História PRAZER CULPOSO:Luxúria - Capítulo 60


Escrita por:

Postado
Categorias Dylan Sprouse, Império, Liga da Justiça, Little Mix, Riverdale, Sabrina Carpenter
Personagens Diana Prince (Mulher Maravilha), Dylan Sprouse, Elizabeth "Betty" Cooper, Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Jade Thirlwall, José Alfredo "Comendador" Medeiros, Perrie Edwards, Sabrina Carpenter
Tags Gossip Girl, Pretty Little Liars, Riverdale, Scream, Slasher
Visualizações 6
Palavras 1.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Mistério, Policial, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 60 - Quarenta e sete.


Fanfic / Fanfiction PRAZER CULPOSO:Luxúria - Capítulo 60 - Quarenta e sete.

Ana Beatriz Miller sabia que ao simular a própria morte havia causado infrações contra o patrimônio, a previdência, a fé pública, a administração pública, a incolumidade pública e contra a família, mas nunca passou por sua cabeça que uma ameaça à sua filha pudesse fazê-la voltar para as pessoas que ela tinha prometido a partir do momento que simulou a própria morte que deixaria viver em paz, mas como ela podia quando soube que Connor tinha machucado sua garotinha? como ela podia quando soube que Edgar teve de viver afastado também? obviamente Beatriz não se orgulhava de ter abandonado Victoria, contudo era uma causa nobre, ao trocar os bebês na maternidade já que a filha de Maria Carolina tinha morrido e a sua filha não, Ana viu a chance de Vic ter uma vida feliz. Ledo engano! Diferente  dela, Maria Carolina era burra o bastante para não perceber o quão Connor estava mal-intencionado com ela e sua "filha", enquanto Beatriz lutava a todo tempo e pedia a Deus que Victoria não fosse pelo mesmo caminho e felizmente a pequena não foi, Edgar era um excelente pai, mas Beatriz também não o perdoaria por ter deixado Vic sofrer nas mãos de Carolina e sua paixão imbecil por Connor, isso era imperdoável mesmo que Edgar não saiba que Victoria e filha dela, mesmo com qualquer justificativa Bia em relação a esse assunto não o perdoaria, pois sabia que Victoria não merecia o sofrimento que recebeu. 

PENSATIVA. Beatriz tinha a fisionomia cansada, pois pensar nos desdobramentos que sua falsa morte causou aos entes queridos lhe dava náuseas, sabia que Victoria a rejeitaria e com total direito, mas Beatriz não tinha plano de surgir do nada dizendo que agora elas era uma família perfeita, porém só Bia sabia de sua dor e o medo de ser morta pela máfia Australiana na qual Connor estava enfiado, sendo assim, Beatriz preferiu "morrer" para viver. Ou ela se fingia de morta ou seria levada novamente para a maldita vida de prostituição, sabia que o que devia a Connor era muito maior que todo dinheiro que tinha conseguido juntar.  Sua decisão de sair das sombras só foi decidida há poucos meses atrás quando descobriu que Carolina estava presa e que Connor tinha sido assassinado, a sua luz no fim do túnel com a certeza de que poderia voltar foi quando soube que Edgar estava vivo e estava tentando contato com Olívia que sim sabia que Beatriz estava viva já que Ana mantinha contato com a garota, obviamente Olívia não fazia ideia que seus pais eram ricos e importantes, mas Bia a faz jurar que nunca entregaria seu paradeiro e a garota honrou isso até hoje, claro que dada as ressalvas de que Olívia sabia muito pouco, mas o que era importante é que Beatriz amava Olívia e nunca a negligenciou.

O ponto crucial era: Carolina era uma irmã invejosa, tinha perdido toda a mordomia e o marido dos sonhos por causa de sua “filha” e juntando isso com o fato de Connor ter gente poderosa para vingá-lo Ana sabia que, Victoria corria perigo e não só isso, Bia sabia que estava na hora de confrontar Carolina e claro se desculpar e acima de tudo agradecer Summer e Max por “acolherem” Victoria. 

X

Eu tinha 27 anos,

sobrevivendo ao meu retorno de  Saturno

Férias prolongadas não soariam mal

Estava cheia de segredos, trancada como uma

montanha de ferro

Correndo no vazio, sem gasolina

Beatriz tinha o olhar ambíguo e curioso de Enzo para si após ela revelar sua identidade, contudo Bia naquele momento não quis usar de seu humor negro e ironias com o rapaz porque Enzo ainda tinha o semblante pálido e queimava em febre após a retirada da bala de maneira crua e isso não era nada bom, ainda quando se mora numa espécie de fazenda no interior de Santo Antônio, Texas que fica há 27 horas de Nova Iorque e longe o bastante do hospital mais próximo que é cerca de 5 horas até lá. 

— Você e forte e honestamente teve grande sorte. — Disse a morena com o pano sobre a testa dele. — Sabe, o hospital mais próximo fica a cinco horas daqui, sério, nessas condições se fosse outro cara teria morrido na hora em que tomou o tiro ou na hora que eu enfiei a espatula.  — Beatriz o olhou seria. — Você puxou seu pai.

Enzo se ajeitou na cama e finalmente sentindo livre após Bia retirar as algemas, o rapaz ainda analisava cada pedaço daquele quarto e daquele lugar que parecia mais um paraíso exclusivo da bela mulher a sua frente. Respirou fundo tentando suportar a dor causada pelo ferimento e disse: 

— Eu agradeço todos os cuidados comigo, agradeço por salvar minha vida, mas nunca mais me compare ao meu pai. 

Bia analisou o peitoral belo do rapaz, o cabelo liso e escorrido e sua fisionomia ainda pálida e riu docemente e pensou consigo mesmo o qual pai e filho eram iguais, apesar do queixo de Enzo e a cor dos olhos remeter a mãe.

— Garotinho, você não acha que tem muito ódio e rancor acumulado pelo seu pai não? — Bia o provocou.

— Eu não tenho pai! — Enzo respondeu rude. — E eu sei o que você significa na vida dele e da Summer! O fato de estar baleado não quer dizer que eu seja idiota, eu sei exatamente quem é você e o estrago que causou na vida dos outros. 

— Aí ai... eu não estou surpresa com esse surto, rapazinho. — Beatriz alisou os cabelos de Enzo. — Você vai me odiar mas, devo dizer que é um típico Archibald e mesmo que não aceite muito parecido com seu pai.

— Você não me conhece! — Enzo berrou. — O que eu mais quero é colocar meu pai no lugar dele, e mostrar que eu sou sim uma pessoa que deve ser levada a sério. 

— E você tem sorte! — Beatriz respondeu tocando com o polegar o rosto dele. — Pois estou disposta a ajudá-lo... Eu adoro perturbar seu pai, acredite.

DIAS DEPOIS: 

Pela primeira vez desde a perda Isadora a garotinha que Bia tinha o sonho de adotar há 23 anos atrás, Beatriz estava ansiosa e sem saber exatamente  como agir. Olhava com lágrimas nos olhos a tela do celular admirando as fotografias de Victoria e Edgar Brochu e se perguntou quando é que ela estaria inclusa naquela família? Não tinha palavras ensaiadas, não tinha nenhuma pré reação, pois não sabia como agir. 

Ana Beatriz ouvia o barulho de risadas vindo do corredor da Yale e sabia de quem se tratava aquela risada dócil e sexy, mas manteve a compostura, afinal, ela não estava em posição de usar o deboche e humor negro com Summer após forjar a própria morte e na real esperava que Sam tentasse enfiar o grampeador goela abaixo dela. 

A maçaneta da porta foi girada e quando o olhar de Summer cruzou com o de Beatriz pareceu como o encontro entre terra e fogo. 

Summer sentiu-se pálida, visão ficar turva, seu sangue não circulava e por pouco não desmaiou, mas foi socorrida por Victoria que ainda não tinha captado o que estava acontecendo.

Max surgiu de supetão ao ver Summer sendo segurada por Vic na porta e quando os olhos do moreno encontrou os olhos de Beatriz também ficou em estado de choque. 

E quem não ficaria? Mortos não ressuscitam

Summer, após finalmente se recuperar do choque tinha o semblante de raiva estampado e num total descontrole voou em cima de Beatriz dando uma agressiva bofetada na morena.

— Cretina! Sua imunda! Eu enterrei você! — Summer gritava descontrolada. — Porquê? Porque fez isso? Você destruiu até meu casamento! — Summer já tinha perdido totalmente o controle, simplesmente dava varias tapas em Beatriz que não esboçava uma palavra sequer, não se defendia, não tinha esse direito e entendia a raiva de S.

Max e Victoria apenas olhavam a cena tão chocados que sequer tiveram o senso de tentar separar isso ficou por conta de Edgar que apareceu do nada e tirou Summer de cima de Bia que estava quase morrendo sufocada e tinha inúmeros arranhões no rosto.

 

 

 

 


Notas Finais


Que encontro em gente? Summer ficou pistola total! E sim a Bia vai atormentar o Max,
porque como ela disse e Hobbie,
contudo ela ainda tem uma filha que por sinal ela precisa se explicar e conquistar.

Estou com bastante do da Victoria nesse sentido.

Sobre a Bia, vocês verão também o lado “ruimzinho” dela com relação a irmã filha da puta!

E gente, onde estás o Enzo? Te cuida Max! O caldo vai engrossar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...