História Precisamos de um ômega... A-B-O - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags Abo, Jikook, Jimin!ômega, Romance, Sope, Taekook, Taeminkook, Universoalternativo, Vmin
Visualizações 226
Palavras 2.897
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então ela acaba aqui... desculpa.

Capítulo 10 - Final...


Um bom conto de fadas sempre termina com um típico final feliz. De certa forma isso é injusto. O que é a felicidade? Quem decide o que é um final feliz, deviam ser os próprios personagens. Afinal quem disse que a Cinderela queria um príncipe? Quem disse que Aurora queria ser acordada com o beijo? Quem disse que a Fera se torna um príncipe?

Se torna cansativo sempre deixarmos pessoas escolherem o nosso destino e o nosso final feliz. Um bom final não tem que ser feliz. Apenas precisa ser um final. E é neste momento que chegamos ao fim. Não é apenas um final, ou só mais um final como todos os outros. Este é o final.

A decisão nunca é fácil. Voltando a repetir não é justo. E ter que decidir entre algo que te atraia e algo que te faça bem, não é uma decisão fácil. Sentir medo é normal. Agora viver nesse medo, não pode se tornar real.

Jimin sabe o que tem que fazer, mas porque é tão difícil tomar a iniciativa e colocar em prática? Ele estava assustado. Havia uma grande possibilidade de não aceitarem o que pretendia propor, e uma decisão que havia tomado era a de que não se envolveria mais com os alfas, nem que seu coração viesse a sangrar.

- Quero que saibam que eu vou ter esse filho, independente do que vocês decidam. – O ômega falou olhando fundo nos olhos que o encaravam, estava tentando buscar algo que pudesse lhe manter a coragem. – Eu não vou voltar pra Seul com vocês, eu quero tranquilidade. Quero criar meu filho longe de toda aquela confusão.

- É claro! Nós entendemos você. – Tae se aproximou com a intenção de ficar mais perto do ômega e lhe passar segurança. – Nós podemos ficar aqui sem problema.

Jimin olhou para o chão e uma lágrima teimosa caiu. Sorriu, um sorriso triste que transmitia tudo aquilo que estava preso dentro de si e que não tinha coragem para por para fora.

- Vocês não entenderam... Nos não vamos ficar juntos. Eu sinto muito mas eu preciso viver sozinho.

- Tá dizendo que vai ficar aqui, e que não quer nada conosco? – Jungkook passou as mãos no cabelo claramente nervoso. Jimin estava os rejeitando.

- É isso sim. Eu não vou pedir que vocês me entendam, porque eu sei que vai ser difícil. Eu fui embora porque tinha medo que vocês não quisessem o bebê. E agora eu vou ficar porque eu quero ter o bebê, longe de tudo. – Jimin falou esperando uma reação negativa vinda de algum dos alfas. Mas nada veio, eram apenas expressões vazias e cheias de mágoa. – Me desculpem do fundo do meu coração, mas eu não posso mais me intrometer na vida de vocês. Eu nunca devia ter aceitado nada disso.

- Vai nos proibir de ver o bebê? – Jungkook perguntou com a voz meio falha, consequência de estar segurando o choro. – Faça o que quiser Jimin, mas não nos prive de ter contato com o bebê, não tire de nós a chance de sermos pais. Por favor.

- Não! Meu Deus! Que tipo de mostro vocês acham que eu sou? Eu nunca faria isso. Só quero que entendam que não vai ter um “nós” mas vocês ainda vão ser os pais do bebê, e isso ninguém vai tirar de vocês.

Taehyung abraçou o ômega e repousou sua cabeça no ombro do menor. Estava triste mas de certa forma aliviado por saber que não seria privado de ser pai.

- Obrigado Jimin por não nos privar dessa alegria.

Jungkook ainda estava parado olhando para a cena dos dois se abraçando. Não podia mais evitar o choro que estava preso em sua garganta desde que ouviu que Jimin não queria ter mais nada com eles. Então como uma criança que se perde dos pais no supermercado, ele chorou.

Jimin olhou o alfa a sua frente, ainda estava abraçado a Tae. Viu Jungkook chorar, e isso fez seu coração se quebrar ainda mais. Estava sendo um idiota se dissesse que não gostava dos alfas, era claro que gostava: podia até mesmo dizer que os amava. Mas seria egoísmo ficar entre uma relação de anos apenas por puro luxo.

Saiu do abraço de Taehyung e foi em direção ao alfa, lhe abraçado. Direcionou a cabeça do alfa até seu pescoço com o intuito de acalmar o alfa.

- Me desculpe Kookie...

Os três ficaram ali em silêncio apenas apreciando a companhia um do outro. Aquela era a despedida que teriam. Não era nem de longe a mais bonita e nem a que mereciam, mas era a única que iriam ter. Voltando a repetir não é justo.

- Eu amo vocês, do fundo do meu coração... Mas nós não podemos ficar juntos como um casal... – Jimin quebrou o silêncio que estava entre os três. Pode soar confuso. Afinal por quê pessoas que se amam não podem ficar juntas?

- Nós vamos tentar. – Taehyung falou enquanto fazia carinho nos cabelos de Jungkook e de Jimin. Era tão difícil para si quanto era para seu companheiro, mas Taehyung não podia se dar ao luxo. Ele tinha que ser o forte da relação. – Não vai ser fácil, pode machucar, e eu te garanto que vai e muito. Mas nós vamos tentar com todas as nossas forças. E só de saber... – O alfa passou a mão sobre a barriga do ômega que abriu um sorriso. Tae deixou uma lágrima cair. – Que tem uma parte sua que vai sempre estar ligada a nós. Me faz, e faz o Jungkook também, os alfas mais felizes do mundo.

- Eu amo vocês. – Jungkook que até então estava em silêncio apenas apreciando a despedida, revelou aos amantes. Ele amava aqueles dois. Três, agora eles eram três os amores de sua vida.

- Jimin tem certeza que não quer voltar? – Taehyung perguntava pela terceira vez. Estava na esperança que o ômega resolvesse voltar junto com eles.

- Tenho sim Tae. Eu sinto que tenho que ficar aqui. – Jimin respondeu de costas para o alfa. Estavam os dois na cozinha de Jimin, enquanto o menor preparava o jantar. Parecia ironia que a cena estava parecida com a primeira vez que se encontraram, assim como na primeira vez Jungkook estava fora da casa fumando. Só que desta vez não tinha varanda então ele estava no quintal. – Mas vocês sabem que sempre podem vir aqui me ver.

- Eu sei, mas eu me sentiria mas seguro com você lá. – Taehyung se levantou e começou a ajudar Jimin com o jantar, o alfa estava cortando o tofu para a salada. – Falando nisso, já agendou a primeira consulta?

- Ainda não. Estava esperando falar com vocês, e eu também queria que vocês fossem comigo. – Jimin riu com um pensamento que lhe invadiu e resolveu compartilhar com o alfa. – Ouviu bebê? Seu pai médico está preocupado com você. Coitadinho de você meu amor, um pai policial, outro médico e um professor.

Alfa e ômega caíram na risada. Só de pensar no quão protegido esse bebê seria, chegava de certa maneira a ser cômico.

- Qual o motivo da graça? – Jungkook entrou na cozinha e deu de cara com os dois rindo como dois idiotas.

- É que o bebê... – Tae não consegui terminar sua fala e voltou a rir levando com ele Jimin junto.

- Eu desisto...

O alfa e o ômega se controlaram e pararam com as risadas. Jimin se focou em terminar o jantar enquanto Jungkook se ofereceu para colocar a mesa.

- Jimin estava falando que nos quer junto na primeira consulta dele. – Taehyung comentou enquanto terminava de colocar shoyu na salada.

- Não sei se podemos ficar mais tempo Tae. – O tom do alfa moreno era decepcionado e um pouco triste, era claro que queria ficar mais tempo com Jimin, mas o trabalho não podia parar. – Acho que conseguimos ficar até amanhã a tarde, nós viemos na pressa deixamos tudo em meia viagem.

- Eu consigo marcar a consulta pra amanhã de manhã com doutor Kim. Ele é um amigo de infância do Chan, então em consigo mudar o horário. – Jimin falou colocando o jantar sobre a mesa. – Vocês vão dormir aqui hoje não é? Ou vão pra algum hotel?

- Acho que algum hotel não é uma opção tão ruim assim. – O alfa moreno começou a se servir sem esperar pelos outros presentes. Logo Jimin e Tae o acompanharam. E assim começaram a refeição, que desencadeou nos três um sentimento de nostalgia. Se lembravam do primeiro encontro que tiveram.

- Sabe se vocês quiserem podem dormir aqui, vai ser muito trabalhoso ir procurar um hotel agora.

- Só se isso não te incomodar.

- Não vai nem um pouco.

Assim terminaram o jantar, limparam a cozinha e se prepararam para ver algum filme. Ambos os três corações sentindo falta dos toques e das demonstrações de afeto. Era torturante estar sentado junto, naquele mesmo sofá e saber que não podem se tocar nem se amar pela última vez. Não é permitido que demonstrem o que sentem, por mais que sintam a mais pura vontade de se amar.

- Eu acho que merecemos uma despedida. – Jimin soltou enquanto olhava para TV sem de fato assistir o que estava passando. – A mais bonita das despedidas... – Uma lágrima desceu por seu rosto delicado. – A melhor noite das nossas vidas.

Sem nem esperar por mais um minuto Jungkook avançou sobre Jimin beijando sua boca com tanta vontade que chegava a parecer absurdo o quanto sentia falta daquele toque específico. Colocou as mãos no pescoço do ômega, enquanto Jimin manteve as mãos pequenas nos ombros do alfa. Era um beijo apaixonado, para os protagonista daquele ato e para quem apenas assistia.

Jungkook finalizou o beijo com um selinho carinhoso nos lábios, agora inchadinhos de Jimin.

- Eu achei que não íamos ter uma despedida digna.

Tae puxou Jimin para um beijo cheio de luxúria mas ainda assim cheio de amor. Estavam os três cientes de que seria a despedida e depois apenas seriam ligados pelo bebê. Mas ainda assim valia a pena, se era para se amarem por apenas uma última vez eles fariam e sentiriam que era o que precisavam.

E naquela noite eles se amaram. Sem medo. Sem receio. Sem confusão, apenas amor. E de tudo que viveram o amor era o que mais faria falta.

Entre gemidos, sussurros e juras de amor, o momento acabou e se foi assim como Jungkook e Taehyung.






~•~






- Foi fácil pra você?

Jimin ouviu a pergunta de seu pai que preparava o almoço, enquanto o ômega estava sentado na mesa de café da manhã que ficava no canto da cozinha do apartamento de seu pai. Jimin bebia um copo de suco de maçã, parou e analisou o copo a sua frente. Essa havia sido a decisão mais difícil que já tomou na sua vida.

- Foi a mais difícil.

- Então valeu a pena.

Jimin não entendeu o que seu pai quis dizer. Olhou o alfa que cortava calmamente o brócolis.

- Não entendi?

O senhor Park soltou a faça sobre a tábua que usava, se virou e olhou bem o rosto triste de seu filho do meio. Seu príncipe estava cansado e abalado de uma maneira que ele entendia muito bem. Estendia muito bem o que seu filho estava passando, para ele também foi difícil deixar o amor de sua vida ir embora como se não importasse.

- É simples. Se foi uma decisão difícil, então foi a decisão certa. Escolhas desse patamar não são fáceis de serem feitas.

Jimin olhou seu pai e viu uma lágrima escorrer de seu rosto.

- Elas vão te machucar por um tempo mas depois de um tempo melhora. – Jimin levantou e abraçou o pai, se sentido uma criança protegida após ter um pesadelo. – Eu amo você e seus irmãos.

O ômega desabou em lágrimas, nada era como o colo de seu pai pra o consolar e fazer a dor passar.

- Eu também quero participar desse abraço. – Ouviram a voz do caçula da família e olharam em direção à porta da cozinha onde viram Jin com os cabelos molhados.

Jimin estendeu o braço convidando o irmão pra participar.

- Vem aqui adotado.

Jin foi até os dois sem demoras se juntando ao a abraço que reconfortava corações.

- Eu acho que o adotado aqui e você. Já viu o tamanho das nossas orelhas? Acho que você foi o único a puxar a mãe. Que sorte.

Os três explodiram em risos após o que o caçula disse. O celular de Jimin tocou em cima de mesa o que fez o ômega se afastar do abração com que estava. Se dirigiu até a mesa para pegar o aparelho. O senhor Park voltou a preparar a refeição.

O ômega viu o nome Yoongi no visou e não pensou duas vesez logo atendeu a ligação:

- Alô...

- JIMIN O BEBÊ VAI NASCER! – O grito desesperado de Hoseok fez com que afastasse o aparelho da orelha. – Eu não sei o que fazer.... me ajuda!

- Calma Hobi. Me diz onde você tá? – Jimin saiu da cozinha e foi até a varanda da sala do apartamento do pai.

- Eu tô no quarto do bebê pegando a bolsa. – Do outro lado da linha um alfa desesperado sem saber o que fazer pegava a bolsa dourada com as coisas de sua filha. Não sabia o que fazer, seu marido estava na sala gemendo de dor o que apenas aumentava o desespero de Hoseok.

- E cadê o Yoongi? – Jimin estava preocupado com a situação. Se estivesse lá com certeza já teria ajudado muito mais do que apenas por telefone.

- Ele tá na sala, sentado no sofá. Jimin eu não sei o que fazer. Sei que tenho que manter a calma mas é difícil. – Jimin ouviu os barulhos de passos apressados o que indicava que Hoseok estava descendo as escadas. – Acho que as contrações pararam um pouco. – “ Amor consegue andar até o carro?”. Jimin ouviu um baixo sim que percebeu ser de Yoongi. Ouviu a porta do carro batendo e concluiu que ambos já estavam no veículo a caminho do hospital. – Jimin fala com ele.

- Oi Yoongi , como você tá?

- Vai sair um bebê de dentro de mim!! Você acha que eu tô bem?!





•~•









Não se sabe ao certo quando tempo cada um de nós tem, só se sabe que devemos aos máximo fazer esses tempo valer a pena. Já havia se passado 6 meses desde que Jimin e os alfas se separaram. Ambos os lados sofrerem muito, mas se acostumaram com a dor e hoje ela não incomoda tanto.

Hoje era o ultrassom de Jimin, descobriram o sexo do bebê e os pais estavam atrasados.

- Calma eles vão chegar. – Jin acalmou o irmão na sala de espera. Após o bebê de Chanyeol nascer, Jin ficou mais cuidado com Jimin já que agora teria dois sobrinhos deveria ser o melhor tio do mundo.

- Eu espero...

- Park Jimin. – A médica chamou o ômega para o exame. Jimin estava nervoso, queria os alfas junto para presenciar esse momento importante. O ômega entro na sala e a médica logo preparou para o início. – Ansioso?

- Como? – Estava pensando se os alfas viriam ou ele ficaria ali sozinho, se ao menos soubesse se ele viriam ou não podia ter pedido para Jin o acompanhar. Nem ouvir prestou atenção na médica.

- Para saber o sexo do bebê? – Médica ruiva sorriu para Jimin, enquanto passava o gel gelado em sua barriga.

- Sim muito.

No exato momento em que a doutora estava prestes a encostar o aparelho em Jimin, a porta foi aberta assustando os ômegas na sala. Dois alfas ofegantes, provavelmente pela corrida que tiveram a pouco, invadiram a sala onde Jimin iria fazer o exame.

- Desculpa a demora... teve um acidente na estrada... – Taehyung tentava explicar o motivo do atraso.

- O que importa é que estão aqui agora. – Os alfas foram um para cada lado de Jimin e seguraram suas mãos. E então a médica iniciou o exame, passando o equipamento sobre a bela do menor.

Os corações estavam em disparada, estavam curiosos para saber qual o sexo se seu filho. Por mais que alguns tivessem proposto o feitio de um teste de DNA para a descoberta do pai do bebê, nenhum dos três aceitaram. O filho era dele e pronto e não seria um papel que diria que aquela criança não era filho dos três.

O silêncio foi rompido com barulho de batimentos cardíacos, o som mais bonito na opinião dos pais de primeira viagem.

- Parabéns papais. É um menino.

O amor que essa criança receberia, os mimos que receberia. Tudo que ela receber será o melhor que seus pais lhe darão.

- Eu te amo meu pequeno... – Jungkook sussurrou para a barriga ( já grande ) de Jimin fazendo o bebê se remecher. – Eu amos vocês.

- Eu amo você Baby Yug. – Taehyung se abaixou e beijou a barriga de Jimin e também fez o bebê se remexer.

- Nós temos uma família agora...

O tempo pode passar e lavar lembranças, lamentações, curar feridas. Mas ele também traz momentos inesquecíveis e marcantes. Coisas tão boas que é um pouco injusto que só possamos vive-las uma única vez. O tempo se encarrega de deixar tudo em seu devido lugar.


Notas Finais


Tem erros. Esse foi o final. Espero que tenham gostado tanto quanto eu gostei. Esse foi o meu primeiro projeto finalizado. Eu não fazia como era difícil terminar algo. Me desculpem não ter vindo antes mas eu tinha vestibular e o Enem. Eu agradeço do fundo meu coração a cada um que deu amor a essa fanfic. Eu amo vocês!!! 💖💖
Obrigada!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...