História Precoce - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O
Tags A Saga Da Primeira Vez, Chansoo, Soochan, Te Odeio Laís
Visualizações 556
Palavras 1.298
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drabble, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLÁ BEBÊSSSSSSSSSSSS
Sabe aquela frase: Nunca direis desta água não bebereis, porque vai que afogareis nela?? Sou eu com essa drabble.
Era hater number 1 de ChanSoo. Sempre falando que jamais escreveria ChanSoo. E o que aconteceu? A Laís aconteceu! Sim, essa mal carácter e má influência. A gente começou a jogar um RPG com ChanSoo, e o meu Chanyeol no RPG, bom... Né, foi meio precoce tadinho ;_; Acabei transformando em Drabble e é isso.
Por isso, reclamem com a Laís. Sério. Sério mesmo. A culpa é toda dela.
Boa leitura meus chuchus.

Capítulo 1 - Mas já?


 

KyungSoo e Chanyeol namoravam há um pouco mais de um ano. Se conheceram através de amigos em comum numa festa qualquer da faculdade e depois de alguns copos de álcool tomados pelo mais alto que o fizera confessar com as bochechas avermelhadas que achou a boca de coração do mais baixo totalmente beijável, eles engataram num romance.

    Ainda que tudo tenha começado com beijos com gosto de vodka numa parede qualquer da sala escura com luzes piscando e muitas mãos bobas, ambos decidiram construir o relacionamento de uma forma calma e paciente. KyungSoo já tivera um dois namorados antes do Park e não era mais virgem - em nenhum dos sentidos - diferente do Park que nunca conhecera nada além da sua própria mão.

    Conforme os meses correram, se tornaram mais íntimos um do outro. Muitos beijos trocados, muitas mãozinhas descobrindo o corpo alheio, uma mordida ali, uma chupada aqui, o casal estava numa fase em que tinha uma intimidade sexual bem desenvolvida ainda que não tenha acontecido o finalmente. A tal penetração.

    De início, isso não parecia ser incomodo pra ninguém, mas depois de um tempo, Chanyeol começou a achar e insistir que eles deviam dar aquele passo no relacionamento ainda que o KyungSoo acreditasse que na verdade não era o momento, ao menos, não do namorado.

    Mas como dizer não ao biquinho fofinho, olhinhos espremidos enquanto os cachinhos balançavam? Pois é. O Do nunca saberia dizer não ao namorado mimado.

Era por isso que ambos estavam na casa do mais novo já que ele morava sozinho, trocando uns beijinhos molhados na cama bagunçada. Chanyeol estava no colo do namorado, totalmente distraído com os beijinhos e mordidinhas distribuídos na pele alva de seu pescoço, soltando gemidinhos manhoso e pequenos ofegos.   

Não demorou muito tempo para que aquilo evoluísse e num momento ambos estivessem sem roupas e o Soo estivesse no meio das pernas do namorado, lhe chupando de uma maneira tão deliciosa que os olhinhos do maior lacrimejavam do mais puro deleite. KyungSoo sempre tivera uma boca maravilhosa, mas envolta do seu membro, era uma coisa absurda.

— P-Para Soo… — O Park pediu ainda em meio a um gemido, puxando os fios negros do namorado sem muita força. Não queria gozar, pelo menos, não naquele momento.

Ainda que não fosse algo que o Do quisesse de fato, acabou fazendo o que o namorado pediu, largando o membro em um sonoro “pop”, erguendo o rosto para roubar um beijo do maior.

Quando se afastaram, o mais baixo esboçou um meio sorriso confiante, deixando mais um selinho, antes de deitar na cama. Ambos haviam decidido em conversas anteriores que a primeira vez do Park seria como ativo ainda que aquilo fosse uma preferência do mais novo.

KyungSoo flexionou os joelhos, ficando um tanto exposto enquanto um Chanyeol trêmulo pegava o lubrificante no criado mudo. Lambuzou os dedos e olhou para o outro que assentiu minimamente com a cabeça, como se desse autorização para aquilo.

O Park tocou na entradinha enrugada com o dedo comprido, fazendo o Do tremer minimamente pela temperatura gélida do líquido viscoso — Devagar, Chan… Um dedo de cada vez, uh? — Instruiu enquanto Chanyeol assentia com a cabeça, os cachinhos balançando no processo.

Chanyeol forçou o indicador, mas nada com muita força porque não queria machucar seu Soo, colocando pouco a pouco sentindo o membro pulsar dolorosamente ao ouvir os gemidos baixinho que o namorado deixava escapar. Quando conseguiu invadir o interior apertado completamente, tornou a tirar o dedo para penetrar mais uma vez - assim como fazia consigo algumas vezes - aumentando a velocidade a medida que o próprio namorado pedia por mais.

— Mais um, Chany… — KyungSoo praticamente ordenou e Chanyeol não tardou a fazer, juntando o médio com o indicador. Tinha total consciência que aquilo não tornaria a penetração tão mais fácil assim e muito menos alargaria o outro, só queria tornar menos dolorosa.

Por isso, aumentou o ritmo de suas investidas, curvando um tantinho os dedos até ver o Soo arquear as costas e gemer mais arrastado. Havia achado! Passou a investir naquele ponto, o baixo ventre formigando quase em desespero apenas pelos barulhinhos gostoso que o namorado soltava.

— Chega, Chan! Quero você dentro de mim, amor — KyungSoo ditou em meio a um suspiro, acabando por soltar mais uma gemido quando os dígitos saíram de dentro de si.

Um Chanyeol trêmulo, agora de tesão, tentava abrir o pacote de camisinha - se enrolando um pouquinho no processo - mas conseguindo tirar o látex e cobrir o próprio membro, a ansiedade gritando pelos seus poros.

Deitou por cima do namorado, que sorriu minimamente fazendo um carinho sobre os cachinhos como se dissesse para ele não se preocupar, e com levou a destra ao falo rijo para por fim, finalmente penetrar o Do. Fez como havia feito com os dígitos, começou devagar invadindo conforme os músculos permitiam até estar completamente dentro do interior apertado.

Aquela era de longe uma das sensações mais prazerosas que o Park poderia ter sentido. A forma como as paredes internas se contraiam contra seu pênis era enlouquecedor. E talvez fora por isso que quando dera a primeira investida o próprio corpo não soube lidar fazendo com que o Park simplesmente gozasse.

    

    Demorou um pouquinho de tempo para que KyungSoo entedesse o que estava acontecendo. Quando abriu os olhos ao sentir o tremor do corpo alheio contra o seu e o gemido arrastado do namorado entendeu o que houve. Até chegou a abrir a boca pra dizer algo, mas de uma forma até rápida, tínhamos um Park no cantinho da cama, todo choroso com as mãos grande sobre o rosto.

KyungSoo pensou que seria trágico, se não fosse cômico. Engatinhou sobre a cama e sentou por trás do corpo esbelto do outro, abraçando-lhe por trás e deixando pequenos beijos sobre as costas, ainda com o membro duro no meio das pernas.

— D-Desculpa Soo… Eu devia ter te ouvido. Eu não… Eu… Eu achei que conseguia. Eu… Eu estraguei tudo — Murmurava em meio a choramingos, fazendo o Do deixando um suave beijo em sua nuca e virar o seu rosto.

— Está tudo bem, meu amor. Conversamos sobre isso, uh? Que você iria aprender e que estava tudo bem se não saísse tudo bem de primeira.

— Eu tenho ejaculação precoce, Soo! Sou uma droga de namorado — Ditou manhoso e o Do acabou rindo.

— Você estava ansioso demais, nervoso demais. Isso não significa que você tenha ejaculação precoce porque isso aconteceu nesse momento. E mesmo se tiver, existem exercícios e mil outras coisas pra melhorar isso. Não te quero triste. Você foi bem, meu amor.

— Fui tão bem que ainda consigo sentir seu pau duro atrás de mim — Bufou enquanto o menor revirava os olhos.

— Sim, ainda estou duro. Porque morro de tesão do meu namorado e não vejo nenhum problema em um erro bobo desses acontecer. Tira essa carinha triste do rosto, uh? Já que você percebeu meu maravilhoso pau duro em suas costas, por que não me ajuda a resolver?

— Eu não consigo fazer isso, Soo! — Resmungou levemente chateado.

— E não vai fazer isso. Gosto tanto da sua boquinha, Chan. Gosto tanto quando você engasga e engole direitinho toda minha porra… Não fica triste, meu bem. Você continua me fazendo gozar de maneiras deliciosas. Até te lanço um desafio de usar essa linguinha pra tentar me fazer gozar mais rápido do que você!

Chanyeol fitou o namorado que ostentava um sorriso calmo e acabou sorriso enquanto assentia com a cabeça.

Tudo bem. Havia sim, gozado antes da hora. E talvez aquilo fosse uma condição sua ou realmente ansiedade. Mas ainda tinha o melhor namorado do mundo! E levava desafios muito a sério. Iria fazer o Soo gozar bem rapidinho.


Spoiler: Não conseguiu. Mas tentou várias e várias vezes. E foi delicioso em todas elas.


Notas Finais


Acho que to viciando nisso de drabble por ser tão rapidinho aaaaaaa
Até a próxima então!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...