História Practice Makes Perfect - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Yuri!!! on Ice
Personagens Otabek Altin, Yuri Plisetsky
Tags Amizade, Drama, Low Angst, Otaburi, Otayuri, Romance
Visualizações 71
Palavras 1.812
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Esporte, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas lindas!

Aqui está fazendo um frio horroroso e eu não consigo pensar em outra coisa além de que eu detesto frio x(

Essa semana Like a Lover passou dos 100 favoritos e PMP passou dos 20 ainda no capítulo 2 \o/ *sai dando gritinhos* Obrigada a todos que favoritaram! ♡

Obrigada pelos comentários, yanny13, OlivierAmstron4, Lysnnie, Anjynha e Koou-chan! ♡

Vamos ao capítulo de hoje!
Boa leitura! :3

Capítulo 3 - Passo 3: Grindr?


Yuri levantou a cabeça do telefone quando a campainha tocou, ainda audível para ele no último andar. Ele havia acabado de bloquear alguém chamado 9-inch_xx que estava importunando-o com uma oferta insistente de “deflorar sua doce bunda virgem”.

Claro, Yuri estava à procura de experiência, mas ele estava pensando mais em algo como uns amassos e uma sessão de masturbação a dois para começar, possivelmente evoluindo para um oral. Ele não ia simplesmente entregar sua bunda para o primeiro esquisito que aparecesse, ele não estava assim desesperado.

Ele não estava certo sobre a etiqueta no Grindr, mas imaginou que deveria bloquear esse cara que obviamente não estava aceitando um não como resposta. Mas alarmantemente ele estava a apenas trezentos metros de distância, e Yuri agora estava se questionando se havia sido esperto colocar seu rosto no seu perfil.

A campainha tocou novamente.

Yuri suspirou exasperado. Era um saco estar no último andar. Certamente havia alguém em casa, não?

Ele abriu a porta e começou a descer, mas soube pelo som de vozes que um de seus colegas de casa tinha atendido a porta afinal.

— Eu preciso falar com o Yuri. — A voz estava sem fôlego e urgente.

Yuri reconheceu aquela voz imediatamente, e seu coração acelerou, era Otabek. Ele corou com a lembrança do último encontro deles, mas tinha sido realmente gentil da parte de Otabek entregar o dildo em mãos e salvado Yuri do estresse de se perguntar quem tinha aberto o pacote.

— Ah, claro. Eu acho que ele está lá dentro. Você sabe onde é o quarto dele, né? — Yuri ouviu Michele respondendo.

— Sim, obrigado.

Yuri parou nas escadas.

O que diabos Otabek quer?

Não que Yuri estivesse reclamando de vê-lo novamente, mas a visita era inesperada. Ele rapidamente virou-se e recuou para o seu quarto, mas deixou a porta entreaberta para Otabek. A tela do celular estava piscando com outra mensagem, então ele fechou o aplicativo, depois passou as mãos pelos cabelos, subitamente ciente de que ele ainda usava a maquiagem que havia colocado para a foto do perfil, mas não havia mais tempo para tirá-la.

Houve uma batida em sua porta.

Yuri olhou para cima para ver Otabek parado na porta. Ele estava vestido com shorts e uma camiseta, e seus pés estavam descalços. Ele tinha pés bonitos, apesar dos calos inerentes a todos os patinadores.

— Eu, hum... vim com pressa, — disse Otabek.

Yuri percebeu que ele estava encarando os pés de Otabek, então ele rapidamente voltou seu olhar para o rosto dele.

— Então... Aconteceu alguma coisa?

Otabek apenas o encarou, tinha uma carranca no rosto e estava claramente desconfortável, mas Yuri não tinha ideia do por quê.

Otabek estava de mãos vazias, então ele não tinha recebido mais algum  brinquedo sexual extraviado de Yuri.

Então, sobre o que era aquele constrangimento?

— Isso é um pouco embaraçoso, — disse Otabek finalmente.

— De novo? — Yuri levantou as sobrancelhas.

Algo relaxou nas feições de Otabek e ele soltou uma risada.

— Caramba... sim. Ok, talvez isso não seja da minha conta. Na verdade eu sei que isso não é da minha conta, então sinta-se à vontade para mandar eu me foder, mas encontrei seu perfil no Grindr.

— Oh. — Yuri deu de ombros. — Bem, acho que isso não é muito surpreendente. Quero dizer, pela localização, acho que você me encontraria estando lá também. Mas, eu não vi você.

— Você não iria me reconhecer do meu, — disse Otabek. — Minha foto de perfil não mostra o meu rosto.

— Certo. Você é um daqueles caras que usam uma foto do peito? Eu achei que uma foto mais artística seria mais interessante. Mas, de qualquer forma, eu ainda não entendi. Por que você está aqui? Se você queria ficar, poderia ter me mandado uma mensagem.

— Meu Deus. Não! Não foi para isso que vim aqui.

Ai. Ele obviamente não era o tipo de Otabek, então.

Otabek entrou e fechou a porta atrás dele. Ele passou as mãos pelo cabelo em um gesto que parecia demonstrar exasperação. Eles ficaram de frente um para o outro enquanto Yuri esperava que ele explicasse. Yuri ainda estava confuso. Qual era o problema de Otabek?

— Virgintiger. Procurando por experiência. Isso é verdade? — Otabek finalmente perguntou.

Yuri deu de ombros novamente, as bochechas se aquecendo quando ele admitiu:

— Sim. O que há de errado com isso? Todo mundo foi virgem uma vez. Não é nada para me envergonhar.

— Caramba, — Otabek murmurou. — Não, claro que não é. Não foi isso que eu quis dizer... mas veja. O Grindr é pode ser um lugar estranho, ok? Existem alguns caras legais que usam, e tem alguns caras não tão legais, e existem alguns esquisitos bem perigosos. Eu só... Você não acha que seria melhor ir a um encontro? Encontrar alguém em quem você confie um pouco para transar?

— É o que estou tentando fazer. — Yuri estava ofendido agora. — Eu não sou completamente ingênuo, sabe. Eu pensei que poderia encontrar alguém através do Grindr para me relacionar. Eu não estou procurando qualquer coisa séria ainda, mas achei que poderia ser um bom lugar para começar.

Houve uma longa pausa.

— Bem. Ok. E eu, então? — Otabek disse.

Yuri piscou.

— O que tem você?

— Quero dizer... eu poderia te ajudar com isso. Obter experiência. Eu posso não ser o seu tipo ou sei lá, mas eu poderia te mostrar o que você quer saber. E você já me conhece há tanto tempo, então você sabe que eu não sou um assassino com uma machadinha ou qualquer coisa assim.

— Faz tanto tempo que a gente não se fala que você bem que poderia ser um assassino com uma machadinha agora.

— Mas eu não sou.

— Eu acho que isso é o que qualquer assassino com uma machadinha diria. — Yuri não cederia tão facilmente. Ele poderia não estar sendo justo, mas precisava lembrar Otabek quem havia se afastado de quem. Mas em vez de ficar bravo, Otabek riu.

— Sim. Eu acho que sim. Caramba, Yuri. Você é difícil de discutir. Me desculpe por todo esse tempo. Mas é sério, no entanto. A oferta está aqui. Você quer experiência sexual? — Ele gesticulou para si mesmo de um jeito que atraiu o olhar de Yuri para a protuberância no tecido elástico de seu short. — Estou aqui por você. Sem compromisso, sem pressão. Eu não estou procurando por um relacionamento. Mas se você quer alguém para se divertir, então eu estou pronto para isso.

Ele parecia estar falando sério. Yuri considerou suas opções. Otabek havia sido seu melhor amigo por muito tempo, e apesar do afastamento nos últimos anos, Yuri sabia que ele era um cara legal. E é claro que Otabek era absolutamente o seu tipo, Yuri meio que tinha uma queda por ele quando eram amigos, e toda a proximidade que tinham na época havia o feito pensar que aquilo poderia evoluir para algo mais. Era uma boa oferta. Yuri seria grosseiro se recusasse Otabek. Mas ele não queria dever favores ou abusar de sua natureza generosa, já que Otabek estava claramente fazendo isso para ser gentil. Mas, mesmo que fosse apenas uma transa por pena, seria melhor Yuri aceitar isso do que algum estranho que lhe dava calafrios como o 9-inch_xx ou coisa pior.

— Isso é muito gentil de sua parte, — ele disse. — Mas eu não quero me aproveitar. Há algo que eu possa fazer por você em troca?

Otabek fez um barulho estranho, algo entre uma tosse e um som de engasgo.

— Hum... — Ele pensou por um minuto. — Você poderia assistir meu treino.

Yuri continuou encarando-o sem entender o propósito daquilo.

— É que eu estou tentando um novo quad desde a temporada passada, mas de algum modo não está indo bem, então pensei que você poderia assistir alguns treinos meus e dizer o que você acha que estou fazendo errado.

Yuri era bom com quádruplos, depois da sua estreia na categoria sênior com dois deles, ele adicionou um novo a cada temporada.

Yuri sorriu, feliz que o arranjo deles poderia ser recíproco.

— Sim, é uma boa ideia. Ok. — Yuri estendeu a mão. — Vamos selar isso com um aperto de mãos. Um acordo de cavalheiros.

A mão de Otabek era quente e forte, e o toque de sua palma fez com que Yuri imaginasse como seria senti-la em outras partes de seu corpo. O pensamento de que ele descobriria exatamente como seria muito em breve foi o suficiente para fazê-lo corar.

Otabek sorriu para ele.

— Quando você quer começar?

Yuri pigarreou.

— Bem... eu preciso de tempo para fazer uma lista do que exatamente eu quero aprender com você.

As sobrancelhas grossas de Otabek subiram sutilmente em surpresa antes de ele responder.

— Tudo bem. Seria útil saber o que você quer fazer e se há algo que você não queria fazer.

— Certo. Qual dia você prefere que eu vá assistir seu treino?

Otabek coçou o queixo, chamando a atenção de Yuri para a sua barba por fazer que cobria sua mandíbula e seus lábios bem desenhados.

— Você poderia me ajudar com isso amanhã?

— Ok, claro. — Yuri sentiu uma onda de excitação em começar. Talvez ficar em um rinque gelado fosse menos divertido do que aprender sobre sexo, mas ele gostava de patinar, e a ideia de passar algum tempo com Otabek era atraente. Se ele conseguisse resgatar um pouco daquela proximidade de outrora, então seria mais natural fazer sexo com ele. Porque embora ele gostasse da ideia de transar com Otabek, e ele realmente gostava da ideia, também era aterrorizante ao mesmo tempo.

E se Yuri fosse horrível nisso? Só porque ele era um bom patinador não significava que ele seria bom em beijar, ou em qualquer outra coisa que ele tivesse visto pessoas fazendo uma com as outras na internet.

— Eu vou ao seu rinque ou você vem ao meu?

— Eu vou ao seu, — Yuri disse. — E eu também vou levar minha lista para que possamos conversar sobre onde começar.

— O quê...? — Otabek franziu a testa. — Oh, aquela lista. — Suas bochechas ficaram rosadas por um momento. — Sim, tudo bem.

— A que horas? — Yuri pegou o telefone e abriu o calendário.

— Hum... Depois do treino, lá pelas seis?

Yuri digitou em seu telefone na entrada das seis horas: Assistir o treino do Otabek.

— Ok. — Ele sorriu. — Vejo você lá, então.

— Certo. E Yuri... talvez você devesse considerar editar seu perfil do Grindr por enquanto? Fazer isso soar um pouco menos... Não sei, ou tornar seu perfil mais anônimo, talvez?

— Sim, talvez você esteja certo.

— Ok. Vejo você amanhã.

E com isso, Otabek se virou e foi embora.

Yuri respirou fundo e soltou o ar lentamente. Bem... parecia que o Grindr o ajudara a encontrar o que ele estava procurando, afinal. Só que indiretamente. Ele abriu o telefone novamente, puxou o aplicativo e estremeceu quando viu uma mensagem de alguém chamado Holedestroyer1965. Yuri prontamente deletou seu perfil sem ler a mensagem. Certamente ele poderia fazer outro quando fosse sexualmente experiente e pronto para rodar.


Notas Finais


Obrigada aos sobreviventes e todos que estão lendo e acompanhando! :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...