História Precisa-se de máquina do tempo - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Os Bridgertons, Vikings
Personagens Gregory Bridgerton, Hyacinth Bridgerton, Ivar, Personagens Originais, Violet Bridgerton
Tags Hvitserk, Ivar The Boneless, Os Bridgertons, Vikings
Visualizações 23
Palavras 1.369
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem
:):):)

Capítulo 3 - Conhecendo a família


Fanfic / Fanfiction Precisa-se de máquina do tempo - Capítulo 3 - Conhecendo a família

Londres, 19 de agosto de 1821

Pov. Autora


O sol entrava pelas janelas, caindo sobre os rostos dos irmãos. Eles levantaram com a sensação de ainda estarem em casa, mas assim que despertaram por completo perceberam que ainda estavam no quarto da mansão.

- Ai Deus. – se despreguiçava Mari na enorme cama de casal – Vamo ver no que dá isso. – ela moveu a mão pra debaixo do travesseiro no sentido de pegar seu telefone. Mas, logo lembrou que não tava mais em casa. Aí ela se tocou. Não tinha wifi. Não tinha nada. Como ela iria ficar ali? Sem um computador ou televisão. Não teria vida.

Se levantou preguiçosamente da cama. Seus tênis estavam perto da cabeceira, mas passou direto por eles e foi em direção à varanda que tinha no quarto.

O céu estava bem limpo, o sol brilhava bem forte nele. Não havia nenhum sinal de tempestade, e isso a desapontava. Observou os jardins, eram bem bonitos, os gramados e tudo mais. Mas teve que deixar isso pra outra hora, já que, a porta atrás de si se abriu.

- Bom dia. Não tinha certeza se já havia acordado. – Violet entrou no quarto e trouxe consigo algumas peças de roupas.

- Bom dia. – falou Mari saindo da varanda e indo em direção a Lady Bridgerton.

- Espero que tenham passado bem a noite. – ela pôs as roupas na cama e observou Mari – Acho que vão servir. – disse depois de um tempo – São da minha filha mais nova, você é um pouco mais baixa que ela mas acho que vai servir.

- Obrigada. – ela pegou que aquelas peças estranhas. Era tudo muito... esquisito, e bonito ao mesmo tempo. Que menina já não se imaginou vestindo esses vestidos de princesa? – Ei tia. – falou chamando a atenção de Lady Bridgerton.

- Tia? – ela arqueou a sobrancelha. Não era nada daquela garota pra ela a chamar de tia.

- É um jeito que a gente chama as pessoas mais velhas. – falou – De onde eu venho. – completou.

- Melhor não me chamar assim em público. – falou – Pra não confundir as cabeças das pessoas.

- Viu. – disse deixando a mulher confusa mais uma vez.

- Viu o quê?

- Viu. Viu. – falou se esquecendo de novo que tava falando com alguém do século 19 – Quer dizer tá certo, vou fazer.

- Está bem vou deixar você se vestir. – disse se retirando.

- Peraí. – a mulher parou novamente confusa com a nova palavra, mas decidiu não perguntar nada – Era isso que eu ia perguntar. – disse pegando uma das peças – Como que eu visto essas coisas?

~

- Que coisa estranha. – falava Lipe em frente ao espelho. Pelo jeito, o filho mais novo dos Bridgertons era do seu tamanho. Mas os trajes não eram do seu estilo. Agora mesmo, ele tava se matando pra vestir o colete – Merda. – machucou o dedo tentando fechar o botão. Alguém bateu em sua porta e entrou. Era Wickham.

- Está pronto senhor. – falou se aproximando.

- Senhor? Deixa dessa coisa de senhor. – falou ainda tentando fechar o botão.

- E vou te chamar como?

- Pelo meu nome né? – deu de ombros – Felipe. Mas me chamam de Lipe.

- Como quiser. – disse ele. Lipe gostava da ideia de ter empregados, mas não de ser chamado de senhor. Era estranho.

Ele finalmente fechou o colete e pegou o... o... paletó? Ele chamou disso, mas se esse era o nome. Ele o colocou e saiu do quarto acompanhado de Wickham.

Já tinha decorado o caminho até o quarto da irmã, no caminho que fizeram a noite pra chegarem aos seus quartos. Mas seguiu Wickham mesmo assim. Estava sentada sentindo desconfortável com aquelas roupas. Principalmente os sapatos. Mas, quando viu a irmã no fim do corredor repensou sobre quem estaria pior.

- Lipe. – ela disse se aproximando rápido do irmão. Eles se observaram por uns segundos e então começaram a rir. Eles realmente estavam muito engraçados com aquelas roupas.

- Tá linda irmã. – falou recuperando o fôlego.

- Cê também. – falou se controlando. As duas pessoas naquele corredor se entreolhavam confusos. Qual era a graça?

- Vamos. – disse a mulher – Vou apresentá-los aos meus filhos. Alguns moram aqui e outros estão passando um tempo. – eles concordaram em seguiram a mulher. O mordomo foi na outra direção, fazer o quê? Ninguém sabe.

- Dormiu bem? – perguntou Mari bem baixinho ao lado do irmão.

- A cama era boa. – falou – Mas fiquei pensando num monte de coisas.

- Tipo o quê? – perguntou curiosa.

- Se a gente tá aqui, o tempo de onde nós veio tá normal, ou a gente sumiu lá também? – se questionou Lipe.

- Isso é complicado Lipe, eu li sobre isso uma vez. - falou a irmã – E o celular? – eles cochichavam pra Lady Bridgerton não os ouvir. Lipe indicou o bolso do paletó com as mãos.

- A gente resolve... – antes que pudesse continuar pararam em frente à outra porta. "O que não falta aqui é sala." pensou Mari.

- Um minuto. – disse Lady Bridgerton entrando na sala.

Eles conferiram as roupas. O vestido azul claro, de Mari, ressaltava a sua pele morena e cabelo escuro. Enquanto a roupa de verde escura de Lipe destacavam seus olhos da mesma cor.

- Podem entrar. – Lady Bridgerton apareceu na porta e fez sinal pra eles entrarem.

Quando puseram os pés no lugar, sentiram os olhares de quem quiser que estivesse lá.

- Esses são Mari e Lipe. – anunciou Lady Bridgerton – Estão perdidos. Os pobrezinhos vieram de um lugar muito estranho. Vocês não iriam querer ver as roupas. – continuou – Vão ficar conosco até descobrirem um jeito de irem pra casa. – ela não parou – Espero que dêem as boas vindas ao senhor e a senhorita... – ela fuçou a memória pra lembrar do sobrenome que Wickham havia lhe dito – Fernandes. – lembrou.

Alguns demoraram pra entender tanta informação ao mesmo tempo. Quando Lady Bridgerton disse que tinha algumas pessoas pra apresentar, eles pensaram que era mais uma tentativa da mãe de empurrar pretendentes pros que ainda não tinham casado, e não hóspedes perdidos.

- Ahn... Mãe. - Anthony foi o primeiro a se pronunciar - Podemos conversar? - a mãe seguiu o filho até um canto na sala. Enquanto os irmãos ficaram parados sem saber o que fazer.

- O que você acha? - perguntou Lipe baixo o bastante pra apenas a irmã ouvir.

- O cara não gostou muito da ideia. - respondeu - Mas a Violet vai convencer ele, ela parece gostar da gente. - disse convencida. Antes de acabarem a conversa, Anthony se aproximou pra dar às boas vindas. Cedendo aos argumentos da mãe, de que não podia deixar duas crianças na rua.

- Valeu. - falou Lipe esquecendo mais uma vez que ninguém conhecia essa palavra.

- Ele quis dizer obrigado. - corrigiu Mari dando um olhar pro irmão de: você é burro?

- Venham. - ele indicou as poltronas onde algumas pessoas estavam reunidas, eles se sentaram em um dos sofás - Então... vocês vieram de onde? - perguntou o lorde ainda desconfiado com eles.

- Longe. - falou Mari - De outro continente na verdade.

- Como chegaram aqui? - foi a vez de um dos irmãos mais velhos, Bennedict, se aproximar. Mari sabia que aquilo tava mais pra um interrogatório, por sorte tinha um dos melhores mentirosos com ela.

- Nosso navio. - começou Lipe - Como é que fala? - murmurou tentando lembrar dos filmes que já assistiu - Desembarcou errado. A gente tinha que encontrar nossos pais, aí deu merda. - eles se espantaram de novo com a linguagem dele - Quer dizer não deu certo. - falou rápido.

- É. A gente nem sabia onde tava. - entrou na onda do irmão.

- Verdade, meu filho. - falou Violet - Quando Wickham me trouxe eles. - ela parou - Estavam... estavam... quase despidos. - quem já não estava com os olhos arregalados ficou agora.

- Não tava não. - falou Mari ganhando atenção - Minha roupa tava até composta tá.

- Eu também. - se pronunciou Lipe.

- Isso não vem ao caso agora. - disse Violet encerrando.

- Ok. - concordou Mari.

No outro lado da sala mais um par de irmãos observava a cena se desenrolar. Estavam curiosos sobre os novos hóspedes. Principalmente por não serem muito... normais. Mas esperavam se  dar  bem. Esperavam, se vão...



Notas Finais


Desculpa a demora aqui vai mais um capítulo
Até o próximo
:):):)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...