História Pray For Me - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Barbara Palvin, Justin Bieber
Tags Igreja, Justin Bieber, Máfia
Visualizações 849
Palavras 1.076
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Yaaayy. Antes do primeiro capítulo, alguns avisos importantes:

💢Sou contra apologia de drogas, estupro, tortura, violência, ou qualquer outra ação que desrespeite os direitos humanos. Isso é apenas uma história FICTÍCIA, bem como as personagens e atos dos mesmos;
💢 A fanfic conta com a personagem principal Catarina Jones, que desempenha o papel de uma freira/irmã. De maneira alguma quero que isso pareça uma forma de desrespeito ou preconceito com qualquer religião, é apenas uma história e peço desculpas se te incomodar (Mas não vou mudar a história);
💢LEIAM SEMPRE AS NOTAS FINAIS (Os avisos estarão sempre lá) UH?

Boa leitura!!

Capítulo 1 - Prologue


Austin, Texas - Estados Unidos

Catarine  P.O.V`s

Conferi a mala uma última vez antes de fechá-la. Irmã Evangeline tagarelava sem parar sobre a missa de uma hora atrás.

- A van chega em meia hora - Diz irmã Lídia colocando a cabeça para dentro do nosso quarto.

- Já estamos quase prontas – Respondo.

Olho para o ambiente ao redor. As prateleiras e armários agora vazios. Pouso minha mão sobre o pescoço, coberto pelo *hábito, sentindo mesmo que de leve, o pingente em forma de coração. Lembranças voltam a minha mente imediatamente, todas envolvendo minha mãe.

Minha mãe.

Não a via há muito tempo. Para ser mais exata, um ano. Ainda me lembro como se fosse ontem de nossa primeira despedida.

Flashback On

- Vou sentir saudades mamãe – Falo abraçando-a novamente.

- Também vou minha filha. Mas está na hora, você deve cumprir seu destino – Diz como se me repreendesse.

- Sim, eu sei – Suspiro.

- Nunca se esqueça. Sua vida inteira deve ser totalmente Dele.

- Não esquecerei mamãe – Digo por fim.

Flashback Off.

Bem, para compreender a história por inteiro, é preciso voltar ao meu nascimento, ou até um pouco antes disso. Com sete meses de gestação, minha mãe soube que eu tinha onfalocele. Meu coração, estômago e os pulmões se formaram fora do meu corpo. Essa má formação pode ser corrigida após o nascimento, com uma cirurgia, porém, em 25% dos casos, nem a cirurgia resolve o problema, levando ao óbito do recém-nascido.

Os médicos já haviam dito que minhas chances de sobreviver eram de 3%, no máximo. Foi então que minha mãe, uma católica fervorosa, resolveu fazer um pacto com Deus. Se eu sobrevivesse, minha vida seria dedicada totalmente a Ele. Mesmo parecendo impossível, o milagre aconteceu, eu nasci e a cirurgia foi realizada, eu estava viva.

Desde então, fui criada praticamente dentro da igreja. Fiz catequese e tudo que se tem direito. Aos 15 anos, comecei o Aspirantado, morando temporariamente na casa pastoral. Com 16 passei para o Postulantado. 17 Noviciado, e há apenas cinco meses fiz meu voto de pobreza, obediência e castidade, o Juriorato. Em sete meses vou fazer meus votos perpétuos, finalmente.

- Catarine, está pensando em que? Temos que nos apressar – Evangeline está a minha frente estalando os dedos freneticamente.

Ela tem somente um ano a mais que eu, estamos juntas desde os 16 anos.

- Desculpe. Vamos – Pego minhas coisas e ela segue meu gesto.

Logo já estávamos em frente à localização da irmandade. Cerca de quatorze irmãs, esperando o veículo que nos levaria a Dallas, mais ou menos a 315 km daqui, onde residiríamos por seis meses, em missão. 

- Todas estão prontas? – Pergunta a Madre Superior, Mirian, quando o veículo para em frente à calçada.

Após todas assentirem, colocamos nossas coisas dentro do carro, entrando em seguida. Sento na janela, ao lado de Irmã Maria. Damos partida e as quatorze irmãs começam uma cantoria animada. Bem, apenas treze na verdade, eu me encontrava divagando, como sempre.

Seriam quase quatro horas de viagem, então me deixo levar pelo movimento do carro e acabo adormecendo.

[...]

 

Dallas, Texas – Estados Unidos

Justin P.O.V`s

- E a vadia realmente achou que tinha sido convidada – Ryan completa rindo, sendo seguido pelos outros. Já estava começando a ficar chapado.

Encontrávamos-nos em uma das muitas boates em minha posse, afinal, eu era um dos mafiosos mais poderosos dos Estados Unidos. Eu, Chaz, Ryan, Jack e Cameron estávamos sentados em uma poltrona semicircular, com um narguile em nosso meio. Era apenas quatro da tarde, muito cedo para isso. Mas quem liga? Estávamos comemorando nosso mais recente sucesso, com o roubo de uma carga muito grande de maconha.

Chaz me passa a mangueira, e dou uma tragada, soltando um circulo de fumaça perfeito em seguida.

- É sempre a mesma coisa. Uma transa e essas vacas já acham que estão por cima – Cameron debocha e todos concordam.

- Falando em transa, eu queria mesmo era foder agora – Diz Jack, pegando a mangueira novamente.

Começo a rir.

- Isso nunca é problema – Falo e faço um pequeno gesto com o indicador para uma das atendentes (Uma vadia, diga-se de passagem). Ela abre um pequeno sorrisinho malicioso e vem em minha direção – Meu amigo ali, precisa de uma ajudinha – Completo indicando Gilinsky que já abre um grande sorriso.

- Vou indo – Então Jack e a vadia sobem para algum dos quartos.

Tocava alguma música alta ali. A boate ainda estava fechada, mas os funcionários já se encontravam trabalhando, já que em poucas horas o local estaria cheio, como todas as noites.  De onde estávamos, podíamos ver a movimentação na rua, pela grande janela de vidro.

Uma van branca, um tanto velha, para em frente a um antigo prédio do outro lado da rua. Fico encarando o veículo e vejo algumas freiras, irmãs, (sei lá como se chamam), saírem do carro animadas. A felicidade era explícita em seus rostos, isso me irritava. Elas começam a pegar algumas bagagens no porta-malas e me irrito mais ainda.

Será possível que teríamos que conviver com toda essa “santidade” bem em frente a minha boate? Aquela é a minha área, e não queria essa alegria toda por aqui. Isso no mínimo me deixa enojado.

Levanto e sinto tudo ao meu redor rodar. Okay. Eu já estava chapado.

Vou até a porta e os garotos nem parecem perceber minha movimentação. Escoro-me no batente da porta de vidro e as observo com os braços cruzados na altura do peito. Pego um cigarro no bolso de trás e o acendo, colocando na boca e aspirando.

A maioria das mulheres ali já entravam no prédio. Sempre cantando e tagarelando.

- Vadias nojentas – Isso sai mais alto do que eu esperava.

Elas parecem nem ter ouvido meu comentário, ou se ouviram, preferiram ignorar. Todas, menos uma delas, que se vira para a direção da minha voz, com o cenho franzido. Ela parecia jovem, muito jovem para ser uma freira. Seus olhos azuis me encaram como se me repreendessem. Não pude enxergar mais que isso, afinal, aquela roupa idiota cobria todo o seu corpo, mas eu tinha certeza que ela era muito gostosa.

Pisco para ela, que ainda me encarava. Após meu gesto, a garota nega com a cabeça, como se condenasse minha ação. Antes que eu pudesse fazer qualquer coisa, ela se vira, entrando também.

Eu não a conhecia. Mas só tinha uma certeza. Eu queria fodê-la, e iria fazer isso.

Nunca duvide de Justin Bieber.

 

 

 

 

 


Notas Finais


💢Quero deixar claro que a fanfic não é movida a comentários, irei postar um capítulo por semana provavelmente. Mas se vamos ter essa relação escritora-leitor, preciso de uma perspectiva da parte de vocês. Então quando puderem, comentem o que estão achando, aceito críticas construtivas, bem como incentivos e afins;
💢Tenho outra fanfic com Shawn Mendes. Deixarei o link ao final do aviso;
💢Por fim, favoritem se gostarem, será uma honra tê-los comigo. Sejam bem vindos!

Beijos da tia Bia.
*Hábito é aquela tipica roupa das freiras kkk só pra deixar claro

Fanfic com Shawn: https://www.spiritfanfiction.com/historia/one-chance-13167667


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...