1. Spirit Fanfics >
  2. Preconceito >
  3. Cap 17

História Preconceito - Capítulo 17


Escrita por:


Capítulo 17 - Cap 17


Rin começou  então  a trabalhar na mansão  de Sesshoumaru como faxineira.

Cada cômodo  daquela casa era enorme e tinha muitos móveis  para lustrar a tirar a poeira. E como um general comanda  um exército, Sara comandava aquela mansão ordenando e desordenando. 

Ela acabou demitindo kaede quando notou os constantes olhares cheios de sentimentos  que Sesshoumaru lançava  para Rin. Ela concluiu que ainda havia amor pela jovem naquele coração  frio. Sara só  não entendia como era possivel depois de tanto tempo Sesshoumaru ter sentimentos por Rin.

Ela então, notando tal atitude, decidiu ficar no lugar de kaede para a infelicidade de Rin.

Agora a infeliz jovem tinha que tolera-la  e no momento estava limpando um canto da imensa sala de estar quando de repente Sara entra. O barulho de seu salto alto podia ser ouvido à  metros de distância.

Rin estava vestindo o uniforme de faxineira padrão  da mansão  e um pano na cabeça que não  fazia parte do uniforme. Sara fez questão  que ela utilizasse aquele pano, porque quanto mais feia  ficasse, melhor seria.

_ que sala imunda de suja é  essa?

A futura senhora Taishou diz olhando para o piso, que havia acabado de ser encerado, estava brilhando de limpo.

_ bom, pelo que eu vejo você  perdeu o jeito para faxina, sua tiririca...

Ela termina se referindo à  época em que Rin trabalhava na limpeza do colégio  onde estudavam.

_ Sara, por favor, não  me perturbe, eu preciso trabalhar...

Rin responde de costas tirando a poeira do armário nem ligando para o chilique de Sara, já  havia se acostumado. Sara era a  rainha dos chiliques.

_ tiririca, quantas vezes eu tenho que falar para se referir a mim como senhorita...alias como senhora Taishou, meu casamento com o Sesshoumaru  já  é  daqui dois meses...

Naquele instante, Rin sente uma pontada no peito, ainda não  conseguia ignorar nada do que se referia à  Sesshoumaru,  mas não  deixa transparecer sua infelicidade.

_ bom, se o seu casamento é  daqui à  dois meses, você  não  acha que deveria estar cuidando dos preparativos da cerimônia  ao em vez de ficar aqui me enchendo o saco?...

_ ai, você  está  cada vez mais petulante sua empregadinha de meia tigela...

Ela diz se aproximando de Rin, depois pega o abanador que ela limpava a sujeira do armário  e quebra o cabo de madeira.

_ é  isso que eu tenho vontade de fazer com você, sua....sua tiririca vadia...

Rin percebe que ela estava tendo um ataque de nervos, o que também  já  era comum.

_  se acalme, o stress pode fazer mal para a saúde....

A jovem diz sorrindo e irônica. Sara fica bufando se raiva, porém  a conversa das duas é  interrompida por Sesshoumaru que também  entra na sala, mas pela porta de entrada. Estava acabando de voltar do banco.

_ amor...- sara corre para o beijar-... olha só  o que a Rin fez....

Ela diz mostrando o dois pedaços do cabo de madeira do abanador quebrado.

_ O que? Você  fez isso Rin?

Sesshoumaru pergunta ainda com um de seus braços  enlaçando a cintura de Sara.

_ fez sim meu amor, ela disse que estava com muita raiva de mim porque eu vou me casar com você...

_ ah Sara, como você  é  lamentável. Faz de tudo para o Sesshoumaru brigar comigo, mas você  não  precisa ter esse trabalho, ele já  é  estupido comigo sem ter nenhuma razão...

Ele solta a cintura de Sara e se aproxima de Rin.

_ olha o jeito como fala com os seus patrões, você  não  passa de uma simples empregadinha....

_ Sesshoumaru, você  está  me cansando. Até  quando continuaremos  brigando como cão  e gato? Por favor, devolve tudo o que você  roubou meu e da minha mãe  e eu te garanto que você  e essa sua noivinha patética nunca mais irão  ver a minha cara...

_ É  uma boa ideia amor...

Sara diz se aproximando deles.

_ eu preciso ter uma séria  conversa com você  Rin, uma séria  conversa...

Ele diz, pega no braço  dela e a arrasta para seu escritório.

Quando chegam, Sesshoumaru a solta e fecha a porta.

_  eu é  que estou cansado de ser desrespeitado  na minha própria  casa. Rin, da próxima  vez que você  sugerir que eu roubei seu dinheiro, eu...

_ você  vai fazer o que?- ela coloca  as duas mãos  na cintura- vai me bater ? Porque só  falta você  fazer isso, já  me tirou tudo o que tinha de bom, até  a minha dignidade, e eu não  digo isto por ter que trabalhar de faxineira, porque é  um trabalho  honesto e honrado, mas por estar constantemente sendo agredida em meu psicológico por você  e pela Sara.

_ eu não  vou bater em você, eu não  vou sujar as minhas mãos. No passado, eu tive motivos o suficiente para fazer tal coisa, mas não  fiz...

_ Não  tente parecer menos canalha Sesshoumaru,  uma palavra pode doer muito mais do que um tapa na cara e você  já  me disse palavras ofensivas o suficiente para me fazer odia-lo da mesma forma que eu o odiaria se você  tivesse erguido a sua mão  para mim.

_ deixe-me raciocinar- ele foi se aproximando dela enquanto falava- então  você  mente para mim no passado  dizendo que era uma moça  direita, me faz gostar de você, me faz querer casar com você, me faz querer construir uma vida ao seu lado para no fim eu descobrir que você tinha uma vida dupla. Quando estava perto de mim era a mocinha ingênua  que me amava, mas a noite era a mais devassa das mulheres, que vendia o corpo por causa de dinheiro e vai saber se não  dizia o mesmo que dizia a mim para outro homem, e agora eu é  que sou o canalha?- ele fica frente a frente com Rin.

_ Eu não  estou entendendo o que você  está  querendo dizer...

_ então  vai negar que vendia o seu corpo...vai negar que era uma prostituta que tentou me enganar se fazendo de santa?

_ prostituta? Oh céus, de onde você  tirou isso?

_ Não  minta mais para mim. O irmão  de Sara me contou tudo, de sua vida noturna, de tudo o que você  fazia  a noite. Até  a sua mãe, aquela faxineira, a acusou de prostituição.

_ você  está  querendo se referir ao bankotsu? Aquele irmão  mau caráter  de Sara?

_ sim, ele mesmo, o homem com quem você  dormiu várias  vezes...

Depois do incidente ocorrido na igreja, sesshoumaru procurou bankotsu  para esclarecer mais as coisas ainda com a esperança  de ouvir que Rin era inocente, mas quando ele se encontrou novamente com o rapaz, bankotsu acrescentou mais um monte de mentiras contra Rin. 

Sesshoumaru tambem procurou kikyou e kagura, que na epoca eram a familia de Rin, e elas também  contaram mais mentiras, inclusive kagura confirmou para ele que Rin realmente pretendia engana-lo.

O rapaz saiu da antiga casa da jovem totalmente transtornado e decepcionado.

_ eu nunca passei sequer uma noite com o bankotsu.... 

Ela ainda tenta se defender, mas o ciume de Sesshoumaru fala mais alto.

_ ah não? Vai negar, vai negar que dormiu com ele enquanto eu estava lá  no hospital entre a vida e a morte?

Naquele instante, ele olha fundo nos olhos de Rin tentando buscar uma resposta. Mas ela desvia o olhar para o lado, porque pode até  não  ter passado a noite com bankotsu, mas havia se entregado a ele por conta do dinheiro para salvar a vida de Sesshoumaru.

_ Eu sabia...

Ele diz.

_ seu silêncio  já  fala por você....como eu fui idiota mesmo em acreditar...

Ele dá  meia volta e se aproxima da janela atrás  de sua mesa, depois diante do vidro da janela, coloca as duas mãos  no bolso. Estava nervoso.

_ você  é  sem duvida Rin....Até  hoje....a maior decepção  que eu tive em minha vida...

O branco de seus olhos estavam ficando ruborizados. Ele fecha as pálpebras  para evitar as lágrimas. Rin fica em silêncio. O que mais ela poderia dizer se realmente era verdade que havia se entregado a bankotsu. Porém  ela pensava que Sessshoumaru sabia a verdade por trás  do motivo que a fez fazer tal coisa degradante.

Será  que ele não  via aquilo como uma prova de amor? Muitos homens entenderiam o  sacrifício  que Rin fez como um ato de amor, mas Sesshoumaru não. Ele era orgulhoso demais para aceitar o que ela havia feito por ele, pensa a jovem  ainda dentro do escritório.

Seus olhos também  são  banhados por lágrimas, porque ali ela percebeu que nunca poderia se entender com Sesshoumaru. O orgulho demasiado do rapaz sempre a poria para fora da vida dele assim que as lembranças do passado viesse a tona, então  se era assim,  melhor era Rin nem tentar entrar.

Ela se virou para ir embora, não  haviam mais palavras a serem ditas um para o outro, no entanto quando pegou na maçaneta para abrir a porta, sesshoumaru lhe chama o nome.

_ Rin......

Ela pausa o movimento de abrir a porta.

_você  foi a primeira mulher que eu amei e continua sendo a única...vou me casar com Sara, mas eu  ainda te amo .....apesar de tudo...

Ela ergue a cabeça  e arregala os olhos, tais palavras vieram como um choque em todos os seus sentidos.

A vontade que tinha era de soltar aquela maçaneta  e correr na direção  de Sesshoumaru e abraça-lo, mas abraça-lo tão  forte de forma a transpassar todo o amor que sentia por ele naquele único  abraço. Mas se ela fizesse isso, o que aconteceria  depois? Se Rin se deixasse ser vencida por seus sentimentos naquele instante, quais seriam as consequências?

Ela respirou fundo, sua mão  tremeu sobre a maçaneta, ela queria abri-la para ir embora,  mas não  conseguia, seu corpo não  lhe obedecia em nada. 

De repente, ela toma coragem e se vira para Sesshoumaru. Estava com a intenção  de correr até  ele e o abraçar tal como pensou minutos atrás, porém  ela não  precisou se dar o trabalho  de correr até  o rapaz,  pois no momento em que se virou, ele já  estava a sua espera muito proximo.

Rin se virou e imediatamente seus olhos se cruzaram com os ambares de Sesshoumaru. 

Naquele instante, de fato não  havia mais nenhuma palavra para ser dita, tudo o que queriam dizer um para o outro foi traspassado para o beijo que deram depois. 

Sesshoumaru a pegou pela cintura e lhe beijou apaixonadamente  de tal forma que lhe fez perder o fôlego. Porém, depois ele a soltou.

_Quando você  estiver sozinha, carente, sentindo falta de alguem para ampara-la, para toca-la, para beija-la, lembre-se do meu beijo, lembre-se que um dia eu amei você como nenhum homem será  capaz de amar. Ainda que muitos homens passem por sua vida, guarde-me em suas lembranças, porque lembrança  é  a única coisa  que você  terá  de mim daqui em diante. Adeus Rin, adeus para sempre....

Ele diz isso, pega na maçaneta que estava atrás dela fazendo  seus rostos ficam novamente próximos, Rin fecha os olhos pensando que iria ser beijada outra vez, ele até  intenta beija-la novamente, mas pensa  que seria perda de tempo, porque Rin não  passava de perda de tempo. Sesshoumaru então  desvia a face para frente, abre a porta e sai do escritório, deixando a jovem debulhando-se em lágrimas lá  dentro. 

Ela coloca as duas mãos  no rosto para tentar conter um pouco as lágrimas, mas não  faz muito efeito, porque logo suas lágrimas  começam  a passar por entre seus dedos.

Rin estava chorando tanto porque sentiu que aquele momento que teve com Sesshoumaru de fato foi definitivo. 

Ela se aproximou da mesa do escritório, pegou o telefone e o tirou do gancho, colocou em uma de suas orelhas e discou para seu banco na capital. Logo teve a notícia  que ela mais temia: todo seu dinheiro estava novamente em sua conta e na conta conjunta que tinha com sua mãe. Sesshoumaru havia lhe devolvido tudo, absolutamente tudo. Agora ela estava livre para ir embora, Não  somente do escritório, mas da mansão, da vida de Sesshoumaru e do coração  dele.

Aquele beijo foi um adeus. Ele arquitetou todo aquele plano para colocá-la definitivamente para fora de seu coração  e quando viu que já  estava apto para tal ato, ofereceu-lhe o ultimo beijo.

Todos aqueles anos ele viveu  se lembrando de Rin, que embora longe, ainda fazia parte da vida dele e ele não  conseguia prosseguir em frente. Ela estava viva, muito viva dentro de si.

Para Sesshoumaru, ele precisou se desintoxicar do amor que sentia por rin para poder viver sua vida. E ali, quando lhe negou o beijo um pouco antes de abrir a porta e sair, constatou que de fato havia conseguido.


Notas Finais


Ola pessoal, td bem, mais um cap para vcs, espero que gostem, muito obg por lerem
Obs: fico muito feliz pelos comentários. Amo ler a opinião de vcs, vou responder todo hoje a tarde, muito obg, bjss 😘😘😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...