História Predestinadas - Capítulo 19


Escrita por: e NoSigiloo

Postado
Categorias Grey's Anatomy
Personagens Addison Montgomery-Shepherd, Arizona Robbins, Calliope "Callie" Torres, Isobel "Izzie" Stevens, Mark Sloan, Meredith Grey
Tags Arizona, Callie, Calliope, Calzona, Drama, Fanfic, Fic, Grey's Anatomy, Lgbt, Romance
Visualizações 107
Palavras 2.751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi mininis, voltei com essa atualização babado pra vocês. Perdoem pela minha demora, tô com uns probleminhas aí, mas sigo firme (ou não).

Espero que gostem do capítulo, boa leitura.

Capítulo 19 - XIX



ARIZONA POINT OF VIEW

Acordo com o som insuportável do despertador ao meu lado, antes de me levantar, sinto alguém passar com o braço por cima de mim e desligá-lo.

Oh, droga! Calliope ainda está aqui e Loren levantará em meia-hora.

Calliope! — Cutuco a mulher que parecia ter voltado a dormir. — Acorda, Loren daqui a pouco se levanta e ela não te pode ver aqui.

Porra! — Callie solta um palavrão ao se lembrar de fato onde estava. — Mas que merda... Meus planos era sair antes das cinco da manhã, você me cansou Ari...

Está reclamando senhorita Torres? — Arqueio as sobrancelhas e olho para ela.

Longe disso meu amor. — Ela sorri preguiçosa. — Queria ficar mais um pouco, porém, tenho que ir e trate de falar com Loren sobre nós, odeio acordar no melhor do sono.

Não se preocupe, falarei no café da manhã. — Informo-a.

Ótimo, me liga depois contando a reação dela. Até mais, baby. — Calliope tinha se arrumado rápido, logo após me rouba um selinho e sai do meu quarto nas pontas dos pés.

Quando percebi, estava com um sorriso bobo nos lábios. Eu havia dormido com calliope, era real tudo isso. Ela tinha voltado pra mim. Não tinha mais Mark e nem nenhuma ex dela nos separando.

Agora sei como as princesas nos contos de fadas se sentem quando conseguem finalmente estar com o amor verdadeiro.

Saio da cama indo em direção ao banheiro fazer minha higiene matinal. Em minutos, volto para o quarto para me arrumar, feito isso desço as escadas me dirigindo até a cozinha e preparando o meu desjejum e o de Loren.

Mãe, bom dia. — Loren me abraça por trás e tenta pegar um bacon da frigideira.

Ei! — Dou um leve tapa na sua mão. — Bom dia pra você também. — Sorrio. — Está melhor?

Sim, o remédio que você me deu é muito bom e além de tudo, me fez dormir pra caramba. — A menina responde ainda se espreguiçando.

Que bom, sendo assim, poderá ir ao colégio hoje. — Falo colocando os ovos com Bacon em seu prato.

É, senti falta. Ficar em casa é muito chato. — Loren faz uma careta engraçada me fazendo rir.

— Coma tudo, ontem você quase não comeu.

— Mãe, eu sou forte, não se preocupe.

Mesmo assim, tem que comer. Vamos, comece. — Loren revira os olhos e morde uma torrada que estava em seu prato.

Pego meu prato e me sirvo também, estava faminta. Sento-me na mesa com Loren e começamos a desenvolver uma conversa.

... E aí a diretora descobriu e as deixou sem intervalo. — Loren me contava das aventuras de suas amigas e no quanto elas tinham se dado mal por isso.

— Que sirva de lição pra você, mocinha.

Relaxa mãe, não vou fazer esses tipos de coisa na escola. — Loren fala como se fosse óbvio.

Filha? — Tento chamar sua atenção para mim.

— Diz mãe.

— Precisamos conversar.

Ai meu deus, o que eu fiz dessa vez? Eu juro que tá tudo bem... Eu não fiz nada demais no colégio... Eu... — Loren começa a falar mas eu a corto.

Calma. — Digo rindo. — Não é sobre você. — Ela respira fundo.

Menos mal, ufa! Essa frase é bastante tensa, dona Robbins. — Ela diz. — Quer conversar sobre o quê?

— Bom, você sabe que eu e seu pai acabamos, certo? E que eu sou livre pra ficar com quem eu quiser?

Sim... E o que isso quer dizer? — Loren me pergunta com os cenhos franzidos.

— Quer dizer que eu estou ficando com outra pessoa, mas é uma história longa.

— Poderia me dizer quem é ele? A senhora sabe que eu não gosto de enrolações.

Aí é que tá, não é "ele" — Loren franze ainda mais os cenhos parecendo estar confusa. — É "ela" — Fecho os olhos esperando o surto da minha filha, mas não ouço nada. Abro os olhos novamente e ela parecia estar dissolvendo a informação que lhe dei.

— Espera... A senhora gosta de mulheres agora? Por que nunca me disse isso?

— Isso não é de agora filha e eu nunca vi uma necessidade para isso. Eu estava com seu pai.

— Mesmo assim... Meu deus, posso saber quem é?

— Sim... Ela é... A calliope.

— A tia callie? Meu deus, mamãe! Eu sabia que vocês tinham uma conexão diferente, mas não pensei que fossem namorar.

A verdade é que já nos envolvemos no colegial, mas aí rolou um desentendimento e isso nos fez separar, porém agora ela tá de volta e... Ainda sentimos a mesma coisa uma pela outra. — Sorrio ao lembrar da noite anterior em que nos amamos até pegarmos no sono.

Tô vendo... Está sorrindo feito boba. — Loren me zoa. — Ela faz você realmente feliz? Mais do que o papai já fez?

— Sim, minha filha. Ela realmente me faz feliz.

Então fico contente que estejam juntas. Eu sempre amei a tia calliope mesmo. Sem problemas, mãe. — Loren sorri e eu me emociono. — A sua felicidade é a minha também.

Oh, meu anjo... — Sinto as lágrimas rolarem por meu rosto. — Você é tão incrível. Tenho orgulho de você, filha.

E eu tenho orgulho de ter a senhora como mãe, te amo muito, dona Arizona Robbins. — Loren fala se levantando e vindo me abraçar.

Eu amo você, magrela. — A abraço de volta.

Realmente a reação da Loren me surpreendeu, pensei que ela teria problemas em aceitar. Mas foi ao contrário e estou tão feliz por isso, tudo estava bem. Finalmente.

Minha filha e eu terminamos o nosso café da manhã, depois levei a pequena mulher no colégio e de lá dirigi até o trabalho. Cheguei no mesmo e Lucy já se encontrava no local.

Bom dia, flor do dia. — Cumprimento minha amiga mostrando meu sorriso deixando minhas covinhas altamente visíveis.

Nossa senhora! Não estou acostumada com essa Arizona ultra feliz pela manhã. — Diz Lucy revirando os olhos. Minha amiga tinha um mau humor inexplicável pela manhã. — a propósito, bom dia.

Deixa de ser uma velha rabugenta, Lucy. — Continuo rindo. — Você está precisando transar. Cadê aquele carinha do bar?

— Qual dos? Aquele neurocirurgião?

Ele mesmo. — Respondo a outra loira.

Oh amiga, aquele cara lá era furada. Descobri depois que ele tinha uma esposa, não curto ménage, você sabe. — Lucy fala em um tom do divertido me fazendo sorrir.

É uma pena. Deveria experimentar. — Comento.

— Você é uma pervertida, ainda não acredito que fez ménage com aquele casal.

Pois não acredite, querida. Mas que foi verdade, foi. — Sorrio — E sem contar que eu estava muito bêbada...

Você é maluca. — Lucy revira os olhos e balança a cabeça em negação. — Nunca que eu irei fazer isso.

Nunca diga nunca. Já ouviu essa frase? — A mulher responde que sim. — Então meu bem, ela é totalmente verdadeira.

— Não seja tola, Arizona. Você me conhece e... Eu não faria uma coisa dessas.

Se eu não te conhecesse tão bem, diria que está tentando convencer a si mesma que nunca faria. — A provoco.

Ah, vai se foder! — Lucy sai detrás do balcão onde se encontrava e anda em direção as escadas. — Vou arrumar os quartos lá em cima, fique aqui sozinha, você está impossível hoje.

Vai lá, covarde. — Sorrio do nervosismo da mulher, aproveito o momento em que o hotel estava sem ninguém por perto e digo: — A propósito querida, fodi ontem e foi... Maravilhoso. – Lucy ouve e sobe as escadas soltando uns xingamentos que nem eu mesma entendo. Caio na gargalhada, era bom demais irritar ela.

[...]

O dia hoje havia se passado rápido, já era nove horas quando eu estava terminando de publicar um anúncio no site oficial do hotel, ouço o celular tocar indicando que havia uma nova mensagem para mim. Droga! Esqueci de ligar para Calliope, sem dúvidas era ela. Resolvo ignorar a mensagem e disco seu número, a morena atende de primeira.

📲 A: Ei amor, desculpe por não ter te ligado mais cedo, acabei me ocupando com umas coisas aqui no hotel

📲 C: Oh, sendo assim... Tudo bem então, mas confesso que fiquei curiosa para saber sobre sua conversa com Loren.

📲A: Ela nos aceitou, até me emocionei, acredita?

📲C: Jura? Que maravilha! E sobre você se emocionar... Era de se esperar, amor, você é uma manteiga derretida.

📲 A: Ah, não sou não.

📲 C: Você sabe que é. Mas... Estou realmente feliz que ela tenha nos aceitado e lidado bem com o assunto, ela não tocou no nome do pai?

📲A: Sim, mas apenas para me perguntar se você me faz mais feliz que ele.

📲 C: E a sua resposta foi...?

📲 A: Não seja tola, Calliope, você sabe a resposta.

📲 C: Sei, mas quero ouvir ela vindo de você.

📲 A: Oh... Sou mais feliz contigo. Satisfeita?

📲C: Ficaria bem mais se caso estivéssemos perto uma da outra para que assim, eu pudesse te beijar.

📲 A: A noite e madrugada de ontem não foi suficiente?

📲C: Você sabe que quando o assunto é uma loira de olhos azuis e que possui covinhas irresistíveis eu fico “insaciável”.

📲 A: Você é inacreditável.

📲C: Sou apenas apaixonada por você. Mas...

📲 A: Mas... O que callie?

📲 C: Nada, só quero saber quando irá contar para sua mãe, você sabe... Não será fácil.

📲 A: Amanhã, não quero esconder mais nada. Quero ficar com você sem impedimentos dessa vez.

📲 C: Ótimo, eu também, irei contigo se quiser.

📲 A: Eu adoraria... Amor?

📲 C: hum?

📲A: Terei que desligar agora, chegou gente aqui. Beijos.

📲 C: Oh, sim... A propósito, fico feliz que tudo esteja dando certo. Eu amo você e até amanhã.

📲A: Também amo você, até amanhã.

Eu e minha namorada nos despedimos e logo eu dou atenção a um grupo de amigos que acabaram de chegar ao hotel. Eles fazem o check - in e eu os dispenso pedindo pra Lucy acompanhá-los até os seus devidos quartos. Lucy e eu havíamos largado e no nosso lugar agora estava Samantha e Virgínia; eu as escolhi para ficar depois do meu turno e o de Lucy. Logo depois de dar as instruções, me retiro do local junto com minha amiga e no estacionamento nos despedimos, seguindo assim, cada uma para sua casa.

Levei menos do que meia hora para chegar ao meu lar, pelo horário, Loren já estava dormindo. Vou até o quarto da menina como de costume e deposito um beijo em sua testa e sussurro que a amo, após ter feito isso, vou para o meu quarto, tiro a roupa e entro no banheiro, realmente eu precisava de um banho quente para relaxar. Depois do banho, deito-me na cama e antes de dormir dou boa noite a calliope, conversamos por alguns minutos e nos despedimos. Era estranho, mas eu sentia que necessitava falar com ela pra dormir realmente bem. O amor tem dessas, não é?

Noite do dia seguinte...

O dia hoje foi mais corrido do que o previsto, o hotel está ganhando uma certa “visibilidade” e isso tem deixado as coisas mais intensas. Estou tão feliz por está fazendo isso dá certo, meu pai com certeza estaria orgulhoso de mim, sempre foi o meu sonho ter meu próprio hotel e agora estou aqui. É emocionante.

Olho á hora no meu relógio preso no pulso e vejo que já são 20hrs, havia marcado de ir para um jantar na casa da minha mãe junto com Loren e Callie, seria hoje que iríamos contar sobre nós. Finalmente. Eu estava nervosa e ansiosa, torcia para que a reação da minha mãe não fosse ruim, afinal, ninguém torce por isso, correto?

Sou tirada dos meus pensamentos quando ouço meu celular tocar, isso indica que minha namorada já estava em frente ao hotel, me despeço de Lucy e me desloco até onde a latina me aguardava.

Ei amor, demorei? – Pergunto assim que entro no seu carro.

Não, não. Foi até rápida. – Ela sorri e me rouba um selinho. – Está nervosa?

Eu mentiria se dissesse que não, sinto que a qualquer momento irei vomitar. – Falo gesticulando e calliope faz uma cara de nojo ao ouvir a palavra “vomito”.

Entendo o seu nervosismo, mas, por favor, vomite fora do carro. Odiaria ter que limpar seu vomito e ainda mais no meu carro novinho... – Ela brinca.

Não se preocupe, não sujarei seu carrinho novo, meu amor. – Enfatizo as últimas palavras e reviro os olhos ao ouvir a risada da mulher ao lado.

Loren já está lá, sim? – Calliope pergunta.

Aham, ela pegou um ônibus e foi direto pra lá. – A respondi.

A morena assentiu e ligou o carro dirigindo-o até a casa da minha mãe, sua sogra. O caminho foi tranqüilo, não havia transito a essa hora da noite e eu agradecia mentalmente por isso, odiaria ter que esperar mais ainda. Em poucos minutos chegamos ao local desejado.

Mãe! Tia callie! – Loren abre a porta depois de duas batidas minhas e nos abraça. Era bom saber que depois de tudo que eu contei... Ela continuava a mesma.

Oi Lô. – Calliope a abraçava de volta. A morena chamava a Loren de “Lô”, calliope tinha mania de diminuir os nomes das pessoas.

Oi filha! – A abracei logo após que a mesma havia se soltado da minha namorada.

Venha, a vovó está arrumando a mesa. – Loren puxa nossas mãos até a sala de jantar.

Arizona... Calliope... Chegaram na hora certa. – Minha mãe sorri para nós. – Estou terminando de arrumar a mesa para o jantar.

Boa noite, dona Rossie. – Callie cumprimenta a mulher mais velha.

Boa noite, querida. – Mamãe a cumprimenta de volta.

Quer ajuda mãe? – Me aproximo dela.

Oh, sim... Pegue os pratos que eu pegarei a travessa. – Eu e a mulher vamos até a cozinha enquanto calliope e Loren se sentam nas cadeiras ao redor da mesa.

Voltamos. – Digo assim que surgimos com os pratos e a travessa.

Ótimo, agora podemos comer, estou faminta. – Diz Loren com um semblante dramático.

Diga-me alguma novidade... - Digo cantarolando enquanto ponho um pouco da lasanha em seu prato.

Nos servimos e começamos a comer, surgiu uma conversa bem descontraída entre todas ali e eu não conseguia doar 100% da minha atenção porque meus pensamentos estavam no futuro ou seja, nos minutos seguintes quando eu contar a minha mãe sobre a novidade que nem é tão nova assim. Me sentia como uma adolescente novamente. Houve um momento em que achei que fosse perfeito para começar a falar, todas haviam terminado suas refeições e a conversa havia cessado. Olho para Calliope e ela já sabia do que se tratava e a mesma me lançou um olhar como se quisesse dizer “coragem, acabe logo com isso. Vai” e foi o que eu fiz.

Mãe... – Chamei a atenção da mulher para mim. – Precisamos conversar.

Diga minha filha, é sobre o hotel? – Rossie pergunta franzindo o cenho.

Não, é sobre mim. – Respiro fundo e olho ao redor, Loren e Calliope estavam apenas observando, já sabiam do que se tratava. Óbvio. – A senhora sabe o que rolou entre eu e Mark, correto? – A mulher confirma e eu continuo. – Alguém surgiu na minha vida novamente e... Estamos juntos.

Isso é bom, o Mark nunca prestou pra você, Arizona. Mas quem é a pessoa da vez? Eu o conheço? É um bom rapaz? – Meu coração acelera freneticamente quando ouço suas perguntas se referindo ao gênero masculino.

Você a conhece, mamãe. Ela é incrível. – Respondo tentando não parecer nervosa.

Está louca, minha filha? – Rossie ri com ironia. – Porque está se referindo ao sexo feminino?

Mãe... Tente levar numa boa, eu imploro. – Respiro fundo. – Estou namorando uma mulher.

Você... Você o quê Arizona Robbins? – Minha mãe passa a mão pelos cabelos, parecia estar absorvendo o que eu tinha acabado de falar.- Calliope, diga-me que é mentira. – Ela sorri nervosa. – É uma pegadinha, não é? – Minha mãe pergunta incrédula.

Não, não é pegadinha dona Rossie. – A latina abre a boca para responder minha mãe.

-- É algum engano, só pode ser.

Não é engano, vovó. – Loren a responde.

Até você sabe disso Loren? Oh meu deus... – Minha mãe parece estar nervosa a cada segundo a mais. – Desembuche de uma vez quem é essa.

A namorada dela sou eu, dona Rossie. – Calliope responde rapidamente fazendo minha mãe a olhar furiosamente e criando um clima tenso na sala de jantar.


Notas Finais


Cheirinho de tretar no ar... :X

Volto assim que puder, deixem seus comentários. Xoxo

Twitter: @sweetzrobbins


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...