1. Spirit Fanfics >
  2. Predestinadas - Clexa >
  3. Ela disse sim

História Predestinadas - Clexa - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura !!! Quero terminar essa história essa semana, vamos ver se consigo =)

Nesse cap um almoço com a família tradicional 🤣😶 sqn

Capítulo 31 - Ela disse sim


Fanfic / Fanfiction Predestinadas - Clexa - Capítulo 31 - Ela disse sim

Pov Clarke


Dizer que eu estava nervosa nesse momento seria eufemismo. Minhas mãos estão suando e sinto um leve tremor em meus lábios. Lexa fica me olhando quando levanto da mesa que todos acabaram de almoçar e uma conversa animada estava engatada.

Essa semana enquanto combinamos o almoço com os pais de Lexa e minha mãe, tomei uma decisão e aquela lembrança de outra vida que tivemos só me fez ter mais certeza ainda que sempre será ela. Em qualquer vida , de qualquer modo.

Não resta duvidas que quero estar ao seu lado para sempre. Então pensando desse modo arrastei Raven para ir comigo escolher um lindo anel de noivado. Ela surtou quando contei o que ia fazer e a fiz jurar não contar nada a Octavia.

Conheci Indra e Augustus e eles são tão amáveis, foi impossível não sorrir a todo momento com as palhaçadas do mais velho e quando Indra fingiu estar indignada por Lexa não ter apresentado a namorada antes foi hilário.

Minha mãe estava mais reservada, mas logo se soltou e amou Lexa. Também quem não amaria.

A parte mais cômica e que quase levou duas pessoas a óbito, foi quando decidimos contar toda a historia de Xavier... que Lexa era sua filha e logo em seguida sobre nossos poderes.

A primeira pergunta após um longo silêncio  além de olhares assustados foi de Indra, nunca vou esquecer esse momento:

“Por acaso vocês estão usando algum tipo de droga?”.  Lexa revirou os olhos para a pergunta da mãe.

Mãe, por favor é tudo verdade, não brincaríamos com algo assim” . Tentou convencer a todos, mas pelos olhares ninguém acreditada.

Foi então que Raven teve a grande ideia do dia.

“Eu posso afirmar uma parte disso tudo mostrando quem eu sou”. Após minha amiga falar tentei impedi-la gritando não Raven, mas foi em vão.

Em milésimos de segundos ela já estava ao lado de Octavia, seus dentes pontiagudos já estavam à mostra. Indra quase caiu da cadeira e minha mãe soltou um grito assustada. Raven levou suas presas ao pescoço de Octavia e deu-lhe uma bela mordida, para nossa surpresa a morena deixou um gemido abafado sair de sua boca e Lexa quis assim como eu matar Rae.

Finalmente após alguns minutos ela se afastou do pescoço da outra e filetes de sangue estavam em seus lábios que foram limpos pela sua língua. Nem preciso falar minha mãe desmaiou. Sim Abby não aguentou toda aquela cena.

Enquanto ajudava minha mãe a voltar a consciência Lexa continuou explicando para os pais que já estavam mais calmos como aquilo aconteceu e disse que Raven não ia atacar nenhum deles. Confesso que soltei uma risadinha contida com isso.

Mas voltando ao momento atual após tudo isso, conseguimos terminar a refeição e a sobremesa. Estávamos na casa de praia que tanto me remetem lembranças maravilhosas – dos cômodos, da piscina, de como nos amamos ali – chegou a hora.

Levantei da mesa com Lexa me fitando, tomei uma respiração profunda e comecei a proferir tudo que eu queria.

— Estou muito feliz de conhecer os pais da minha namorada e saber que já posso me sentir tão assim da família me deixa mais completa — Falei olhando nos olhos de cada um ali e me foquei nos olhos verdes que tanto amava — Alexandra Woods você me completa de várias  maneiras, com você conheci o que é amar e me sentir realmente viva.

Apalpei meu bolso esquerdo da calça retirando de lá uma pequena caixinha preta.

— Apesar de nos conhecermos a poucos meses, nossa historia vai muito além dessa vida e eu não tenho duvidas que você é minha pessoa — Me ajoelhei e Lexa levou as mãos a boca com a surpresa — Woods aceita viver pra sempre ao meu lado?

Abri a caixa e de lá retirei um fino anel de ouro branco com detalhe de uma pedrinha de safira azul turquesa. Lexa tinha algumas lágrimas escorrendo pelo seu rosto e eu aguardava ansiosamente sua resposta.

— Oh meu Deus Clarke — Lexa falou com a voz embargada — Claro que eu aceito! Mil vezes sim.

Não esperei por mais nada e coloquei o anel em seu dedo anelar da mão esquerda e a beijei como se estivéssemos sozinhas. Senti seu rosto molhado e quente em minha pele foi indescritível, e quando nossas línguas se tocaram uma chama percorreu em meu corpo.

Apertei sua cintura e em resposta ela mordeu com afinco meu lábio inferior. Quase acabo levando minhas mãos para seu monte cheio que tanto amo se não fosse por um pigarrear de vozes bem próximas a nós.

— Podemos felicitar as noivas — Augustos perguntou em um tom brincalhão, fiquei vermelha por ter me animado desse jeito.

— Filha não sou obrigada a passar mal duas vezes, isso é muita emoção pra algumas horas — Mamãe entrou na brincadeira.

Ficamos horas e horas conversando e comemorando nosso noivado. É como se a felicidade estivesse emanando de nossos poros e pelos brilhos dos olhos de Lexa nós somos infinito nesse momento.

∞ ∞ ∞ ∞

No apartamento as duas se preparavam para dormir. Ou melhor não dormir era o plano. Clarke estava distraída na cama com seu celular em mãos pesquisando sobre algumas coisas da faculdade, quando escutou Lexa fechar o chuveiro e após minutos abrir a porta.

Seja o que for que ela estivesse vendo naquele momento perdeu o foco total quando viu Lexa usando um conjunto de Lingerie vermelho. Combinava perfeitamente com seu corpo e realçava ainda mais suas belas curvas. No canto dos lábios ela tinha um sorrisinho irônico ao ver Clarke atônica na cama. Os cabelos estavam molhados pós banho e um pouco desgrenhados algo que a loira assemelhou-se a perfeição.

— Tudo bem Griffin você parece meio aérea? — Lexa sorriu se aproximando sorrateiramente da cama.

— Hã ? — A loira perguntou confusa. O único sentido que estava presente era sua visão, audição o que era isso mesmo? Perguntou-se.

Ah e que visão, quando Lexa resolveu provoca-la e sentar em uma de suas coxas, separando consequentemente suas pernas e indo de encontro ao seu rosto, mas sem beija-la. Resolveu atiçar um pouco e contornou a alguns centímetros da face da loira seus próprios lábios umedecendo-os . Em seguida falou ao pé do ouvido.

— Perguntei se está tudo bem Griffin — Sussurrou de forma sedutora.

Clarke não aguentou e fez algo que queria desde quando começou aquele beijo na casa de praia. Apertou com gosto a cintura de Lexa e fez o mesmo com seu bumbum.

Lexa rebolou de leve sentindo sua umidade aumentar e transpassar aquele fino tecido molhando a coxa de sua namorada.

— Eu estou mais que bem, mas você pode tirar minha roupa se quiser melhorar.

Clarke finalmente reencontrou sua voz e devolveu de forma sexy e provocante a resposta para Lexa. Que grunhiu ficando mais excitada ainda.

— É pra já noiva — Disse rindo.

Apesar do estado lamentável das duas Lexa fez tudo com calma sem desviar dos olhos azuis. Retirou primeiro a parte de cima, deparando-se com os seios avantajados e enrijecidos da loira. Deu um beijinho rápido em cada um e Clarke sorriu com aquela demonstração de carinho. Não tardou e fez o mesmo com seu shorts e infelizmente tinha outra vestimenta por baixo.

Essa Lexa não tirou e Clarke franziu o cenho pela sua demora. Ela mesma ia tirar se não fosse interrompida pela morena.

— Tsc tsc tsc ainda não amor — Gesticulou em sinal negativo com o dedo para a loira.

Tomou-lhe os lábios em uma forma de beijar volúpia que levava rápido demais a loira ao delírio . Ao mesmo tempo em que ela amava quando Lexa ia com calma as vezes ela só queria ser devorada e aplacar a dor latejante  que já estava em suas partes íntimas .

A língua de Lexa tocou o céu de sua boca e explorou cada canto por ali, enrolando-se a sua em um beijo mais afoito. Sentiu a mudança de posição quando a mais velha migrou para se acomodar em seu quadril e movimentando buscando um prazer maior.

Praguejou por ainda estarem de calcinha e Lexa ainda com seus seios médios cobertos por aquela peça que ela amou e agora odiou. A morena cessou o beijo com uma mordida um pouco dura e foi distribuindo beijos em seu pescoço , busto , barriga e finalmente – para a sanidade de Clarke – retirou a calcinha com os dentes, sem desviar os olhares. Sim aquilo deixou a loira escorrendo mais ainda se possível.

— Ah Woo-ds — Gemeu quando Lexa tocou em seu clitóris fazendo movimentos circulares com a ponta da língua e começou a rebolar instintivamente.

O movimento de seu corpo já não era tão exclusivamente seu. Ele correspondia por Lexa uns 99% agora. E a morena só tinha um objetivo : Levar Clarke a melhor noite de suas vidas.

Ou que seja nessa noite e madrugada , por que cada vez que elas se entregassem ela queria fazer da melhor maneira, demonstrando tudo que sente por aquela mulher.

Com essa missão continuou com beijos, lambidas, chupando, deliciando-se ... Até sentir Clarke cada vez mais entregue. O estopim veio forte quando Lexa a penetrou com dois dedos que estraram facilmente pela maneira que a loira já estava encharcada, facilitando as estocadas que vieram de forma forte de rápida.

Clarke murmurava algumas coisas indecifráveis quando arqueou as costas e com um grito que deve ter sido ouvido pelos vizinhos, chegou ao clímax. Tremula e se recuperando, Lexa saiu do local quente que apertava seus dedos, recolhendo todo seu gozo, molhando o queixo com aquela intensidade.

Aninhou-se ao lado da loira que estava virada de barriga pra cima com a respiração se normalizando. Lexa levou uma mão ao seio direito fazendo uma massagem e sentindo o quanto a loira ainda estava sensível abrindo e mordendo os lábios, soltando gemidos baixinhos.

— Nunca fiquei tão relaxada após um orgasmo sabia — Clarke disse soltando uma risada gostosa acompanhada de Lexa.

— Fico muito feliz em saber, eu te amo ! — Clarke virou-se deitando também de lado e ficando de frente para a morena.

Naquela troca de olhares nada mais era preciso ser dito. Tudo estava no momento certo, tudo estava alinhado como deveria ser. O azul em tom mais escuro se fundindo com o verde também reluzente.


Pov Lexa


Feliz e completa, é assim que ela me deixa é assim desde o dia que nos beijamos, desde o dia que eu disse que a amava e vai ser sempre assim. Não sei quando vamos nos casar, mas isso não importa tendo ela ao meu lado tudo será sempre perfeito.

O modo como ela me olha e me toca agora com ternura diz tudo que sente por mim, mesmo sem palavras. Aquilo não era necessário.

Tudo em nós são gestos, beijos molhados e necessitados, toques, carinhos urgentes e gentis, gemidos e êxtase.

Sinto sua língua explorando meu ponto de pulso e sinto que posso falecer a qualquer momento com seus toques quentes explorando a lateral do meu corpo. Eu a deixo me dominar, mas quem liga eu já estou rendida por ela a muito tempo. Eu quero isso tanto quanto ela. Eu quero um nós para sempre.

Agora são suas mordidas e chupadas em meu seio esquerdo que me levam a outro patamar, não seguro nenhum som que saem estridente e sufocante da minha boca, meu lábio sendo maltratado pelos meus dentes, sinto o filete de sangue em minha língua tamanha é minha excitação.

Eu quero implorar para ela acelerar e me tocar onde mais preciso, porém gosto desse nosso jeito, temos a noite inteira para isso. Graças aos Deus ela percebe como puxo seu cabelo para intensificar aquilo e ela troca de seio dando toda a atenção para o outro, repetindo os gestos, rodeando minha auréola  entre seus dedos no direito e tocando firme, massageando, meu corpo correspondendo se contorcendo na cama.

Ela desce sua mão esquerda sem abandonar seus lábios em meu mamilo e passa por toda a extensão da minha boceta. Meu Deus me segurei pra não gozar só com seu toque certeiro em meu clitóris. Continuou por mais algum tempo naquela região, até entrar por completo em mim. Suspirei ou melhor gritei pelo prazer repentino.

— Clarkee ... — Senti ela sorrindo beijando minha barriga e arrastando a língua pelo local.

Dois de seus dedos trabalhavam em meu canal com um vai e vem incrivelmente rápido , senti meu corpo tremer, a sensação tomando conta de todo meu ser, explodi por completo quando senti sua língua se juntar ao meu ponto de prazer rijo.

Não sei por quanto tempo fiquei me contorcendo, mas senti Clarke saindo de dentro de mim aos poucos e suspiramos juntas. Finalmente abri meus olhos respirando paulatinamente e vi seu rosto com boa parte do meu gozo em seus lábios , queixo. Uau esse foi forte.

Vi ela sorrindo, pelo jeito meus pensamentos não foram só meus agora.

— Eu também acho que esse foi bem forte — Falou sorrindo e se aproximou mais.

Me beijando em seguida, segurei forte em seus cabelos e nuca sentindo meu gosto agridoce em seus lábios misturados com seu gosto natural. Perfeita.

— Eu te amo tanto Woods, meu coração vai explodir tamanha felicidade.

Sorri igual boba.

— Vamos explodir juntas então porque não consigo imaginar minha felicidade sem você.

Ficamos mais um tempo ali, somente trocando caricias e beijos. Tomamos outro banho esse na banheira para relaxar e depois caímos em um sono profundo.

Pela manha preparei um café rápido e levei para Clarke na cama mesmo. Queria mima-la da melhor maneira, faz alguns dias que pensei em ter uma conversa sobre os milhares de dólares que temos e sobre o que fazer com ele, mas preciso da opinião dela e consentimento, já que isso é nosso.

— Acorda dorminhoca — Ela remexeu um pouco e murmurou algo — Ei trouxe panquecas e um belo café, vamos amor — Dei alguns beijinhos em seu rosto e pescoço e agora ela se moveu abrindo os olhos , piscando se ajustando ao ambiente.

— Bom dia amor, hummm café na cama , que delícia.

Clarke se ajeitou melhor e ajudei com as coisas. Após ela tomar seu café deixei tudo na mesinha do lado e me juntei a ela , em uma posição melhor na cama.

— Sabe estava pensando sobre o dinheiro, eu quero usar pra algo e quero saber se você aceita tudo isso... — Ela me olhou e assentiu atenta para continuar  — Desde que acabamos com a organização muitos jovens e até  mesmo crianças que tem esses dons , poderes, digamos assim, estão sem lar. Falei com Wolverine e Mística esses dias, eles não sabem onde todos estão vivendo, e muitos não tem familiares . Lembrei do antigo instituto do meu pai , agora em ruinas, e nós temos tanto dinheiro então pensei em usar uma parte para reconstruir tudo aquilo. Reconstruir um lar para essas pessoas, nós podemos ficar um tempo lá ajudando em tudo, ou até  mesmo ter uma casa lá perto não sei e também podemos ...

Parei de falar quando vi Clarke com um sorriso lindo e brando.  Ela me fitava com um misto de alegria , emoção e admiração.

— O que foi? — Perguntei.

— Você... falando assim é tão lindo. Querendo ajudar os outros, não precisa nem perguntar se eu topo. E ainda tenho uma ideia de quem pode nos ajudar pra agilizar tudo isso. Além da sua mãe que vai entrar com a parte da arquitetura, Bonnie tem contatos que podem acelerar a obra em si.

— Mamãe vai amar participar disso, então está decidido nós vamos inaugurar o novo instituto , só temos que pensar em um nome.

— Tenho um nome em mente e creio que vá amar, mas só te falo se me der um beijo e perder mais algumas horas aqui comigo antes daquelas duas invadiram nosso espaço — Clarke falou me provocando, a ela não perde por esperar.

— Perder algumas horas já estavam nos meus planos Griffin — Falei animada enquanto agarrava sua cintura.

(...)


Notas Finais


O próximo já esta em andamento, ateeeee , se cuidem ✌✌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...