e Jungkook já estava se despedindo dos pais, era difícil ir embora enquanto a mãe quase se afogava nas lágrimas. Era difícil, já que o jovem nunca imaginou que, um dia depois de conseguir publicar uma pesquisa importante, já estava deixando seus pais e o país que tanto amava. Era impressionante como SeokJin sabia tanto sobre ele sendo que eles só se viram uma vez, talvez ele tivesse pesquisado mesmo. 


   — Mãe, eu vou ficar bem, se você chorar mais eu desisto. — ele disse, enxugando as lágrimas dela. 


   — Não acha que está indo rápido demais Jungkook? 


   — Sim pai, é rápido. Mas imagina como o dinheiro vai ajudar vocês, Cinquenta mil dólares é demais, e é um trabalho pro governo, coreano e americano. 


   — Não precisamos de muitos dinheiro meu anjo. — a senhora Jeon secou as lágrimas. — Eu sabia que um dia ele iria morar sozinho... Mas assim tão de repente!

 

   — Mãe, eu vou ficar bem, vou ligar quase todos os dias. Quase porque vou trabalhar bastante. 


   Eles ouviram o barulho do carro parando ao lado da casa, já eram onze horas e o Doutor Kim foi buscá-lo. Os três foram para o lado de fora, Jeon e seu pai colocavam as malas no carro. Era um automóvel grande e preto, como um carro de especial dos filmes que ele assistia com seus pais. Ao pensar nisso, lágrimas escorreram de seus olhos, a ficha finalmente tinha caído. 


   Ele estava adulto o suficiente para ir para outro país sozinho, não tinha muitos amigos para se despedir, e isso deixou a sua ida até menos dolorosa. Jeon abraçou os pais uma última vez antes de ir, foi uma despedida que durou mais ou menos 10 minutos, já que a senhora Jeon não queria deixá-lo ir. 


   Finalmente, ele entrou no carro, sentou ao lado de Jin e acenou para seus pais da janela do carro, enquanto via sua família e seu lar ficando cada vez mais distantes. 


   — Tudo bem, você foi corajoso. — O Doutor Kim o confortou.


   — Eu vou ajudar eles trabalhando... E fico feliz por isso. — Jungkook sorriu e secou as lágrimas, tirou o celular e os fones do bolso. Antes que pudesse escolher uma música, o celular do Doutor Kim tocou. 


   Ele não era do tipo que fingia estar ouvindo música para ouvir a conversa dos outros. Mas a curiosidade foi mais forte. 


   — Sim?... Ah você pequeno, sim nos achamos ele... Estamos indo pegar o avião agora mesmo... Não fique ansioso demais... — Ele estava animado, mas de repente, seu sorriso desapareceu. — Aquilo aconteceu de novo? Sim eu entendo... Desculpa por deixá-lo sozinho... Tudo bem, estamos indo, vou desligar. 


   Com quem ele estava falando afinal de Contas? 


   [][][][][]


   O sol nos olhos de Jungkook o despertou. A viagem de jatinho pareceu mais rápida do que realmente era, e ainda por cima, nunca imaginou que andaria de jatinho. Olhou para a poltrona ao lado e Jin estava dormindo, com uma máscara de dormir cor de rosa e com letras douradas dizendo "Tenho Sono De Princesa". 


   Era hilário, mas Jungkook estava sonolento demais para rir. De acordo com seus cálculos mentais, estavam voando a doze horas. O clima estava quente e Jeon via belas paisagens pela janela do jatinho, mas todas indicavam que ele estava em um local isolado. Um tipo de aeromoça loira e baixinha, que tinha atendido ele no início da viagem, apareceu de novo, com uma bandeja de café da manhã, com panquecas e frutas frescas, sentiu falta do café da manhã coreano que sua mãe fazia, mas agradeceu mesmo assim. 


   — Coma rápido, estamos quase lá. — O Doutor disse sonolento e tirou a máscara de sono. — Angela me traga torradas com mel e café. — ele falava inglês de uma forma tão bonita quanto falava coreano. 


   — Doutor... 


   — Ah que isso, me chame de Jin. — Ele virou para Jungkook, arrumando os cabelos negros. 


   — Certo Jin... Para onde estamos indo? 


   — Uma base Militar, fica em um canto no meio do nada na Califórnia. Tem soldados americanos e coreanos. 


   — Por que os coreanos estão envolvidos nisso?

  

   — Você vai ver. 


   Jungkook viu a base Militar no meio do deserto californiano, a uma certa distância de uma pequena cidade. O jato pousou no heliponto em cima da base, e do lado de fora, havia um soldado coreano. Jin ignorou totalmente o café da manhã oferecido por Angela, pegou a bolsa e saiu o mais rápido possível do jato, Jungkook carregou as malas sozinho, e assim que saiu do jato, viu o Doutor beijando o soldado. 


   — Jin eu estou em serviço! — o soldado se afastou do Doutor. Ele tinha um belo rosto, mais sensual e sério do que Jin, com lábios bonitos, olhos puxados e covinhas que ficavam bem visíveis enquanto ele sorria e se afastava do namorado. 


   — Eu estava com saudades Nam... Vai apresentar o garoto pro major? Eu preciso ver o pequeno... 


   — Tudo bem, ei garoto, fala inglês?


   — Sim... — Jungkook respondeu. 


    — Desculpe por ter que sair assim, mas você ficará em boas mãos. Esse é o soldado Kim Namjoon, e meu namorado, adoro falar isso pras pessoas. Enfim ADEUS UM ANÃO COLORIDO PRECISA DE MIM! 


   Ele saiu correndo, e Jungkook começou a achar que ele não batia bem da cabeça. Ele acompanhou Namjoon até entrarem na base Militar, era um lugar escuro e não muito barulhento, todos eram ou Americanos ou coreanos, os soldados andavam de um lado para outro, focados no trabalho e usando suas fardas. Eles entraram em uma grande sala, aonde um homem estava sentado atrás da mesa, de costas para eles. Namjoon bateu continência. 


   — Major Kennedy, o garoto está aqui. 


   — Muito bem, pode se retirar soldado Kim. 


   O namorado do Doutor Jin saiu, deixando Jungkook sozinho com o homem da voz imponente. Ele virou para o jovem, era um homem de cabelos loiros grisalhos e olhos azuis, parecia ter mais de quarenta anos, e o olhar era tão intimidante medalhas em seu uniforme. 

   

   — Senhor Jeon, o trabalho que vai exercer aqui é extremamente importante, mas não é muito difícil. Qual é sua experiência... 


   — Ah eu sou bom em cálculos... 


   — Não me interrompa novamente senhor Jeon, e eu quis dizer, experiência com pessoas, vai ter que cuidar de um garoto pra nós. 


   Jungkook não pôde deixar de rir, ou aquilo era uma piada, ou eles estavam confundindo ele com outra pessoa. 


   — Sem querer desrespeitar sua autoridade major... Eu não sabia que tinha sido chamado pelo Pentágono para ser babá de um garoto.


   — Não é ser babá senhor Jeon, e ele não é apenas um garoto. Se aceitar e assinar o documento, você poderá saber mais sobre ele.


   Jungkook assinou os papéis, depois de ler, e ter bem claro em sua mente que se contasse qualquer coisa do que estava prestes a ver aos outros ele podia ser preso. 


   Mas afinal, por que aquele garoto era tão importante?


   — Park Jimin é o Ser Mais Poderoso do Mundo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...