História Presentes do destino - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Flare Corona, Gajeel Redfox, Gildartz, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Levy McGarden, Loki, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Fairy Tail, Lucy Heartfillia, Nalu, Natsu Dragneel
Visualizações 97
Palavras 1.488
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Cap.III


Fanfic / Fanfiction Presentes do destino - Capítulo 3 - Cap.III


Naquele exato momento faltavam 10 minutos para que o intervalo acabasse e todos os alunos voltassem para suas salas dando continuidade aos estudos, se esforçando para compreender as matérias, tirar boas notas, entrar numa Boa Universidade e conseguir uma carreira de sucesso.

Era meio frio pensar dessa forma, que sua vida desde o momento em que nascera ja estava toda programada para acontecer de uma forma, e se você não conseguisse realizar algo dela era taxado por si e pelos outros como um fracassado, mas naquele momento, deitado no chão do telhado do Colégio, com a cabeça sobre os  braços cruzados olhando o céu limpo e sem nuvens... Era assim que Natsu estava se sentindo.

Era algo raro de se acontecer, ficar pensando sobre suas perdas, mas ao mesmo tempo, quando isso acontecia, parecia ser inevitável não pensar no assunto. Às vezes se perguntava como conseguia tirar forças pra abrir um sorriso e simplesmente fingir que não se lembrava de nada que aconteceu nos últimos anos.


Odiava se sentir daquela forma, impotente e sem valor, mas quando recebia mensagens de seus  amigos antigos contando sobre o novo emprego na área que sonhava trabalhar, sobre as diversões que passavam nas universidades que ralaram pra entrar, e sobre os relacionamentos sérios que estavam começando,  mais uma vez ele se sentia pequeno, diminuindo e diminuindo.


Seu coração ainda continuava machucado, por mais que tentasse seguir em frente, Hikari havia roubado grande parte de suas mais calorosas emoções, e  pensar nela sem lembrar de todas as noites em claro, das fugidas no meio da madrugada, nas tardes indo para qualquer lugar apenas para ficarem juntos curtindo o tempo, era tão doloroso.


Pensar que fora a primeira garota a conquistar seu coração e experimentar coisas que nunca sentiu antes era tão frustrante, olhar pra trás e perceber que o passado ainda continuava tão perto de si, que não conseguia o superar de uma vez por todas e seguir em frente.


Natsu se sentia completamente destruído, e não entendia como ainda não havia desistido de tudo e tentado dar um fim aquele seu "EU"  idiota e frágil. Perdera tantas oportunidades por causa de um amor vazio, manipulador e egoísta.


Se sentia um lixo por se deixar levar por seus sentimentos. Eles o machucaram tanto, o fizeram ter péssimas escolhas, e ainda continuavam ali, o torturando e o impedindo de ter uma nova vida.


Se conhecesse seu pai,tinha certeza de que o mesmo estaria o criticando nesse momento por ser um garoto tão fraco que se deixa afundar por algo tão sem sentido...Homens não foram feitos para  deixar emoções os fragilizarem não é?... Eles eram fortes, duros e frios, não podiam deixar qualquer coisa penetrar em suas Almas e as enfraquecer, seria humilhante não seria?


"Homens não foram feitos para expressar seus sentimentos", era o que ouvia alguns amigos e parentes dizerem. Mas.... por que mesmo assim não conseguia parar aquela dor em seu peito? Porque mesmo assim não conseguia controlar as lágrimas que desciam em seu rosto todas as noites antes de dormir? Porque não conseguia reprimir a vontade de gritar enquanto socava a parede no banho? Porque mesmo depois de tantos anos, e de tudo o que aconteceu, aquele sentimento de amor solitário continuava ali o amargurando ?


Se o que ele viveu na época fora somente uma paixão repentina, coisa de adolescente curioso de acordo com seus conhecidos, aquela dor toda iria passar rápido não é?


Mas não passava, infelizmente….o que ele sentia não era uma mera paixão, aquilo que ele viveu, pelo menos de sua parte, fora um grande amor. E o amor é algo difícil de se compreender às vezes,não é?


Porque ele não conseguia a esquecer?



Frustrante, aquilo era muito frustrante, mas no fundo ele já sabia bem a resposta... afinal, era ela quem corria até seu quarto todas as manhãs para lhe dar bom dia, era ela quem abria aquele sorriso com janelinhas a cada palavra que dizia, era ela que lhe abraçava e pedia por carinho a qualquer momento do dia em que estava juntos, era ela que saía correndo do quarto enrolada num lenço rosa fingindo ser uma bailarina....


Sua pequena e linda filha era a resposta para aquele sentimento continuar ali. Por mais que tentasse seguir em frente, era impossível não lembrar que  Sua pequena florzinha tinha uma mãe, e que era idêntica a ela. Por mais que tivesse puxado muito de si, Natsu também conseguia enxergar muito de Hikari na garotinha, e aquilo novamente o torturava.


Sabia que quando saísse do Colégio enfrentaria um longo dia de trabalho, e que chegaria completamente esgotado em casa. Teria se de arrumar e gastar o que já não tinha mais de energia com sua filha espoleta, mas pelo menos, eram naqueles raros momento, quando ela corria ao seu encontro,sentava em seu colo e deitava a cabeça em seu peito falando que estava com saudades e que amava o papai do tamanho do universo, é que sentia seu coração se aquecendo novamente, por um curto mas muito prazeroso momento.


Talvez aquele fosse o único momento do dia que realmente lhe importava e lhe dava as forças necessárias para levantar no dia seguinte e continuar prosseguindo. Realmente, nos últimos meses aquele tinha sido o único motivo para abrir um sorriso verdadeiro.


Farto de ficar se castigando com seus pensamentos depressivos, Natsu virou seu olhar para o lado e  começou a encarar a linda garota que estava sentada ao seu lado,quieta folheando um livro.


-Por quanto tempo você vai ficar aí sem falar nada?-Ela sussurrou irritada como se tivesse feito aquela pergunta mais de uma vez


-Desculpa,  não te vi chegando -Disse calmo se sentando e esticando os braços .


-Acho que você não viu e ouviu nada -Suspirou abrindo um sorriso e lhe entregando um pacote de balinhas sabor tutti-Frutti .


-Realmente..... a quanto tempo você está aqui? -O rosado perguntou já abrindo o pacote


-Acho que desde que o sinal do intervalo soou e  eu não te vi voltar pra sala -Falou calma pegando um marca texto e grifando algumas linhas do livro que lia.


-Como assim?....as aulas já voltaram ? -Se levantou um pouco assustado


-Pra ser exata, faltam trinta minutos pra gente poder descer, pegar nossas coisas e ir embora -Fechou o livro e começou a arrumar seu estojo de canetas.


-Eu tava viajando tanto assim pra não perceber o tempo passar?  -Coçou a cabeça sem graça analisando a tranquilidade da garota a sua frente.


-Você parecia tão preocupado com algo, que não me arrisquei a te incomodar...mas como eu já tinha saído da sala pra te chamar a provavelmente o professor já estivesse começando a aula, decidi ficar aqui e te fazer companhia até você "Despertar"-Levantou sua cabeça encarando o garoto que parecia todo confuso.


-Tenho que parar com essa mania  de dormir acordado -Resmungou ajeitando a camisa amassada.


-De qualquer forma, senta aqui comigo e vamos terminar de fazer companhia um pro outro até acabar a aula - Deu palmadinhas no chão o incentivando a se sentar novamente


-Você é bem esquisitinha Luce -Abriu um sorriso achando graça na falta de preocupação da loira, e logo se sentou ao seu lado dividindo o pacote de balas.


-Por que você acha que a gente virou amigo? -O encarou desafiadora dando um peteleco  em sua testa.


-Realmente.....foi bem do nada -Deitou a cabeça no ombro da menor a vendo levar a mão livre para seus  fios rosados fazendo um leve carinho.


-Eu queria te conhecer desde o primeiro dia que cheguei....esse cabelo cor  de rosa me deixou fascinada -Soltou uma risada -Mas você só queria saber de dormir e correr  apressado.... lembro que naquela semana te apelidei de Coelho da Alice "estou atrasado...não vai dar tempo "


-Eu continuo querendo dormir e se você continuar com essas mãos no meu cabelo vou me atrasar de novo -Sussurrou bocejando achando graça do apelido e das frases que dizia o tempo todo.


-Já faz o que?...dois meses?....foi rápido e ao mesmo tempo demorado


-Uhum -Concordou sentindo o sono o dominar cada vez mais


-Natsu....se Você dormir vou te dar um soco -Falou séria  segurando o riso, afinal, Lucy achava muito fofo quando o rosado ficava todo manhoso por causa do sono e de seus carinhos.


Continuava tentando entender como a amizade deles havia ficado tão próxima assim, no começo ele parecia sempre querer fugir de suas aproximações, mas assim que cedeu as conversas no meio da aula os dois começaram a ficar inseparáveis, embora ele passasse a maior parte do tempo dormindo e também com alguns outros colegas.


Realmente, Natsu era alguém imprevisível quanto a deixar claro o que queria, mas não se arrependia nem um pouco do esforço que fez  para tentar o conhecer e virar amigos.


Enquanto deixava o mesmo tirar uma soneca em seu ombro, porque sabia que logo o sinal bateria e ele teria de correr  para o trabalho, relembrava de como tudo começou .


Notas Finais


Próximo cap será de como eles se tornaram amigos ...hehehe...até breve peoples


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...