História Pra Você Guardei o Amor - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane, Lauren Jauregui, Normani, Shawn Mendes
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camren
Visualizações 4
Palavras 2.228
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Glr sejam bem vindos

Capítulo 1 - Capítulo 1


Camila havia conseguido, ela ainda não acreditava. Colocava as ultimas coisas nas malas e não conseguia parar de sorrir. Estudar no exterior sempre fora seu sonho, agora, uma bolsa integral para um mestrado em Havard era mais do que ela conseguiria sequer sonhar. Estava radiante.

Havia estudado a vida inteira, se formado em Direito, mas o salário que estava recebendo como Advogada mal dava para pagar suas contas. Ainda morava com sua família, a família que a acolheu quando foi abandonada por seus pais, e aos seus quase 27 anos ter que dizer à sua adorável e rígida avó, aonde foi, com quem foi e a que horas voltaria ja estava afetando sua sanidade mental.

Camila deu uma última olhada, não estava esquecendo–se de nada. Sentou–se na cama. De certa forma, apesar de toda felicidade, sentia como se também estivesse abandonando uma parte de sua vida. Seriam só dois anos, mas e depois? O que ela faria? Voltaria? Retornaria sua carreira de Advogada? Suspirou.

Estava deixando seu escritório, e isso também fora um sonho em um dia. Deixaria seus amigos de longa data. Deixaria sua família que havia a trata com tanto amor e carinho, a criou, a educou, seu caráter e seus valores. Camila sacudiu a cabeça, não podia pensar em nada daquilo. Ela não estava dando um passo, mas sim um salto para fora e sua zona de conforto, e não havia como voltar atrás.

Deu uma ultima girada em seu quarto. A TV na parede a frente da cama, seus DVds perto. Olhou sua estante na parede azul safira, seus livros preenchendo cada pedacinho. Passou a mão por eles, por tanto tempo foram seus melhores amigos, a consolaram e ajudaram. Ela secou uma lágrima teimosa. Odiava despedidas.

Seu celular vibrou em cima da mala. A latina o pegou, e a foto de Shawn sorrindo enquanto uma latina sorridente pulava em sua cacunda preenchia toda a tela. Seu coração deu um salto. Ainda tinha Shawn. Rejeitou a chamada, ainda não estava pronta. Durante muito tempo Camila havia pedido para encontrar alguém que a fizesse rir até sua barriga doer, mesmo que o motivo de sua risada fosse ela mesma, alguém que quisesse dividir a vida com ela, dividir as tristezas, somar as alegrias e Mendes entrou na sua vida.

Lembrava como se fosse ontem, aquele petulante chegando por trás dela que escolhia um livro para comprar na livraria "se você levar esse livro com você, eu já sei com quem vou me casar", foi a primeira vez que ele tinha feito ela rir histericamente.

Mas ela estava deixando Shawn também, ainda assustada, claro, de como a decisão veio fácil demais. Afinal, ele era tudo que ela sempre havia pedido.

Pegou as malas de cima da cama, deu uma última olhada e saiu do quarto antes que desabasse a chorar e fosse obrigada a cancelar tudo e ficar onde pertenci exatamente estava, onde achava que pertencia.

Desceu as escadas e encontrou toda sua família esperando, foi uma despedida difícil. A menininha estava saindo de casa. Apertou suas sobrinhas, consolou uma inconsolável avó e já partia para o carro de seu irmão Zayn quando seu namorado, ou futuro ex namorado chegou.

– Achei que iria embora sem se despedir de mim. – Ele falou indo em direção à latina. Mal sabia ele que essa era a total intenção dela.

– Não faria isso Shawn. – Camila correspondeu ao abraço. Quando se soltaram ficaram se encarando por algum tempo. Os cabelos dele estavam tão bagunçados e rebeldes essa manhã, e aquela barba por fazer devia fazer uma cócega tão gostosa no pescoço.

Camila piscou algumas vezes para afastar esses pensamos de sua cabeça. Selou seus lábios a ele.

– Dois anos passam rápido, não é? – perguntou fazendo bico, estava realmente chateado. Tinha descoberto em Camila uma alma iluminava os lugares que passava, uma pessoa forte, mas extremamente gentil.

– Shawn, você sabe que não pode viver me esperando, não sabe? Não faria isso com você, jamais te pediria isso. – Camila passou a mão em sua bochecha, e ele fechou os olhos.

–É que... por algumas pessoas vale a pena esperar. – Camila queria desesperadamente chorar, mas deu um riso fraco disfarçando e agradeceu aos céus quando seu irmão buzinou impaciente, ela fez um gesto de tchau para todos e disse que iria atrasar. Saiu em direção ao carro, a mão de Shawn foi arrastando contra a sua até se separarem. O carro já havia ganhado movimento quando a latina percebeu que a mão dele ainda estava estendida.

Boston era linda, diferente de tudo que Camila já vira na vida. Fazia duas semanas e meia que havia chegado e sempre se surpreendia esta com a respiração presa ao passear pelas ruas de alguns bairros. Eram magníficos.

Estava hospedada nos dormitórios da universidade e permaneceria por lá pelo tempo de um mês, depois teria que procurar um lugar para morar. A bolsa de estudos era alta e permitiria ela pagar o aluguel e viver bem com sobra. Sempre fora uma pessoa que aprendeu a viver ser esbanjar. Não que sua família fosse miserável, nem perto. Tinham boa condição financeira, mais eles lutaram para estar ali e sempre ensinaram valor do trabalho duro e a recompensa da partilha. Camila sempre dividiu as coisas com os outros.

Havia saído para uma caminhada matinal o vento já estava fresco com a proximidade de outono. Entrou no prédio dos dormitórios para tomar uma banho e seguir para sua próxima aula.

Camila amava as aulas. Alias, sempre gostou de aprender. Sua turma era composta por gente de diversos países, que contribuíam cada um de sua forma para o aprendizado do grupo, e os professores eram brilhantes.

Havia se identificado de primeira com um grupo bem peculiar, uma polinésia chamada Dinah, com seus cabelos loiros e longos. Dinah era cheia de vida e tinha uns piercings e tatuagens, Camila odiava piercings, mas eles combinavam em cheio com a loira. Austin, era um francês galanteador muito gentil, Normani uma afro-americana mais louca que a latina já viu na vida e Ally, a mexicana boba, alegre e sonhadora.

– Está viajando Camila? – Dinah estalava os dedos na frente da latina que estava meio paralisada.

– Acho que ela está pensando no amor que deixou em casa. – Disse Ally fazendo todos inclusive Camila, que não vinha pensando em Shawn desde o dia que botara os pés em Boston pela primeira vez.

– nada disso bobinha. – a latina respondeu – estou pensando em como o tempo passou rápido e eu ainda nem comecei a procurar um apartamento.

– Tem que fazer isso logo Camila. – Mani se pronunciou, seu pai era da comissão da embaixada Afrodescendente no país e ela já tinha onde morar. Era fácil para ela falar.

– Se Brandon não fosse tão implicante chamaria você para morar comigo e com meu irmão. – Ally disse e Camila simplesmente sorriu com a gentileza da amiga.

– Pode sempre vir morar comigo na nossa república latina – Austin falou a abraçando.

– Eu prezo pela limpeza e organização rapaz – Camila retrucou – e tropeçar em cueca suja de marmanjo não é nem de longe meu hobby favorito, portanto eu recuso sua oferta. –ela respondeu arrancando gargalhadas dos demais – aliás – continuou – em quantos vocês moram mesmo, uns 20?

– Por aí – respondeu rindo.

– Cruz credo.

– Então latina, minha bolsa não é integral como a sua, nem todos tem seu privilégio de receber para estudar, então papai e mamãe estão bancando o dormitório – Dinah acendia um cigarro enquanto falava, outro habito que Camila odiava.

– E as festas – Mani falou rindo.

– Claro!!! E as festas – Dinah completou gargalhando – Como pude me esquecer das festas??

–Apaga isso. – Camila pediu se referindo ao cigarro.

Dinah olhou para a latina e revirou os olhos quando percebeu aquele olhar suplicante da outra. Afundou o cigarro na grama o apagando.

– Obrigada. – Disse gentilmente.

– Careta. – Disse revirando os olhos.

O grupo continuou conversando mais um pouco durante aquela manhã. Tiveram uma aula vaga, o professor estava com uma infecção intestinal. Quando as aulas acabaram se despediram.

Naquela quarta feira eles não tinham aula a tarde, aliás, só tinham aulas no período vespertino às terças–feiras então Camila decidiu que sairia à procura de um apartamento para alugar.

Em seu dormitório passou a considerar algumas coisas para sair à procura. Não queria um apartamento em uma rua muito movimentada, mas também nada longe do centro, queria também no bairro da universidade só para poder fazer o caminho a pé sem precisar de nenhum a condução e é claro não poderia pegar nada exorbitantemente caro.

Estava ferrada.

Camila saiu à rua e começou sua caminhada, fez diversas rotas saindo da universidade e já estava quase desistindo quando encontrou uma perfeita praça rodeada por um jardim onde as pessoas faziam caminhadas ou passeava com seus animais e crianças brincavam alegremente.

De um lado a praça era cortada por uma avenida movimentada e do outro havia duas quadras com prédios residenciais. Camila sorriu, era definitivamente ali que iria morar. Seguiu animada em busca do lugar perfeito, mas depois de duas horas entrando nos prédios que ela poderia pagar um aluguel, não havia conseguido nada. Sua animação estava indo para o brejo.

Parou no meio da rua arborizada para pensar, havia um prédio que tinha pulado, por fora era simples, mas por dentro inspirava elegância. Talvez não fosse tão caro assim. Camila suspirou e subiu as escadas entrando no saguão. Percebeu que não estava errada sobre a elegância. Dirigiu-se a bancada da recepção onde o porteiro conversava com uma mulher morena, cabelos negros e alinhados e estava em um terninho elegante. Sua voz era melodicamente grave. Parecia uma versão mais moderna da senhora das trevas, elegante, chique, mas mortal.

De repente Camila percebeu que talvez ali não fosse um lugar para ela. Estava de calça jeans, uma blusa de Hogwarts, tênis e os cabelos presos em um rabo de cavalo. Já ia virando para se retirar quando o porteiro lhe chamou a atenção.

– Pois não senhorita? – Ele falou com Camila interrompendo a conversa com a outra mulher.

A mulher não sabia o que fazer. A morena havia prestado atenção nela e agora a mirava, o batom vermelho lhe caía muito bem. Ela aparentava ser um pouco mais velha que Camila, mas com a roupa que a latina usava ela parecia uma adolescente geek.

– Senhorita? – ele perguntou novamente e a morena sorriu com a confusão da latina.

– Desculpe-me senhor. – Camila começou a dizer movimentando as mãos chegando perto da bancada – eu não queria atrapalhar – sorriu timidamente para a morena que apenas balançou a cabeça sorrindo também desfazendo aquela imagem de senhora das trevas da cabeça de Camila – Estou procurando um apartamento para alugar e gostei muito dessa área e já rodei diversos prédios e ainda não consegui nada. – O senhor a olhava intrigado aquela adolescente querendo morar sozinha.

– Senhorita, você não é muito novinha para querer alugar um apartamento sozinha não? – Camila ficou olhando para aquele senhor tão gentil com uma cara de espanto. – Já é maior de idade? – Perguntou.

Camila foi obrigada a rir. O Senhor a olhava desconfiado.

– Desculpe – ela disse – mas acho que não escolhi o melhor look de mulher responsável para procurar um apartamento. – O senhor ruborizou – Sou Camila e faço mestrado de direito e relações e conflitos internacionais em Havard e sinto muito se meu visual deu a entender que era muito nova, mas te garanto que não o sou.

A morena a olhou interessada.

– Eu que peço desculpas senhorita Camila, mas é que realmente parece uma menina. Uma menina linda. – Camila sorriu timidamente – mas infelizmente nosso último apartamento foi alugado há dois dias – ele falou olhando para a mulher morena. Ela acompanhou o olhar dele e sorriu pelo olhar constrangido que a morena lhe dava.

–Bem – ela suspirou – valeu a tentativa. Talvez hoje só não seja meu dia de sorte. Agradeço a atenção.

– O prazer foi todo meu senhorita.

Camila sorriu e se despediu e já estava quase na calçada quando ouviu uma voz rouca lhe chamar. Olhou para cima e percebeu que era a mulher da recepção, parou e esperou ela chegar no degrau que se encontrava.

– Camila, certo? – ela perguntou com a respiração alterada e a latina somente acenou – sou Lauren – ela estendeu a mão para Camila que a apertou – bem... se você quiser podemos dividir o apartamento, ele é realmente muito grande para uma pessoa só.

Camila ficou olhando aquela estranha ali na escada lhe oferecendo para dividir um apartamento. Só podia estar ficando doida. Nem conhecia a mulher.

– E então? – Ela perguntou receosa e Camila percebeu que teria que recusar gentilmente a oferta.

– Bem Lauren, muito obrigada pela oferta, mas parando para analisar, acho que o aluguel aqui é um pouco acima do meu orçamento – ela na verdade não sabia, mas supôs que sim, mas também descobriu que era a desculpa perfeita – acho que vou ter que recusar – sorriu, mas o sorriso congelou ao ver os olhos verdes da morena, pareciam decepcionados?

– Tudo bem entendo. Mas faz o seguinte, toma meu telefone – ela lhe entregou um cartão – se caso não encontre um não hesite em me ligar.

Camila pegou o cartão e agradeceu saindo a passos largos dali. Arriscou olhar para trás e aquela estranha ainda lhe encarava, resolveu colocar o papel na bolsa para que ela não visse a desfeita quando jogasse fora. Que mulher mais maluca essa. Balançou a cabeça e correu para qualquer outro prédio que ainda não havia entrado.


Notas Finais


continuo ou nao?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...