1. Spirit Fanfics >
  2. Prazer, Ninguém. - Jikook >
  3. Capítulo seis - Pleasure, Nobody

História Prazer, Ninguém. - Jikook - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Capítulo seis - Pleasure, Nobody


Fanfic / Fanfiction Prazer, Ninguém. - Jikook - Capítulo 8 - Capítulo seis - Pleasure, Nobody

Duas semanas se passou.

Duas semanas se passou deste que O garoto foi trabalhar com o homem mais zilhonario do mundo.

Duas semanas que ele ganhou um novo motivo para lutar.

Para persistir.

Para não desistir.

Jeon e Park se tornaram amigos muito rápido, claro, o Jeon era muito mais velho que o anjo – apelido do qual o Jungkook deu para o seu funcionário/amigo – dez anos para ser exata.

Dezessete e vinte e sete.

Óbvio que os dois receberam olhares estranhos das pessoas que trabalhavam na empresa. Você já deve imaginar o que isso significa para o garoto.

Mais um motivo para desistir.

Percebendo que as pessoas diziam a respeito do anjo logo se retratou e começou a demitir qualquer pessoa que fizeste mal ao garoto Park.

- Anjo? – o garoto se despertou dos pensamentos que continha em sua mente quando ouviu a voz do mais velho o clamando. – Por quê está tão avoado? Aconteceu alguma coisa?

Como se alguém importasse... – Pensou o menino dos olhos castanhos. 

Não, não. Não aconteceu nada com o garoto Jungkook. Ele apenas está sendo agredido, humilhado, xingado, assediado e está sofrendo tentativa de estupro por parte do seu padrasto, mãe e colegas da escola.  Ah, ele está cortando o seu próprio corpo, mesmo ardendo que só inferno por causa dos hematomas espalhados pelo seu corpo de porcelana que você tanto diz, e ele tem tomado remédios para conseguir dormir. Sabia que ele odeia saber que quê sua irmã apanha todo dia e ainda tem que ver o seu irmão apanhando o triplo que ela apanha só para proteger ela? E as vezes ter o seu corpo quase abusado pelo seu padrasto?

Com certeza você não sabia que o seu anjo tem todo o seu dinheiro roubado por parte do seu padrasto para sustentar o seu vício de álcool, drogas e prostituição, quando sobra apenas algumas esmolas para ele e sua irmã ter o que comer?

Salve-o Jeon.

Você é o único que pode ajudá-lo.

Acredite-me,

Você ama esse garoto, como nunca amou ninguém.

Você é o ninguém que o Jimin tanto fala.

Você se importa com ele de verdade.

Mostre isso a ele.

- Não aconteceu nada Jungkook. Eu estou bem. – fala o mais novo sorrindo minimamente enquanto volta a trabalhar. O funcionário e o chefe estavam na sala do mais velho.

Jungkook sempre se perguntou como era o sorriso verdadeiro do Jimin-ssi. Aquele sorriso de orelha a orelha sabe?!

- Certeza? Não aconteceu nada na escola ou em casa? – Jeon tinha um olhar preocupado.

Ele realmente estava preocupado comigo ou era  apenas curiosidade como todo mundo? – pensou Jimin. Se sentindo confuso.

A pergunta que o seu chefe fez ao garoto fez que o mesmo se lembrasse o que ocorreu hoje de manhã.

x•x•x

- Me solta Choi! – o garoto de pele porcelana estava se debatendo enquanto ele estava ganhando novas hematomas pelo corpo. E ganharia mais quando chegasse em casa a noite logo após o trabalho.

- Oh Jiminnie por quê você tem que ser assim tão difícil? – Choi Woon sorri debochado enquanto prendia o Jimin contra o seu corpo; parando de bater no corpo do pequeno e começou a chupar e morder o pescoço do menino de olhos castanhos claros. – mas saiba que eu amo esse seu jeito, amor.

O pequeno já estava com seu rosto encharcado pelas lágrimas

Sinal toca, avisando aos alunos que eram para ir para as salas.

Qualquer dia o Choi ia quebrar esse sinal.

- Ah, que pena Jiminnie que a nossa brincadeira vai ter que parar por aqui. Mas prometo que mais tarde iremos continuar.

Choi dá um tapa na bunda de Jimin e o deixa jogado nós fundos da escola.

x•x•x

- Não Senhor. Não aconteceu nada. – o garoto de pele de porcelana fala nervoso. E a ansiedade já tomando conta de si.

O homem dos olhos negros não acreditou muito no pequeno mas deixou o assunto por encerrado.

Uma outra dúvida que o maior tinha sobre o pequeno era o por quê do mesmo usar roupas tão largas e que cobrisse todo o seu corpo. A Coreia do Sul estava em época de verão, estava muito quente no país. Como é que o Park não morre queimado naquelas roupas? 

Sim, a empresa tinha inúmeros ar-condicionados, mas mesmo assim, na rua tinha um sol castigando as pessoas. Como é que ele aguenta?

- Jimin, amanhã eu vou para o Brasil, e um amigo meu irá cuidar das coisas por aqui.

O menor assentiu já sabendo do aviso.

O relógio marcava 10:00 PM, o horário em que Jimin é liberado.

- Bom Jimin, até daqui a quartoze dias – Jeon se levanta e levanta os braços esperando um abraço do mais novo que logo foi concedida.

O menor na pontas dos pés ainda sim não conseguiu chegar a altura do Jeon, então o mesmo teve que levantar o menino dos olhos claros.

Sem querer Jungkook aperta um pouco mais de força as costas de Jimin que estava cheios de hematomas, que logo não aguentou e soltou um gemido sofrido e dolorido.  Chamando a atenção do homem dos olhos negros, ficando realmente preocupado com o menor.

- Desculpa Jimin, eu te machuquei? – Jungkook preocupado e se sentindo culpado por machucar o Jimin.

- Não Jeon. Eu tenho que ir... – o Park sai apressadamente da empresa.

Deixando o Jeon Jungkook preocupado e confuso...

Por que ele estava tão nervoso?


Notas Finais


Quem é vivo sempre aparece não é mesmo?
Próximo capítulo protagonizado pelo Jeon :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...