1. Spirit Fanfics >
  2. PPMB (Projeto para matar o Bolsonaro) >
  3. Momentos antes da desgraça acontecer

História PPMB (Projeto para matar o Bolsonaro) - Capítulo 2


Escrita por: e _x_a_y_


Notas do Autor


BOMDIAAAA
aqui jaz mais um capítulo dessa bela história, hehe!

Boa leitura galerooo

Capítulo 2 - Momentos antes da desgraça acontecer


Faltavam menos de três minutos pra aula de Iruka acabar. Este estava totalmente estressado e sem paciência, o motivo? Bom...

Ano passado - 2019 - Iruka disse que Wakanda não existia, o aluno que obtinha o nome de Hidan desferiu um soco na cara do professor por tal motivo. O problema era que Hidan tinha voltado para o colégio hoje, e óbvio que o sangue de Iruka fervia, queria retribuir o soco.

Ouviu batidas na porta, logo gritou "pode entrar". A porta fora aberta, revelando o rosto exausto de Kakashi.

— Iruka? Você tá bem? — o grisalho perguntava adentrando a sala.

Iruka suspirou — tenho que estar, né?

— Não mata nenhum aluno, por favor, você pode ser preso — Iruka ridicularizou com o comentário de Kakashi — vamos sair hoje, hm?

E aquele era o único momento que a turma ficava realmente quieta: quando dois professores interagiam. Ok que Iruka era casado, mas Kakashi poderia ser um comedor de casados, por que não?

— Eles só não são o melhor casal porque eu namoro o Neji — Kiba ria, e logo se via obrigado a se desviar de algumas canetas que eram lançadas em sua direção (vale ressaltar que estas eram jogadas por Neji).

— Fé nas malucas! — Naruto dizia imitando um passarinho batendo as asas e fazendo a voz de Laura Seraphim (a melhor sensei das pique bandida).

Logo o sinal do final da aula tocou. Naruto não iria embora com o pai já que o mesmo teria uma reunião, não poderia demorar por causa do encontro na casa da Hyuuga. Seguiu o caminho de sua casa juntamente a Sasuke e Lee.

— Ô rapaziada, eu vou ir por aqui — Lee apontou para o caminho oposto do que os dois amigos estavam indo — preciso subornar meu primo agiota, quero uma casinha da Barbie e umas roupinhas de Polly! Falou galera, se cuidem!

— Falou, meu mano! — Naruto dava um tchauzinho para o amigo que se afastava. Se virou para Sasuke com um sorriso malicioso — já que estamos sozinhos... Por que você não me dá uns beijinhos?

— Não tô afim — respondeu curto e grosso, como sempre.

Naruto suspirou; não ia conseguir comer aquele menino nunca? É... Pelo visto, não tão cedo.

O caminho foi silêncio, e dessa vez, nenhuma música de Teodoro e Sampaio tocava. O Uchiha já estava próximo de casa, iria ter que fazer um caminho diferente do de Naruto, então se despedia do amigo.

— Tchau tampinha — bagunçou os fios negros do menor.

— Tampinha é a sua mãe! — bateu na mão do loiro, deu de ombros em seguida — tchau corno, aliás...

Correu para onde o loiro - imóvel - estava, selou seus lábios, formando um selinho demorado. Aquilo estava uma cena de amor melhor que crepúsculo, incrivelmente fofo... Seria incrivelmente fofo se não tivesse uma velha gritando na rua "OLHA O PANO, QUEM QUER PANO?"

Ambos riram com a cena, olhando para a velhinha envergonhados.

— Tchau, idiota — Sasuke disse com um enorme sorriso, não olhou pra o loiro, apenas deu meia volta e seguiu seu caminho.

— Tiazinha do caralho... Podia ter transado aqui mesmo — reclamou.

• quebra de tempo •

E mais uma vez a dúvida de com qual roupa ir o assombrava. Não era uma festa importante ou algo do tipo, apenas iria se encontrar com seus amigos! Mas por outro lado... Não poderia ir com alguma roupa que gostasse pois da última vez que todos se reuniram, as roupas que Naruto vestia sumiram "misteriosamente".

Colocou uma calça de abrigo e uma camiseta duas vezes maior que o seu tamanho. Espirrou seu perfume da Naturé... Digo, Malbec; penteou os fios bagunçados, mas assim que viu que parecia um testemunha de Jeová o garoto voltou a bagunçar o cabelo.

Estava pronto para sair, mandou uma mensagem para Sakura enquanto pegava um copo de água.

— Se você se entupir de bebida de novo eu te mato, muleque! — Kushina gritava se remoendo de raiva, afinal, não tinha deixado seu amado filho ir naquele local — pode apostar que agora o aborto vai funcionar!

Naruto deu de ombros, ouviu sua mãe gritar dentro de casa e seu pai dizer um "calma meu amor, se ele beber de novo a gente joga ele da janela". O loiro suspirou enquanto revirava os olhos, era óbvio que ele era um resto de aborto, mas precisava disso? Virou um quarteirão em direção a casa de Kiba; iriam juntos para a festa.

Se surpreendeu ao ver Rock Lee esperando sentado na calçada do maior.

— Eai Lee, tá fazendo o que aqui? — ridicularizou — tu falou que seu namorado não deixou você ir.

— Gaara terminou comigo — disse com um semblante triste — mas tudo bem, a gente tem que seguir o fluxo! E ir se embebedar na casa dos Hyuuga.

Naruto riu, afirmando logo após.

— Ah, e bota se embebedar nisso! — (finalmente) o Inuzuka saiu de casa, trancando o portão logo após. — Bora lá porra!

• uma pequena quebra de tempo •

E pelo visto, os três garotos chegaram um pouco tarde. Observavam aquela cena de amor melhor que crepúsculo, aquelas duas eram realmente fofas... Se não estivessem tentando se matar.

— AAH, VOLTA AQUI SUA PIRANHA! NESCAU É O CARALHO! — Hinata (que provavelmente estava bêbada) gritava enquanto jogava um chinelo em Haruno; a mesma conseguiu desviar — TODDY É UMA OBRA DE DEUS!

— SÓ SE O DEUS FOR O CARA QUE CRIOU PORNÔ DO BLUEZÃO — Sakura desviava das almofadas que eram jogadas contra si.

Um Uchiha - meio puto - se aproximava dos três garotos imóveis na porta. Tentou dar seu melhor sorriso, afinal, queria provar que era o mais responsável por ali.

— Entra logo seus bando de monobola — o moreno disse com a paciência já cessada.

Rock Lee e Kiba saíram de seus devaneios rapidamente, adentrando a enorme casa da Hyuuga.

— A bonita vai andar ou eu vou ter que te dar um murro?

— Ah... — Naruto dispersou os pensamentos balançando a cabeça — eu prefiro um beijinho!

Sasuke revirou os olhos, maldito dia que foi beijar aquele bossal, ainda mais que a tia do pano atrapalhou tudo! Tia do pano empatadora de fodas... Enfim, o loiro se aproximou do emo putinho, era óbvio que não perderia nenhuma oportunidade de beijar aqueles lábios que desejava a tanto tempo.

— Esse reencontro está mais interessante do que pornô de anão — Shino comentava com os amigos ao seu lado.

— Você é esquisito — Shikamaru afirmou — me dêem licença que eu tenho que tomar meu gardenal.

— Deve ter gardenal enfiado até no cu desse indivíduo — observou o amigo indo até a cozinha pegar o medicamento.

Aquele reencontro foi de longe mais saudável que o último que tiveram - afinal, no último acabaram levando um traveco anão para casa - todos estavam assistindo a um filme de terror psicólogico: Midssomar. O filme deixava o clima realmente tenso, afinal, era um bando de gente sem noção indo seguir o amiguinho das macumbinhas para uma seita - e detalhe, todo mundo tomava chá de lírio.

Quando o filme acabou, voltaram a ficar no completo tédio; porém, uma das mentes mais brilhantes estava ali, então o tédio não seria presente por muito tempo... Seria esta pessoa com a mente brilhante Shikamaru Nara? Não amigo! Era Shino Aburame, o cara do pornô de anão.

— Pega o Notebook, Renatinha! O Shino vai fazer um perfil fake! Qual vai ser o nome rapá? — Naruto (visivelmente bêbado) berrava indagando o amigo.

— Hmm... — Shino parecia pensativo — Jéssica Lopes!


Notas Finais


KKKKKKK vai dar uma merda issae, o que estão achando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...