História Presas e Garras - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Aiden, Alan Deaton, Allison Argent, Chris Argent, Cora Hale, Derek Hale, Erica Reyes, Ethan, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jordan Parrish, Kate Argent, Laura Hale, Lydia Martin, Melissa McCall, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Stiles Stilinski, Vernon Boyd, Victória Argent
Tags Sterek
Visualizações 125
Palavras 3.160
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, LGBT, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Sinceridade


Fanfic / Fanfiction Presas e Garras - Capítulo 9 - Sinceridade

Uma chuva fina caia sobre a cidade na manhã de quarta-feira. O vento fresco entrava pela janela do quarto de Stiles, que tentava pentear os cabelos, mas eles não paravam na posição que ele deixava. Desistindo ele os deixa assim mesmo, pega um casaco e desce para o andar de baixo. Recebe uma mensagem de Lydia o convidando para uma festa na casa dela, no sábado.

- “Hey honey, meus pais vão viajar e a casa será só minha nesse fim de semana. Venha preparado, festa na piscina. Xoxo” – leu Stiles enquanto descia a escada – “Posso levar um acompanhante?” – perguntou digitando rápido, chegou a sala e abriu uma mensagem de seu amigo Scott – “Hey bro! Festa da Lydia no sábado, vamos?” – Stiles deu risada e respondeu – “Claro! As festas da Lydia são as melhores” – digitou enquanto chegava a sala de jantar. Abriu a geladeira e pegou um litro de leite bebendo no bico da garrafa mesmo.

- Bom dia! – disse Stiles colocando a garrafa em cima da mesa e pegando um pedaço de pão.

- Onde foi que aprendeu esses modos? – perguntou Noah sentado a sua habitual cadeira lendo o seu jornal.

- Com o senhor – respondeu Stiles sorrindo em seguida para a cara de bravo que ele fez – Querido paizinho, que eu amo. – tentou concertar sorrindo afetado. Noah apenas revirou os olhos, estava acostumado com esse jeito do filho.

O celular de Stiles anunciou a chegada de uma mensagem.

- “Pode levar quem quiser, com tanto que seja gato e que fique de sunga branca na piscina.” – leu e soltou uma risada abafada. O xerife o olhou de canto de olho.

- Stiles... filho – chamou Noah – Deixa esse telefone de lado um pouco, eu preciso conversar com você. – pediu.

- Já sei! – respondeu sem tirar os olhos do celular.

- Sabe? – perguntou confuso arqueando as sobrancelhas.

- É, o senhor não vai me dar dinheiro para concertar o meu Jeep. – disse finalmente colocando o celular na mesa e mordendo um pedaço de pão olhando para o pai.

- Ah... não, quanto a isso eu cuido disso hoje à tarde está bem? Vou chamar o guincho para levar o Jeep para a oficina. – disse Noah.

Stiles olhou desconfiado para ele, seu pai era muito pão duro, “porque iria bancar o concerto do seu amado carro?” pensou Stiles.

 – Eu quero falar sobre outra coisa. – continuou. – Ahn... vamos jantar na casa dos seus tios hoje. – falou simplesmente.

Stiles observou a expressão tensa no rosto do pai, preferiu concordar com um aceno de cabeça.

Outra mensagem chegou, vibrando o celular em cima da mesa e acendendo a tela, dessa vez de Derek. Stiles tratou logo de pegar o celular, desbloquear a tela clicar na mensagem.

- “Bom dia!” - leu e notou em seguida um emoji com uma carinha piscando um olho – “Dormiu bem? Mal posso esperar para nos vermos hoje. Que tal agente sair para fazer alguma coisa hoje à noite.” – Stiles leu e digitou em seguida.

- “Bom dia, sourwolf” – digitou e enviou notando que a mensagem foi lida – “Dormi maravilhosamente, também estou com saudades. Hoje à noite não posso, jantar em família.” – enviou.

- “Tudo bem, eu entendo” – recebeu em seguida – “algo especial?” – perguntou.

- “Tenho um palpite, acho que tem a ver com caçadores, lobisomens e o legado da família” – enviou.

- “Eu te vejo à tarde, então?” – recebeu.

- “Com certeza!” – respondeu ele.

- “Deixa a janela do seu quarto aberta” – leu Stiles.

- Stiles pelo amor de Deus com quem tanto conversa? – perguntou seu pai incomodado.

- Com a Lydia... – mentiu – Ela vai dar uma festa no sábado. – disse.

- Se apresse se quiser carona – disse Noah terminando de tomar seu café e se levantando.

- Ta legal... to indo – disse Stiles bebericando o café apressado.

***

O xerife o deixou na entrada da escola e se encaminhou para a delegacia.

Como sempre estava lotada de alunos, conversando e rindo. Stiles viu Cora chegar de moto com Peter. Se aproximou quando ele saiu acelerando sua moto e sumindo de vista.

- Pensei que o Derek fosse te trazer hoje – disse Stiles desapontado.

- Bom dia para você também Stiles – disse Cora – Ele foi resolver uns assuntos e disse que volta à tarde. – disse andando ao lado de Stiles para dentro da escola. – Pela a sua cara a noite foi boa. – sorriu.

Stiles encontrou Scott no corredor em frente ao armário lutando para abrir o cadeado. Cora desejou um “até logo” e saiu rumo a seu próprio armário.

- Essa droga de armário me odeia – disse Scott – Ei bro... andando muito tempo com a Cora ultimamente hein. – riu Scott – pensei que não gostasse da fruta.

- Quem não gosta da fruta? – perguntou Lydia se aproximando deles junto de Allison.

- O Stiles que tá andando muito com a Cora. – respondeu Scott.

Lydia olhou para Stiles e semicerrou os olhos.

- Andando com a Cora ou... com o irmão dela? – perguntou Lydia sorrindo.

- Vocês não tem mais o que fazer não? – Stiles perguntou nervoso. Os amigos riram. Stiles saiu caminhando pelo corredor deixando os amigos sozinhos. Allison veio atrás dele.

- Stiles espera um pouco – pediu correndo para acompanha-lo – Você está sabendo do jantar hoje à noite? – perguntou.

- Sei, a família não se reúne assim sempre. – disse para a prima que andava do seu lado – Apenas quando tem algo importante a anunciar. – olhou para Allison. – Você sabe de alguma coisa? – perguntou.

- Não... – respondeu – provavelmente seja algo importante, algo que envolva toda a família. – disse com o olhar firme.

- É, só vamos saber o que é, quando chegar a hora. – sorriu Stiles. – Te vejo lá então, tchau. – disse e ouviu o “tchau” da prima se afastando dele.

Se separaram e foram cada um para a aula que teriam agora.

***

As coisas correram normalmente na escola, mais um dia de aula comum. Na hora de ir embora, Stiles recebe uma mensagem do pai dizendo que não poderia busca-lo, então pede uma canora para Lydia que estava de carro.

Na estrada, dentro do carro de Lydia, Stiles estava muito quieto, a amiga estranhou isso, pois ele sempre é tão hiperativo.

- Desembucha logo Stiles – pediu ela – sem tirar olhos da estrada. – Ta rolando alguma coisa. – virou rapidamente o rosto para ele e tornou a mirar a estrada – É alguma coisa a ver com o irmão da Cora? – perguntou.

Stiles sabendo que a amiga não ia deixa-lo em paz resolveu dizer.

- Eu meio que... to gostando dele. – disse simplesmente – A gente... ficou ontem. – olhou para cara de Lydia que não sabia se olhava para frente ou para cara dele com a boca aberta.

- Eu sabia! – Disse – meu instinto nunca me engana. Então... como ele é? – perguntou.

- Eu não vou te contar os detalhes da nossa transa – disse Stiles – Só posso dizer que ele sabe bem o que faz, e como faz. – deu um sorriso.

- Conheço esse olhar. – disse Lydia – Ta apaixonado.

- Talvez eu esteja um pouquinho. – concordou.

- E ta assim quieto só porque fez sexo com ele? – disse – Deveria estar comemorando.

- É que... não sei se meu pai ou o restante da família o aprovaria. – disse observando a paisagem. Pensou “nunca o aprovariam, porque ele é um lobisomem”.

- Meu concelho é, que se sua família o ama de verdade, eles vão respeitar a sua escolha. – disse sabiamente. – E desde quando Stiles Stilinski segue regras? – disse fazendo o amigo rir. – Se eles os proibirem de se verem, saia escondido.

O restante da viagem conversaram bastante sobre ele e Derek. Lydia tentando arrancar os detalhes mais íntimos, Stiles se recusando a compartilhar o quão bom de cama Derek é. “Não se faz propaganda quando não se quer vender um produto” disse ele. Lydia parou em frente à casa de Stiles que desceu e saiu dando um “até logo” e caminhando para porta.

***

Eram umas três horas da tarde, Stiles estava deitado na cama e mexendo no celular. Fazia calor, ele estava quase tirando a roupa. Preferiu apenas usar tecidos mais leve, um calção e uma camiseta regata. A todo hora olhava no celular, nenhuma mensagem de Derek. A última mensagem dizia “Deixa a janela do seu quarto aberta”. A janela estava aberta, ele estava só em casa. E nada de Derek.

Alguns minutos se passaram e Stiles entediado ouvindo música com os fones de ouvido, nem percebeu Derek entrando sorrateiro pela janela, carregando um embrulho na mão. Ele se virou e se assustou quando viu Derek em pé perto da janela o encarando com um sorriso no rosto.

- Derek! – disse se levantando e pulando no pescoço do Hale o beijando – Por onde você andou? – perguntou – Eu estou entediado nesse quarto a séculos. – disse.

- Resolvendo umas coisas – respondeu e entregou a caixa de chocolate para Stiles – Toma! Espero que goste. – disse sorrindo.

- Eu amo chocolate. – disse já abrindo a caixa e pegando um, levando a boca e o mordendo. – hummmm – gemeu de boca cheia.

- E eu pensei que só eu pudesse te fazer gemer assim. – sorriu dando um selinho em Stiles.

- Com ciúmes até do chocolate? – brincou Stiles deixando a caixa em cima da mesa junto ao computador – Se quiser me fazer gemer agora, eu adoraria. – disse sorrindo.

Derek o beijou sendo puxado em direção a cama.  Stiles deitou com Derek com por cima de si, beijando e se esfregando freneticamente, friccionando sua ereções. Empurrou Derek para que ficasse de pé no chão perto da cama, se sentou na beirada do colchão abriu o botão da calça do Hale e puxou o zíper para baixo. Tirou o pênis de Derek para fora, o abocanhando e chupando voraz. O Hale gemia e mexia o quadril lentamente em direção a boca de Stiles. Alguns minutos fazendo boquete em Derek, Stiles ficou de pé e sussurrou.

- Me fode! – pediu – Não precisa tirar a roupa, meu pai pode chegar a qualquer momento – disse beijando os lábios de Derek. Abaixou o calção até os joelhos, se virou e apoiou as mão no colchão meio inclinado com a bunda na direção do Hale. Derek abaixou a calça um pouco, junto da cueca. Cuspiu na mão e esfregou no pau, mirou na bunda de Stiles e penetrou. Com as mãos apoiadas na cintura de Stiles ele o estocava com vontade ouvindo os gemidos abafados dele. Derek puxou Stiles o fazendo encostar as costas no peitoral dele, apoiou a mão no peito de Stiles o segurando firme. Estocava freneticamente, lambendo seu pescoço e mordiscando sua orelha. Stiles gozou sem nem se tocar, Derek gozou logo em seguida. Retirou seu pau de dentro de Stiles e virou seu corpo, sorrindo e tomando seus lábios num beijo. Stiles levou a mão a bunda e pegou um pouco de esperma que escorria do seu cu.

- Como você consegue gozar tanto líquido? – Stiles perguntou sorrindo. E ficou sério em seguida – Eu preciso me preocupar por não usarmos camisinha? – perguntou.

- Metabolismo de lobisomem – respondeu Derek - Não se preocupe, lobisomens são imunes a doenças humanas. – disse vendo Stiles levar o dedo a boca e sugar o esperma.

- Eu posso me acostumar com isso. – respondeu dando um sorriso de lado. – Agora deixa eu ir me limpar. – Disse indo para o banheiro.

Derek levantou as calças e guardou o pênis fechando o zíper. Sentando-se na cama e aguardou Stiles voltar do banheiro. Ele voltou um tempo depois, trancou a porta do quarto e notou um sorriso no rosto de Derek deitado na cabeceira da sua cama.

- Por que esse sorriso? – perguntou sentando-se perto do Hale.

- Você fica lindo pós sexo. – respondeu simplesmente. – Então... – continuou levantando o torso e sentando-se perto de Stiles – Eu queria te levar para jantar hoje, mas já me disse que não vai poder – olhou nos olhos dele e continuou – Não sei se consigo esperar até uma próxima oportunidade... namora comigo? – pediu Derek sorrindo.

Stiles olhou para ele e sorriu bobo.

- Sim! – respondeu depressa e o beijou demoradamente.

Depois de um tempo agarrados trocando caricias na cama de Stiles, o jovem resolveu falar.

- Sabe esse jantar em família que eu disse? – perguntou sem tirar a cabeça do peitoral de Derek e ouviu um “ãhan” de volta. – Será com os meus tios... os Argents. – disse finalmente ouvindo o silêncio do Hale levantou a cabeça e olhou em seus olhos. – Cora me contou o que... Kate fez. – falou com cuidado. – Eu não fazia ideia, Derek. Eu nem sabia que o sobrenatural existia. – disse depressa com medo de o Hale o rejeitar.

- Ei, tá tudo bem. – disse o tranquilizando segurando seu queixo – O que ela fez não é culpa sua, o único culpado sou eu. – disse.

- Você não tem culpa se ela o manipulou e enganou. – olho para Derek e deu um selinho nele. – Acho que eles pretendem falar sobre o sobrenatural, depois de mentir para mim a vida toda. – disse com uma nota de raiva na voz. – Não sei se consigo fingir surpresa, acho que se eu contar de que forma eu descobri, eles nunca me deixarão nem chegar perto de você – disse e continuou -  Sabe... por ter deixado um lobisomem possivelmente criminoso escapar e esconde-lo no meu quarto. – olhou tristemente para ele – É claro que mesmo você sendo inocente, duvido que não se oporão ao nosso namoro.

- Agora que eu te encontrei, não vou deixa-lo escapar. – respondeu Derek. – Enfrento até mil caçadores para ter você em meus braços. – concluiu o beijando.

- Falando em caçadores, acho melhor você ir – pediu Stiles.

- Já quer se ver livre de mim? – perguntou Derek fazendo bico.

- Claro que não, seu bobo. – beijou o bico do agora namorado – Só não quero que meu pai chegue aqui e o mate meu namorado gostoso. – respondeu vendo o sorriso do Hale.

- Fala de novo? – pediu.

- O que? ... meu namorado gostoso? – perguntou sorrindo. – Meu. Namorado. Gostoso. – respondeu dando selinho entre as palavras. – Agora é sério! Vai... – pediu.

Derek deu mais uma série de beijos em Stiles e então saiu pela janela. Cindo minutos depois seu pai chegou, estava acompanhado por Jordan Parrish, um policial novo da delegacia que veio dirigindo seu amado Jeep. Stiles saiu correndo para abraçar dramaticamente o carro, dando beijos pela lataria do mesmo.

- Meu bebê. – disse com voz infantil – Eles cuidaram bem de você? – perguntou.

- Às vezes eu acho que você ama mais esse carro do que o seu pai aqui. – disse o xerife. Jordan riu.

- Oi Stiles! – cumprimentou Parrish – Como vai?

- Oi jordan! – disse Stiles sorrindo – Bem obrigado, e você? Obrigado por trazer o meu bebê.  

- Bem também – respondeu – Muito trabalho ultimamente e ... de nada. – sorriu.

Os dois ficaram se encarando, se o seu pai soubesse que o Parrish já era familiarizado com seu Jeep, (os dois transaram dentro dele mês passado) ele estaria frito. Riu em pensamento, Jordan é uma delícia, mas agora Stiles só tem olhos para o Hale, sem contar que agora estava namorando.

***

O xerife deu carona ao Parrish até a casa dele. Voltou pouco tempo depois, encontrou Stiles sentado no sofá assistindo TV e jogando no celular. Sentou-se na poltrona perto de Stiles e olhou impaciente para tela da TV.

- O que essa caridade vai me custar? – perguntou Stiles sem tirar os olhos do celular.

- O que? – perguntou Noah virando a cabeça para ele.

- O senhor é muito pão duro para me dar dinheiro. – disse largando o celular de lado – Porque pagou o concerto do meu carro? – perguntou.

- Por que eu queria agradar ao meu querido filho – disse o xerife.

Stiles olhou desconfiado mas não disse nada.

O restante da tarde passaram assistindo TV. À noite Stiles já estava vestido e pronto para ir para o jantar na casa dos tios. Noah estava trocando de roupa no quarto enquanto Stiles estava na sala o esperando.

- STILES! VOCÊ VIU AQUELA MINHA MEIA FAVORITA? – gritou o xerife lá de cima.

- PROCURA NA MINHA GAVETA DE MEIAS, EU DEVO TER GUARDADO LÁ SEM QUERER QUANDO LAVEI ROUPA – gritou de volta.

Dois minutos depois Noah apareceu na sala com a cara de que estava prestes a explodir e um livro na mão. “Droga” pensou Stiles, tinha se esquecido do bestiário que escondeu na sua gaveta de meias.

- Pode me explicar o que significa isso, Stiles? – perguntou sério em frente ao jovem de olhos arregalados.

- Isso é ... – olhou para a mão do pai – um livro. – respondeu.

- Eu não tenho paciência para suas brincadeiras Stiles. – disse se sentando na poltrona com a cabeça baixa e as mãos nas têmporas. – A quanto tempo sabe? – perguntou levantando o olhar.

- Desde quando encontrei aquele lobisomem preso no porão. – respondeu Stiles.

- Então... você o ajudou a fugir? – perguntou alterando a voz em seguida – Você faz ideia do quanto isso foi estupido? Ele poderia ter te matado. – baixou a voz.

- Ele não ia me fazer mal – respondeu – Ele era inocente, ele não matou aquelas pessoas.

- E como você poderia saber? Virou vidente agora? – perguntou.

- Eu... eu sentia que ele era inocente, uma intuição. – respondeu depressa.

- Uma intuição? – falou o xerife – Você se arriscou, porque teve uma intuição sobre um lobisomem ser inocente? – disse bravo. – Meu deus Stiles ele poderia... – fora cortado por seu filho.

- Mas não o fez – disse – Porque ele é inocente, e se não fosse eu o ter tirado de lá, o senhor agora estaria com as mão sujas de sangue inocente. – respondeu alterando a voz um pouco.

 - Você mentiu para mim – disse o xerife com a voz baixa – Essa foi a pior de todas as vezes que escondeu coisas de mim.

- Você mentiu para mim a vida toda – respondeu Stiles – Nunca ia me contar a verdade, sobre o legado da família de caçadores, sobre lobisomens e todo o resto sobrenatural. – Stiles se levantou com lágrimas se formando nos olhos.

- Filho... – se levantou se aproximando do filho – Nós íamos te contar, hoje á noite no jantar. E agora eu tenho certeza que você já sabia disso... você é meu filho afinal, tem sangue de investigador. – segurou nos dois lados do corpo de Stiles e olhou nos seu olhos – Você é meu único filho, que amo mais que tudo. Eu nunca me perdoaria se acontecesse algo com você. Eu quis que tivesse uma vida normal, diferente de mim que estive nesse mundo sobrenatural desde sempre. – o abraçou fortemente – Por favor, não me odeie. – pediu ele.

- Eu nunca vou odiar o senhor – o abraçou deixando as lágrimas rolarem – Eu também te amo, mas me prometa que daqui para frente será sem esconder coisas? – pediu Stiles.

- Prometo! – disse beijando o topo da cabeça de Stiles. – Mas eu sempre vou proteger o meu menino. – riu quando Stiles o apertou com mais força no abraço.

- Vamos... Estamos atrasados para o jantar. – disse o xerife.

Eles caminharam rumo a porta e partiram para a casa dos Argents. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...