História Predestinadas - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias O Diabo Veste Prada
Personagens Andrea "Andy" Sachs, Miranda Priestly
Tags Andrea Sachs, Lgbt, Miranda Priestly, Mirandy, O Diabo Veste Prada, Romance, The Devil Wears Prada
Visualizações 118
Palavras 1.909
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sei, eu sei... Eu sumi, voltei atrasada, me perdoem. Meu trabalho anda uma loucura e cada vez mais tem surgido coisas. Eu não via a hora de voltar para cá e espero conseguir voltar mais cedo da próxima vez. Agradeço por todas que permaneceram e as novas leitoras, que percebi que chegaram algumas, sejam muito bem-vindas! Não quero me prolongar muito, só queria deixar aqui um abraço para todas e meu agradecimento por tanto apoio, vocês são maravilhosas DEMAIS! Outra coisinha, esse capítulo, ele... Bem, vocês irão ver. Confiem que vai dar tudo certo. E não desistam de mim! Beijos, meus amores. Boa leitura. 💕

Capítulo 21 - Capítulo XIV


Silêncio. Já haviam se passado quatro dias desde sexta e foi a única coisa que ouvi de Miranda desde a última vez que estive em sua sala. Um completo silêncio. Sem chamadas. Sem sms. Sem e-mail. Sem encontro pelos corredores. Claire havia comunicado a todos que Miranda estaria resolvendo alguns problemas durante a semana e por isso seria difícil conseguir contatá-la na revista, somente os assuntos de extrema urgência ganhariam passe livre para a sua sala. Algo estava errado. Eu sentia.

Minha sala estava preenchida pela luz da manhã, iluminando o ambiente e deixando-o em um tom mais brilhante que o usual. Vou até o banheiro, ouvindo o barulho de meus saltos sobre o chão de mármore até parar em frente ao espelho. Encaro meu reflexo por alguns momentos e permito que minha mente divague novamente sobre os últimos acontecimentos da sexta-feira passada.  

~Flashback on~

Já havia começado a trabalhar na minha lista de afazeres do dia quando reparei o casaco azul cobalto em cima da cadeira à minha frente.

- Elis. – Digo em voz alta.

Levanto-me e saio às pressas pelos corredores da revista, afinal, ela havia mencionado que estava de passagem rápida pela Runway. Ao passar pelas mesas das assistentes, observo rapidamente a mesa de Emily vazia e Claire ao telefone, e, como estavam apenas Miranda e Elis na sala, decido entrar.

- Elis! – Digo enquanto entro apressada no escritório elegante e a mulher de cabelos acobreados vira-se para me encarar. Não pude deixar de notar um leve semblante de preocupação em seu rosto, mas continuo. – Ainda bem que está aqui. Você esqueceu seu casaco na minha sala. – A ruiva encara o casaco em minhas mãos com surpresa e alívio.

- Não sabe anunciar-se ou pedir licença, An-dre-ah? – O tom cortante e inesperado de Miranda faz um frio correr pela minha espinha, deixando minhas mãos frias, os batimentos cardíacos acelerados e a boca seca. Entrego o casaco para Elis e ela esboça um sorriso em agradecimento.

- Desculpe-me. – Digo enquanto tento analisar rapidamente a situação. Miranda parecia tensa, eu podia notar. E Elis... Havia uma expressão em seu rosto ainda não conhecida por mim. – Algum problema? – Pergunto a mulher de cabelos platinados e ela fixa o olhar em seu notebook.

- Nenhum. Por que haveria? – Responde fria novamente, sem tirar os olhos da tela do computador.

- Hum... Nada. – Percebo Elis inquieta e fico ainda mais nervosa com a situação. “O que estava acontecendo, afinal?”, penso. – Está tudo certo para amanhã com as meninas? – Pela expressão de Miranda, decido confirmar o que havíamos combinado anteriormente. Será que era esse o problema? Ela voltou atrás?

- Amanhã é sábado. Não sei o que teria eu a resolver com você em um final de semana e com alguma menina. – Ela fala baixo e firme, e automaticamente eu vejo a mesma Miranda que conheci no meu primeiro dia na Runway.

- Miranda. – Elis repreende Miranda com uma irritação clara e inédita para mim em seus olhos, em seguida, me olha com pesar.

- Oh, – É a única coisa que sai da minha boca após alguns segundos tentando entender tudo. – tudo bem. Com licença.

Saio o mais rápido possível da sala da editora-chefe, andando rapidamente pelos corredores sem prestar atenção à coisa alguma. Assim que entro no meu escritório, o telefone começa a tocar e o barulho impede que minha mente se organize e compreenda os acontecimentos dos últimos minutos. “O que houve?” é a única coisa que rodeia meus pensamentos. Vou até a janela e encaro os prédios vizinhos. Distraída em tantas incógnitas, percebo uma lágrima tímida escorrer pelo meu rosto.

 

Sexta-feira, Pub McSorley’s Old Ale House, 10pm.

- Eu achei que você não viria! – Um Doug animado se levanta ao me ver entrar no Pub mais antigo de Nova York. Seus braços me apertam em um longo abraço e ele segura meu rosto em seguida. – A minha amiga, minha amiga é uma jornalista bem-sucedida e agora modelo de capa de revista. Eu estou orgulhoso e feliz demais por você. – Dá um beijo em minha maçã do rosto e me puxa para a mesa em que estava.

- Calma. Nem bem-sucedida, nem modelo. – Digo alto tentando vencer a altura da música do local enquanto pego o copo de cerveja que ele me oferecia.

- Qual é! Nem falsa modéstia, nem uruca. É bem-sucedida, sim. – Nós dois rimos juntos. – E modelo. – Doug implica e eu reviro os olhos fingindo estar irritada. – Andy... – Meu amigo começa a usar a voz de quando quer me contar algo que aprontou. – Não fica brava comigo e não faz uma cara, mas tem uma surpresa para você que acabou de chegar.

Viro-me e olho para a direção que Doug encarava e vejo um moreno sorridente na porta do Pub. Não é possível. O que ele está fazendo aqui?

- Doug? – Pergunto incrédula.

- Calma, ele quer se redimir. Viu sua foto na capa da revista, me ligou e eu comentei que estaríamos aqui comemorando, então pediu que eu mantivesse segredo, ele queria lhe parabenizar pessoalmente.

- Não é um bom dia para isso. Ou final de dia.  – Tento sussurrar para ele. Doug dá um gole na cerveja e lambe os lábios.

- Agora já foi. – Dá de ombros e sorri para encarar o moreno que agora tocava meu ombro com delicadeza chamando minha atenção.

- Olá. – O moreno de olhos claros diz retirando um pequeno buquê de flores de trás de si. Lírios. E brancos. Uma pequena incomodação me atinge. Lírio é a nossa flor, minha e dela. E uma parte de mim gostaria que eles fossem exclusividade nossa. Encaro o buquê em suas mãos por alguns segundos e o seguro em seguida.

- Nate. – Cumprimento forçando um sorriso de canto e ele deposita um beijo delicado em meu rosto.

- Parabéns, Andy. Você merece. – Nate esboça um sorriso largo e se senta na mesma mesa que a nossa. Doug faz um sinal para o garçom e o mesmo traz mais um copo de cerveja, que Nate segura imediatamente e eleva. – A Andy. E aos velhos tempos. – Diz sorridente e brindamos.

~Flashback off~

Ouço toques na porta do meu escritório e o barulho me trás de volta de meus devaneios. Ajeito meu cabelo rapidamente e vou em direção à porta, abrindo-a em seguida.

- Bom dia, Claire. – Digo calmamente para a assistente de olhos assustados.

- Bom dia, senhorita Sachs. A senhorita Priestly, digo, a Miranda, antecipou a reunião de amanhã para hoje e eu resolvi avisar todo mundo pessoalmente, não sabia se iriam verificar a caixa de entrada do e-mail na hora. – Claire justifica-se parecendo um tanto quanto nervosa.

- Tudo bem, fique tranquila. Para qual horário ela antecipou?

- Daqui quinze minutos. Exatamente. – Responde preocupada olhando o relógio de pulso.

- O que significa que é...

- Agora. – Falamos juntas.

- Certo, Claire. Eu irei para a sala de reuniões, Heloise já foi avisada, eu suponho. – Ela afirma com a cabeça. – Okay. Muito obrigada.

Pego minha bolsa e saio em direção à sala de reuniões. Assim que adentro o local, percebo que era a única que ainda não estava presente.

- Heloise, quero que acompanhe o photoshoot no Madison Square Garden e me envie as fotos o mais rápido possível. – A editora-chefe diz firme.

Sento-me no lugar vago ao lado de Heloise e ela sorri, soltando um bom dia baixo. Miranda por sua vez, finge não notar minha presença e a ignora por completo.

- Amanhã teremos o ensaio, quero todas as peças dos anunciantes preparadas. Não tolerarei erros. – A mulher de cabelos platinados encara Jocelyn friamente, que engole em seco e anota algo em sua caderneta em seguida. Ela muda o foco de seu olhar e encara o nada por alguns segundos. – Como estamos com a On the Runway? – Pergunta e sinto os olhares sobre mim, com exceção do dela, que agora se distraía com algo em sua caderneta.

- Heloise e eu já estamos separando e organizando os candidatos que se inscreveram e apresentaram todos os documentos necessários até agora. Já temos muitas inscrições, apesar de estarmos apenas no início.  – Miranda ainda não me olhava, apenas anotava algumas coisas em silêncio. – Finalmente escolhemos as publicitárias que ficarão responsáveis pela parte das mídias sociais da competição, amanhã mesmo começaremos o treinamento.

- Transfira o treinamento para hoje. – A editora-chefe olha rapidamente para Heloise e encara o nada novamente. – Certifique-se de adiantar tudo o que puder para hoje, sua agenda deve estar completamente liberada para amanhã.

- Agenda liberada? – Penso em voz alta.

- Foi o que eu disse, An-dre-ah. – Usando de seu melhor tom e postura de editora-chefe, Miranda finalmente direciona o olhar a mim. – Temos entrevistas para a televisão amanhã, libere sua agenda e confira os detalhes com a Emily.

- Tudo bem. – Tento disfarçar a surpresa da notícia da entrevista e não transparecer o nervosismo.

- Miranda, a Spazia enviou flores e um cartão com um pedido de desculpas pelo ocorrido com o photoshoot. A editora pediu para frisar que faz o que for preciso para compensar o transtorno. – Heloise se manifesta.

- Ela pode começar a refinar seu gosto para flores, para começar. – Miranda dispara e faz uma negação com a cabeça. – Minha mesa ficou empesteada com o cheiro esquisito daquelas hortênsias. Quem em sua sã consciência presenteia outra pessoa com hortênsias? Elas mudam de cor e terminam por ficar quase verdes, brancas, eu sei lá. Uma planta deprimente. Próximo. Edição de dezembro.

A reunião continuou por mais três horas seguidas, detalhes das próximas edições, aniversário da revista, enfim, uma corrida contra o tempo. Miranda não direcionou sua atenção a mim por mais nenhuma vez, se eu desconfiava que o problema era comigo, dessa vez eu obtive certeza. Eu apenas não sabia o motivo. Mas iria descobrir.

***

O relógio já marcava nove e meia da noite quando a editora-chefe da Runway finalmente deu-se conta do horário. O ambiente de trabalho estava envolvido por uma meia luz suave devido ao fato de quase toda a equipe ter terminado seu expediente do dia e ido para suas casas. Miranda digitava um e-mail rapidamente em seu notebook quando uma morena de expressões pesadas entrou em sua sala de forma silenciosa.

- Nós precisamos conversar. – Disse Andrea, tentando parecer o mais firme possível.

- Não. Não precisamos. – Respondeu a editora, calma e friamente, sem tirar os olhos do e-mail que finalizava.

- Miranda, eu preciso entender o que est-

- Se você preza o seu trabalho na Runway, você irá se retirar da minha sala agora e fingir que isso nunca aconteceu. – A mulher de cabelos platinados encara Andrea e esta engole em seco.

- Isso o que, exatamente? – A morena pergunta com a voz levemente embargada.

- Entenda como quiser. – Miranda Priestly força um sorriso e continua. – Isso é tudo.

Andrea deixa a sala da editora-chefe mantendo-se firme, enquanto Miranda tira um copo com gelo e uísque que estava apoiado à mesa em seu lado esquerdo e escondido pelas sombras do ambiente em meia luz, levando-o à boca, encarando uma foto que retirou de debaixo do notebook. Foto esta que havia olhado diversas vezes, mas que a cada vez que seus olhos a encaravam, o desgosto era maior.

A editora-chefe não podia saber se o amargo era da bebida alcoólica ou da imagem em suas mãos. Quanto mais analisava a foto, mais amargo era o sabor em sua boca. Era ela. Andrea e seu ex, compartilhando as flores que costumavam ser delas. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...